Conheça aqui a História da Trova !!!

 

EDITORIAL – A grandeza da pequena Trova

 

 Por João Paulo Ouverney 

Existem pessoas que criticam determinados assuntos sem que tenham  conhecimento de seu conteúdo. Recentemente a modalidade poética da trova, da qual Pindamonhangaba se orgulha, foi alvo de um desses ataques. Mas certamente quem disparou o petardo desconhece  o movimento trovadoresco  e sua importância para a cultura da nacional. No último fim-de-semana, na cidade mineira de Pouso Alegre, aconteceu a festa de premiação do 27º Jogos Florais, para várias modalidades poéticas. E foi constatada uma vez mais o elevado grau de intelelectualidade e diversidades de importantes profissões dos mestres da trova. São juízes, promotores públicos, advogados, empresários, médicos e profissionais de outras áreas que se dedicam a compôr trovas, e ostentam seus nomes entre os “monstros sagrados” dessa modalidade poética. Pindamonhangaba é a cidade que possui trovadores mais humildes em termos de status social, mas nem por isso com menor poder intelectual. Prova disso são as mais de 70 premiações conquistadas só este ano nos concursos por todo o Brasil. Nos três maiores eventos (Nova Friburgo, Pouso Alegre e Niterói) nossos trovadores ganharam  dez prêmios, concorrendo com as “grandes feras”. A cidade também realiza todo ano um dos concursos mais concorridos e  conceituados do Brasil. Os temas para 2005 já foram escolhidos pela comissão organizadora em homenagem aos 300 anos de emancipação política do município. Há 14 anos  acontece o evento e sempre contou com total apoio da administração municipal, que não mede esforços para oferecer o melhor de si. E o resultado é que o nome da cidade é conhecido em todo o Brasil, por ter trovadores que se equiparam aos grandes nomes nacionais, e também por promover um dos melhores certames culturais do gênero.  A administração do prefeito Vito Ardito Lerario transfere o cargo no dia 1º de janeiro de 2005, e temos a certeza que o novo prefeito João Ribeiro continuará dedicando à  trova  igual carinho. Principalmente porque sua mãe, a saudosa professora Eloyna Salgado Ribeiro, foi uma de nossas maiores poetisas, trovadora premiada e  integrante do grupo de intelectuais que fundou a  seção municipal da UBT em 1992. Àqueles que ainda acham  muito fácil fazer uma trova, aqui fica uma das definições mais perfeitas sobre a mesma, feita pelo imortal poeta e trovador Adelmar Tavares:

"Oh, linda trova perfeita, 

que nos dá tanto prazer!  

Tão fácil, depois de feita,

tão difícil de fazer! ... "

-------------------------------------------------

Luiz Otávio: o Príncipe dos Trovadores

Gilson de Castro, poeta e trovador que se tornaria famoso com o pseudônimo de LUIZ OTÁVIO, o Príncipe dos Trovadores do brasil, começou a enviar seus versos para os jornais e revistas  por 1938, oculto sob pseudônimo. Não pretendia misturar  a vida literária com a profissional. As principais revistas e jornais da época começaram a divulgar poesias e principalmente trovas de sua autoria, que podiam ser encontradas no "Correio da Manhã", "Vida Doméstica", "Fon-Fon", "O Malho", "Jornal das Moças", revistas  muito lidas dos anos 1939, 40 e 41, etc. A revista "Alterosa" de Belo Horizonte, também o divulgou. Pouco a pouco, a Trova liderança na sua vida. E ele confessa:

 

A Trova tomou-me inteiro,

tão amada e repetida,

que agora traça o roteiro

das horas da minha vida!...

 

Para a ascensão da Trova na vida de Luiz Otávio, muito contribuiu sua amizade com Joaquim Pereira da Silva, que  foi quem o levou  até Adelmar Tavares, também da Academia Brasileira de Letras. Corria o ano de 1939. Adelmar Tavares sentia a idade pesar-lhe, e, mais uma vez, um jovem poeta e um velho e consagrado mestre da Poesia uniam-se por laços afetivos dos mais duradouros. A principal responsável por essa união foi a Trova, que Adelmar Tavares cultivava e da qual Dr. Gilson de Castro já era profundo apaixonado, trazendo-a a público sob o pseudônimo, agora definitivamente adotado: Luiz Otávio. Sua poesia ganhava espaço. Jornais de outros estados o acolhiam em suas páginas, tinha ao seu dispor colunas literárias de crítica poética, onde comentava livros, publicava trovas, poesias e arrebanhava fãs e admiradores de todas as idades.  Daí a constituir-se líder de um movimento trovadoresco, era questão de um passo.

