Projetos :D

Artigo sobre Ponto de Equilíbrio

Aluna : Skarlet Sales 

Resumo 

De acordo com Edmar José Zorzal a Contabilidade pode e deve gerar informações que propiciem análises e estudos que subsidiem as tomadas de decisões de curto e longo prazo.

Neste Artigo demonstrarei um pouco sobre Ponto de equilíbrio em nível empresarial, que  serve basicamente para mostrar o ponto onde a empresa pode trabalhar sem perder dinheiro. EX: se o ponto de equilíbrio da empresa for R$ 100.000, ela deverá obter de receita mais do que isso.

Demonstrarei também um pouco sobre seus derivados, os pontos de Equilíbrios:Contábil, Econômico e Financeiro.


Introdução 

                   Falaremos sobre Ponto de equilíbrio (do inglês break-even-point) que é  a denominação dada ao estudo, nas empresas, principalmente na área da contabilidade, onde o total das receitas é igual ao total das despesas. Neste ponto o resultado, ou lucro final, é igual a zero.

                   Significa a quantidade que equilibra a receita total com a soma dos custos e despesas relativos aos produtos vendidos. Há uma quantidade razoável de estudos que demonstram como efetuar o cálculo. Ponto de Equilíbrio se  divide em Ponto de Equilíbrio Contábil,Econômico e Financeiro. 

Conforme se pode observar a figura acima, o Ponto de Equilíbrio é o ponto onde a linha da Receita cruza com a linha do custo total. Para se calcular o Ponto de Equilíbrio, necessário se faz é o conhecimento do conceito de Margem de Contribuição.

Para Padoveze (1997), representa o lucro variável. É a diferença entre o preço de venda unitário do produto e os custos e despesas variáveis por unidade de produto. Significa que em cada unidade vendida a empresa lucrará determinado valor. Multiplicado pelo total vendido, teremos a contribuição marginal total do produto para a empresa. Margem de Contribuição, nada mais é do que os resultados positivos, obtidos através da Receita, menos os Custos Variáveis. Este resultado, que é a Margem de Contribuição, deverá ser igual aos Custos Fixos para que se chegue ao Ponto de Equilíbrio.

 

Ponto de Equilíbrio e seus Conceitos 

Segundo Santos (2000, p.166) a análise do equilíbrio entre receitas de vendas e custos, torna-se indispensável como instrumento no processo de decisão gerencial.

Um dos fatores para o sucesso financeiro de uma empresa está diretamente condicionado à existência da melhor informação gerencial. Para o autor, “o ponto de equilíbrio será obtido quando o total dos ganhos marginais, que é a somatória de todos os produtos comercializados, equivalerem ao custo estrutural fixo do mesmo período de tempo objeto de análise”.

O ponto de equilíbrio, segundo Vanderbeck (2003, p.415) pode ser definido como o ponto no qual a receita de vendas é adequada para cobrir todos os custos de manufatura e vender o produto, mas sem obter lucro. Para o autor a equação pode ser colocada da seguinte maneira:  

Receita de vendas (no ponto de equilíbrio) = Custo para fabricar + Custo para vender

 

Segundo Dutra ( 1995, p.170), no ponto de equilíbrio, a empresa está produzindo o suficiente para gerar receita que se iguala ao custo, ou seja, a empresa não está tendo nem lucro nem prejuízo quando está operando em um nível de produção igual ao seu ponto de equilíbrio, porque ela está gerando recursos suficientes para remunerar os seus fatores de produção. Este ponto indica o mínimo de receita gerada pela produção para que a empresa não sofra prejuízo que também é chamado de ponto de ruptura, ponto de nivelamento, ponto crítico ou ponto de quebra.


2. Tipos de Ponto de Equilíbrio

 

                   Contábil :O ponto de equilíbrio demonstrado , em que o resultado se anula, é denominado de ponto de equilíbrio contábil, já que está baseado num lucro contábil igual a zero.

