19/10/2012 - 6ª-feira da 28ª Semana Tempo Comum

postado em 18 de out de 2012 20:07 por Antonio Gazato Neto


1ª Leitura - Ef 1,11-14

Os que colocaram a sua esperança em Cristo, nele foram marcados com o selo do Espírito Santo.

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios 1,11-14

Irmãos, 11em Cristo nós recebemos a nossa parte. Segundo o projeto daquele que conduz tudo conforme a decisão de sua vontade, nós fomos predestinados 12a ser, para o louvor de sua glória, os que de antemão puseram a sua esperança em Cristo. 13Nele também vós ouvistes a palavra da verdade, o evangelho que vos salva. Nele, ainda, acreditastes e fostes marcados com o selo do Espírito prometido, o Espírito Santo, 14o que é o penhor da nossa herança para a redenção do povo que ele adquiriu, para o louvor da sua glória. - Palavra do Senhor. 

 

Salmo - Sl 32,1-2. 4-5. 12-13 (R. 12b)

R. Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!

1Ó justos, alegrai-vos no Senhor! * aos retos fica bem glorificá-lo. 2Dai graças ao Senhor ao som da harpa, * na lira de dez cordas celebrai-o! R.

4Pois reta é a palavra do Senhor, * e tudo o que ele faz merece fé. 5Deus ama o direito e a justiça, * transborda em toda a terra a sua graça. R.

12Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, * e a nação que escolheu por sua herança! 13Dos altos céus o Senhor olha e observa; * ele se inclina para olhar todos os homens. R. 

 

Evangelho - Lc 12,1-7

Os cabelos de vossa cabeça estão todos contados.

+ Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo São Lucas 12,1-7

Naquele tempo, 1milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros. Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: “Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia. 2Não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido. 3Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão, será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados. 4Pois bem, meus amigos, eu vos digo: não tenhais medo daqueles que matam o corpo, não podendo fazer mais do que isto. 5Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno. Sim, eu vos digo, a este temei. 6Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. 7Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”. - Palavra da Salvação. 

 

Reflexão:

As autoridades religiosas do tempo de Jesus eram autoridades poderosas e opressoras, que se valiam da ocupação romana e dos privilégios obtidos por ela para oprimir o povo, de modo que o povo era duplamente oprimido: pelos romanos e pelo poder religioso instituído. A religião realizava exatamente o contrário daquilo que o próprio Deus queria. Quando Jesus fala que devemos ter cuidado com o fermento dos fariseus, ele nos diz também que devemos nos preocupar para não sermos contaminados pela hipocrisia, pela sede de poder e pela busca de privilégios pessoais, para que também nós não façamos da nossa religião um meio de opressão, mas sim subamos em cima dos telhados e denunciemos todos os falsos valores da vivência religiosa.

NÃO SE DEIXAR CORROMPER


O mau exemplo tem um terrível poder contaminador. É preciso estar atento para não se deixar levar. Os discípulos de Jesus foram alertados a não imitar o procedimento dos fariseus, cuja hipocrisia era bem conhecida. 

O Mestre insistiu na inutilidade de viver uma dupla vida, como acontecia com os fariseus, os quais escondiam sua corrupção interior atrás de uma fachada de piedade. Atitude inútil e ridícula porque quem engana o seu semelhante, não consegue enganar a Deus. Por outro lado, haveria de chegar a hora em que as coisas escondidas seriam reveladas pelo Pai do Céu e, então, apareceria a verdadeira identidade dos fariseus. A hipocrisia, pois, não valia a pena. O exemplo dos fariseus não devia ser seguido. Entretanto, não é fácil manter distância do mau exemplo. 

A perseguição virá na certa! É preciso que os discípulos superem o medo da morte, tornando-se livres diante dela. Só Deus merece ser temido, pois em suas mãos está a destino eterno de todas as criaturas. Ele é o Senhor da vida e da morte. O máximo que os inimigos poderão fazer será tirar a vida física dos discípulos. Nada mais!
O discípulo permanece sempre atento. Portanto, quando recusa seguir algum mau exemplo é porque deseja ser fiel ao Pai.