 

O TROVADOR 

Era, portanto, o campo fecundo onde a semente da Trova encontrou chão propício para deitar raízes expandindo sua opulência por todo território nacional. O ritmo da Trova que embalava seus ouvidos desde os tempos de escoteiro, cresceu com ele, ganhando melodia ao som do violão de Glauco Vianna, mais tarde pertencente ao "Bando dos Tangarás", seu colega de faculdade e de noitadas de seresta. Glauco tocava, Aloysio cantava e Luiz Otávio não apenas cantava, como também compunha letras e músicas de canções, sambas, fox-trotes, valsas, etc. e continuou cantando e compondo até o final dos seus dias. Nascia o "Trovador" - assim carinhosamente chamado, já naquele tempo, antes mesmo do seu ingresso definitivo no Mundo da Trova.

A União Brasileira de Trovadores (UBT) é uma entidade cultural que possui seções em vários Estados brasileiros, e realiza o maior número de concursos literários do país. Foi fundada por Luiz Otávio, no Rio de Janeiro, em 1967. O símbolo da trova é uma rosa vermelha, e o padroeiro dos trovadores é São Francisco de Assis.

 

Gilson de Castro

Pseudônimo: LUIZ OTÁVIO

Nascido em 18.07.16, no Rio de Janeiro; Falecido em 1977, em Santos (SP).

Filho de Otávio de Castro e de Antonieta Cerqueira da Mota Castro. Formado em Odontologia pela Universidade do Brasil, em 1936. Introdutor no Brasil dos Jogos Florais. Príncipe dos Trovadores Brasileiros, por aclamação dos participantes do Congresso de Trovadores e Violeiros, realizado em São Paulo, entre 4 e 7 de setembro de 1960, foi fundador e presidente perpétuo da UNIÃO BRASILEIRA DE TROVADORES - UBT. ----------------------------------------------------------

HISTÓRIA DA TROVA

A trova é uma tradição iniciada por volta do século XI d.C. em Poença na França. É durante este período que as poesias passam a ser acompanhadas de músicas o que perdurou por muito tempo havendo inclusive remanescentes desta tradição em nossa famosa Literatura de Cordel muito conhecida no Nordeste brasileiro. Os repentistas realizam seus trabalhos por meio de trovas nem sempre com versos heptassílabos, mas geralmente é esta a medida presente em seus repentes. Embora a Literatura de Cordel e os repentes apresentem características de trovas, os trovadores hoje constituem um grupo específico de poetas, em cujo dia 18 de julho comemora-se o Dia do Poeta Trovador. Fonte:

www.geocities.com/clerioborges  Site do Poeta Trovador Clério José Borges

 

O QUE É A TROVA

A trova é uma composição poética de quatro versos de sete sílabas poéticas, que tem de ter rima no mínimo da 2ª com a 4ª linhas (versos). Preferível será rimar também a 1ª com a 3ª. Encontra-se em trovas mais antigas rimas da 1ª com a 4ª e da 2ª com a 3ª. Há também 1ª com 2ª e 3ª com 4ª, além de outras. embora o tipo enunciado no primeiro parágrafo seja o mais usado atualmente. A trova, para ser bem feita, tem de ter um ACHADO. Achado é algo diferente e que faça valer a pena ler a trova. Adelmar Tavares diz "Nem sempre com quatro versos setissílabos, a gente consegue fazer a trova; faz quatro versos, somente"

 

NOTA - Comece a trova sempre com letra maiúscula. A partir do segundo verso use letra minúscula, a menos que a pontuação indique o início de nova frase. Nesse caso, use a maiúscula novamente. Aprenda a trovar fazendo poesia de qualidade

 

TROVISMO:

Movimento cultural em torno da Trova no Brasil, surgido a partir de 1950. A palavra foi criada pelo poeta e político falecido J. G. de Araújo Jorge. O escritor Eno Teodoro Wanke publica em 1978 o livro "O Trovismo", onde conta a história do movimento de 1950 em diante.

 

NEOTROVISMO:

É a renovação do movimento em torno da Trova no Brasil. Surge em 1980, com a criação por Clério José Borges do Clube dos Trovadores Capixabas. Foram realizados 15 Seminários Nacionais da Trova no Espírito Santo e o Presidente Clério Borges já foi convidado e proferiu palestras no Brasil e no Uruguai. Em 1987 concedeu inclusive entrevista em Rede Nacional, no programa "Sem Censura" da TV Educativa do Rio de Janeiro.

