Contra feitiço, feitiço e meio



Autora deste fantástico livro, Eloí Elisabet Bocheco, conta-nos a história Elisa, uma bruxinha do bem que procura ajudar sua amiga, a aranha Tita, a realizar uma exposição na árvore mais frondosa da mata.

Convida-se todos os bichos para apreciarem a árvore coberta com os tapetes de finos fios de prata feitos por artes da aranha Tita. Porém, Alcina - ai que sina! - uma bruxinha que vive a transformar a graça em desgraça, entra em ação para acabar com os planos da bruxinha Elisa e da aranha Tita. 

Vendo o entusiasmo da bruxinha e da aranha Tita, Alcina azedou que nem limão e roncou que nem trovão. A partir daí realiza inúmeros feitiços para acabar com a exposição: fez a tapeçaria voar céu a fora, transformou em pedrinhas e afundou no mar e em frutas-do-conde, só para acabar com os planos das duas.

Mal sabia ela que Elisa, a bruxinha do bem, possuía um baú de guardados, e era de dentro dele que tirava alguns objetos para fazer com que seus feitiços não vingassem! 

Elisa sempre achava um jeito para que as coisas voltassem ao normal e, para isso, contava com a ajuda dos peixes, dos pássaros, das borboletas, dos grilos, enfim, de todos os animais que estavam dispostos a ajudar; aos poucos, desmanchava os feitiços de Alcina; pois contra feitiço, feitiço e meio. E fazia todos os tapetes voltarem para a árvore.

Alcina não acreditava que a bruxinha Elisa conseguia acabar com seus feitiços e ficava com inveja da exposição de Tita. Não acreditava, pois seus feitiços eram perfeitos, ninguém podia desmanchá-los. Aos poucos, ficou roxa que nem beterraba e sentou em uma pedra para pensar em um feitiço definitivo, conclusivo, a fina flor do mal, a obra-prima feitiçal, tão genial que ninguém poderia desmanchar.

Pensou tanto, tanto, mas tanto que chegou a queimar seus miolos. 

O dia clareou e ela ainda a pensar... 

Suany Neves - turma 31 A (2012)


Para saber mais:





Alquimistas do futuro -projeto e planos de aula criados por Suany Neves

Comments