ALERTA‎ > ‎

QUEM SOMOS NÓS?!

 

QUEM SOMOS NÓS ESCUTEIROS

Infelizmente, ainda  muitos nacionais ignoram o verdadeiro carácter do movimento escutista, confundindo-o com a antiga Mocidade Portuguesa (que de facto sem sucesso tentava abafar o Movimento Escutista)  ou um movimento para-militar. Os representantes da LEMO aproveitam qualquer aportunidade, escola, festa, jogos, acampamento, etc, para divulgar os princípios, métodos e técnicas de actuação escutista.  O nosso movimento foi fundado pelo Robert Baden-Powell  de modo espontâneo, após um acampamento organizado para uma dezena de jovens Britânicos pelo herói do Mafeking na Ilha de Brownsea em 1907. Desde a sua fundação, 250 milhões de crianças e adolescentes receberam uma formação escutista que em primeiro lugar concentra-se na implementação da Cultura de Paz e contribui para que o adolescente cresça rumo a uma uma cidadania responsável, participante, são, útil e feliz.
A Liga dos Escuteiros de Moçambique foi fundada no dia 6 de Novembro de 1994 na Conferência Constitutiva convocada pelos amigos do movimento escutista nacionais e estrangeiros.

 

·       Somos um movimento de crianças e jovens, com a colaboração de adultos, unidos por um compromisso livre e voluntário.

 

·       Somos um movimento de educação não formal, que completa o trabalho da família, da escola e da religião, interessado em contribuir para que o jovem assuma seu próprio desenvolvimento; interessa-nos mais a formação de atitudes do que a aquisição de conhecimentos ou habilidades especificas.

 

·       Somos um movimento que procura ter uma participação activa e positiva nas grandes questões nacionais, tais como defesa da unidade nacional e património cultural, protecção do meio ambiente, ressocialização das crianças da rua, luta contra droga, SIDA e Lepra, auto-educação dos jovens, etc. Por isso estimulamos internamente a discussão desses temas e especialmente incentivamos o desenvolvimento de projectos envolvendo essas questões.

 

OS VALORES ESCUTISTAS

 

·       Queremos o desenvolvimento do ser humano, como um todo, e de todos os seres humanos.

·       O ser humano na plenitude de sua existência. O ser humano, homem e mulher que tem oportunidade de ser voluntário, crativo e livre. O ser humano, como parte da Humanidade e em sua identidade singular, sem distinção de origem, raça, classe ou credo.

·       Incentivamos nos jovens a lealdade à Pátria, em harmonia com a promoção da Paz Mundial. Pregamos o amor à nossa terra e ao nosso povo, sem hostilidades entre as nações. Partilhamos da grande fraternidade escuteira mundial, que valoriza a cooperação interacional.

·       Cremos na família, raiz integradora da comunidade moçambicana e centro de uma civilização africana baseada no amor, na verdade e na justiça. Por isso, queremos contribuir para que o jovem cresça rumo a uma cidadania responsável, participante e útil.

 

OS PRINCÍPIOS ESCUTISTAS

 

SEMPRE PRONTOS PARA SERVIR A DEUS * HONRA* PÁTRIA

 

Deveres para com DEUS

 

Convidamos nossos membros a descobrir valores universais, aderindo a princípios e valores espirituais, vivenciando ou buscando uma filosofia que os expresse e aceitando os deveres decorrentes dessa adesão.

Nosso enfoque educativo ajuda o jovem a valorizar menos o mundo material, buscando o sentido e o valor da vida.

Para alcançar esse desenvolvimento, propomos aos jovens que assumam um código de ética pessoal, traduzido na Lei e na Promessa Escuteiras, que destacam a honra, a confiança, a lealdade, patriotismo, o serviço ao próximo, a generosidade, a alegria, a honestidade e o amor, possibilitando-lhes um reencontro permanente com a esperança.

