20/10/2012 - Sábado da 28ª Semana Tempo Comum

postado em 19 de out de 2012 20:38 por Antonio Gazato Neto   [ 19 de out de 2012 20:40 atualizado‎(s)‎ ]


1ª Leitura - Ef 1,15-23

Deus fez de Cristo, que está acima de tudo, a Cabeça da Igreja, que é o seu corpo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 1,15-23

Irmãos, 15desde que soube da vossa fé no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos os santos, 16não cesso de dar graças a vosso respeito, quando me lembro de vós em minhas orações. 17Que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai a quem pertence a glória, vos dê um espírito de sabedoria que vo-lo revele e faça verdadeiramente conhecer. 18Que ele abra o vosso coração à sua luz, para que saibais qual a esperança que o seu chamamento vos dá, qual a riqueza da glória que está na vossa herança com os santos, 19 e que imenso poder ele exerceu em favor de nós que cremos, de acordo com a sua ação e força onipotente. 20Ele manifestou sua força em Cristo, quando o ressuscitou dos mortos e o fez sentar-se à sua direita nos céus, 21bem acima de toda a autoridade, poder, potência, soberania ou qualquer título que se possa nomear não somente neste mundo, mas ainda no mundo futuro. 22Sim, ele pôs tudo sob os seus pés e fez dele, que está acima de tudo, a Cabeça da Igreja, 23que é o seu corpo, a plenitude daquele que possui a plenitude universal. - Palavra do Senhor. 

 

Salmo - Sl 8,2-3a. 4-5. 6-7 (R. 7)

R. Vós destes o domínio ao vosso Filho sobre tudo o que criastes.

2Ó Senhor nosso Deus, como é grande * vosso nome por todo o universo! Desdobrastes nos céus vossa glória * com grandeza, esplendor, majestade. 3aO perfeito louvor vos é dado + pelos lábios dos mais pequeninos. R.

4Contemplando estes céus que plasmastes * e formastes com dedos de artista; vendo a lua e estrelas brilhantes, * 5perguntamos: 'Senhor, que é o homem, para dele assim vos lembrardes * e o tratardes com tanto carinho?' R.

6Pouco abaixo de Deus o fizestes, * coroando-o de glória e esplendor; 7vós lhe destes poder sobre tudo, * vossas obras aos pés lhe pusestes: R. 

 

Evangelho - Lc 12,8-12

Nessa hora o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12,8-12

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 8“Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus. 9Mas aquele que me renegar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus. 10Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado. 11Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. 12Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer”. - Palavra da Salvação. 


Reflexão:

Durante o trabalho evangelizador, sempre somos assistidos pelo Espírito Santo. Somente com a sua ação é que podemos ser verdadeiras testemunhas de Jesus e o nosso trabalho pode produzir frutos que permanecem para a vida eterna. O Espírito Santo nos dá coragem e sabedoria para que possamos testemunhar Jesus e permanecer fiéis a ele até mesmo nos momentos mais difíceis. A história da Igreja está repleta de exemplos de santos e santas que, no momento do martírio foram fiéis ao Espírito Santo e, além do derramamento de sangue, nos deixaram belas páginas sobre o amor a Deus.

A AJUDA DO ESPÍRITO SANTO


A vida do discípulo explica-se como serviço total e exclusivo a Jesus e ao Reino anunciado por ele. Sua função é a de dar testemunho e levar adiante sua missão, não retrocedendo diante das dificuldades e dos desafios. A glória do discípulo consiste exatamente em poder ser considerado digno de dar a suprema prova de sua fé: entregar a própria vida. É assim que ele comprova seu amor a Jesus e a sinceridade de sua opção.

Existem, porém, discípulos que, quando confrontados por causa de sua fé, sentem-se incapazes de mostrar-se valorosos. Chegam até mesmo a negar Jesus, declarando desconhecê-lo, como se não fossem do número de seus seguidores. É a negação da condição de discípulo e uma forma de desprezo pelo Mestre. Por isso, quando chegar a hora de comparecer diante do Pai, Jesus não os reconhecerá como discípulos seus. O gesto de renegar Jesus é expressão de falta de fé. 

O Mestre havia garantido que os discípulos poderiam contar com a ajuda do Espírito Santo, nos momentos de dificuldade. Este seria seu defensor, dando-lhes coragem para enfrentar toda sorte de acusação. Quem fraqueja, é porque não tem suficiente confiança na ajuda prometida pelo Senhor. Pelo contrário, quem confia em Jesus e no Espírito prometido, dará seu testemunho de discípulo e servidor do Reino.

