CRÍTICAS...
 
 
A procura e a Arte em Urbano da Cruz

Sei que Urbano da Cruz está travando consigo própria uma dolorosa luta para vencer as suas, e afinal nossas limitações, pelos caminhos da Arte porque neste artista e em tudo o que faz sente-se amor e verdade. Amor na procura pessoal e até no apoio que dá aos amigos. Mesmo aos que mal conhece. E é essa generosidade de dávida sem contrapartida que ele quer transportar para a tela. Sim, o amor também e imaginação e poder e poder criativo e o Universo foi um gesto infinito da força infinita de amor.

Urbano sabe que como a trovoada quando a Arte nos parece tão perto e realizável está afinal tão longe que nos obriga a recomeçar numa procura interminável. E que nos isola abandonando-nos numa ilha de falsos onirismos de onde muitas vezes é difícil distinguir a miragem da realidade.

Há sempre o medo de não conseguirmos sair de nós próprios não mostrando o que nos vai na alma e o que temos de melhor para dar.

Somos dúvidas e o prazer da cor torna-se o negro do drama, angústia de uma tela branca, nua, espacialmente enorme na sua agressividade. E quando partimos para o Universo da cor que ultrapassa a própria forma das coisas sem outro desejo que não seja reencontramo-nos na humanidade e colocamos a alma num espaço do mundo muito para além das nossas desilusões, expectativas e medos encontramos o Urbano da Cruz e a sua luta. Ele sabe a valência das cores, tem a noção estética do equilíbrio e a coragem da insatisfação. É essa procura de se chegar mais além que um dia nos dará o amargo fruto que se colhe verde para amadurecer na árvore do espírito livre desta nossa cultura massificada.

Miguel Barbosa

Pintor, Critico de Arte, Escritor, Poeta, Autor de Peças de Teatro, etc.


Tomei conhecimento com muito interesse do projecto… e apreciei muito a obra de Urbano da Cruz, que revela um apurado sentido e cuja organização plástica evidencia notável capacidade criadora e um interessante jogo cromático e simbólico.

Dr. Jorge Sampaio

 Ex Presidente da República de Portugal



A solução dos elementos de força (bem ritmadas e vibrantes) sugere a linearidade da expressão gráfica Africana.

Estes espaços suportam uma superfície de textura muito sensível, tratada com sabedoria, e que envolve um elemento central, de cor contrastante: o circulo, essa forma que ao longo da História tem simbolizado a fonte de todas as energias.

Maluda

Artista Plástica



Urbano préserve l’énigme, le mistére, la magie, parce qu’il traite de façon rigoureuse la représentation visuelle. (…) Son ouvre peut se dispenser de tout explication. Pas de message, mai une volante de communication avec notre “Dieu” intérieur: la pinture comme mácanisme de défense. Une invitation á la liberte d’expression, á la lumiére du jour. Le mitoir de lámour.

Romarina Passos

Psicóloga, Critica de Arte...



A obra que observo é como todas as obras de arte um registo de sensibilidade. Registo esse de que a inteligência é sempre fio condutor. É para mim difícil comentar uma obra de arte. Posso apenas dizer se esta me toca ou não, se me transmite qualquer coisa. E o que observo, digo mais uma vez, comunica-me sensibilidade, beleza, procura. Em suma, humanidade e mistério. Acima de tudo vontade de comunicar. Um sinal de uma verdade. De uma verdade da qual acredito, todos somos uma ínfima parte.

Teresa Salgueiros

Vocalista do grupo Madre de Deus



Urbano!?... 

The paitings are absolutely sugestive, expressionist and to walk in the mysterious.

The spectator is obsorded by na strange sensation(suprise!?) … His creativity is notable and disconcerting.

M. Robson

Critico de Arte



URBANO DA CRUZ:

A chave para compreender e penetrar os mistérios que airosamente pairam na leveza que nos encanta, em compreender o passar do tempo e em respirar também com arte a própria vida.

Os símbolos ancestrais, os vestígios de tabus, os antigos medos e as perenes virtudes pairam e coexistem na leveza cromática e na dimensão cósmica das telas de Urbano da Cruz.

