Sol‎ > ‎Análise‎ > ‎

Adoro rádio

 
Adoro rádio!

É excelente veículo de comunicação.

É eficiente instrumento da cidadania

É accessível para todas as camadas sociais

E um meio de entretenimento saudável.

Claro, tudo depende do uso.

 

Existem comunicadores que são verdadeiros craques da linguagem:

São divertidos, prendem nossa atenção como se estivéssemos nos vendo.

E o fator surpresa!

Ouvir Elis, Pixinguinha, Chico Buarque, Mozart, Bach, Osvaldinho, Gonzaga, Zélia Duncam, Ray Charles, Vivaldi, Zé Fortuna, e a Orquestra Sinfônica de Berlim tocando logo após ter ouvido Ana Carolina entre as mais pedidas, é demais!

Um choque de gerações e estilo. Demais...

Aquele galera de Woodstock!...

Joe Cocker _ With A Little Help From My Friends_ Esta canção parece ter brotado de mim. E Janis Joplin, meu Deus! Rádio é tudo de bom; e a música completa a magia.

E as vezes um humorista, caipira, contando as mais surpreendentes anedotas...

Certo é que geralmente não sabemos o que a alma diz.
 

Mas hoje o que me prendeu a atenção foi as noticias internacional. A preocupação do mundo, e principalmente dos USA com novos atentado terrorista, como aquele de 11 de setembro. Mas atentados acontecem todos os dias, eles sabem que isso nunca vai ter fim. Pior são aqueles ignorados, que fingimos não ver e que ás vezes nós também o praticamos.

Os USA tomou conta do Irac, mas está como uma mosca presa à teia das aranhas. Eles, que arrancaram Saddam Hussen do buraco após tê-lo acuado naquela toca, como se ele fosse um animal rastejante, agora se borram de medo. Ele era um chefe de estado e os chefes de estado por pior que sejam tem seguidores e jamais serão esquecidos. Uma entidade humilhada é uma vingança sendo preparada. O Buch suportaria isso? Os americanos suportariam tal humilhação para com um líder do País? O sucessor suportará isso?

Barack Hussein Obama... esse nome me soa como uma mensagem profética, ou melhor, como desfecho de uma profecia.

O julgamento e a condenação à pena de morte de terroristas e criminosos de guerra, não serão suficientes para lhes dar paz. Além do que o interesse de G W Buch são outras guerras, mais e mais terrorismo, mais e mais abrangentes. E seus sucessores seguirão a mesma cartilha. E o povo americano é manipulado como sendo vítimas e heróis responsável pela segurança da humanidade.  Saddam foi o escolhido vilão da vez.

Antes que o novo parlamento seja escolhido e empossado eles o matarão. Buch o matará e em silêncio, como pesaroso, exibirá suas mãos de luvas limpas para o mundo, e exibirá o pulso firme da justiça, enquanto esconde no bolso cheio de dólares o sangue da suas digitais.

Depois que eles o matarem mandarão mais homens para o ninho das serpentes como presas a serem devoradas para justificar a continuidade do terrorismo e expandir assim a guerra. O terrorismo aumentará; daí nem democratas nem republicanos, nem cristãos, nem ônus intermediará a paz, porque todos almejarão a morte. Ninguém será a voz representativa da paz, pois o estrategista promoverá o terrorismo para gerar guerra sobre guerra por interesses diversos. Coitada da família americana! Coitado dos aliados! Coitado de nós, pobres humanos, mortais!

 

Coitado do Irã, da China, da Líbia, Israel, Paquistão, Índia, Egito, China, Cuba, Bolívia...

Bom para o país “Egobuchs” pois que enquanto houver terror não precisa atacar-se a si mesmo.

Mas, como eu dizia, adoro rádio! Tudo distante parece tão perto;

Tudo tão próximo parece tão distante...
 
Comments