Epístolas Paulinas

As cartas paulinas dividem-se quanto ao tipo em quatro grupos, ficando de fora a carta a Filemon.

O primeiro grupo é o das cartas doutrinárias: Romanos, Efésios e Tessalonicenses; o segundo grupo é o das cartas de repreensão: Coríntios e Filipenses; o terceiro grupo é o das cartas de correcção: Gálatas e  Colossenses e por último o das cartas pastorais que são: Timóteo e Tito.

Pensemos agora na ordem cronológica das epístolas: elas não estão arrumadas na Bíblia por ordem cronológica, então torna-se importante perceber quando e onde foram escritas. Muitos destes dados são aproximados, reunindo o consenso da maioria dos estudiosos.

 

Epístola

Local onde foi escrita

Ano aproximado

I Tessalonicenses

Corínto

52-53

II Tessalonicenses

Corínto

53

I Coríntios

Éfeso

57

II Coríntios

Macedónia

57

Gálatas

Corínto

57-58

Romanos

Corínto

58

Colossenses

Roma

63

Efésios

Roma

63

Filipenses

Roma

64

 

1.      Cartas às igrejas

a)      Romanos

Quanto ao autor, não existe nenhum tipo de duvidas que a carta as Romanos é uma obra prima do grande mestre Paulo. Aqui podemos apreciar toda a sua beleza como um teólogo construtivo.

Esta epístola foi escrita quando Paulo estava em casa de Gaio em Coríntio, no mês de Fevereiro de 58, tendo por destinatário os crentes de Roma. Paulo ditou, Tércio escreveu (16:22) e Febe, uma viúva rica, levou-a em mão até aos crentes em Roma (16:1,2).

A carta aos Romanos é a resposta à pergunta dos séculos “ como se justificará o homem com Deus?” (Job 9:2)

Esta carta está dividida em três partes sendo notória a progressão em toda a extensão do seu texto.

A primeira parte é doutrinária e trata como o evangelho salva o pecador, aborda o problema do pecado de forma expositiva, Cap. 1-8.

A segunda parte, é uma parte que está directamente relacionada com os judeus, apresentando o seu relacionamento com o evangelho. Cap. 9-11 A terceira parte é de caris muito prática, mostrando como o evangelho influencia a nossa forma de viver, apresentando uma aplicação muito pessoal da salvação apresentada na primeira parte à vida de cada individuo. Cap. 12-16

b)      I e II Corínitos

Corínto era no primeiro século, um importante entreposto comercial ao sul da Grécia. Corinto ficava situada no Peloponeso, no extremo ocidental do istmo. Dada a sua localização priviligeada, controlava as rotas comercias, visto que a volta marítima pelo sul do peloponeso era complicada.

Quando Paulo chegou a Corínto com o evangelho esta era a capital da província da Acaia.

A igreja era grande e não era persguida, ao contrário de igrejas noutras localidades.

Sabemos que existe pelo menos uma carta, anterior á primeira carta aos Coríntios, que o tempo se encarregou de a consumir.

Paulo escreve a primeira carta aos Coríntios porque uma delagação de líderes desta igreja, foi enviada a Éfeso para saber qual era o parecer de Paulo sobre algumas questões que haviam originado até desordens bastante grandes no seio da igreja, taus como: divisões entre os membros da igreja, imoralidade, litigios judiciais uns com os outros e formas incorrectas ao celebrarem a ceia do Senhor. Ao mesmo tempo, o apóstolo sente a necessidade de repor o correcto ensino quanto à ressurreição de Cristo. Ainda deixa um desafio a esta igreja de ajudarem monetariamente os crentes pobres de Jerusalém.

Já segunda carta, foi escrita porque Tito ao encontrar-se com Paulo, vindo de Corínto e apesar de lhe trazer notícias de grande eficácia da primeira carta, relata também que existe um grupo, empenhado em negar o seu ministério apostólico. Por isso Paulo redige uma nova epístola, tendo agora na mira uma minoria rebelde que incitava parte da igreja contra ele, fazendo uma apologia do seu próprio ministério.

c)      Gálatas

“O termo Galácia (ver Gálatas 1:2), é por si mesmo ambíguo, porque nos tempos antigos, essa palavra era usada para indicar duas regiões distuntas. Tal uso continuava ambíguo nos tempos de Paulo. Esse vocábulo poderia denotar a Galácia étnica, no centro da Ásia menor; ou podia denotar a província romana da Galácia, - de maiores dimensões geográficas. Se a epístola aos Gálatas foi enviada à Galácia Étnica, nas regiões situadas mais no extremo norte, então precisamos de supor que Paulo visitou essa região conforme os indícios existentes em Actos 16:6 e 18:23, ou pelo menos, conforme fica subentendido por uma ou por outra dessas referências bíblicas. Na realidade, entretanto , não há nenhuma evidência sólida de que o apóstolo Paulo tenha jamais visitado essa área so extremo norte, e muito menos que tenha fundado igrejas ali.  Por outro lado contamos com provas abundantes de que ele visitou a área a sul da província da Galácia, onde também estabeleceu igrejas locais, isto é, na região de Listra, Icónio, Derbe e Antioquia da Pisídia (Turquia Moderna)”[1]

Paulo escreveu esta carta um pouco antes do concílio de Jerusalém, segundo se pensa em Antioquia da Síria.

