Divórcio

       
       
     

O Divórcio  


  Verbete: divórcio

1. Dissolução do vínculo matrimonial, ficando os divorciados livres para contraírem novas núpcias. [Cf. desquite.]

2. Fig. Desunião, separação.

O divórcio no Brasil foi sancionado pela lei 6.515 que o regulamentou em 26 de dezembro de 1977, desde então, o divórcio se tornou legal em nosso país. Direito de requererem a dissolução de seu casamento, desde que comprovem:

  1. Estarem separados, de fato, há 5 anos antes da vigência da lei.
  2. Estarem separados judicialmente, há 1 ano`.

Essa "saída" judicial é muito cômoda para o juiz, mas é inquietante para aqueles que gostam sempre de saber "quem é o culpado" numa ação de divórcio ou para aqueles que sabem que nem tudo o que é legal é moral. A verdade é que o divórcio é um recurso legal, no Brasil, e qualquer pessoa pode recorrer a ele. A questão crucial para os cristãos é saber se devem, e, em que circunstâncias podem, se valer desse recurso.

E como os cristãos procuram pautar suas vidas pela Bíblia, nada mais lógico do que irmos à Bíblia para saber-mos o que ela diz sobre o divórcio.

Mas antes de compreender o divórcio, devemos compreender o ideal de Deus para o matrimônio. O casamento é uma relação pactual divinamente estabelecida. Não é apenas uma relação casual em que duas pessoas dizem "sim" na presença do pastor, e depois vão embora para casa.

Três razões para o casamento:

  1. Ilustrar e refletir a natureza de Deus composto de 3 pessoas. Do mesmo modo o matrimônio é uma unidade composta de três realidades: marido, mulher e filhos.
  2. Procriação. O casamento é o mecanismo através do qual as crianças devem nascer. Deus não nos dá filhos apenas para termos alguém que se pareça conosco. O propósito da geração de filhos é a multiplicação da imagem de Deus. Gn1:27,28.(pg 2)
  3. Auto-realização. Deus disse a Adão que ele precisava de uma ajudadora. É como se estivesse dizendo: "Adão você não pode sozinho fazer tudo o que eu quero que faça. Eu vou lhe dar uma ajudadora. " Eva devia trabalhar ao lado de Adão, auxiliando-o a ser aquilo que Deus queria que ele fosse, e no processo de cumprir objetivos de sua própria vida. Todo homem casado recebeu uma ajudadora com dons especiais, talentos e recursos para ajudá-lo a cumprir sua função de cabeça da família, em cumprimento à vontade de Deus.

Deus chama os laços matrimoniais de pacto. Pacto bíblico é um contrato divinamente ordenado, que determina um tipo de relacionamento.

Lamentavelmente, isso não está sendo ensinado hoje, e muita gente não sabe o que está fazendo quando se casa. Eles sabem que é mais ou menos sério, mas nem tanto.

Os pactos são estabelecidos por Deus. O matrimônio não é seu pacto, é pacto de Deus. Você deve entender isso. Sim, você participa dele, mas é um pacto de Deus, e como tal Ele estabelece regras.

Ml 2:13,14(pg1053) – O Senhor é testemunha entre ti e a mulher. A palavra testemunha significa "promotor", como uma testemunha de acusação diante do juiz. Na corte celeste, Deus está testemunhando contra os homens que estão se divorciando de suas esposas e assim rompendo o pacto que os unia.

Muita gente respeita o fato de que Deus tem algo a ver com o pacto matrimonial. É por isso que eles se casam na igreja. Quando o ministro casa alguém, ele lhe pergunta se promete fazer isso e aquilo "até que a morte vos separe, assim Deus vos ajude".

Porque o ministro invoca o nome de Deus? Porque entende que um pacto está sendo estabelecido por Deus. Pois bem, é isso que as pessoas querem ouvir. Querem que Deus aprove o casamento, mas não querem que Ele se envolva no divórcio. Elas querem que Deus abençoe o matrimônio, mas não importam com o que Deus pensa sobre o divórcio. Deus diz que o casamento é seu pacto, e que Ele é o único que pode desfazê-lo. Mt 19:5,6.(pg26)

Os dois principais motivos de divórcio hoje são a falha do homem em assumir as funções de amante e líder da família, e a falha das mulheres em priorizar a família em vez da atividade profissional.

O marido deve dirigir e amar a esposa; deve fazer tudo para ajudá-la a se tornar tudo aquilo que Deus quer que ela seja.