Oração  
Senhor Jesus, livra-me de seguir os maus exemplos, nem permitas que eu imite quem se comporta de maneira incompatível com a vontade do Pai.

(O comentário do Evangelho é feito pelo Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE – e disponibilizado neste Portal a cada mês)

Fonte: DOM TOTAL

* * * * * * * * * * 

 NÃO TENHAIS MEDO

Diante do ajuntamento de milhares de pessoas, com certo exagero de Lucas, Jesus fala primeiro aos discípulos. Aborda dois temas: a hipocrisia e o destemor.

A expressão que mais se destaca é Não temais: valeis mais do que todos os pássaros do mundo.

Neste Evangelho Jesus quer mostrar-nos que a atenção secreta que presta não nos abandona algum instante mas que, em tudo, nos deixa travar o combate segundo a medida das nossas forças e esforçar-se por rezar.

Mas, se uma dificuldade nos abate, quando estamos doentes ou desencorajados é porque nossa natureza é fraca, então Ele próprio faz, como é preciso e como Ele sabe, tudo o que está no seu poder para que sejamos socorridos. Confirma-nos secretamente tanto quanto pode, para que tenhamos a força de suportar as nossas dificuldades. Porque, na confiança que nos dá, Ele frustra as dificuldades e, pela visão desta fé, nos desperta para o louvor. Contudo, se for preciso que esta ajuda secreta seja explicitada, Ele o faz, mas por necessidade. Os seus caminhos são de grande sabedoria; prolongam-se quando é preciso e necessário, mas nunca de qualquer maneira. Não tenham medo, pois vocês valem mais do que muitos passarinhos. Como se disse: Confiai, esperai e tende fé em Mim. É desta forma que Ele providencia junto dos seus santos.

Não vos inquieteis com tudo o resto, mas deixai nas mãos da divina Providência o que não podeis cumprir por vós mesmos. São agradáveis a Deus a solicitude e o cuidado que, com razoabilidade, pomos nas tarefas que nos cumprem, para conseguirmos concretizá-las da melhor maneira. Não lhe são agradáveis à ansiedade e a inquietação do espírito: o Senhor quer que os nossos limites e fraquezas encontrem apoio na sua fortaleza e onipotência, quer que tenhamos confiança em que a sua bondade suprirá à imperfeição dos nossos meios.

Ele não quer que o homem se atormente com as próprias limitações humanas; não é preciso cansarmo-nos excessivamente. Quando de fato nos esforçamos por dar o melhor de nós, podemos deixar o resto nas mãos d’Aquele que tem o poder de realizar tudo o que quer.

«Não temais. Até os cabelos da vossa cabeça estão contados. Quem no-lo garante é o Próprio, Jesus. O nosso amabilíssimo Salvador assegura-nos, em várias passagens da Sagrada Escritura, o seu cuidado e vigilância contínuos no que nos diz respeito; e Ele próprio nos leva e nos levará sempre em seus braços, no seu coração e nas suas entranhas…

Tenhamos cuidado em não nos apoiarmos no poder ou na benevolência dos nossos amigos, nem nos nossos bens ou no nosso espírito, ciência, forças, bons desejos, orações, nem mesmo na confiança que pensamos ter em Deus, nem nas mediações humanas, nem em coisa alguma criada, mas unicamente na misericórdia de Deus. Não quer dizer que não seja preciso valer nos das coisas a que acabamos de aludir, e que não tenhamos que pôr da nossa parte tudo o que pudermos a fim de vencer o vício, praticar a virtude, orientar e levar a bom termo os assuntos que Deus nos confiou, e assim cumprir com as obrigações que são inerentes ao nosso estado. Mas devemos renunciar a todo o apoio e a toda a confiança que poderíamos encontrar nessas coisas, e apoiar-nos na pura bondade de nosso Senhor. De tal maneira que, da nossa parte, devemos velar e trabalhar como se nada esperássemos da parte de Deus: e, no entanto não nos devemos apoiar no nosso cuidado e trabalho, como se fizéssemos alguma coisa, mas esperar tudo unicamente da misericórdia de Deus.