 

HONRA: Deveres consigo mesmo

 

Pretendemos que a criança e adolescente aprendam a fazer opções, a descobrir aquilo que querem e podem conquistar. Queremos que sejam capazes de assumir responsabilidades, de formular seu projecto de vida, e lutar por ele, conscientes de sua dignidade. Queremos auxiliá-los a serem eles próprios, e a viver por sua própria conta, como agentes do seu próprio desenvolvimento. Os verdadeiros escuteiros, portadores da HONRA dum homem íntegro, são honestos, sinceros, disciplinados, responsáveis e simpáticos.

 

Deveres com a PATRIA

 

Propomos que os jovens se realizem pessoalmente por meio de uma relação de serviço ao próximo. Esta aprendizagem para a vida em sociedade educa para o bem comum, permite descobrir o sentido de vida comunitária, cultura de paz e democracia. Aquele que cresce no Escutismo é um cidadão livre, que respeita a liberdade alheia, interessado em humanizar o mundo, em construir a história e criar uma nova sociedade, participativa, inclusiva e fraterna.

Para o Escuteiro a Pátria começa no lar e família, está respeitada na escola, destacamento, cidade e província, é defendida no todo território nacional e presente em qualquer parte da nossa planeta Terra onde vivem nossos amigos.

 

OS ESCUTEIROS, TRADIÇÃO E FUTURO FRATERNO

 

A tradição e história nacionais, que conduzem à reflexão, e o ambiente fraterno, que a propicia e incentiva, são recursos educacionais amplamente explorados pelo Escutismo. Trata-se de uma reflexão motivada pela acção e que, depois realizada, retorna sob  forma de uma nova acção, aperfeiçoada e aprofundada. É só por meio dessa reflexão que as demais actividades do Programa do Progresso Escutista se traduzem em crescimento e enriquecimento pessoal.

Para o nosso Movimento, produção, criatividade e invenção, bem como a interpretação de informações disponíveis são meios de educação moderna e ao mesmo tempo adoptada a mais nobres elementos do espirito nacional.

A criança e o jovem que inventam uma solução para um problema concreto aprendem a viver. Aquele que imagina um objecto e o produz com suas próprias mãos aprende a conhecer a natureza e a reconhecer sua capacidade de transformá-la.

O jovem que vive esta experiência se liberta de uma noção fatalista de “destino” e rejeita as atitudes conformistas: descobre a tecnologia como um meio a serviço do homem e o espírito nacional como a guia na sua vida social.

   

O MÉTODO ESCUTISTA

Para alcançar o nosso Propósito, empregamos o Método Escutista, que se define como um sistema de auto-educação para a Cultura de Paz e como um Programa de Progresso e que constitui um todo integrado em que se combinam diversos elementos.

 Lei, Promessa e Compromisso de Honra do Escuteiro

 O elemento fundamental do Método Escutista é o convite aos jovens para que livremente aceitem a Lei, expressando essa aceitação por meio de uma Promessa que define os Princípios em que se baseia o Movimento Escutista. A Promessa cada vez é confirmada com o Compromisso de Honra nos rituais de passagens de uma secção para outra mais elevada ou durante tomado de posse pelos guias, brigadeiros ou preceptores.

Assim, a Lei, a Promessa e o Compromisso de Honra não só formulam princípios, mas traduzem um compromisso com um estilo de vida, com um código de etíca, livremente assumido pelo jovem perante um grupo de companheiros.

 Promessa

Tenho toda a vontade de oferecer à minha Pátria, tudo de melhor que eu tenho e sei, toda a minha força e vida, contribuir à unidade nacional e paz, ajudar aos necessitados, ser disciplinado e útil na sociedade, cumprir a Lei do Escuteiro, Deus me ajuda, SEMPRE PRONTO PARA SERVIR.

Compromisso de Honra

 Prometo pela minha, fazer o melhor possível para: cumprir meus deveres para com Deus e minha Pátria; Ajudar o próximo em toda e qualquer ocasião; e obedecer à Lei do Escuteiro.