Fica-se encantado nas cores vaporosas e nos caprichos pictóricos em que a beleza viaja pelo encantamento, o que com facilidade e irremediavelmente nos prende ás suas telas.

Mas não é um mero exercício de imaginação gratuita e sem consequências, é antes o fruto da arte de pintar com afinco a respiração da própria vida que consegue captar nas profundezas os símbolos remotos que povoam o interior do nosso próprio ser colectivo.

Luís Ferreira

Sociólogo, Critico de Arte ...



Depois de uma conversa com Urbano, faço uma pequena apreciação sobre sua obra.

Não seguindo as regras dos manuais de pintura Urbano segue o manual da sua memória e da sua vontade de querer experimentar e fazer coisas diferentes. Em que os sinais, como ele diz, sempre o influenciaram desde criança, sobressaem em todo o complexo mundo que pinta. A sua escrita plástica reflecte histórias que ele quer contar a si próprio ou momentos de comunicação com o seu Eu. Escrita complexa, pois quase só ele a entende como original ideia, em que o outro, pode divagar sem limites na complexa criação deste artista. Sua obra provoca uma indiferença, desconcertação e desconsolação a quem olha. Muitas das vezes, á primeira vista não se gosta, depois de a observar sente-se que afinal é uma obra diferente, bela, deleitosa, positiva, com bastante interesse, etc.

José Saramago

Escritor, jornalista....

José Saramago detestava o termo “etc.”. Quando o conheci, eu tinha uma pouco a mania de terminar ou simplificar com “e etc.” (ainda agora o faço mas mais na escrita, raramente mesmo muito raro digo “etc.” quando estou a falar). Ele chegou a chamar-me de “etc.”. Penso que foi a primeira vez que ele termina um texto com etc.!? Disse-me que era uma pequena homenagem ao rapaz do etc., pois a primeira vez que estive com ele ainda eu era muito jovem, numa exposição de Ilda Reis a sua primeira mulher, quando vim de férias a Portugal, pois vivia em Moçambique. 



Urbano da Cruz é um artista cujo estar na arte ocorre através do aproveitamento de motivos simbólicos, motivos por mim compreendidos pela sua polidez em sua infância em África, por uma mulher chinesa que o fez ver e compreender o significado da simbologia ao longo dos séculos.
Seus sinais contam histórias por ele idealizadas e coisas que ele vai vendo, nos meios de informação, no dia-a-dia, num mundo psicológico que lhe é caro….
Do modo como resolve as suas obras depreende-se uma quietude enorme e plena de significados, num preciosismo comedido, numa obra bem elaborada na sua mente criativa. Sua obra muito exigente, na “leitura” de quem a observa, torna-se de difícil compreensão e afeição para quem a vê numa primeira proximidade a ela. O complexo e a diferença também estão imbuídos de um poder de não sedução que sua obra provoca.
As suas obras são a exaltação do símbolo arrancado à sua função existencial e chamado a desempenhar um papel lógico no diálogo, um mundo á parte. Quando nos habituamos a ver a obra de Urbano da Cruz, vimos uma obra rica em cor, diferente, afirmativa, agradável, singular…
Joaquim Matos Chaves
Professor, Critico de arte

 


 Quando me deram a conhecer a obra de Urbano da Cruz fiquei surpreendida pela sua criatividade. Uma obra difícil de leitura, mas com uma elaboração muito bem pensada e fascinante, nota-se que nada é feito por acaso. Vejo um simbolismo expressivo, tocando muitas das simbologias existentes, impressiona como Urbano da Cruz “manipula” e trabalha o símbolo ou símbolos. Uma obra que “não” é para todos, uma obra de génio!

Ana Carvalho

Mestre e Doutorada em História de Arte


 

A pintura do Urbano é uma pintura muito complexa, que sai do seu saber e inteligência. O místico, a simbologia, a mente, a evolução e outros fazem parte do seu mundo criativo. Nota-se na sua obra, que nada é por acaso e falando-se com ele percebe-se que utiliza bem a sua capacidade de raciocinar e criar. É um ser muito bom e criativo. Gostei de conhecer o Urbano á uns anos e agora saber que está metido num mundo fascinante como é o da pintura.