 

DEFINIÇÃO DE TROVA:

A Trova é uma composição poética, ou seja, uma poesia que deve obedecer as seguintes características:1- Ser uma quadra. Ter quatro versos. Em poesia cada linha é denominada verso.2- Cada verso deve ter sete sílabas poéticas. Cada verso deve ser setessilábico. As sílabas são contadas pelo som.3- Ter sentido completo e independente. O autor da Trova deve colocar nos quatro versos toda a sua idéia. A Trova difere dos versos da Literatura de Cordel, onde em quadra ou sextilhas, o autor conta uma história que no final soma mais de cem versos ou seja, linhas. A Trova possui apenas 4 versos, ou seja, 4 linhas.4- Ter rima. A rima poderá ser do primeiro verso com o terceiro e o segundo com o quarto, no esquema ABAB, ou ainda, somente do segundo com o quarto, no esquema ABCB. Existem Trovas também nos esquemas de rimas ABBA e AABB. Segundo o escritor Jorge Amado: "Não pode haver criação literária mais popular e que mais fale diretamente ao coração do povo do que a Trova. É através dela que o povo toma contato com a poesia e por isto mesmo a Trova e o Trovador são imortais". Todo Trovador é poeta mas nem todo poeta é trovador. Nem todos poetas sabem metrificar, fazer o verso medido.

Poeta para ser Poeta precisa saber metrificação, saber contar o verso. Se não souber o que é escansão , ou seja, medir o verso, não é Poeta.

 

ALGUNS EXEMPLOS DE TROVAS:

Nesta casa tão singela

onde mora um Trovador

é a mulher que manda nela

porém nos dois manda o amor. (Clério José Borges)

 

Ficou pronta a criação

sem um defeito sequer,

e atingiu a perfeição

quando Deus fez a mulher. (Eva Reis)

 

UM POUCO SOBRE A MÉTRICA

Métrica é a arte que ensina os elementos necessários à feitura de versos medidos. A métrica é obtida pela contagem das sílabas e o ritmo pelas cesuras. Você sabe metrificar e ritmar ? Uma regra A última sílaba que se conta é a tônica da última palavra. Ex.- 7 Sílabas:

 

Eu-vi-mi-nha-mãe-re-zan-do

Aos-pés-da-Vir-gem-Ma-ri-a

E-ra u-ma-San-ta-es-cu-tan-do

O-que ou-tra-San-ta-di-zi-a

 

OUTRA REGRA

Quando uma palavra termina por vogal átona e a seguinte começa por vogal ou ditongo, conta-se uma sílaba só. Diz-se que há embebimento de uma sílaba na outra. Ex.: Ou vin do a fa la ao ven to. São 6 sílabas.

 

MAIS UMA REGRA

Para atender à métrica, hiatos podem transformar-se em ditongos (Sinérese) e ditongos transformar-se em hiatos (Diérese) Ex Su-a-ve por Sua-ve (3 viram 2)

Sau-da-de por Sa-u-da-de (3 viram 4)

 

CESURAS

Não esqueça que o que dá ritmo à poesia são as cesuras. São as sílabas tônicas que devem existir obrigatoriamente no interior dos versos, quando tenham mais de sete sílabas. Nos decassílabos Sáficos - 4ª - 8ª - 10ª - Ex.:

Ia Bar-sa-nul-fo pe-lo ver-de pra-do

 

Nos decassílabos Heróicos - 6ª - 10ª Ex

Tra-ba-lho nas no-ve-las nun-ca ve-jo E.T.

 

O verso Alexandrino legítimo tem cesuras na 6ª e 12ª. Se tiver na 4ª, 8ª e 12ª. será um Dodecassílabo Quaternário. Não necessariamente um Alexandrino.

 

Fonte: Terra da Poesia www.terradapoesia.cjb.net

© Todos Direitos Reservados  

  

---------------------------------------------------------

UBT... de Pindamonhangaba para o mundo!

 

Há dez anos, lançamos entre vários irmãos trovadores de Pindamonhangaba, a semente da criação de uma seção da UBT (União Brasileira de Trovadores). Já existia uma delegacia, mas o delegado, dr. José Valdez de Castro Moura, embora tivesse feito vários apelos por meio da imprensa, não havia encontrado eco para transformar a delegacia em seção. Naquela oportunidade tivemos a alegria de conhecê-lo, reunimos vários do irmãos que está conosco até hoje, e a árvore frutificou.