Oração
Senhor Jesus, dá-me sempre o teu Espírito Santo para me sustentar e inspirar quando eu for chamado a dar testemunho de ti.

(Comentário do Evangelho feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE)

Fonte: DOM TOTAL

* * * * * * * * * * 

Quero ver na vida!

Este Evangelho – como o de sexta-feira – pertence a um conjunto de ditos de Cristo. Consta de duas partes: os primeiros versículos mostram a fidelidade com a qual Cristo dará prova para aqueles que lhe forem fiéis: “Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus. Mas aquele que me renegar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus. Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado” (cf. Lc 12,8-10).

Os últimos versículos insistem, junto a nós, cristãos, para que não se deixem abalar pelo medo de testemunhar, de anunciar ao sermos perseguidos: “Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer” (cf. Lc 12,11-12).

Lembremos que Jesus também prometeu: “No mundo tereis aflições, mas coragem eu venci o mundo” e também “Estarei convosco todos os dias até os fins dos tempos”. Acredito que a forma mais potente de evangelizar hoje, nestes nossos tempos “quase” piores que os tempos de Jesus, seja o testemunho, falar com a vida, ou seja, confessar com o coração e a boca mas convencer com a prática: “Quero ver na vida!”. É o que o nosso mundo precisa.

Ao iniciarmos o Ano da fé, o Papa Bento XVI no final da carta Porta Fidei nos chama a atenção para uma dimensão importantíssima da fé: o testemunho. Já no termo da sua vida, o apóstolo Paulo pede ao discípulo Timóteo que «procure a fé» (cf. 2 Tm 2,22) com a mesma constância de quando era novo (cf. 2 Tm 3,15).

Sintamos este convite dirigido a cada um de nós, para que ninguém se torne indolente na fé. Esta é companheira de vida, que permite perceber com um olhar sempre novo as maravilhas que Deus realiza por nós. Solícita a identificar os sinais dos tempos no hoje da história, a fé obriga cada um de nós a tornar-se sinal vivo da presença do Ressuscitado no mundo. Aquilo de que o mundo tem hoje particular necessidade é o testemunho credível de quantos, iluminados na mente e no coração pela Palavra do Senhor, são capazes de abrir o coração e a mente de muitos outros ao desejo de Deus e da vida verdadeira, aquela que não tem fim (cf. Porta Fidei n° 15).

Só uma “Igreja que confessa” é sinal de salvação. Uma Igreja, uma comunidade cheia de reservas e medos, fácil ao compromisso com outras realidades, incapaz de tomar posição diante das realidades, de deixar-se insultar e perseguir por suas posições, não é fiel a seu Senhor. Como poderá Ele “reconhecê-la”?

“A Igreja prossegue a sua peregrinação no meio das perseguições do mundo e das consolações de Deus” (14), avança peregrina anunciando a cruz e a morte do Senhor “até que Ele venha” (cf. 1 Cor 11,26). Mas é robustecida pela força do Senhor ressuscitado, de modo a vencer – pela paciência e pela caridade – as suas aflições e dificuldades tanto internas como externas, para poder revelar, com fidelidade ao mundo o mistério do Senhor, até que por fim se manifeste em plena luz” (Lumem Gentium 8).

Portanto, a nossa vida com Cristo em sua Igreja precisa impregnar todas as nossas realidades e a fé perpassar tudo que fazemos. A fé como dom de Deus recebido no Batismo. É necessário crescer no conhecimento e aprofundar, confessar com a boca e o coração, celebrar e anunciar testemunhando esta fé que alimenta a nossa esperança.

Quando você for encontrar o Senhor, Ele vai lhe reconhecer? Como você tem vivido a sua fé?

Padre Luizinho – Comunidade Canção Nova

Fonte: CANÇÃO NOVA – HOMILIA DIÁRIA

* * * * * * * * * * 

OPTAR POR JESUS NA TERRA É RECEBER O RECONHECIMENTO DE JESUS NO JUÍZO FINAL

Nos versículos anteriores do texto do evangelho de hoje (Lc 12,1-7) Jesus animava o discípulo, cada cristão, a ser valente (sem medo) na hora de dar testemunho, isto é, ser discípulo fiel até o fim, porque Deus cuidaria dos seus filhos até nos mínimos detalhes (até os cabelos estão todos contados por Deus).

