02 Tavares: Investigação preliminar ... escola estadual


INVESTIGAÇÃO PRELIMINAR DA REALIDADE: DESEMPREGO NO BAIRRO DE PETRÓPOLIS – MANAUS, AM – VERSUS FUTURO PROFISSIONAL DOS ESTUDANTES DE UMA ESCOLA ESTADUAL

 

Edika Sabrina Girão Mitozo Tavares[1]

 

RESUMO

O relato faz referência aos eventos ocorridos em dois ambientes: o primeiro é na Universidade Federal do Amazonas – UFAM – localizada no, Campus Universitário, Setor Sul, bairro do Coroado 1, Manaus, Amazonas; e o segundo é em uma Escola Estadual, no bairro de Petrópolis, Manaus, Amazonas, Brasil. O período no qual ocorreram os eventos relatados compreendeu o 1o. semestre de 2013, entre os meses de junho a setembro. Esse trabalho foi desenvolvido como parte da avaliação aplicada pelo professor da disciplina de Estágio Supervisionado 3. A experiência relata um paralelo entre a situação profissional dos moradores do bairro de Petrópolis, em Manaus, a perspectiva dos alunos em relação ao seu futuro quanto profissionais e uma a contribuição positiva que a biologia pode ter nessa perspectiva.

PALAVRAS-CHAVES: pedagogia progressiva, desemprego, mundo do trabalho, biologia.

 

ABSTRACT

The report refers to events in two environments: the first is the Federal University of Amazonas - UFAM - located in, Campus, South Sector, and neighborhood Crowned 1, Manaus, Amazonas, and the second is in a state school, in the neighborhood Petrópolis, Manaus, Amazonas, Brazil. The period in which the events took place included the first. Half of 2013, between the months of June to September. This work was developed as part of the applied Professor of Supervised 3 review.     Experience tells a parallel between the employment status of residents of Petropolis district of Manaus, the students' perspective regarding their future as professionals and the positive contribution that biology may have this perspective.

KEYWORDS: progressive education, unemployment, labor, biology.

 

1 RELATO DE EXPERIÊNCIA

O objeto deste texto é relatar a experiência vivida por mim durante o Estágio Supervisionado 3, disciplina obrigatória da grade curricular de Licenciatura em Ciências Biológicas da Universidade Federal do Amazonas - UFAM. Tudo começou com uma atividade requerida pelo professor da disciplina, que seria o ponto de partida da ideia que iríamos trabalhar durante o período. Tratou-se da leitura dos PCNs e eis o parágrafo que foi a luz inicial para mim:

Para promover um aprendizado ativo, que, especialmente em Biologia, realmente transcenda a memorização de nomes de organismos, sistemas ou processos, é importante que os conteúdos se apresentem como problemas a serem resolvidos com os alunos, como, por exemplo, aqueles envolvendo interações entre seres vivos, incluindo o ser humano, e demais elementos do ambiente (BRASIL, 2010, p 16).

A partir disso, percebi que o tema gerador do projeto de intervenção que aplicaria no Estágio Supervisionado 4 seria como tornar o ensino de Biologia significativo para os alunos. Tema gerador é o resultado do estudo da realidade associado à organização dos dados. Chamar a atenção dos alunos para as situações que acontecem no nosso dia a dia que podem ser explicadas pela biologia, pode fazer com que os assuntos sejam mais bem assimilados e fixados, uma vez que seriam os exemplos que demonstrariam as aplicações da biologia no nosso cotidiano e o uso de diferentes práticas pedagógicas é uma ferramenta fundamental nesse processo.

Segundo Luckesi (2012), existem dois grandes grupos pedagógicos: a pedagogia liberal e a progressiva. No primeiro grupo, incluem-se à pedagogia liberal tradicional, renovada progressiva, renovada não-diretiva e tecnicista. No grupo da pedagogia progressiva incluem-se a libertadora, libertária e crítico-social dos conteúdos. Após ler esse artigo durante o processo de construção do meu projeto, escolhi a tendência crítico-social dos conteúdos, pertencente ao grupo da pedagogia progressiva, para ser a tendência sobre a qual o meu projeto estaria fundamentado. Em suma, Luckesi (2012) afirma sobre essa tendência que:

Não basta que os conteúdos sejam apenas ensinados, ainda que bem ensinados, é preciso que se liguem, de forma indissociável, à sua significação humana e social (LUCKESI, 2012, p10).

O processo de construção do projeto envolveu também a realização de uma pesquisa, que utilizou o recurso da análise documental sobre o bairro onde está localizada a escola onde executarei o projeto. A intenção da atividade era recolher o maior número de informações possíveis a respeito do bairro, a fim de realizar um diagnóstico preliminar da realidade onde está inserida a escola escolhida, que no meu caso foi em uma Escola Estadual, localizada no bairro de Petrópolis, Manaus, Amazonas.