Amália Rodrigues

Fadista



As artes existirão enquanto o homem existir sobre a face da terra, por isso a arte de Urbano da Cruz é uma que vai existir como muitas outras, mas com a diferença de que vai ser falada ao longo dos séculos. Do que vi e vejo do trabalho de Urbano da Cruz, é um trabalho muito minucioso, rico em cor, luz, forma e de resto. Seu trabalho é como se fosse uma arma que ele usa para caminhar á face da terra, arma essa que ele usa com mestria e que golpeia a mente de quem a observa, provocando inúmeros sentimentos, em que sobressaem os da incompreensão, confusão, perplexidade, desconsolo, bem-estar, beleza, paz, procura, agrado, inteligência um turbilhão de sensações. É um trabalho que não é nenhuma pinóia, mas sim de muito valor, que se vai prolongar ao longo do tempo sempre com mais-valias.

Urbano da Cruz é um homem que se tem que admirar, pela sua luta, vontade, confiança, querer e bondade. É um ser único, em que na sua vida, a amizade e amor vale mais que tudo, tudo que ele faz envolve estes dois nobres sentimentos, por conseguinte seus trabalhos transpiram: entusiasmo, dedicação, inteligência, força, entrega total, afeição, delicadeza, suavidade, zelo, carinho, sensualidade,  tudo que traduz o bem, é um trabalho impar e digno de se ver.

Jorge Amado

Escritor, Jornalista...



Opções, de Urbano da Cruz

Escrever sobre o artista plástico e o ser humano pode ser tão complexo como a sua paleta de cores que se confunde com o arco-íris que muitos gostavam de alcançar.

Urbano da Cruz nasceu em Moçambique, um país africano com uma identidade especial. Teve uma infância e uma vida influenciada por experiências e conhecimentos do mundo oriental, africano e europeu, o que marcou de forma indelével a sua admirável sensibilidade. Vive em Portugal desde os seus dezassete anos e tornou-se um homem de princípios e valores universais que se encontram na beleza das coisas simples da vida, que o Mestre Urbano tão bem simboliza através do seu carácter, da sua forma de ser e de estar, do seu trabalho, da sua obra. E foi assim que nos conquistou e que nos conheceu, já lá vão uns bons anos. O ser humano envolvente, afectuoso, disponível, aparentemente frágil e sensível, é movido por uma enorme determinação e uma capacidade de sonhar sem limites, quase pluripotencial... tal como acontece quando somos crianças.

Iniciou o seu caminho no mundo da arte em 1987. E nunca mais parou. Mais de 500 exposições em mais de 90 países dos cinco continentes. Representado em mais de 150 países, em museus, fundações, palácios, bibliotecas, câmaras municipais e colecções públicas e privadas, foi agraciado com mais de três dezenas de prémios, distinções e menções honrosas. E mantém sempre a mesma paixão. Em cada uma das suas obras, que se reinventam diariamente, sentimos o reflexo da diversidade de influências e conhecimentos, das crenças e recordações de infância.

Em Urbano da Cruz existem sempre Opções. Pela pintura em alternativa à fotografia ou vídeo. Pela beleza e significado das obras que expõe. Pelas técnicas inovadoras (com utilização de berbequim, água, óleos, lixívia, fogo, entre outras). Pela escrita literária e histórias encantadoras subjacentes à sua pintura. Pela leveza e profundo significado da sua simbologia e das suas cores. Pela psicologia da mensagem do ‘Bem’ que transmite ao nosso olhar e sentir. Pelo caminho percorrido ao longo da sua brilhante carreira.
Bem-haja Urbano, por nos ajudar a olhar a vida de uma forma mais humana.
Fátima Carvalho e Miguel Guimarães
Médicos e colecionadores. Bastonário da Ordem dos Médicos, etc.