Hoje Jesus nos dá outro motivo para sermos intrépidos (corajosos) na vida cristã de cada dia: o próprio Jesus dará testemunho a nosso favor diante da presença de Deus (Pai), no dia do juízo (final). Isto quer nos dizer que nossa autêntica existência e nossa sorte definitiva, sorte escatológica, depende da opção que fazemos por Jesus neste mundo: “Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus”. Quem se colocar a favor de Jesus nesta vida, pode ter certeza de que Jesus estará a seu lado para defendê-lo no juízo (final). Mas renegar Jesus neste mundo significa a perda definitiva (não será reconhecido por Jesus diante de Deus Pai): Mas aquele que me renegar diante dos homens, será negado diante dos anjos de Deus”.  O gesto de renegar Jesus é, na verdade, uma expressão da falta de fé. E renegar Jesus na terra significa recusá-lo de ser defensor do cristão no juízo (final).

Jesus sabe que em determinadas situações a fé do cristão é posta em xeque. Nessas situações a vida do cristão é que está em jogo. Mas tendo uma fé forte e coragem suficiente e tendo diante dos olhos o reconhecimento de Jesus no juízo, o cristão será capaz de testemunhar sua fé, sem medo, publicamente. No juízo constante, implacável do mundo contra Jesus quem tiver o valor de optar por Jesus, terá a seu favor o testemunho de Jesus no juízo de Deus contra o mundo (cf. Lc 9,26; Mc 8,38; Jo 16,6-11).

Outra protagonista que Jesus apresenta para o cristão no momento em que sua fé é posta em xeque é o Espírito de Deus: “Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer”. Assim se completa a aproximação do Deus Trino na vida do cristão. O Pai que não se esquece de nós, Jesus que nos defenderá no juízo (final) e o Espírito Santo que nos inspirará quando estivermos diante dos magistrados e autoridades para dar razão de nossa fé. o Espírito Sano é quem dará ao cristão forças para proclamar, com destemor, sua fé. Somente no Espírito Santo se pode confessar que Jesus é o Senhor. Quem renega esta fé, peca contra o Espírito, já não tem salvação porque a fé acompanhada com as obras salva o homem: ”Todo aquele que disser alguma coisa contra o Filho do Homem será perdoado. Mas quem blasfemar contra o Espírito Santo não será perdoado”.

Nos momentos em que sentimos medo por algo porque a vida é dura, será bom que recordemos estas palavras de Jesus, afirmando o amor concreto que Deus Trino nos tem para nos ajudar. Jesus acalmou tempestade, curou enfermidades e ressuscitou mortos. Era o sinal desse amor de Deus que já está atuando em nosso mundo. Consequentemente, esse poder também nos alcança. Portanto, não temos motivos para nos deixar levar pelo medo ou pela angústia. “Quando vos conduzirem diante das sinagogas, magistrados e autoridades, não fiqueis preocupados como ou com que vos defendereis, ou com o que direis. Pois, nessa hora, o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer” (Lc 12,11-12). “Não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto” (Lc 12,4). “Todo aquele que der testemunho de mim diante dos homens, o Filho do Homem também dará testemunho dele diante dos anjos de Deus” (Lc 12,8).

P. Vitus Gustama,svd

Fonte: É PRECISO CAMINHAR

* * * * * * * * * *

Este pecado não poderá ser perdoado

Esta página do evangelho vê o cristão num contexto judiciário: ele no mundo deve dar um testemunho a favor do Filho do homem contra quem o renega; só se deixar levar com simplicidade pelo Espírito Santo, o sucesso será garantido.

• Lucas vv. 8-9: Jesus está a caminho de Jerusalém e aproveita toda ocasião para instruir os seus discípulos e discípulas. Testemunhar Deus na vida leva a ser um crente e testemunho de Deus é sinal de participação à sua eternidade, “diante dos anjos” suas testemunhas. E este não é um tempo futuro, que ainda está longe, mas é já aqui e agora. Renegar Deus agora, na história, é desde já não sermos reconhecidos como eternos nas realidades da nossa vida.

• Lucas v.10: Jesus faz um alerta sério a seus discípulos: não reconhecer a ação de Deus na vida e na história é a blasfêmia contra o Espírito Santo. Este pecado não poderá ser perdoado, não porque Deus não o possa perdoar, mas porque o homem em sua liberdade não admite que ele errou e, portanto, não admite que pecou; consequentemente está convencido de ter razão! É a repetição do pecado das origens, em que o ser humano se julga um “deus” e pode fazer o que quiser de sua vida. Este pecado não pode ser perdoado, porquanto não permite a Deus acessar à consciência humana através da ação de salvação do seu Espírito. Todo outro pecado, no entanto, abre a possibilidade para esta intervenção.

