ATD - Home‎ > ‎Foi há 50 Anos!‎ > ‎

Contexto Cronológico do ano de 1961

Obs: As entradas dessa cronologia estão a ser adicionadas conforme são publicados os artigos da série "Foi há 50 anos...". Por esse facto, só estarão completas quando a série acabar, no final do ano.

JANEIRO
3 a 7 de JaneiroConferência dos Chefes de Estado Africanos em Casablanca
4 de Janeiro Revolta da Baixa de Cassanje
9 de Janeiro – Fuga de José Mendes de Carvalho “Henda” para o Congo
16 de Janeiro – Agostinho Neto envia carta desde Ponta do Sol (Cabo-Verde) ao Ministro do Ultramar pedindo transferência para Angola e reafirmando a sua posição nacionalista
17 de Janeiro – Assassinato de Patrice Lumumba. Generalização de uma onda de protestos a nível internacional.
20 de Janeiro – John F. Kennedy é investido como 35º Presidente dos E.U.A.
21 de Janeiro – Eduardo Mondlane, a convite de Adriano Moreira efectua uma visita a Moçambique onde permanecerá até Maio.
21 a 22 de Janeiro – Sessão Extraordinária do Comité de Solidariedade dos Povos Afro-Asiáticos no Cairo
22 de Janeiro – Desvio do paquete Santa-Maria por Henrique Galvão que ameaça dirigir-se para Angola.
26 de Janeiro – Artigo de Per Wästberg no jornal sueco “Dagens Nyheter” com o título “Angola e Moçambique”, dá a conhecer a situação em Angola, bem como a prisão de A. Neto.
28 de Janeiro – José Gilmore (Holden Roberto) da UPA, é recebido em Túnis pelo Neo-Destour.
Janeiro – Regresso de Holden Roberto a Leopoldville e tentativa de mudança da direcção da UPA;

FEVEREIRO
4 de Fevereiro – Primeira acção armada de Libertação Nacional em Luanda
9 de Fevereiro – Savimbi escreve a Holden Roberto propondo união MPLA-UPA e envia cópia ao MPLA;
10 de Fevereiro – Savimbi informa a direcção do MPLA em Conakry que enviou uma carta a Holden Roberto e solicita o envio de um documento que o “identificasse como falando em nome do MPLA” na Suíça. Foi registado como membro do MPLA número nº20016.
28 de Fevereiro – São enviados a partir de Leopoldville Manuel Bernardo Pedro, Pedro Santos Rodrigues e Pedro Vida Garcia da UPA para organizar um levantamento no interior
Princípio de 1961 – Criação da FUA – Frente Unida de Angola.

MARÇO
1 de Março – O MDIA (Movimento para a Defesa dos Interesses de Angola) divulga o seu afastamento da UPA.
3 de Março – Hassan II é coroado Rei do Marrocos sucedendo ao seu pai.
3 de Março – Jonas Savimbi dá a conhecer ao CD do MPLA em Conakry que manteve um encontro com Holden Roberto e solicita apoio financeiro.
8 de Março – O Governo americano alerta Portugal sobre a possibilidade da eclosão de uma revolta em Angola na semana seguinte, mas Portugal não presta
a devida atenção.
8 de Março – Holden Roberto dá a conhecer ao CD do MPLA não poder responder ao convite para participar na Conferência de Casablanca (criação da CONCP).
14 de Março – Uma Revolta inicia na Fazenda Primavera e alastra-se por Santo António do Zaire, São-Salvador do Congo, Maquela do Zombo seguido por
Ambrizete, Negage, Mucaba, Sanza-Pombo, Nambuangongo, Quicabo e Quitexe, passando a controlar grande parte destes territórios durante cerca de cinco
meses.
15 de Março - Moção do Conselho de Segurança da ONU condena Portugal pela situação em Angola. Pela primeira vez, votam juntos os Estados Unidos e a União Soviética.
20 de Março – O New York Times, jornal americano, publica uma entrevista de Holden Roberto em que este deplora a extrema violência dos africanos no Norte de Angola referindo que alguns membros da sua organização estavam implicados nestes ataques mas negando que agissem sob as ordens da UPA. Dias depois, viria a assumir a paternidade plena da sua organização sobre os acontecimentos.
22 de Março – Manifestação de colonos em Luanda contra a representação americana.
25 a 31 de Março – 3ª Conferência dos Povos Africanos no Cairo, em que é aprovada uma moção sobre Angola apresentada pelo MPLA. Savimbi, na Suíça, informa Mário de Andrade que não consegue estar presente por falta de visto.
31 de Março – Aviação portuguesa bombardeia as áreas de Quimbele fazendo vários mortos e feridos.
31 de Março – Prisão do Cónego Manuel das Neves em Luanda.
Março – Início do treino militar de 24 elementos da UPA num campo militar argelino em território Tunisino.
Março ou Abril - J. Savimbi adere à UPA depois de longos contactos com o MPLA.