Lei

1. O Escuteiro é verdadeiro e sua palavra é sagrada;

2. O Escuteiro é leal;

3. O Escuteiro é prestável, ajuda ao próximo e practica diariamente boas acções;

4. O Escuteiro é amigo de todos e irmão dos demais Escuteiros;

5. O Escuteiro é cortês;

6. O Escuteiro é bom para com os animais e as plantas;

7. O Escuteiro é obediente e disciplinado;

8. O Escuteiro é alegre e sorri perante as dificuldades;

9. O Escuteiro é económico e respeita o bem alheio;

10. O Escuteiro é puro no pensamento, palavras e acções.

 Aprender fazendo

 A educação pela acção é um outro componente do Método, que valoriza o aprendizado pela práctica, os hábitos de observação, educação e indução e o treinamento para a autonomia, baseado na autoconfiança, solidariedade e na iniciativa.

 

Vida em Patrulha ou Equipe

A integração a pequenos grupos (patrulhas) é o terceiro elemento-chave do Método Escutista que substancialmente contribui para implementação da Cultura de Paz.

Esses grupos de iguis aceleram a socialização, possibilitam a identificação de todos os seus membros com objectivos que lhes são próprios, permitem o profundo conhecimento de outras pessoas e facilitam a apreciação mútua, a liberdade e a espontaneidade, criando uma atmosfera privilegada para que o jovem cresça e se desenvolva. O pequeno grupo possibilita a descoberta e a aceitação progressiva de responsabilidades e prepara para o autocontrole, por meio da disciplina assumida voluntariamente, além de desenvolver a capacidade tanto para cooperar como para liderar.  

Programa de Progresso Escutista. Actividades pacíficas e variadas.

 

O Método se destina ao cumprimento de um Programa centrado  numa combinação equilibrada de actividades variadas, voltadas para os interesses e necessidades dos participantes.

Os Escuteiros membros da Liga dos Escuteiros de Moçambique tem possibilidade de realizar o Programa de Progresso Escutista em seguintes Secções:

Secção de Lobitos (7-12 anos da idade) subdividida em quatro programas adoptados de acordo com a idade das crianças (Chita, Leopardo, Leão e Lobito);

Secção Escuteiros Júniores tem Secções de Voluntários (12-14) e de Exploradores (14-16);

Secção Escuteiros Séniores tem Secção de Pioneiros (16 - 18)

Secção de Caminheiros (18-21) que ajudam aos adultos expandir escutismo e mostram caminho para verdadeiros valores ;

Secção dos Escutistas (21 – 26), jovens adultos, participantes dos cursos;

Secção de Preceptores (a partir de 26 anos de idade) tem vários graus como: Animador, Akela, Mentor, Sub-Mestre, Mestre e Arquimestre e é reservada para adultos dirigentes do Movimento Escutista, diplomados pelo Centro de Método Escutista e portadores da Insígnia de Madeira.     

Os jogos, a vida ao ar livre, em contacto com a natureza, o domínio de técnicas e habilidades úteis, a interacção com a comunidade e a participação em seu desenvolvimento, a mística e o ambiente fraterno, motivam a participação do jovem e explicam porque é tão elevado o índice de comparecimento às actividades escutistas.
 

O jogo como instrumento de educação.
O jogo e a aventura são os meios pelos quais a criança e o jovem se relacionam com a vida que os cerca. Do ponto de vista educativo, o jogo lhes permite descobrir a sua própria identidade, facilitando o conhecimento dos demais e a exploração do mundo.

 A vida ao ar livre.

 Ø  Ar livre é o meio ideal para as actividades escutistas. É na vida ao ar livre que o jovem desenvolve e equilibra seu corpo, sua saúde e suas capacidades físicas, factores essenciais para sua futura qualidade de vida.

