Testemunhos


Insira o seu testemunho sobre o POSI-E3, através de um comentário a enviar para POSI-Coordenacao@posi.ist.utl.pt, indicando: 
- nome; 
- curso; 
- função actual e empresa/organização;
- Em que é que o POSI-E3 o ajudou nas suas funções na empresa/organização.



Minha experiência no POSI!

Quando me foi lançado o desafio de participar no POSI, esperava menos do que lá encontrei!!! 

Em pouco tempo descobri que ainda tenho muito que aprender do que diz respeito aos Sistemas de Informação e Organizações!!! 

Ao longo do curso surgiram muitos desafios que cheguei ao ponto de pensar em desistir, mas o entusiamo do corpo docente, a relevância dos conteúdos leccionados, a experiência e boa disposição dos colegas de turma, permitiram ultrapassar todas as barreiras e hoje, tudo que posso dizer, é que sou uma “nova” pessoa! 

Com o POSI aprendi que uma organização deve ser tratada de forma holística, nenhuma das suas componentes deve ser “negligenciada", pois só assim é possível realizar com sucesso a transformação imposta pelo advento das tecnologias de informação e comunicação, e no final conseguir, para além de vários objetivos a “social devotion”, onde os colaboradores duma organização percepcionam a transparência da sua autoridade e responsabilidade, e têm acesso à informação necessária para a execução das suas tarefas e o número dos “Managers” deixa de ser necessariamente elevado!!! 

É um curso que vale a pena, e arrisco-me a dizer que, todos colaboradores duma organização deveriam passar por ele!!!

Elton Sixpence (POSI –17), Formação em Eng. Informática e Telecomunicações, TRANSCOM, SA, Maputo, Moçambique.

O entendimento, sistematização e colocação em prática de soluções para os principais problemas de funcionamento das organizações (modernas), nos seus múltiplos domínios, foi o objeto de estudo que nos propusemos abraçar.

Focado em como as novas tecnologias, a inovação e as novas soluções digitais podem conectar, transformar e reimaginar os negócios dos clientes, devo confessar que o resultado final desta “aventura do conhecimento” compensou cada minuto ocupado.

Quem disse que o caminho do conhecimento seria fácil? Não é! Mas que piada teria se fosse, não é?

Recomendo!

José Gomes (POSI 16), Licenciatura em Engenharia Eletrotécnica, Gestor de Produtos ICT na Portugal Telecom.

POSI - O que é isto?
"Empurrado" para o desconhecido.

Um ano passou e longo caminho foi percorrido de suor, sangue e lágrimas.

No fim, não podia ter acontecido melhor "Empurrão".
O que se ganha? Tudo. Um conjunto enorme de novas capacidades.
Quando se pretende mudar/melhorar a organização, e não se sabe como ou não se tem as armas necessárias, o POSI fornece-as todas e muitas mais.

Aumenta-nos a responsabilidade, obriga-nos a contribuir para a mudança, para transformar a organização, para melhor mais estruturada, preparada para o futuro.

Vamos lá arregaçar as mangas e colocar tudo em prática.

Paulo Soares, Bacharel em Engenharia Civil, Gestor de Clientes @ VoiceInteraction

Nesta reta final, digo com convicção que o POSI foi uma excelente opção que tomei no meu crescimento pessoal e curricular. 

O POSI superou as minhas expectativas, a componente prática do curso é intensa e trabalhosa mas faz-nos crescer como profissionais. 

O conhecimento prático, partilhado pelos docentes, garantiu uma visão prática e aplicacional dos temas.

O meu muito obrigado a Todos.

Aos futuros “Posianos”, as minhas felicidades para o novo desafio!

Bernardo Vasconcelos Hasse (POSI 16), Client Delivery Manager @ Gfi Portugal

Com o POSI aprendi a ter uma visão mais transversal dos problemas, a perceber melhor o contexto das diversas situações com as quais me deparo no dia-a-dia.

Em termos profissionais é muito enriquecedor e permite-nos abordar as questões organizacionais de uma perspetiva muito mais abrangente.