            Muitos programas sociais de intervenção são executados no bairro de Petrópolis. Associações comunitárias, partidárias, eclesiásticas, culturais e educacionais somam esforços em prol da comunidade, com reuniões eclesiásticas e para melhor idade, danças, atividades lúdicas e educativas e cursos profissionalizantes (ALTERNATIVO DE PETRÓPOLIS, 2005). Embora as atividades desses grupos não sejam vinculadas umas as outras, todas cooperam para o desenvolvimento do bairro. Dentre tantas instituições, destacam-se a Igreja de São Pedro Apóstolo, Sociedade dos Moradores do Bairro de Petrópolis, Associação Alternativo de Petrópolis e a Escola Estadual onde executei o Estágio Supervisionado 3 (ALTERNATIVO DE PETRÓPOLIS, 2005).

Em contrapartida, o ponto negativo que mais me chamou atenção nessa pesquisa de registros sobre o bairro, foi o índice alarmante de desemprego dos moradores da comunidade. O desemprego é uma situação preocupante entre os moradores do bairro de Petrópolis. Segundo uma pesquisa sócio-econômica e educacional realizada pelo Alternativo de Petrópolis – AltPet – realizada em 2005, o índice de desemprego dos moradores do bairro era alto, à época, pois de 24.145 moradores entre 18 e 49 anos, estimou-se que aproximadamente 11.070 estivessem desempregados e que mais da metade da população tivesse renda bruta familiar inferior a 2 salários mínimos (ALTERNATIVO DE PETRÓPOLIS, 2005).

            O maior problema que enfrentei foi integrar a ideia inicial de tornar o ensino de Biologia significativo, com o fator que mais me chamou atenção na realidade do bairro, que foi o desemprego. Foi quando, conversando com o professor da disciplina sobre integrar essas ideias distintas, surgiu a ideia de mostrar o alto índice de desemprego que assola os moradores do bairro e elaborar um projeto de intervenção que pudesse mudar essa realidade. Esse seria o pontapé inicial do meu projeto.

            Sem sombra de dúvida, todas as medidas executadas pelas instituições anteriormente citadas são nobres e merecem louvor, mas vale ressaltar que pouca atenção é dada ao trabalho de base com os jovens que ainda estão nas escolas. É necessário sim adotar ações que revertam esse quadro de desemprego, como a oferta de cursos profissionalizantes, porém, mais que isso, é necessário executar ações que modifiquem essa realidade antes que ela chegue a esse ponto, e isso justifica a minha iniciativa de trabalhar desde agora com os alunos da Escola Estadual a questão do desemprego.

            Portanto, gostaria de me deter à Escola Estadual, que é um dos maiores patrimônios do bairro, e onde, um trabalho estrutural deve começar. Para que o bairro mude esses índices de desemprego, é necessário realizar, além desses projetos de correção, um trabalho diretamente nas escolas, caracterizando um investimento em longo prazo, visando alcançar um público que ainda não adentrou o mundo do trabalho e isso pode ser feito com intervenções nas escolas, de maneira a alertar os jovens que ainda estudam e tem chances de se profissionalizar, do amplo leque de possibilidades profissionais que eles podem seguir. Destacando principalmente a biologia, uma vez que o bairro possui uma das maiores instituições, conhecida mundialmente, que trabalha na área biológica, o Instituto Nacional de Pesquisa da Amazônia – o INPA.

Estamos inseridos em um vasto campo de estudo, onde nunca faltam oportunidades para os que seguem essa área e, pelo contrário, é uma área que carece de profissionais capacitados, sendo necessário, na maioria das vezes, trazer pessoas de fora para desenvolver a pesquisa que nós, habitantes locais, poderíamos executar. Além disso, muitos programas são criados para o incentivo dos estudantes de Ensino Fundamental e Médio na carreira. Programas que merecem destaque nesse contexto são os Pequenos Guias do Bosque da Ciência, inserido dentro do complexo INPA, e o Programa de Iniciação Científica Júnior - ICJ, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico - CNPq. O primeiro visa aproximar os adolescentes da realidade ambiental. São jovens e adolescentes capacitados a prestar informações ao público que visita o lugar, além de acompanhá-los nas trilhas (INPA, 2009). Já o ICJ é destinado aos alunos do Ensino Médio para o desenvolvimento de projetos de educação científica por meio de concessão de cotas tanto para o bolsista quanto para a realização do projeto (CNPq).