No início apenas eu conseguia obter bons resultados em concurso. O Valdez, que estava meio "enferrujado", recomeçou a participar e também a elevar o nome de Pindamonhangaba no cenário nacional da trova. Outros trovadores foram se aprimorando, os concursos entre estudantes produziram resultados positivos, e atualmente temos cerca de 10 trovadores de alto nível, que se igualam às grandes "feras" da trova brasileira.

O concurso nacional/internacional de trovas de Pindamonhangaba é considerado um dos mais sérios, idôneos e melhores estruturados do país, e todos de fora que aqui vieram, desejam voltar, pelo clima de cordialidade, fino tratamento e amizade que encontram. O presidente da UBT municipal, José Valdez, é também, para nosso orgulho, o presidente da UBT do Estado de São Paulo.

E para coroar esta estrada vitoriosa, agora lançamos este site, que pretende divulgar concursos em aberto, resultados de concurso, novidades, festas de premiações, e até um manual com dados técnicos sobre a trova, destinado aos iniciantes e também a nós veteranos, que vez ou outra ainda temos alguma dúvida. Este também é um trabalho de todos nossos irmãos trovadores, aos quais agradecemos, bem como aos outros de todo o Brasil que, certamente, vão nos enviar importantes colaboração para enriquecermos cada vez nosso site. Contamos com todos vocês!

 

A trova de nossa Pinda

lança um site, e vai bem fundo,

levando a querida e linda

"Princesa", do Vale, ao mundo...

 João Paulo Ouverney

Vice-presidente administrativo da

UBT Pindamonhangaba

-------------------------------------------------------

TROVAS HINO

 

Deus é brasileiro? Então,

todo evento celestial

abre-se com a emoção

do meu Hino Nacional...

 

Hino Nacional... É fato,

são notas de emoção,

do País cujo formato

é um grande coração!

 

Quando estiver retornando

à vida espiritual,

quero ouvir anjos cantando

nosso Hino Nacional...

 

Ó Hino do meu Torrão,

trazes-me saudade e pena

das tardes de seleção,

das manhãs de Ayrton Senna...

 ------------------------------------------------

 São Francisco: padroeiro dos trovadores!

 São Francisco de Assis

São Francisco de Assis, segundo alguns estudiosos, "o santo mais cristão que já passou pela Terra", é considerado o Padroeiro dos Trovadores. Sua humildade, carinho pelas pessoas e pela natureza, simplicidade, virtudes cultivadas em plena Idade Média, são ainda hoje exemplos para todo o mundo. E os trovadores têm como norma de conduta procurarem se orientar Nele para tentar viver uma vida cristã, dígna do magnífico santo, cuja comemoração é feita no dia 4 de outubro.

------------------------------------------------

 

Rosa vermelha é o símbolo da trova!

 O movimento trovadoresco lançado por Luiz Otávio no Brasil foi uma pequena semente fértil, que caiu em terra boa, e com o passar dos anos espalhou seus seus ramos por todo o Brasil. Hoje existem a UBT (União Brasileira de Trovadores) nacional, em inúmeros Estados, e as seções ou delegacias instaladas em centenas de município brasileiros. O símbolo da trova é uma rosa vermelha, e onde quer que haja uma festa da trova, a rosa estará sempre presente. Viva a rosa, que embeleza, perfuma e  dá inspiração aos poetas, e especialmente aos trovadores!

 

 

------------------------------------------------

 

Oração do Trovador

 

Senhor! Fazei de mim um instrumento de Vossa Paz!                            
Onde haja o ódio, que eu leve o amor!
Onde haja a ofensa, que eu leve o perdão!
Onde haja discórdia, que eu leve a união!
Onde haja erro que eu leve a verdade!
Onde haja dúvida, que eu leve a fé!
Onde haja desespero , que eu leve a esperança!
Onde haja a tristeza, que eu leve a alegria!
Onde haja trevas, que eu leve a luz!

Ó Mestre!
Fazei que eu procure menos ser consolado do que consolar;
ser compreendido do que compreender;
ser amado do que amar!
Porquanto é dando que se recebe;
Perdoando que se é perdoado;
E é morrendo que se vive para a Vida Eterna!

 

(São Francisco de Assis é considerado o Patrono dos Trovadores)