Ø  Os desafios da natureza devolvem ao jovem seu ritmo normal e estimulam a criatividade, pouco desenvolvida em funçao da vida excessivamente oranizada das grandes cidades.

Ø  Esses mesmos desafios criam vínculos poderosos entre os membros do grupo e possibilitam a melhor compreensão da vida em sociedade.

Ø  A natureza é um ambiente em que a liberdade pode ser exercida espontaneamente e uma profunda formadora de conceitos estéticos e sentimentos pacíficos, por oferecer um sentimento natural de beleza.

Ø  A natureza também desempenha um papel relevante no desenvolvimento espiritual do jovem, não como uma forma de adoração ou como um substituto para a religião, mas como um testemunho da Criação, como uma mensagem do Criador por meio da sua obra e como um convite à participação na criação.

Ø  Esta significativa valorização à natureza, confrontada com os danos que o homem contemporâneo impõe à sua harmonia, assegura ao Escutismo a primazia entre os movimentos ecológicos; desde a sua origem, o Escutismo defende e promove a conservação da natureza, consciente de que o espaço vital da humanidade e dos organismos vivos constituem um sistema interdependente, onde o prejuízo a qualquer parte se comunica ao sistema como um todo.

 As técnicas e habilidades prácticas

A educação pela acção implica habilidades prácticas e técnicas atraentes que só podem ser dominadas pela execução. Além de permitir que o jovem adquira experiências pessoais e desenvolva sua criatividade, essa espécie de aprendizagem o leva a descobrir a realidade exterior, a conhecer suas afinidades e aptidões e o inicia em sua vocação.

 

DESENVOLVIMENTO PESSOAL PELA ORIENTAÇÃO INDIVIDUAL

A peculiaridade do Método Escutista se evidencia na forma como se considera a realidade e o ponto de vista de cada jovem, em cujas potencialidades se deposita a mais absoluta confiança.

O educador adulto (Preceptor), mantendo-se como tal, se incorpora alegremente à vida juvenil, prestando voluntariamente seu testemunho pessoal de respeito aos valores preconizados pelo Movimento e ajudando a descobrir e revelar, orientando, nunca dirigindo ou controlando.

Este estilo de presença facilita o diálogo e  cooperação entre gerações diferentes e a autoridade adulta existente como um serviço à liberdade dos jovens.

 

OS ESCUTEIROS, POLITICA E SOCIEDADE   

 Como movimento educacional, o Movimento Escutista não se envolve na disputa pelo poder político. Entretanto, os princípios em que se basea o movimento orientam as opções políticas pessoais dos nossos membros; e a formação de cidadãos responsáveis, participantes e úteis exige que estejamos atentos à realidade política.

Qual é o homem e a mulher que pretende oferecer à sociedade o Movimento Escutista que visa a Cultura de Paz e auto-educação cívica?  Desejamos que os jovens que tenham sido Escuteiros, pelo menos durante uma Secção façam o seu melhor possível para ser:

·       Um homem ou uma mulher recta de carácter, limpo de pensamento, autêntico em sua forma de agir;

·       Leal e digno de confiança;

·       Capaz de tomar suas próprias decisões;

·       Respeitador do ser humano, da vida e do trabalho honrado;

·       Simpático, alegre e capaz de partilhar sua alegria;

·       Patriótico mas sem chauvinismo e tribalismo, constructor da Paz em harmonia com todos os povos;

·       Líder ao serviço do próximo;

·       Integrado ao desenvolvimento da sociedade;

·       Capaz de dirigir, de acatar leis, de participar;

·       Consciente de seus direitos, sem se descuidar de seus deveres;

·       Forte de carácter, criativo, esperançoso, solidário, empreendedor;

·       Amante da natureza e capaz de respeitar a sua integridade;

·       Guiado por valores espirituais, comprometido com seu projecto de vida em permanente busca de valores universais e coerente em sua fé.

·       Capaz de encontrar seus próprios caminhos na sociedade e ser feliz

Comments