Não é fácil, exige esforço e dedicação, mas no final é uma sensação de vitória... e de que estamos mais capacitados para enfrentar os desafios que as nossas organizações nos apresentam...
A todos os que optem por enveredar nesta aventura... os meus parabéns e força... atirem-se de cabeça.

Luísa Landeiro da Silva (POSI 16), Licenciatura em Informática, diversas pós-graduações nas áreas de Gestão e Sistemas de Informação, Analista de Organização na CGD / DOQ (Direção de Organização e Qualidade)


O POSI é sem dúvida uma Pós-Graduação muito interessante,
Rica em experiências empresariais que se obtêm com grande dedicação e esforço, 
sempre com o compromisso que resulta em ter de conciliar os três aspectos basilares:
- a vida familiar;
- a vida profissional e
- a vida académica.


Atenção ás doses que se "toma" de cada um destes compromissos...

Vejo o POSI como uma mais valia, mormente na componente das Engenharias / Arquitecturas, o que me deu outra visão do negócio e da sua Gestão.

Recomendo!

Good Luck!

Luís Filipe Luz (POSI 16), formação em Informática e Gestão Estratégica, INCI,IP - Min. Economia


A motivação... “estar melhor preparado para o futuro e progressão na carreira pela combinação das práticas de gestão, engenharia e arquitectura empresarial!“
O redescobrir... “investir em educação de alto nível é fundamental para a constante evolução!”

“Na natureza nada se cria, nada se perde, tudo se transforma” (lei da conservação das massas, Antoine Lavoisier)


O que vou recordar/ O que me surpreendeu/….
“Everything is about people…”
O abraço sentido... as amizades… e o aprendizado que ficam para toda a vida! Fiquei mais “Rico” após frequentar e viver o POSI15!
“Este POSI15 é sem dúvida uma web semântica de servidores, muitos de carbono e o muro, que transaccionam entre si as sinergias dos "copos", alterando máquinas de estado que proporcionam momentos e sentimentos únicos, alterando assim o estado do Mundo!”

Ricardo Silva (POSI 15), formação em Tecnologia em Processamento de Dados e Ciências da Computação, Adidas Germany

Porra (desculpem, meninas), não percebo nada disto! 
Olha que isto até tem graça… 
Será que afinal vou conseguir fazer isto…? 
Incrível, não é que até gostei do curso e desta malta…?

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/….
Eu diria que tudo. Sou advogado, trabalho há 20 anos com leis, regulamentos, normas, e continuo a ter de chamar a minha filha, de 13 anos, para me ensinar a tirar o melhor partido dos gadgets que vou comprando, numa tentativa desesperada de me manter próximo das mais recentes tecnologias. Com este curso, fiquei, pelo menos, habilitado a não parecer um velho jarreta que não percebe nada de “computadores” e até já dou uns ‘bitaites’…

Mas se cheguei aqui, foi graças ao enorme espírito de camaradagem, à entreajuda permanente e à disponibilidade dos professores, que aliadas à troca de experiências com pessoas de outras áreas tão diferentes das minhas bem como à amizade genuína que em tão pouco tempo se construiu entre todos, farão deste curso, sem dúvida, um dos pontos mais importantes da minha curta existência (sim, porque sou um jovem!). Gostei!

Francisco Landeira (POSI 15), formação em Direito, INAC, IP

“… Façam o favor de ser FELIZES …”

Há 1 ano tive muitas dúvidas e alguma hesitação em aceitar o desafio.
Hoje…tenho muita pena de não poder voltar atrás para passar por TUDO outra vez…

Levo comigo a lembrança desta nova Família que tenho o prazer de pertencer e que me permitiu ver as coisas de várias perspectivas, tornando-me melhor e mais FORTE!!! 

O que vou recordar... 
TODOS…os Grandes e Bons Momentos…As noites mal dormidas…os Almoços Brutais…as idas ao Muro…e TODOS, mas mesmo TODOS os meus Amigos e Colegas Posianos… 
Fomos e somos uma verdadeira Equipa!!! 