A mulher, por sua vez, deve reverenciar o marido, tendo-o em alta estima e reconhecendo de modo visível e verbal sua posição de cabeça da família, conforme a ordem divina.

Deus espera que o homem, antes mesmo de amar sua companheira, assuma um compromisso total para com ela. Bem no íntimo de nossas mentes e corações como marido e mulher, precisa haver um compromisso irrevogável para com o casamento.

Pactos têm conseqüências:

O divórcio não apenas termina um casamento, mas envolve a quebra de um pacto. Quando a pessoa se casa, faz um juramento. Ela promete amar, cuidar e honrar o parceiro "até que a morte os separe".

Com tal compreensão do casamento, não é de se estranhar que Deus odeie o divórcio Ml 2:16 . (pg1054)

Ensino de Jesus sobre o casamento e o divórcio.

Mt 19:3(pg26) – É lícito ao homem repudiar sua mulher por qualquer motivo?

Gn 1-24 ( pg3) : Ele conduziu os fariseus de volta às escrituras, ao início do livro de gênesis.

Portanto, o problema não é saber o que o povo diz, mas o que Deus diz.

Quando Deus criou Adão e Eva e realizou o primeiro casamento, o divórcio não fazia parte da fórmula.

Mt 19:6 (pg26) – "Assim já não são mais dois, mas uma só carne. Portanto o que Deus ajuntou, não separe o homem.

Visto que o homem não podia anular o pacto divino do casamento, Deus alteraria seu próprio pacto, em certos casos extremos. Este é um ponto importante que muita gente não percebe.

Mt 19:7-8 (pg26,27) Colocações de Jesus.

Deus nunca ordenou o divórcio. Mas por causa do pecado, Deus algumas vezes permite o divórcio. Deus nunca nos diz que devemos obter um divórcio. Mas há certas situações em que Deus permite a opção do divórcio por causa do pecado.

Portanto, a questão é saber em que circunstâncias Deus permite o divórcio?

Mt 19:9 (pg27) – A infidelidade de um dos cônjuges é o elemento que permite o divórcio. Se o indivíduo se divorciar por motivo ilegítimo e se casar com outra pessoa, comete adultério. Por que? Porque na mente de Deus você ainda esta casado com a outra pessoa de quem pensa que se divorciou.

Eu fui ao cartório perante o juiz e ele me deu um certificado de divórcio.

Portanto o que Deus ajuntou, não separe o homem. Mt 19:6b (pg26)

Como saber se um possível divórcio é biblicamente permitido?

Nenhum crente devia ir ao tribunal solicitar um divórcio antes de apresentar seu caso à igreja para verificação dos fatos e para uma decisão do caso.

Se a pessoa se divorcia sem fundamento legítimo ainda está casada com seu primeiro parceiro. Se casar de novo pela palavra do juiz terreno e não pela palavra do Supremo juiz, ela agora terá dois cônjuges vivos.

Infidelidade e Divórcio

Moisés em Lv 18: 20 (pg125) – Fala sobre o adultério, resumindo no v 29 (pg125) dizendo: Todo aquele que praticar alguma destas abominações, será eliminado de seu povo. O que significa que automaticamente seu matrimônio havia acabado.

Por que Jesus mencionou a infidelidade sexual como base para o divórcio?

Porque, de acordo com 1 Coríntios 6:15,16 (pg213), quando uma pessoa tem relação sexual com outra fora do matrimônio cria-se um pacto ilegítimo.

Mt 5:31,32 (pg6): O problema do sexo, portanto é na realidade teológico e não biológico. Ele tem a ver com o estabelecimento de um pacto. O homem então se casa com outra mulher, mas, de acordo com Mt 19:9 (pg27), ele cometeu adultério, porque aos olhos de Deus, ele ainda está casado com a primeira mulher. O fato principal é que todas as quatro partes neste cenário estão envolvidas em adultério.

É exatamente o que está acontecendo hoje, uma verdadeira confusão, porque as pessoas estão desfazendo seus pactos matrimoniais sem levar em conta a permissão de Deus.

O Ensino de Paulo sobre matrimônio e divórcio

Em 1 Co 7:3a5 10a16 (pg213) : Se houver diferenças irreconciliáveis no matrimônio e ocorrer a separação, os parceiros não devem se casar com outros. Porque ainda são casados.