• Lucas vv.11-12: Por fim, não se deve ter medo dos interrogatórios e dos processos quando formos levados diante dos tribunais por causa do Evangelho: quando isto acontecer, o Espírito Santo irá sugerir o que se vê dizer.

• Todo dia é uma prova que nos é apresentada para sermos capazes de enfrentá-la e, assim, testemunhar o Cristo na fé, ou de renegá-lo e rejeitar a prova, preferindo as agradáveis comodidades do viver mundano.

Este é o caminho que Jesus aponta a seus discípulos que sobem com ele para Jerusalém. É um caminho que o leva até a morte, mas também à realização de sua salvação.

Para uma avaliação pessoal

• Reconhecer Jesus se dá graças ao Espírito Santo, através das provas e experiências cotidianas. Qual é a minha escolha hoje?

• Tenho confiança no poder do Espírito que está sempre comigo em qualquer ocasião para testemunhar Jesus ou vivo sempre com medo e, assim, continuo negando Jesus e seu Reino?

Fonte: VERBONET

* * * * * * * * * * 

Você sabe qual a ÚNICA forma de ir para o inferno?

No Evangelho de ontem Jesus fala aos 12 Apóstolos em particular, o de hoje é a continuação. Ontem Ele fala que "não devemos temer a quem pode matar apenas o corpo, mas devemos temer Àquele que pode nos condenar ao inferno". Mas conclui dizendo que não precisamos ter medo, porque o Pai nos conhece, e para Ele nós valemos muito!

Hoje Jesus continua o discurso respondendo 3 perguntas: Quem será nosso Advogado perante o Pai? O que devemos (e o que não devemos) fazer para poder contar com esse Advogado? Quem será o nosso Advogado perante os homens?

O nosso Advogado perante o Pai será o próprio Jesus, que dará testemunho de nós, CONTANTO que nós também demos testemunho d’Ele aqui neste mundo, perante os homens. Jesus chega a dizer que aceita até que falem mal d’Ele, que serão perdoados, mas não aceita que blasfemem contra o Espírito Santo. E este é um ponto que deve ser refletido. O que é uma blasfêmia contra o Espírito Santo? É importante saber, já que este é o único pecado que não tem perdão, e o próprio Catecismo da Igreja Católica afirma que é o único pecado que leva para a condenação eterna.

Conceitos básicos: o Pai CRIOU, o Filho veio para SALVAR, e o Espírito Santo é o SANTIFICADOR. É importante saber que o Pai tem a vontade de perdoar sempre, e quando Ele perdoa, estamos salvos. A única maneira dEle não perdoar é quando NÃO RECONHECEMOS QUE PECAMOS ou NÃO NOS ARREPENDEMOS DO PECADO. Nesse caso, não pode haver perdão.

Gary Fisher, um estudioso da Bíblia, diz em seu excelente artigo "O que é blasfêmia contra o Espírito Santo? " que a própria Bíblia ensina que existem casos em que a pessoa vai para tão longe de Deus, que não é possível mais voltar, e cita trechos como o que fala dos corações endurecidos (Hebreus 3 ), e do próprio Jesus que fala do solo que foi pisoteado e compactado a ponto que nenhuma semente pode germinar (Lucas 8,5 ). Onde não existe a aceitação do Espírito Santo, não há mais nada que Deus possa fazer, então o destino final desta pessoa, após a morte do seu corpo, é a morte do seu espírito em um "fogo eterno".

Por fim, quem será o nosso Advogado perante os homens? O Espírito Santo! Os primeiros anos do Cristianismo foram muito difíceis, e Jesus precisou preparar seus discípulos para o que eles iriam enfrentar quando Ele partisse. As provações seriam imensas, mas o testemunho deles, morrendo em nome de Jesus, seria a prova de que eles acreditavam na mensagem do Mestre até as últimas consequências.

Que saibamos receber o Espírito Santo, e deixemos que Ele haja em nós. Até nisso Jesus pensou, e ensinou o que devemos fazer para que o Espírito possa agir: "... não fiqueis preocupados (...) o Espírito Santo vos ensinará o que deveis dizer." É quando aquietamos o nosso coração, que podemos ouvir o sussurro do Espírito Santo a nos guiar. Quem vive no barulho dos próprios pensamentos, como se tivesse medo de escutar a voz da própria consciência, não vai saber do que eu estou falando... Mas pode experimentar... Basta querer... O Espírito Santo se move em você...

Jailson Ferreira

Fonte: REFLEXÕESBÍBLICAS – LITURGIA DIÁRIA

Comments