Surpreendeu–me… 
A UNIÃO criada por todos nós, mesmo sendo muito diferentes, com feitios e formas de ser próprias…

Pedro Dias (POSI 15), formação em Informática de Gestão, Such

O POSI foi uma experiência única, que me permitiu olhar de outra forma para as dinâmicas das empresas e dos sistemas. Na era pós-Posi estarei habilitada a “dizer coisas” com mais propriedade! 

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/…. 
Vou recordar, com saudade, os momentos de partilha que tivemos. 
A entrega, a disponibilidade, o espirito de entreajuda e a preocupação de todos com todos. Não é comum um entrosamento tão significativo, em tão pouco tempo.

Ana Mata (POSI 15), formação em Gestão de Empresas, INAC, IP


O que vou recordar... 
A capacidade de “fazer coisas” de um grupo de pessoas empenhadas e com objetivos comuns.

Surpreendeu–me… 
Descobrir que a minha vida nunca mais será a mesma depois do POSI….. E eu gosto disso :).



Pedro Quaresma (POSI 15), formação "Diversa", Millenniumbcp

É bom olhar para trás e dizer “Compensou”...

O QUÊ? Fazer o POSI;
QUANDO? Entre abril de 2013 e abril de 2014;
ONDE? POSI/IST;
COMO? Através de muito esforço, da troca de experiencias entre colegas e pelos conteúdos programáticos;
QUEM? Eu mais 15 colegas espetaculares e professores;
PORQUÊ? Hoje tenho mais conhecimento do que tinha há um ano. Sinto mais capaz de lidar com as dificuldades que este nosso “mundo” me “oferece”.

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/…. 
Os colegas (amigo)s, a varanda com musica.. A aprendizagem partilhada. 
Surpreendeu–me a cumplicidade que se estabeleceu entre indivíduos com diferentes formações que se manifestava na disponibilidade e presença para ajudar e que permitiu compensar a ausência em jantares familiares, as recusas a convites de amigos de longa data para um jantar… Obrigado!

João Paulo Vidal (POSI 15), formação em Engenharia Informática, Portugal Telecom

Uma aventura pelo mundo do conhecimento digital e uma excelente lua de mel! 
Curso duro e trabalhoso mas compensado com as competências adquiridas na perspectiva da engenharia empresarial (sistemas, organizações e pessoas). 
Sem esquecer a partilha de experiências entre discentes, oriundos de percursos académicos e profissionais distintos.

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/….
As pessoas, os colegas, os amigos… os posistas

Pedro Silva (POSI 15), formação em Informática de Gestão, AMA, IP

POSI ... um marco! 

Uma incrível descoberta de que 'as coisas' fazem sentido interligadas, fazem parte de um todo que é nosso. 
...e 99,99% das vezes são simples! 
(e se não forem modelamos, desenhamos, esquematizamos …)


“O valor da coisas não está no tempo que elas duram, mas na intensidade com que elas acontecem. Por isso existem momentos inesquecíveis, coisas 
inexplicáveis e pessoas incomparáveis”
(Fernando Pessoa)

Lisdália Sanches (POSI 15), formação em Matemática, AMA, IP


O POSI é… 
Uma experiência única sem qualquer tipo de dúvida …e como diria alguém que conheço…VER A LUZ. 
Mas ainda estou à espera da prova que Deus existe...

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/…. 
TUDO e TODOS sem excepção, os momentos bons, os menos bons, os excepcionais, os inacreditáveis, os surreais. A amizade, o companheirismo e o apoio incondicional. 
A capacidade de “suportarmos coisas” muito para além do que achava ser possível.

Sandra Pereira (POSI 15), formação em Engenharia Física, Millenniumbcp

O POSI para mim deu-me um conjunto de seguranças para pensar “out of the box”!!!

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/….
As Pessoas!
Como é útil o cruzamento das várias valências numa equipa para produzir um resultado final.
Até os trabalhos que me pareciam impossíveis acabámos por conseguir entregar…

Aprendi a saber usar o que é bom da CLOUD, do Skype, a usar o Team viewer, o Archimate, o System Architect, o Enterprise Architect e outros bichos :).
E fiquei saber que que não precisamos de ter medo daquilo que não sabemos, apenas daquilo que achamos que já sabemos!

