PRAÇA DAS LETRAS
42.º ANIVERSÁRIO DO TAP


L.S.D. no 42.º aniversário do TAP

 

Por ocasião do seu 42.º aniversário, o Teatro Amador de Pombal promove a 3.ª edição da Praça das Letras, um evento cultural multidisciplinar que cruza várias artes.

Durante três dias, 13, 14 e 15 de julho, estas artes encontram espaço de expressão na Praça Faria da Gama, junto ao edifício da Junta de Freguesia de Pombal.

A Praça das Letras tem início na sexta-feira, dia 13, pelas 20h45, com um sunset a cargo dos L.S.D. LIVING STATUES DJS. Os L.S.D. são um conceito de performance altamente inovador que mistura as técnicas de estátua viva com Dj, uma ideia do pai das estátuas vivas em Portugal, António Santos, que já percorreu os maiores festivais do mundo, nomeadamente o Tomorrowland e o Boom Festival.

No sábado, dia 14, pelas 18h45, decorre uma tertúlia sobre a Gastronomia Portuguesa com os escritores Guida Cândido e Fortunato da Câmara, moderada por Paulo Moreiras. Uma vez que o ano 2018 foi escolhido como o Ano Europeu do Património Cultural, entendemos que seria importante refletir sobre a importância da gastronomia portuguesa como elemento fundamental do nosso Património Cultural, não esquecendo que a dieta mediterrânica foi classificada em 2013 como Património Mundial e Imaterial da Humanidade pela UNESCO.

O dia termina pelas 22h30, com o espetáculo PHOTOMATON, divertimento para viola portuguesa e mala preparada de Fernando Mota. PHOTOMATON é um solo portátil, uma instalação itinerante, um álbum de peças poéticas insólitas, uma invenção plástico-sonora sem manual de instruções. A Mala Preparada é uma antiga mala de cartão onde habitam cordas, molas, rodas e outras patifarias tocadas com as mãos, pauzinhos chineses, um arco de violino e o diabo a sete. A partir deste instrumento, da viola portuguesa e de outros objetos sonoros escreveremos os nossos cadernos de viagem, com tocadores de violinos de pregos, bailarinas em danças serpentinas filmadas pelos irmãos Lumière, chapéus-de-chuva-espanta-espíritos e luminárias que se despedem à chuva.

No domingo, pelas 18h45, realiza-se uma tertúlia sobre Banda Desenhada com André Diniz (Brasil) e Osvaldo Medina (Portugal), moderada por Humberto Pinto.

A 3.ª edição da Praça das Letras encerra pelas 22h00, com o espetáculo A MÁQUINA, em que as palavras são de António Pedro Ribeiro, a música de Luís Santos e a voz é de Maria Jeromito. Este projeto liga a guitarra elétrica, à poesia e ao vídeo, num espetáculo conduzido pela palavra - por vezes forte -, e almofadado pelos sentidos e pelas ambiências criadas pelos sons, por vezes caleidoscópicos. Tudo isto enquanto o fundo do palco se transforma em Metropolis, de Fritz Lang.

 

Entrada Livre