1 - Boca e Cavidade Bucal

     A boca é a primeira porção do canal alimentar, comunicando-se anteriormente com o exterior através de uma fenda limitada pelos lábios, a rima bucal, e, posteriormente com a parte bucal da faringe, através de uma região estreitada, o istmo das fauces. A cavidade está limitada, lateralmente, pelas bochechas, superiormente, pelo palato e, inferiormente, por músculos que constituem o assoalho da boca. Nesta cavidade fazem saliência as gengivas, os dentes e a língua.

1.1 - Divisão da Cavidade Bucal

  • Vestíbulo da boca - É o espaço situado entre os lábios e bochechas, externamente, e os dentes e a gengiva, internamente. O músculo bucinador forma o corpo muscular das bochechas e sobre ele há um acúmulo de tecido gorduroso, o corpo adiposo da bochecha. O ducto parotídico abre-se no vestibulo, ao nível do 2º dente molar superior. Quando os dentes estão em oclusão, o vestíbulo se comunica com a cavidade oral propriamente dita por estreita passagem entre o último molar e o ramo da mandíbula.
  • Cavidade bucal propriamente dita - Situa-se entre as arcadas dentárias e os arcos palatoglossos situados posteriormente. Seu teto é formado pelos palatos, duro e mole, enquanto que o assoalho está constituído pela língua e o sulco que a separa das gengivas, o sulco linguogengival. Neste ducto abrem-se os ductos da glândula sublingual numa elevação, a prega sublingual, enquanto que o ducto da glândula submandibular se abre no assoalho da boca, próximo ao plano mediano, anteriormente, na papila sublingual, de cada lado de uma prega mucosa, sob a língua, denominada frênulo da língua. Incluem-se no assoalho da boca estruturas musculares que servem de sustentação para a língua, entre as quais se destacam os músculos milo-hióideos que formam o chamado diafragma da boca.



1.2 - Palato

     O teto da cavidade bucal e o assoalho da cavidade nasal está constituído pelo palato e neste reconhecemos o palato duro, anterior, ósseo, e o palato mole, posterior, muscular. O palato separa a cavidade nasal da cavidade bucal.

  • Palato Duro - É formado pelos processos palatinos das maxilas e pelas lâminas horizontais do palatino. Está recoberto, superiormente, pela mucosa da cavidade nasal e, inferiormente, pelo mucoperiósteo do palato duro que contém vasos sanguíneos, nervos e glândulas palatinas, de tipo mucoso. Apresenta uma rafe (rafe significa sutura ou costura) mediana que termina anteriormente na papila incisiva. Várias pregas palatinas estão presentes e ajudam a prender o alimento contra a língua durante a mastigação.
  • Palato Mole (ou Véu Palatino) - Trata-se de uma estrutura fibromuscular móvel, fixada à margem posterior do palato duro. Sua função é obliterar o istmo faríngico na deglutição e fonação. A borda inferior, livre, do palato mole apresenta, no plano mediano, uma projeção de comprimento variável, a úvula. Lateralmente ele se continua em duas pregas denominadas arco palatoglosso e palatofaríngico, no interior dos quais estão músculos do mesmo nome. A borda posterior do palato mole e os arcos palatofaríngicos são considerados como limite do istmo faríngico que separa a nasofaringe da orofaringe. Cinco músculos fazem parte do palato mole: palatoglosso, palatofaríngico, músculo da úvula, levantador do véu palatino e tensor do véu palatino. Todos eles estão inseridos na aponeurose palatina, formada no plano mediano do palato mole por expansões tendíneas do músculo tensor do véu palatino. Existe considerável controvérsia quanto a inervação motora dos músculos do palato mole. Eles são considerados como inervados por fibras do acessório através de ramos de que se originam no plexo faríngico. Entretanto, o nervo facial, o glossofaríngico e o hipoglosso têm sido mencionados, por alguns pesquisadores, como responsáveis pela inervação de, pelo menos, alguns dos músculos do palato mole. As ações dos músculos do palato mole podem ser assim discriminadas:
               - Palatoglosso - aproximam os arcos palatoglossos, fechando a cavidade oral e isolando-a da cavidade faríngica situada posteriormente.
               - Palatofaríngico - aproximam os arcos palatofaríngicos ocluindo o istmo faríngico e, com isto, isolando a nasofaringe da orofaringe.
               Músculo da úvula - eleva a úvula.
               - Levantador do véu palatino - como o nome indica, eleva o palato mole e traciona-o posteriormente, sendo um auxiliar importante no fechamento do istmo faríngico como ocorre na deglutição e fonação.
               - Tensor do véu palatino - enrijece o palato, como ocorre no soprar. Acredita-se que ele possa abrir a tuba auditiva.