Os crentes depois de aceitarem Jesus, começarem viver numa vida cristã frutífera, voltam para trás e começam a procurar a sua própria salvação nas obras da lei. Por isso Paulo, com carácter de urgência, escreve esta carta para que os crentes da Galácia não voltassem para trás perdendo assim a sua própria salvação.

d)     Efésios

Éfeso era uma cidade de grande importância, sendo a capital da província romana da Ásia. Dada a sua localização geográfica, era constituída como ponto terminal das caravanas que chegavam da Ásia e sendo o ponto de partida para outros pontos do Mediterrâneo. Dado o seu movimento, era uma cidade oned não faltavam grandes infraestruturas e um movimento comercial invejável. Ao mesmo tempo, o culto de Diana, onde participavam inúmeras sacerdotisas prostitutas, e que atiravam todas aquelas gentes para o culto idólatra a Diana. Nesta altura em Éfeso existia uma numerosa colónia judaica em Éfeso. Hoje fica situada na Turquia Asiática. Esta é também uma carta doutrinária e que foi escrita desde a prisão em Roma.

Nos dias em que Paulo escreveu esta carta, alguns gnósticos, estavam a apresentar doutrinas que diminuíam Cristo na sua grandeza como criador e sustentador de todo o universo, sendo o mesmo Jesus inferior a outros seres, agora Paulo coloca Cristo acima de tudo capaz de tudo. Ao mesmo tempo, paulo aparece lutando contra o cisma entre uma igreja gentílica e uma judaica, apresentando-nos como um em Cristo Jesus. Já na última parte da Carta apresenta uma necessidade de vivermos uma vida de acordo com a posição que agora temos em Cristo e que o apóstolo trata logo no inicio.

2.      Cartas pessoais

Filemon

3.      Filemon é uma carta única, é um denotação do gentle man que era o apóstolo Paulo.  Uma vez que ele recebera um escravo de Filemon, de nome Onésimo, que se converteu.  Este escravo estava a fugir de seu senhor para tentar a sua sorte, de acordo com a lei romana, um escravo fugido, quando apanhado pelo seu senhor poderia ser punido como o seu senhor entendesse, inclusivamente poderia tirar-lhe a vida. Agora este homem aceita Jesus e volta para seu senhor com uma carta na mão, com apenas 334 palavras no grego, a Carta de Filemon.

4.      Cartas pastorais

As cartas pastorais que temos foram escritas aos seus primeiros destinatários para os ajudar a crescer como líderes e sobretudo como servos de Deus que têm por função apascentar o rebanho de Cristo.

a)      I e II Timóteo

Timóteo é um dos mais conhecidos líderes secundários ou adjuntos do Novo Testamento. Timóteo, apelidado por Paulo de seu cooperador, era alguém empenhado nas tarefas que lhe eram confiadas e foi também alguém a quem foram confiadas tarefas importantes, chegando a ficar mesmo como alguém que tem a tarefa de admoestar outros a não pregarem doutrinas erradas.

Na primeira carta a Timóteo, o velho apóstolo, sente necessidade de escrever a Timóteo, tendo consciência que este estava debaixo de uma carga de responsabilidade muito elevada, para o encorajar a continuar firme no seu trabalho sem vacilar na doutrina e determinado a levar a sua tarefa, de doutrinar e estruturar a igreja, atá ao fim.

Na segunda carta a Timóteo, Paulo apresenta a como que um passar de testemunho ao seu fiel cooperador, alertando-o para a necessidade de deixar a sua timidez natural, advertindo para os dias futuros complicados que se desenhavam, mantendo a sua fidelidade à lei de Deus e pregando o evangelho a outros.

b)      Tito

Tito, apesar de ter começado mais novo do que Timóteo, ao que parece era mais extrovertido, tinha uma personalidade mais forte que Timóteo e er depositário de muita confiança por parte do Apóstolo. Teve tarefas muito delicadas para resolver, às quais mostrou muita perícia e graça, para as levar a bom termo.

Tito foi deixado em Creto, para juntar alguns novos convertidos e dali fundar igrejas locais. Paulo utiliza esta carta, para lembrar Tito da autoridade de que estava investido, para que por um lado ele pudesse desmascarar ou heréticos e ensinar a sã doutrina, por outro lado pudesses estabelecer lideres que pudessem continuar esse trabalho à medida que o trabalho ia crescendo.



[1]Champlin, Vol. II, Pág. 850

Comments