É-me grato verificar que a confiança nas capacidades inesgotáveis do Homem é sempre recompensada, mesmo se porventura de forma inesperada.
Foi assim que me foi dado a conhecer o pintor Urbano da Cruz, cujas obras surpreendem o olhar pela intensidade cromática e pela densidade do sentir peculiarmente português. A história ou histórias nelas contidas são infinitas e convidam á interrogação e á perplexidade como só os grandes artistas o conseguem.
Eng. António Guterres
Ex Primeiro-ministro de Portugal, Alto Comissário das Nações Unidas para os Refugiados, 
Secretário-geral da ONU


A obra de Urbano é atravessada por diversas camadas de mensagens, criando uma complexa rede de leituras, numa reflexão onde acontecimentos reais e psicológicos se cruzam com a intimidade de cada um ou ocorrências, de onde se depreende uma inquietude enorme na busca de comunicar o seu sentir no momento de criar com inovação e provocação.
Urbano busca no seu subconsciente constantemente formas “puras”, renovação e novidades, não se sente satisfeito com o que cria, estando constantemente buscando algo de ser único na tradução de um tempo que é só seu, para assim, ser todos os outros por alguns instantes, por toda a vida.
A obra de Urbano é de uma insatisfação sem limites, aprimorada com segurança para criar um mundo próprio de mensagens para si e para os outros, em que seus títulos são fragmentos das realidades ou verdades que ele quer transmitir em cada uma das obras.
Al Berto
Poeta, escritor, artista visual…


Ao longo dos últimos anos a pintura de Urbano da Cruz tem mantido, entre diferenças e enriquecimentos frequentes, tem mantido,  o culto a um valor constante e inovador que faz de cada uma das suas obras, um elemento que é um elemento precioso e extraordinário.
Sente-se ou não. Sinta-se a vontade ou não. Veja-se ou não. Goste-se ou não. A obra de Urbano da cruz vai buscando intercambiar e fundir as diversas subjetividades presentes na expressão artística, mesclando-se entre si, em elementos que dão origem a um grupo de características mais ou menos constantes e definidas que permitem a identificação entre eles, numa linha em comum de uma corrente estética impar, como se fosse um “rosto proprio”, entre todos os outros, permitem relacionar uma obra à sua origem, dando um caráter particular para cada obra, que se lingam entre si como uma identidade própria, o seu estilo, singular!
Simone Abreu
Critica de Arte



Como falar da obra de Urbano da Cruz, sem que primeiro fale um pouco dele!? Digo um pouco, porque se tivesse que descrever "toda" a sua personalidade seriam necessárias muitas e muitas páginas, para se descrever tão Enorme Homem! Urbano é um dos seres mais próximos de Deus, seu coração é de uma grandeza infindável! Urbano é daqueles que dá sem receber. Sei que ele fica triste por vezes, quando dá e dá e nem obrigado lhe dizem, nem uma simples obra lhe oferecem, nem um contato lhe dão, ou nem falam dele a outras pessoas e quando falam é para dizer mal, mas depois passa e ele continua a dar e dar… Por vezes a sua grandeza de ser é tão grande que nem há adjetivos para se poder falar dele! Urbano é um ser nos dias de hoje - e sempre - raro no mundo das artes visuais e não só! Ele ajuda, artistas, galeristas, instituições, colecionadores, compradores, jornalistas, etc.. O coração de Urbano é duma honestidade e franqueza excecional!
Digam lá, como é que esta pessoa fantástica, não poderia criar uma obra tão fantástica como ele!? Sim, é uma obra fantástica, com uma imaginação que só os grandes sábios é que conseguiram ou conseguem! Uma obra: difícil, incompreendida, exigente, complexa, desconcertante, divergente, surpreendente, inteligente, brilhante, enfim uma obra de sábio. Não se contenta com o óbvio, com aquilo que é mais fácil, com o vulgar, com pouco trabalho… Não, isso não é para ele, sua capacidade criadora nunca ficaria satisfeita com tais coisas. 
Em suma, um Génio fora do seu tempo!
Mariana Lobo 
Mestrado em Direito Administrativo; Mestrado em Direito Empresarial; Mestrado Forense…