A bíblia ensina que a morte quebra o pacto matrimonial. Rm 7:1a3 (pg196)

Esta medida inclui mais do que morte física. Na bíblia a morte espiritual e tão real quanto a morte física. Adão e Eva morreram no dia em que comeram o fruto proibido. Expulsos do jardim do Éden, estavam espiritualmente mortos.

O que significa morte espiritual e como ela pode matar o casamento?

No fim do capítulo 6:23 (pg212) de Romanos encontramos que o salário do pecado é a morte. O pecado produz tanto a morte física quanto a espiritual.

Ef 2:1 (pg244). Portanto quanto um homem morre, ele morre para a relação pactual, a morte espiritual para um pacto permite ligação a outro pacto.

Rm 7:4 ( pg196)

Portanto quando uma pessoa rompe o pacto com Deus é afastada da comunhão com Ele, a bíblia diz que esta pessoa está morta.

1 Co 5:1 a 5 (pg 212) - Paulo diz que entregou este homem à satanás para destruição da carne, para que o espírito seja salvo no dia do Senhor Jesus. Com relação a Deus, este homem estava morto até que se arrependesse.

1 Tm 5:8 (pg270) Deus não ordena o divórcio. Ele apenas o permite, e reconhece que crentes podem alcançar um nível mais baixo nos relacionamentos matrimoniais do que os incrédulos

Resumamos os três aspectos em que o divórcio é permitido, cada um deles envolvendo certo nível de morte espiritual:

  1. Quando um cônjuge entra num pacto ilegal cometendo adultério com outra pessoa. 1 Co 6:15 (pg213)
  2. Quando um crente é abandonado por uma não-crente. 1 Co 7:15 (pg213)
  3. Quando um crente está vivendo no reino da morte e isso já foi oficialmente reconhecido pela igreja, de tal forma que o cônjuge dessa pessoa obtém o direito a um certificado de divórcio. Rm 6:23 (pg196)

A igreja serve como tribunal divino:

Antes de ir a justiça para obter um pedaço de papel, os crentes devem submeter seu caso à igreja.

Quando a pessoa morre, não precisamos da opinião de um leigo e sim de um médico legista. Deve haver um reconhecimento oficial da morte. O legista de Deus é a igreja.

Alguém pode perguntar: Onde é que Deus diz que a igreja pode servir de tribunal para os casos de divórcios possíveis?

1 Co 6:2,3 (pg212) - A tarefa da igreja

 

 

Resumo Geral

1 Co 7:39 (pg214) – A mulher casada está ligada pela lei enquanto o seu marido vive. Mas se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, contanto que seja no Senhor.

O máximo que pode ser feito é separar-se e permanecer solteiro ou se reconciliar 1 Co 7:10 (pg213).

Deus odeia o divórcio, Ele apenas o permite quando ocorre a morte afim de preservar e proteger a parte inocente.

Portanto há 3 opções para o crente cujo cônjuge tenha sido declarado pactualmente ( espiritualmente ) morto.

  1. Perdoar e restaurar as relações com o parceiro, baseado no arrependimento e restituição de danos causados. ( Ex 21:28-31 ).
  2. Divorciar do cônjuge pactualmente morto. Esta opção permite um novo casamento ( DT 24:1, Mt 5:31-32, Rm 7:1-3
  3. Viver com o cônjuge pactualmente morto, mesmo que ele ou ela não demonstre estar arrependido. ( 1 Co 7:12-13 ).

Assim como Deus não fez, no princípio, a doença e a morte, também não instituiu o divórcio. Ele é o resultado da violação do princípio divino estabelecido. Deus não fez o casal para o divórcio, mas ele é uma realidade histórica em nossa sociedade.

Aceitamos a humanidade das pessoas em tomar decisões erradas de todos os tipos, menos no casamento. Deveríamos Ter mais disposição em aceitar a fragilidade das decisões humanas, inclusive no casamento.

O princípio divino é de que o casamento é para a vida toda. Sim, mas quando ele é realmente um casamento em que ambos os cônjuges se submetem à vontade de Deus. Casamento é de alma (é espiritual) primeiro, depois de endereço, de corpo, de coisas.

Se não houver o primeiro, o restante não caracteriza um casamento segundo a mente de Deus.

Fim

Se você era divorciado antes de ser salvo e ainda é solteiro, é livre para se casar de novo, pois a salvação lhe oferece um começo absolutamente novo .

2 Co 5:17 (pg229).

 

Comments