Sara Fonseca (POSI 15), formação em Economia, ANACOM

ARQUITECTURA EMPRESARIAL (E PESSOAL…) 
A arquitetura (do grego [arkhé] significando "principal" e τέχνη [tékhton] significando "construção") refere-se à arte ou a técnica de projetar e edificar o ambiente habitado pelo ser humano. NO QUAL SE INCLUEM AS PESSOAS E OS SISTEMAS, digo eu…

ENGENHARIA EMPRESARIAL (E PESSOAL…)
A engenharia é a ciência (…) de adquirir e de aplicar os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos na criação, aperfeiçoamento e implementação de utilidades, tais como materiais (…) aparelhossistemas ou processos, que realizem uma determinada função ou objetivo.

"O Verdadeiro Poder é o Serviço", Papa Francisco

O que vou recordar: 
- Os 2 dias por semana de intenso “Brain Wash”;
- As loooongas noites POSIanas….;
- A aventura do conhecimento;
- O espírito de Grupo POSI 15.

Bruno Silvério (POSI 15), formação em Gestão de Empresas, Banco BPI

“… A amizade é a essência da felicidade …”

O que era…. Introvertida, Solitária, Desconfiada … e Mau Feitio…
O que sou agora… Alegre, Acessível, Confiante … e Mau Feitio …
O que ganhei…. O sentido de Pertença … e mais Mau Feitio….


O que vou recordar...
A partilha... a entre-ajuda … a descoberta… a confiança… o “colo”… a excelência… os AMIGOS…

Surpreendeu –me…
A disponibilidade de cada um para superar desafios, a capacidade de motivação individual e colectiva, o espírito de grupo, a coesão existente entre pessoas tão diferentes e no entanto tão especiais….

ADOREI!!!

Nelly Santos (POSI 15), formação em Informática de Gestão, EDP


"Nada é difícil se for dividido em pequenas partes". 

(Henry Ford)









Motivação
 

Amizade
Colaboração 
Aprendizagem 
Partilha 
Diversão 
‘O Muro’
 



POSI E3 15
Conhecimento 
Sabedoria 
Experiência 
Formação 
Valores 
Criatividade 
Resistência 
Produtividade 
Segurança
 



Competitividade 

O que vou recordar/ O que me surpreendeu/….
O que vou recordar…. tudo!
O que me surpreendeu… a resistência!

O que também partilho convosco… a Amizade!
Na verdade o POSI E3 afecta também os mais pequenos….
«Papá, quando é que acaba o curso….» ;(
«Papá, quando é que podemos ir outra vez…» ;)
 Obrigado a todos


António Santos (POSI 15), formação em Engenharia Mecânica, Administração do Porto de Sines


O que vou recordar...
Vou recordar 4X4 fantásticas pessoas que me fazem achar que sou hoje uma pessoa melhor.

"Cada novo amigo que ganhamos no decorrer da vida aperfeiçoa-nos e enriquece-nos, não tanto pelo que nos dá, mas pelo que nos revela de nós mesmos.“ - Miguel Unamuno (www.citador.pt)

Surpreendeu–me…
Ser no POSI ter encontrado o que tanto procurei…

Ana Silva (POSI 15), formação em Engenharia Informática e de Computadores, Autoridade Tributária


Ao longo da vida deparamo-nos com vários tipos de desafios. No meu percurso de aprendizagem o POSI revelou-se um dos maiores. Foi um desafio marcado pela exigência, pelo rigor e pela atualidade das matérias lecionadas que me proporcionaram uma aprendizagem criteriosa e de elevada qualidade.
As componentes práticas permitiram que, mesmo durante o curso, se tivesse tornado possível aplicar a nível profissional muitas das aprendizagens adquiridas. E ainda há muito mais para aplicar, depois do adequado enquadramento.

Para além desta aprendizagem, o POSI proporcionou-me ainda a oportunidade de conhecer 26 colegas extraordinários, 26 amigos que irei guardar para sempre.

