Vacinas

História das Vacinas

Uma vacina é uma substância derivada, ou quimicamente semelhante, a um agente infeccioso particular, causador de doença. Essa substância é reconhecida pelo sistema imunológico que produz uma resposta que protege o indivíduo infectado de uma doença associada ao agente. Ela faz com que o sistema imunológico reaja como se realmente tivesse sido infectado.

Por volta de 1885, Louis Pasteur desenvolveu a vacina e o tratamento contra a raiva. Depois desse fato, destacaram-se as produções de outras importantes vacinas, como contra a difteria, tuberculose, tétano, febre amarela, pólio, sarampo, rubéola e hepatite B. Por outro lado, espera-se, a tão aguardada, vacina contra Aids prometidas pelos cientistas ainda para esta década.

 

Importância das vacinas

A vacinação sensibiliza o sistema imunológico do organismo, ela previne o surgimento de doenças causadas por vírus e bactérias especificas. Dessa forma, ajuda o sistema a estabelecer meios de defesa contra esses “invasores”, De forma que, quando a pessoa imunizada fica exposta à doença, o sistema imunológico poderá reagir rapidamente para prevenir a infecção.

Essas vacinas contêm quantidades ínfimas de  produto que provoca a formação, pelo sistema imunológico, de anticorpos e de células especiais contra o vírus ou bactéria em questão.

O sistema imunológico memoriza esta informação. Quando ocorrer uma invasão, o sistema desperta e causa imediatamente uma reação. É neste momento que o individuo produz rapidamente e em grandes quantidades os anticorpos apropriados que impedirão que o vírus se estabeleça no organismo.

As vacinas são fabricadas a partir de microorganismos mortos, ou a partir de microorganismos vivos enfraquecidos, que estimulam uma reação imunológica sem causar uma infecção. Vacinas  recentes contra Haemophilus influenza são preparadas a partir de partes ínfimas, não infecciosas, de bactérias ou vírus.

As vacinas são ferramentas poderosas para combater as doenças, protegendo milhões de crianças e adultos das doenças que ameaçam suas vidas, incluindo poliomielite (paralisia infantil), tétano, difteria, coqueluche, febre amarela, sarampo, hepatite B e gripe .O controle dessas doenças é o objetivo mais realista para a maioria dos programas de vacinação, com isso pode–se reduzir significantemente o numero de casos , assim como prevenir ou controlar rapidamente surtos epidêmicos. Antes de ser utilizada todas as vacinas são submetidas a testes e passam por um rigoroso registro, além disso, as a vacinas são submetidas a uma vigilância continua quanto aos seus efeitos colaterais. A idéia seria que as vacinas não causassem efeitos adversos, por isso, há um intenso estudo dos pesquisadores para desenvolver vacinas cada vez melhores.

 

Pontos Negativos das Vacinas

Embora as vacinas tenham ajudado no combate de muitas doenças, elas possuem alguns pontos negativos como: induzirem a manifestação alérgica de repetições nas vias aéreas e pele, induzirem a depressão do sistema imunológico e alterarem a vitalidade das crianças desencadeando quadros mórbidos após a vacinação. Os efeitos diversos das vacinas são graves e seria melhor a criança ter a doença e ser tratada homeopaticamente.

Comments