Um outro aspecto que o Mestre salienta é o da hipocrisia. A hipocrisia é uma prática do farisaísmo a fim de dominar sob a aparência de santidade e honra. Como discípulos devemos estar atentos, descartar qualquer hipocrisia e tudo fazer e dizer claramente, em nome da verdade. Pois o medo é a outra arma do poder. Quem nada teme é livre. Nem a própria morte o intimida. Não se abandona a missão por medo da morte. Devemos antes temer, sim, é a morte interior, que são a hipocrisia e a cobiça. Deus não se esquece de seus discípulos e os guarda na vida eterna.

Que a bondade divina nos comunique sempre a luz da sabedoria, para que possamos ver com clareza e realizar os seus bons desejos com profunda convicção, em nós e nos outros, para que das suas mãos aceitemos o que nos envia, considerando o que é de maior importância: a paciência, a humildade, a obediência e a caridade.

Padre Bantu Mendonça K. Sayla

Fonte: CANÇÃO NOVA – HOMILIA DIÁRIA

* * * * * * * * * * 

A hipocrisia é uma atitude que subverte os valores.

• O evangelho de hoje nos apresenta uma última crítica de Jesus contra as autoridades religiosas de seu tempo.

• Lucas 12,1a: Milhares de pessoas procuram Jesus. “Naquele tempo, milhares de pessoas se reuniram, a ponto de uns pisarem os outros”. Esta frase deixa perceber a enorme popularidade de Jesus e a vontade das pessoas de se encontrar com ele (cfr. Mc 6,31; Mt 13,2). Deixa também intuir o abandono em que se encontrava o povo. “Eram como ovelhas sem pastor”, dizia Jesus em outra ocasião quando viu a multidão se aproximar dele para ouvir sua palavra (Mc 6,34).

• Lucas 12,1b: Atenção à hipocrisia. “Jesus começou a falar, primeiro a seus discípulos: Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia”. Marcos já tinha falado do fermento dos fariseus e dos herodianos e sugeriu que se tratava da mentalidade ou da ideologia dominante da época que esperava um messias glorioso e poderoso (Mc 8,15; 8,31-33). Neste texto, Lucas identifica o fermento dos fariseus com a hipocrisia. A hipocrisia é uma atitude que subverte os valores. Esconde a verdade. Apresenta uma máscara bonita que esconde e enfeita o que feio por dentro. Neste caso, a hipocrisia era a máscara aparente da fidelidade máxima à palavra de Deus que escondia a contradição da vida deles. Jesus quer o contrário. Quer a coerência, não o que fica escondido.

• Lucas 12,2-3: O que é escondido será revelado. “Não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido. Portanto, tudo o que tiverdes dito na escuridão será ouvido à luz do dia; e o que tiverdes pronunciado ao pé do ouvido, no quarto, será proclamado sobre os telhados”. É a segunda vez que Lucas fala deste tema (cfr. Lc 8,17). Em lugar da hipocrisia dos fariseus que esconde a verdade, os discípulos devem ser sinceros. Não devem ter medo da verdade. Jesus os convida a partilhar com os outros os ensinamentos que aprendem com ele. Os discípulos não podem guardá-los para si, mas devem divulgá-los. Um dia, as máscaras cairão completamente e tudo será revelado com clareza, e será proclamado sobre os tetos (Mt 10,26-27). • Lucas 12,4-5: Não ter medo. “Pois bem, meus amigos, eu vos digo, não tenhais medo daqueles que matam o corpo, pois não poderão fazer mais do que isso. Vou mostrar-vos a quem deveis temer: temei aquele que, depois de tirar a vida, tem o poder de lançar-vos no inferno. Sim, eu vos digo, a este temei”. Aqui Jesus se dirige a seus amigos, os discípulos e as discípulas. Eles não devem ter medo daqueles que matam o corpo, que torturam, que pisam e fazem sofrer. Os torturadores podem matar o corpo, mas não podem matar a liberdade e o espírito. Devem ter medo, isto sim, que o temor do sofrimento os leve a esconder ou a negar a verdade e, portanto, os levem a ofender a Deus. Porque quem se afasta de Deus se perde para sempre.

