O que é Medicina Intensiva?

Sociedade de Terapia Intensiva de Rondônia 

 Voltar

As Unidades de Terapia Intensiva nasceram com o objetivo de dar suporte à vida e ao tratamento do paciente grave que necessita monitorização contínua das suas funções orgânicas. A equipe médica e de enfermagem, através da vigilância constante, deve estar treinada e apta a adotar condutas que aumentem a chance de sobrevivência do paciente e possam restabelecer o seu estado de saúde ao estado anterior ao que o levou à UTI.

É preciso deixar claro que a UTI não é o destino final para onde vão os que não têm mais como recuperar-se. A Medicina Intensiva é uma especialidade multiprofissional que, num esforço coletivo, trata daqueles que, sem esse suporte, não teriam como recuperar-se. Esse é o real objetivo da especialidade MEDICINA INTENSIVA.

O atendimento primário é sempre feito pelo emergencista ou, pelo médico assistente. O médico responsável por este atendimento deverá então decidir se o paciente vai necessitar de cuidados intensivos ou não. Em caso positivo, o médico assistente fará contato com o médico intensivista para averiguar a existência de vaga na Unidade e inteirá-lo do caso clínico. Após este contato o paciente será adequadamente encaminhado pela enfermagem e seguramente transportado até a UTI onde a equipe plantonista já o estará aguardando. 

É preciso ter sempre em mente que o paciente será internado na UTI para ter mais chance de sobreviver e não para dar conforto ou consolo à família. Quando encaminhar um paciente para a UTI o medico assitente deverá avaliar se ele irá usufruir de benefícios reais com o tratamento intensivo. Submeter o paciente a um sofrimento desnecessário, privando-o do convívio de sua família é extremamente desgastante e doloroso para todos.

O perfil do intensivista mudou, deixando de ser meramente o de um plantonista que utiliza o seu trabalho na UTI como forma de emprego, para o de um especialista titulado. Foi por meio de muita luta e várias conquistas que, ao longo dos anos, a Medicina Intensiva tornou-se uma especialidade aceita pela nossa sociedade e pelas autoridades médicas. A Residência Médica foi credenciada pelo MEC e a especialidade reconhecida pela Associação Médica Brasileira. A Medicina Intensiva passou então a ser o exercício profissional de médicos preparados que se dedicam especialmente a ela.

Estamos empenhados em mudar o perfil do Médico Intensivista em Rondônia.

A SOTIRO propôe-se a valorizar a Medicina Intensiva nesse estado ajudando na atuaçao e capacitação de seus profissionais e promovendo um atendimento de qualidade à população rondoniense. 

 

 Flavia Fernandes

1ª Secretária da SOTIRO