                   Isso porem não é absolutamente interessante. Qualquer empresa persegue um lucro mínimo representado pelo custo de oportunidade do investimento feito pelos acionistas, ou seja, um lucro mínimo que compense o investimento realizado. É como se atribuíssem ao capital próprio investido um ‘’juro Mínimo’’. Ao ponto que produz lucro desse valor mínimo se dá o nome de ponto de equilíbrio econômico.

                   Suponha que os acionistas de uma firma invistam $10milhoes e considerem que deveriam ter lucro anual acima $12 milhões, já que isso seria o que ganhariam (12%) se aplicassem esse valor no mercado financeiro. Logo consideram essa importância como um custo de oportunidade, um juro do capital aplicado e somente admitem a chamar de efetivo lucro ao que suplantar essa importância. Supondo custos e despesas variáveis , para essa empresa, de 80% da receita Bruta e custos e despesas fixos anuais de $35 Milhões, tem-se:

 

Ponto de equilíbrio Contábil =   $35 milhões/ano   =  $175 milhões/ano

                                                              20%

                   Isto é, neste nível a empresa tem lucro contábil nulo. Mais o ponto de equilibrio econômico atingido com lucro mínimo de $12 milhões/ano,ou seja, é necessário que a margem de contribuição total cubra os custos e despesas fiso e ainda proporcione o lucro mínimo.

                   Econômico :É a quantidade que iguala a receita total com a soma dos custos e despesas acrescidas de uma remuneração mínima (custo de oportunidade) sobre o capital investido pela empresa.

                   É o Ponto de Equilíbrio com um lucro desejado. Poderá acontecer de, no processo de elaboração orçamentária, a diretoria determine um Ponto de Equilíbrio com um lucro desejado.

Ponto de Equilíbrio Econômico:  CDFT + Lucro Mínimo

                                                                  MCu/Pu

 

Nesse intervalo não há agregação de valores. Todavia, ocorre de nem sempre os custos e despesas fixos serem desembolsáveis como é o caso das depreciações. Assim, pode ocorrer de, mesmo debaixo do ponto de equilíbrio contábil , ser possível á empresa arcar cm seus encargos que exigem desembolso. Tem-se ai o ponto de equilíbrio Financeiro.
        
Financeiro: É a quantidade que iguala a receita total com a soma de custos e despesas que representam desembolso financeiro para a empresa. Neste caso, os encargos da depreciação são exclusos por não representarem desembolso para empresa.

                   É quando dentro dos Custos Fixos, existem variações patrimoniais que não significam desembolsos para a empresa, mas que, de acordo com os Princípios Contábeis, estas variações devem figurar no resultado do exercício, sendo confrontados com as receitas, porque contribuíram para a constituição da mesma. Exemplo clássico é a depreciação.

 

Ponto de Equilíbrio  Financeiro:  CDFT – Não desembolsáveis

                                                                         MCu/Pu

                   Segundo Roberto Braga, Verifica-se o equilíbrio financeiro de uma organização, quando seus custos e despesas comparam-se com sua receita. Isto é, o ponto de equilíbrio financeiro, que pode ser verificado financeiramente e/ou em quantidade de vendas ou prestação de serviços, é o ponto inicial de seu superávit. É exatamente ao alcançar o ponto de equilíbrio que a organização começa a gerar resultados positivos em sua operação fim. O ponto de equilíbrio pode ser verificado a partir da projeção/ orçamento das premissas financeiras, isto é, receita bruta, preço médio de venda, custo variável unitário e custos fixos.

 

Bibliografia

1.    BRAGA, Roberto. Fundamentos e Técnicas de Administração Financeira. Atlas. São Paulo – 1995.

2.    NETO, Alexandre Assaf. Finanças e Valor, 3º Edição.  ATLAS

3.    FONSECA, J. S.; MARTINS, G. A.; TOLEDO, G. L. Estatística Aplicada. Atlas.

Comments