• Lucas 12,6-7: Vós valeis mais que muitos pássaros. “Não se vendem cinco pardais por uma pequena quantia? No entanto, nenhum deles é esquecido por Deus. Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados, Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais”. Os discípulos não devem ter medo de nada, porque estão nas mãos de Deus. Jesus pede que eles olhem os pássaros do céu. Dois pardais eram vendidos por alguns centavos e nenhum deles cai por terra sem a permissão do Pai. Até o cabeços da cabeça estão contados. Lucas afirma que não cai nenhum cabelo sem a permissão do Pai (Lc 21,18). E caem tantos cabelos! Por isso: “Não tenhais medo! Vós valeis mais do que muitos pardais!” É esta a lição que Jesus tira da contemplação da natureza (cf Mt 10,29-31).

• A contemplação da natureza. No Discurso da Montanha, a mensagem mais importante Jesus o tira da contemplação da natureza. Ele afirma: “Vós ouvistes o que foi dito; ‘Amarás o teu próximo e odiarás o teu inimigo!’ Eu, porém, vos digo, amai os vossos inimigos e rezai por aqueles que vos perseguem! Assim, vos tornareis filhos do vosso Pai que está nos céus, porque ele faz nascer o sol sobre mais e bons e faz cair a chuva sobre justos e injustos. Porque, se amais somente aqueles que vos amam, que recompensa tereis? Os cobradores de impostos não fazem a mesma coisa? E se saudais somente os vossos irmãos, o que fazeis de extraordinário? Os pagãos não fazem a mesma coisa? Portanto, sede perfeitos como o vosso Pai celeste é perfeito” (Mt 5,43-48). A observação do ritmo do sol e da chuva leva Jesus a esta afirmação revolucionária: “Amai os vossos inimigos”. A mesma coisa é válida para o convite a olhar as flores do campo e as aves do céu (Mt 6,25-30). Esta atitude contemplativa surpreendente diante da natureza levou Jesus a criticar verdades aparentemente eternas. Por seis vezes seguidas ele tem a coragem de corrigir publicamente a Lei de Deus: “Foi dito, mas eu vos digo...”. A descoberta feita na contemplação renovada da natureza torna-se para ele uma luz muito importante para reler a história com um olhar diferente, e descobrir luzes que antes não eram percebidas. Hoje está em ato uma nova visão do universo. As descobertas da ciência em relação à imensidão do macrocosmo e do microcosmo estão se tornando fonte de uma nova contemplação do universo. Começam a ser criticadas muitas verdades aparentemente eternas.

Para uma avaliação pessoal

• O que está escondido será revelado. Existe em mim algo que tenho medo de revelar?

• A contemplação dos pássaros e das coisas da natureza leva Jesus a atitudes novas e surpreendentes que revelam a bondade gratuita de Deus. Costumo contemplar a natureza?

Fonte: VERBONET

* * * * * * * * * * 

SER VERDADEIRO DISCÍPULO E AMIGO DE JESUS

 “Se és um amigo de Cristo, muitos poderão se aquecer neste fogo e compartilhar desta Luz” (Mauriac).

Com este capítulo do seu evangelho (Lc 12,1-48) o evangelista Lucas volta a falar sobre as instruções de Jesus para seus discípulos (Lc 9,51-13,21), conhecidas como Lições do Caminho, pois são dadas no Caminho para Jerusalém onde Jesus será crucificado e ressuscitado. Com essas lições Jesus vai preparando os discípulos para a vida e missão pós-pascal (cf. Lc 24,45-49; At 1,8). E para a comunidade de Lucas essas instruções servem como um ideal de vida de discipulado.

