Manifesto da comunidade universitária da
UFJF e do IF Sudeste MG em defesa da democracia

Os acontecimentos recentes no país demonstram sinais inequívocos de quebra das regras institucionais democráticas e jurídicas hoje estabelecidas. Há também um agravamento preocupante da intolerância política, além da ameaça a direitos civis, políticos e sociais, conquistados historicamente e indispensáveis para a caracterização das sociedades democráticas modernas.

É costumaz e naturalizado na sociedade brasileira que, em momentos de crise institucional como o que ora se apresenta, o discurso de “combate à corrupção” seja utilizado com viés exclusivamente político sem, no entanto, chegar à essência do problema, suas implicações e a todos os atores sociais envolvidos.

A corrupção deve ser duramente enfrentada, respeitadas as regras institucionais, de forma a combater e penalizar de fato corruptos e corruptores. Repudiamos veementemente, no entanto, a explícita tendência de certos setores da sociedade e da grande mídia de glorificar atores que se apoderam do discurso anticorrupção e, com isso, justificar o ataque à institucionalidade democrática.

As últimas atitudes de setores do judiciário representam clara ação política e comprometem o trabalho desenvolvido no combate à corrupção. São atitudes que rompem regras democráticas e favorecem a estratégia de um golpe institucional, com o agravante da conivência e espetacularização da grande mídia.

Defendemos, portanto, toda e qualquer investigação, desde que respeitado o Estado Democrático de Direito, sem seletividade ou interferências externas, para que se desvendem as relações históricas promíscuas entre os poderes da República e o  grande empresariado.

Assistimos a uma flagrante ameaça à democracia representativa. Endossamos que, independente de opções e opiniões políticas, partidárias e/ou ideológicas, a legitimidade do processo eleitoral e a manutenção dos preceitos democráticos devem ser defendidos sob pena de enfrentarmos a instabilidade ou mesmo o desmonte do Estado de Direito.

Não aceitaremos retrocessos! Reafirmamos nossa defesa histórica da democracia, agora e sempre!


Signatários do Manifesto