Portanto, mais que despertar o interesse desses jovens que estão prestes a ingressar no mundo do trabalho (quando me refiro a esses jovens, falo dos que cursam ensino médio), é alertar sobre tais possibilidades àqueles que ainda adentrarão o ensino médio, os precursores, os alunos do 8o e 9o ano do ensino fundamental. Desta forma, se despertado o interesse desses jovens antes que eles iniciem o 2o ciclo, eles poderão iniciar com um olhar diferente sobre a disciplina, um olhar de grandes possibilidades, cursando a disciplina com todos os seus esforços, sabendo das possibilidades que ela pode lhes oferecer futuramente, resultando em um excelente desempenho. Por fim, o objetivo desse projeto é chamar a atenção dos alunos do oitavo ano do ensino fundamental, ascendentes ao nono ano, o leque de possibilidades que a profissão de biólogo oferece, com o intuito de despertar o interesse deles pela biologia e, quem sabe, a formação de futuros biólogos.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

É evidente que algo precisa ser feito para mudar a realidade do bairro de Petrópolis, no quesito desemprego. Buscar estratégias de remediar essa circunstância com o a oferta de cursos profissionalizantes, por exemplo. Porém, mais necessário ainda é fazer um trabalho basilar. É importante que os alunos tenham um bom desempenho nas disciplinas escolares. Para tanto, é preciso utilizar estratégias que façam com que os alunos dediquem-se às disciplinas e o meu trabalho é envolvê-los na disciplina de biologia, a qual corresponde ao meu estágio. Trilhar o caminho certo desde a escola reduz o risco do desemprego e, para isso, é preciso assegurar um bom desempenho dos alunos nas atividades escolares, o que pode ser feito através do uso de diferentes práticas pedagógicas.

Uma alternativa interessante é despertar o interesse desses jovens para as disciplinas que, em uma situação pós-escola, podem se transformar em carreiras. A integração entre alunos das escolas e alunos de universidade aproxima esses dois mundos, tornando maior o conhecimento que um tem sobre o outro. Portanto, cabe a nós, mas não somente a nós, alunos de universidade, apresentar o mundo de oportunidades que sua carreira pode apresentar.

Pois ai está o grande desafio do qual me sinto responsável: apresentar a Biologia aos alunos da Escola Estadual. Conhecer a Biologia, para o “amazônida”, é um importante elemento para a constituição de sua própria cidadania. Além do que, muitos talentos podem ser perdidos por falta de orientação. É importante chamar a atenção dos amazonenses, sobretudo no bairro do Petrópolis, para a profissão de biólogo, dada a demanda de trabalho nas instituições referidas, que, como já foi mencionado, carece urgentemente de profissionais na área, em plena Amazônia.

            No projeto a ser desenvolvido no próximo semestre, pretendo apresentar situações do cotidiano sob uma perspectiva biológica, ou seja, explicar fenômenos que nos cercam através dos conteúdos de biologia, de forma que, o que eles aprendam em sala de aula, eles saibam utilizar fora. Pretendo utilizar-me dos recursos pertinente à tendência pedagógica progressiva crítico-social dos conteúdos, de forma a despertar o interesse deles pela Biologia. E como despertar esse interesse? Ensinando os a fazer e a responder perguntas de crianças! Se tornarmos o conhecimento significativo para eles, que é a proposta lançada pelo PCN, eles aprenderão o motivo de vários acontecimentos corriqueiros que nos cercam, mas que raramente são explicados habilidosamente pelos adultos. Muitos de nós sabemos que o céu é azul, ou melhor, todos nós sabemos disso, mas poucos são os que sabem explicar o porquê. Posso citar inúmeros exemplos que retratam essa problemática, como: por que tenho olhos castanhos e não azuis? Por que o sol nasce todos os dias? Por que a chuva não inunda o mundo? Por que existe tanto bicho diferente?  Se formarmos alunos capazes de responder perguntar elementares da vida, estaremos cumprindo com o nosso papel na sociedade como professores e, sem esforço algum, juntamente, estaremos ensinando os módulos da disciplina que são propostos.


 

REFERÊNCIAS

ALTERNATIVO DE PETRÓPOLIS. Biblioteca Comunitária de Petrópolis “Socorro Chaves”. Manaus: AltPet, 2005.

CONSELHO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO CIENTÍFICO E TECNOLÓGICO – CNPq. URL: http://www.cnpq.br

LUCKESI, C. Tendências pedagógicas na prática escolar. Seminário de Tendências Pedagógicas no Brasil Profᵃ Patrícia Maneschy. [s.l.: s.n], 2012.

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISA DA AMAZÔNIA - INPA. Projeto “pequenos guias” de cara nova. Manaus: INPA, 2009. Disponível em: www.inpa.gov.br. Acessado em: 2013.

PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS. ENSINO MÉDIO – PCN. Ciências da Natureza, Matemática e suas Tecnologias. Brasília: MEC, 2000. p 15-23.



[1] Licencianda de Ciências Biológicas do Instituto de Ciências Biológicas da Universidade Federal do Amazonas. Orientada pelo professor da disciplina de Estágio Supervisionado Welton Yudi Oda. E-mail: sabrinamitozo@hotmail.com

Ċ
Saulo Seiffert,
26 de fev de 2014 13:46
Comments