Neste capitulo 12 Lucas coloca algumas atitudes que devem caracterizar a comunidade dos discípulos, tais como: confiança em Deus em qualquer momento, pois em Deus está o alicerce verdadeiro para sua existência; coragem diante de qualquer ameaça da perseguição ou da repressão violenta e transformar tudo isso em momento de testemunho; liberdade do medo; pobreza, isto é, não se deixar dominar pelos bens materiais, pois sua verdadeira segurança está em Deus; e vigilância responsável, pois os discípulos são homens abertos para o futuro, isto é, viver sem jamais perder perspectivas em qualquer momento e idade. A esperança nos chama a caminhar sem perder o horizonte que só terminará em Deus.

“Tomai cuidado com o fermento dos fariseus, que é a hipocrisia”, alerta Jesus aos discípulos.

A hipocrisia é o pecado típico do fariseu (cf. Lc 11,42-44).Hipócrita é permanecer nas trevas, ocultar-se na escuridão. Hipócrita é ser ator de uma peça sem nada a ver com sua própria personalidade ou vida. Hipócrita é resistir ao testemunho; é fazer ouvidos surdos à voz de Jesus Cristo.Hipócrita é aquele que, simulando virtudes, nobres sentimentos e boas qualidades, engana os outros no intuito de conquistar a estima deles. Seu objetivo é obter louvores por uma virtude que não possui. Ele atraiçoa a verdade. Ele é incapaz de confessar sua perversidade interior e corrigi-la, pois ele sempre se refugia na simulação de possuir virtude. Ele não se preocupa em ser bom, mas em ser admirado por alguma virtude que na realidade não possui. Se não tivermos bastante discernimento e capacidade em fazer uma leitura com tranquilidade de suas atitudes e palavras, facilmente cairemos na tentação de acreditar nele. É preciso confiar desconfiando. É preciso questionar o questionável, perguntar o perguntável para não se precipitar em nada a fim de não pagar caro, mais tarde, por uma atitude não pensada. Desconfie qualquer facilidade prometida.

O discípulo de Jesus, cada cristão, deve proceder sem duplicidade nem mentira. Se alguém contar uma mentira, ele será forçado a contar outras mentiras para apoiar a primeira. A conduta do discípulo deve ser sempre franca, mas sem grosseria, pois a franqueza ou sinceridade mal-empregadas se transforma em grosseria; a verdade dita sem caridade pode ter resultado contrário. O cristão deve ser transparente como quem trabalha à luz do dia. Toda sua palavra, toda sua ação deve ser sempre um testemunho público e não para enganar. O discípulo de Jesus, cada cristão é o amigo de Jesus. De Jesus ele recebe confidências e coisas profundas sobre Deus: “Chamei-vos de amigos, pois vos dei a conhecer tudo quanto ouvi de meu Pai” (Jo 15,15). Comigo Jesus não tem segredos. Comigo Jesus só fala da verdade, a verdade que liberta (cf. Jo 8,32). Como amigo de Jesus compartilharei também com ele até mesmo sua sorte: perseguição, morte, e ressurreição (cf. Jo 15,18-21; 16, 1-4; 1Jo 3,13).

Se Jesus me revelou tudo sobre o Pai, então eu preciso ser um amigo fiel de Jesus sem medo. O único temor que eu devo ter é o temor de Deus, pois só Deus pode ter a ultima palavra sobre a minha vida e meu destino final: “Não há nada de escondido que não venha a ser revelado, e não há nada de oculto que não venha a ser conhecido”. A história pessoal, íntima, e a história comunitária estão nas mãos de Deus. Eu preciso segurar na mão de Deus e seguir adiante, pois eu estou caminhando para o futuro de Deus que já comecei no presente ainda que os caminhos de Deus, muitas vezes, sejam incompreensíveis para a sabedoria humana: “Pois os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, e vossos caminhos não são os meus — oráculo do Senhor. Pois tanto quanto o céu está acima da terra, assim estão os meus caminhos acima dos vossos e meus pensamentos distantes dos vossos” (Is 55,8-9).