ABRIL
18-20 de Abril - 1ª Conferência das Organizações Nacionalistas das colónias Portuguesas CONCP em Casablanca (Marrocos) tendo como membros fundadores: Comité de Libertação de São Tomé e Príncipe – CLSTP; Goan League; Goan Liberation Council; Goan Peoples’ Party; Movimento de Libertação da Guiné e Cabo Verde – MLGC; Movimento Popular de Libertação de Angola – MPLA; National Congress (de Goa); Partido Africano da Independência da Guiné e Cabo Verde – PAIGC; União Democrática Nacional de Moçambique – UDENAMO; União Nacional dos Trabalhadores de Angola – UNTA. 
Mário de Andrade é eleito Presidente, Marcelino dos Santos – Secretário-Geral e Aquino de Bragança – Secretário para a Informação com Amália Lopes Fonseca (Cabo Verde).
20 de Abril - Resolução 1603 (XV) na 15ª Sessão da Assembleia-Geral das Nações Unidas incita o Governo português a promover urgentes reformas nas colónias. A resolução é aprovada também pelos EUA e é formado um Subcomité para investigar os acontecimentos em Angola.
25 de Abril - Joaquim P. Andrade é transferido de Príncipe para Aljube em Portugal.
Abril-Maio - Revoltas na Damba e regiões vizinhas. Revolta no Kunene, nas minas de Kassinga, e alastrando-se ao Cuvelai.
Abril-Maio - Edmundo Rocha e Graça Tavares seguem de Lisboa para França e Alemanha onde procedem ao contacto com organizações ecuménicas para a organização da saída de estudantes africanos de Portugal.

MAIO
de Maio - Queixa do Governo Português ao embaixador americano por causa de contactos entre o Gov. americano e Holden Roberto.
               - Chegada do Navio Niassa a Luanda, com o primeiro contingente de militares portugueses.
               - Perante o ataque de forças da UPA a Mucaba, a aviação portuguesa larga bombas de napalm na área.
8-12 de Maio - Conferência dos Chefes de Estados Africanos e Malgache em Monróvia (Libéria) contando com a participação de cerca de duas dezenas de Estados Africanos. Por Angola estavam presentes os presidentes do MPLA e da UPA, Mário P. de Andrade e H. Roberto.
12 de Maio - Mário de Andrade, Presidente do MPLA, encontrase com H. Roberto em Monróvia e apresenta a proposta de criação de uma frente unida e a criação da “Frente de Libertação de Angola” (FLA). Documento posteriormente rejeitado por H. Roberto.
13 de Maio - Início da ofensiva das forças coloniais portuguesas de forma violenta e indiscriminada com cerca de 6.000 homens no norte de Angola.
19 de Maio - H. Roberto critica posição de K. Nkrumah e S. Touré por apoiarem o MPLA.
20 de Maio - Começam as negociações entre o Governo Provisório Revolucionário Argelino (GPRA) e o governo Francês em Evian (França) com vista à independência da Argélia.
24 de Maio - O MPLA informa que estão a ser discutidas as modalidades para a criação duma Frente de Libertação de Angola com a UPA, e saúda a iniciativa de Nkrumah para a realização de um encontro de Chefes de Estado Africanos para analisar a situação de Angola.
25 a 31 de Maio - Conferência Sindical Pan-Africana realizada em Casablanca. Bernard Dombele participa pela UNTA que na altura já estava em contacto com o MPLA.
26 de Maio - 40 países apelam ao Conselho de Segurança para que se debruce sobre a situação em Angola. A 20 de Abril de 1961, na sua 15.ª Sessão, a Assembleia-Geral da ONU tinha aprovado a Resolução 1603(XV), que reconhecia o direito de Angola à independência, na base da qual foi criado o ‘Sub-Comité dos Cinco’ para acompanhar a situação em Angola. Pela 1ª vez os EUA votavam uma resolução sobre Angola contra Portugal.
28 de Maio - Partida de mais um contingente militar de Portugal para Angola.
30 de Maio - Nkrumah intervém no Parlamento com um longo discurso sobre Angola, apelando à unidade entre a UPA e a FRAIN.
31 de Maio - Forças do exército português, depois de vários combates, atingem a Damba no norte do Uíge.
Maio - A CONCP participa na Conferência de Accra onde Kwame Nkrumah apresenta o “My Point of View” sobre a luta contra o colonialismo português e o caso angolano.MAIO – Vários ataques da UPA a Sanza-Pombo, Mucaba, Damba, São-Salvador, Úcua, Santa-Cruz, Macocola, Bungo.
Maio - Cerca de 60.000 refugiados angolanos estão no Baixo-Congo (Congo-Léopoldville). Mais tarde, em Setembro de 1962, a Cruz Vermelha anunciaria 251.000 refugiados.
Maio - O Jornalista sueco Sven Öste do jornal Dagens Nyheter, acompanhado do Comandante Tomás Francisco Ferreira, visita áreas do MPLA na fronteira do Congo-Léo com Angola.
Maio - Dias depois de uma conversa de Falcão com Adriano Moreira, são presos pela PIDE e deportados para Portugal, elementos da Frente Unida de Angola (FUA).
Maio - Criado no Lobito o Comité Secreto Revolucionário do Sul de Angola (CSRSA) por jovens trabalhadores do Porto. Têm ligações com a UPA. Em Maio 63 transformam-se na União Nacional dos Africanos do Sul de Angola (UNASA).
Maio - O Pastor Jacques Beaumont do CIMADE estabelece contactos em Portugal para a organização da designada “Operação Angola”.

