O Medo

 URIEL

Grupo Consciência Cristo

Download dos Livros Gratuitos

Prólogo

A Objetividade Existencial

Seus Sonhos Acontecem?

O País Psicológico

A Essência e o Ego

O Despertar

Os Pesadelos

As Simbologias Oníricas

Conjurações de Limpeza e Proteção

O Religare e os Sonhos

As 3 Tarefas

O Auto-Conhecimento

O Trabalho de Auto-Superação

O Medo

Chacras e Kundalini

As Faculdades da Consciência

A Construção dos Veículos Existenciais do SER

Os Sonhos não serão mais simplesmente Sonhos

O Hermetismo

A Cura da Humanidade

O que isto tem à ver com os Sonhos?

Vale o que fizermos pela Alma

O MEDO

 

Através da prática de auto-observação e morte psicológica de segundo à segundo, vamos eliminando os defeitos mais fracos e retirando o alimento dos defeitos mais fortes que precisam ser compreendidos em cada um dos recôndidos dos 49 departamentos mentais. Devemos nos fazer valentes guerreiros de nós mesmos e jamais desistir ou duvidar no trabalho verdadeiro aqui colocado.

 

A compreensão é elástica conforme nos lançamos ao trabalho vamos nos aprofundando em nós mesmos, vamos compreendendo as diversas facetas e ângulos destes defeitos que se encontram irmanados, vindo em blocos para roubar energias. Vamos nos questionando internamente a verdade do defeito em questão, sabemos que não há verdade no ego, assim sendo as súplicas se carregam de compreensão e se tornam efetivamente mais contundentes.

 

Para estes defeitos mais fortes iremos levá-los ao banco dos réus, onde iremos nos concentrar e relaxar em um local quieto e ali trataremos de julgar o defeito que tanto nos incomoda, através de um histórico onde o acusaremos de todo o mal que nos tem feito e todo sofrimento que temos causado às pessoas. Tendo o defeito sido julgado, apelamos a DEUS-MÃE, à Mãe Divina que elimine de nós terminantemente tal agregado. Isto quantas vezes forem necessárias. Ele irá perdendo sua força até ser totalmente eliminado.

 

Também aplicaremos a Morte Intensiva à estes defeitos e todos aqueles que vierem para nos tirar do ZERO RADICAL, ou seja, o Silêncio Mental Absoluto ao nos relaxarmos em local tranqüilo e concentrados no som produzido pela Glândula Pineal, uma espécie de "ssssssssssssssssss" suplicamos seguidamente à todo defeito ou sombra de defeito, pensamento ou sombra de pensamento, que vier para nos tirar do Silêncio Mental.

 

O medo que tanto aflige as pessoas, constitui uma trava à mais ao trabalho. Se trata de um terrível agregado psicológico à ser compreendido e eliminado, de falta de Fé e busca pelas próprias Divindades Internas, o Pai Interno, a Mãe Divina.

 

Precisamos desbancar na dualidade este vilão, traidor da Obra do Pai, nos questionamos internamente: Qual sua verdade?

 

Efetivamente não há verdade no medo, temos medo de que? Aquele que dedica a vida pela Obra e Vontade do Pai o que haveria de temer?

 

O medo é reflexo da vida mecânica, por buscas ilusórias, pelos prazeres fugazes, que logo terminam e em seguida virá o desconsolo, a tristeza, a dúvida, as incertezas, a angústia, a depressão, etc...

 

É emergente que cada qual se corrija, que viva em Castidade, que deixe a vida promíscua, de sonhos por príncipes ou princesas encantadas, em sonhos eróticos, onde se plasmam os Incubus e Sucubus, terríveis demônios habitantes do corpo mental, através da energia sexual desperdiçada nas fornicações, nas masturbações.

 

A perda sistemática destas energias criadoras debilita terrivelmente as pessoas, tornando-as fracas, sem energias, sem vitalidade, sem vontade para nada, preguiçosas, tornando-as medrosas...

 

Ao passo que aqueles que sabiamente sublimam ou transmutam suas energias se tornam fortes, dispostos, corajosos!

 

A força da Mãe Divina na eliminação dos agregados é sexual, aqueles que trabalham em Castidade efetivamente estarão trabalhando de forma contundente e eficaz na eliminação dos agregados psicológicos.

 

Aqueles que não trabalham em castidade fazem o contrário, robustecem a besta interna, traem o Cristo, pecam contra o Espírito Santo, adquirem dívidas que só poderão ser pagas com a DOR.

 

Àqueles que estão chegando agora ao Ensinamento deverão se dedicar à leitura, ao estudo e à prática destes ensinamentos para que se libertem da escravidão em que se encontram. Aos que já tiveram acesso aos Ensinamentos deverão apertar as disciplinas sobre si mesmos, dando novas oitavas ascendentes ao trabalho.