 P. Vitus Gustama,svd

Fonte: É PRECISO CAMINHAR

* * * * * * * * * * 

O fermento dos fariseus: a hipocrisia.

O tema da primeira parte do Evangelho de hoje é a hipocrisia, que é uma palavra de origem grega, e significa "fingimento". Existem várias formas de se cometer hipocrisia, dentre elas, duas são as mais conhecidas: a primeira é quando denunciamos uma pessoa ou grupo de pessoas que comete algum ato que também nós cometemos; e a segunda é quando acreditamos que uma regra ou conjunto de regras devem ser seguidas por um grupo de pessoas, mas não por outro. Em qualquer forma de hipocrisia, existe um ponto em comum: a mentira e o fingimento. O hipócrita acredita que vai conseguir manter em segredo a sua mentira, e acaba criando uma prisão para ele mesmo. E um ponto interessante é que na medida em que a mentira vai crescendo, a pessoa vai criando meios de se defender... E uma das formas mais comuns de se defender, é atrás da arrogância. Se você prestar atenção, vai perceber que toda pessoa arrogante, morre de medo que as pessoas descubram suas fragilidades. Por isso Jesus disse que os seus discípulos não deveriam esconder nada de ninguém. Tudo o que está escondido, será revelado! O que for dito no ouvido de uma pessoa, dentro de um quarto, será proclamado de cima dos telhados! Isso o que Jesus disse, em particular aos discípulos, foi para que eles nem pensassem em tentar esconder nada de ninguém, pois essa é a raiz da mentira, que leva ao fingimento, que é a própria HIPOCRISIA.

Um cientista cognitivo chamado Keith Stanovich, da Universidade de Toronto (Canadá) se dedicou a estudar a hipocrisia e chegou a uma conclusão surpreendente. Só existem 2 tipos de pessoas que não são hipócritas: "uma minoria que é tão santa, que não se entrega aos seus instintos mais básicos", e "um grupo maior que nunca tenta viver segundo os princípios da moralidade e dos bons costumes". Para ele, todo o resto é hipócrita em algum momento ou aspecto da vida. Sendo mais claro para que todos entendam: se você não faz parte de nenhum dos dois grupos, então você tem algo a esconder, e é capaz de mentir (ou fingir) para que as outras pessoas não descubram. Deprimente, não?

Mas eu ainda prefiro tentar entrar pro grupo de não hipócritas santos... Então vejamos: o que o cientista quer dizer com "instintos mais básicos"? Os instintos básicos são: o de sobrevivência e o de perpetuação. Freud dizia que os anseios mais profundos do ser humano são: o de sentir-se importante e a satisfação sexual. Outros cientistas acrescentaram ou modificaram as palavras. Padre Léo dizia que o maior desejo do ser humano é o de "sentir-se amado". E aí vem a pergunta mais importante de hoje: para qual dessas razões você acha que valeria a pena mentir, fingir, ser hipócrita? O ideal seria: nenhuma delas. E você sabe disso, mas em qual delas está a sua fragilidade?

Esse é um assunto que para quem apenas lê o Evangelho sem adentrar na reflexão, pode parecer simples... Mas veja que daria para escrever um livro sobre esse assunto. E é impossível falar sobre isso e não tocar na ferida de quem escuta... a não ser que a pessoa já tenha criado um mecanismo de autonegação.

Jesus termina o Evangelho com uma palavra de ânimo: "Até mesmo os cabelos de vossa cabeça estão todos contados. Não tenhais medo. Vós valeis mais do que muitos pardais." Nós podemos achar que estamos escondendo bem nossas fragilidades, mas Ele sabe TUDO. E no final, nós vamos entender que é somente a Ele que iremos prestar contas de TUDO o que fizemos aqui nesse mundo.

Jailson Ferreira

Fonte: REFLEXÕES BÍBLICAS – LITURGIA DIÁRIA

Comments