Fonte: NETTER, F. H. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.



1.3 - Língua

     É um orgão muscular revestido por mucosa e que exerce importantes funções na mastigação, na deglutição, como órgão gustativo e na articulação da palavra. Sua face superior é denominada dorso da língua. A observação da mucosa que reveste a língua permite identificar uma série de projeções, as papilas linguais, que são de vários tipos, nas maiores, facilmente identificadas e denominadas papilas valadas, localizam-se receptores gustativos. A raiz é a parte posterior, por onde se liga ao osso hióide pelos músculos hioglosso e genioglosso e pela membrana glossohióidea; à epiglote, por três pregas da mucosa; ao palato mole, pelos arcos palatoglossos, e a faringe, pelos músculos constritores superiores da faringe e pela mucosa. O ápice é a extremidade anterior, um tanto arredondada, que se apóia contra a face lingual dos dentes incisivos inferiores. A face inferior possui uma mucosa entre o soalho da boca e a língua na linha mediana que forma uma prega vertical nítida, o frênulo da língua. No dorso da língua encontramos um sulco mediano que divide a língua em metades simétricas: as papilas linguais e as glândulas mucosas e folículos linfáticos (tonsila lingual). Papilas Linguais são projeções do cório, abundantemente distribuídas nos 2/3 anteriores da língua, dando a essa região uma aspereza característica. Os tipos de papilas são: papilas valadas, fungiformes, filiformes e simples. A língua é dividida em metades por um septo fibroso mediano que se estende por todo o seu comprimento e se fixa inferiormente no osso hióide. Em cada metade há dois conjuntos de músculos, extrínsecos e intrínsecos. Os músculos extrínsecos são: genioglosso, hioglosso, condroglosso, estiloglosso e palatoglosso. Os intrínsecos são: longitudinal superior, longitudinal inferior, transverso e vertical.


Fonte: NETTER, F. H. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.


1.4 - Dentes

     São estruturas rijas, esbranquiçadas, implantadas em cavidades da maxila e da mandíbula, denominadas alvéolos dentários. Em cada dente distinguem-se três partes: raiz, implantada no alvéolo, coroa, livre, e entre elas uma zona estreitada, o colo, circundado pela gengiva. No homem adulto, há 32 dentes, sendo 8 incisivos, 4 caninos, 8 pré-molares e 12 molares. 

  • incisivos - coroa em bisel, com margem cortante e uma única raiz; estão situados anteriormente na arcada dentária.
  • caninos - coroa cônica, terminando em ponta e raiz única; localizam-se lateralmente aos incisivos.
  • pré-molares - coroa apresentando dois tubérculos e raiz única ou bífida; situam-se na região lateral da arcada dentária, posteriormente aos caninos.
  • molares - possuem coroa com 3-5 tubérculos e duas ou três raízes; são posteriores aos pré-molares.
     No homem há duas dentições: a primeira é denominada primária ('de leite'), com 20 dentes que começam a aparecer a partir dos 6 meses de idade, sendo 8 incisivos, 4 caninos e 8 molares; a segunda, denominada permanente, apresenta-se com 32 dentes, como já vimos. A substituição começa a partir dos 6 ou 7 anos de idade podendo estender-se, com variações, até os 25 anos de idade. 

     
Fonte: NETTER, F. H. Atlas de Anatomia Humana. 2ed. Porto Alegre: Artmed, 2000.
Comments