Junho
9 de Junho - Conselho de Segurança da ONU aprova resolução considerando os massacres e repressão da população angolana um risco para a paz e segurança internacionais.
15 de Junho - Saída clandestina de Portugal do 1º grupo constituído por 19 estudantes que passa pela Espanha e França e estabelece-se na Suíça.
23 de Junho - Início da saída clandestina de Portugal do 2º grupo com cerca de 50 elementos entre os quais mulheres e crianças em direcção à França via Espanha.
23 a 30 de Junho - ‘Semana de Angola’ decorre em vários países, por iniciativa da Organização de Solidariedade dos Povos da Ásia e da África (OSPAA). Em Conakry, o Presidente do MPLA, Mário de Andrade, apela ao boicote económico e diplomático de Portugal pelos países africanos.
28 Jun a 5 Jul - Em Winneba (Ghana), Conferência dos líderes nacionalistas de países africanos não independentes.
30 de Junho - O primeiro balanço oficial português da guerra em Angola refere 50 militares mortos, entre 4 de Fevereiro e 30 de Junho.
Junho - MPLA e UPA trocam correspondência com vista à constituição de uma Frente de Libertação de Angola (FLA), que não se concretizará.
Junho - Congo-Léopoldville - Marcos Kassanga é nomeado Chefe de Estado Maior do Exército de Libertação Nacional de Angola (ELNA), da UPA. Com apoio de Carlos Cassel (enviado pela Union Générale Tunisienne du Travail) e da Fédération Générale du Travail du Kongo, a UPA cria a Liga Geral dos Trabalhadores de Angola (LGTA) liderada por André Kassinda.

Julho
1 de Julho - Detenção do 2º Grupo durante mais de 24 horas pela polícia espanhola na fronteira com a França. Depois de libertos fruto de pressão de certos círculos internacionais, seguem para o CIMADE (Paris) onde se juntam a uma quinzena de estudantes saídos legalmente de Portugal. Entram em contacto com Mário de Andrade, Eduardo Mondlane e Marcelino dos Santos.

Agosto
2 de Agosto – Congo Léopoldville: Após o assassinato de Patrice Lumumba, Cyrille Adoula é eleito Primeiro-Ministro do governo de Kasavubu.
17 de Agosto - Chegada de Eduardo Mondlane ao CIMADE onde mantém contacto com os estudantes das colónias portuguesas.
21 de Agosto - São aprovados os Estatutos do CVAAR (Corpo Voluntário Angolano de Assistência aos Refugiados). A organização é dirigida por um Comité de Administração presidido por Américo Boavida.
23 de Agosto - 41 dos estudantes ainda no CIMADE, próximos do MPLA e do PAIGC, com o apoio da embaixada do Ghana e do advogado Jacques Vergés, saem clandestinamente de França e seguem para o Ghana via Alemanha onde tomariam diferentes rumos em função das indicações dos Movimentos ou por decisão particular.
26 de Agosto - Mário de Andrade e Gentil Viana têm um encontro com o ministro marroquino
para as questões africanas, Dr. Abdelkrim Khatib, que garante o apoio para a realização de uma Conferência de Estudantes em Casablanca.

Setembro
22 a 26 de Setembro - 1ª Conferência da UGEAN realizada em Marrocos com 31 estudantes das colónias portuguesas (22 de Angola, 3 da Guiné, 3 de São Tomé, 2 de Cabo Verde e 1 de Moçambique).

Outubro
7 de Outubro – Léopoldville: O MPLA abre oficialmente as suas instalações em Léopoldville, iniciando igualmente as actividades do CVAAR.
Outubro - A CONCP participa no Seminário em Nova Delhi sobre “Problemas das Colónias Portuguesas”.

Novembro
23 de Novembro - Chega a Winneba (Ghana) o primeiro grupo de jovens do MPLA para treino político-militar, liderado por José Mendes de Carvalho (Hoji-ya-Henda).
Novembro – Léopoldville: Publicação do primeiro boletim do CVAAR.

Dezembro
8 a 10 de Dezembro - Reunião de Estudantes Africanos das Colónias Portuguesas em Camp Green Lane, Pensilvânia nos EUA.

Obs: As entradas dessa cronologia estão a ser adicionadas conforme são publicados os artigos da série "Foi há 50 anos...". Por esse facto, só estarão completas quando a série acabar, no final do ano.