José Gorgulho (POSI 14), Força Aérea Portuguesa, Chefe da Repartição de Tecnologias da Informação da Direção de Comunicações e Sistemas de Informação.

A minha carreira profissional, na área dos sistemas de informação, iniciou-se em 2004. Desde esse momento que tenho passado por diversos projectos, desde da típica implementação de um ERP até à concepção e colocação em funcionamento de uma solução de negócio própria e dirigida as necessidades específicas e da organização onde desempenho funções.

Para além das competências adquiridas com a experiência vivida nesses projectos, a minha formação na área foi sendo realizada no ensino superior e em formações dadas por empresas da especialidade. O POSI E3 foi, pela sua qualidade, diferente de todas estas formações. No último ano tive o privilégio de ter frequentado a 1ª edição do POSI E3 e testemunho que de facto nada fica igual depois

dessa experiência. O POSI fez-me por um lado perceber o “nosso” verdadeiro papel e lugar nas organizações e, por outro, adquirir conhecimento e colocar de imediato em prática novas técnicas, metodologias e abordagens que dão consistência às funções que desempenho.

A qualidade, a exigência, a actualidade e consistência das matérias abordadas fizeram de mim um melhor profissional. Por tudo isto, o POSI é um desafio que vale a pena viver e superar! Por último, não posso deixar de referir as verdadeiras amizades que se ganham nesta aventura…

Cláudio José Pinto (POSI 13), Administração do Porto de Sines, SA, Desenvolvimento de Sistemas e Suporte.


Andei pelo  meu blogue, da altura, à procura de memórias mais completas para testemunhar a mudança de paradigma que o POSI foi para mim, mas  por detrás de todas as notas está sempre a mesma definição, parte do DNA do POSI:

 "Uma organização é uma orquestração de pessoas e máquinas, operacionalizando processos que acrescentam valor quer a nível interno, quer nas transacções com os agentes exteriores com cujas cadeias de valor está integrado."

De algum modo já tinha esta atitude ‘embrenhada’ (não fosse eu bibliotecário) mas nunca, antes, a tinha visto, cristalizada de maneira tão firme e clara; muito menos tinha estado perante um grupo de profissionais e pedagogos que se regem, no dia a dia, por este modelo.

Em termos de carreira... a minha é adaptar e implementar sistemas que viabilizam a relação entre informação e business ao mais alto nível, num contexto extremamente regulamentado e auditado...  para mim é fácil, fiz o POSI.


Júlio dos Anjos (POSI 10), ELSEVIER BV, Holanda, Pharmacovigilance Solutions Specialist. 


O POSI abriu a minha visão sobre os sistemas de informação. A minha visão assentava unicamente nos ERPs e nos processos de negócio, tendo passado a compreender outras realidades de natureza mais técnica.


 maioria dos professores do POSI são pessoas que dominam os conhecimentos teóricos e fruto das suas experiências profissionais, também conhecem a realidade empresarial.


O POSI já teve um grande impacto pois permitiu a minha evolução de Consultor Sénior para Gestor de Projeto. Após a sua conclusão também já comecei a desempenhar algumas funções de pré-venda.


A realização do POSI revelou-se uma experiência muito gratificante, embora note que tenha tido um custo muito elevado para a vida pessoal e familiar.


Gonçalo Cunha (POSI 9).


Existem sempre pequenas coisas que podem ser melhoradas, contudo globalmente achei muito positivo para mim e desejo grande sucesso para a continuação do POSI.

O POSI teve grande  impacto na empresa junto dos colegas e chefias, criou-me novas oportunidades novas funções,  tais como progressão na carreira.

Aconselho o POSI como uma oportunidade de aprendizagem e atualização em vários domínios.

Renato Vasconcellos (POSI  9).


Considero o POSI, de uma forma geral, um curso muito bem estruturado e muitissimo bom. Claro que há sempre aspectos que podem melhorar mas isso também é muito dependente dos gostos de cada um. 


Acho que para compreender o POSI é preciso ter alguma "abertura" e muita ambição, humildade para e vontade de aprender!!

 

Considero que talvez a maior componente da aprendizagem é o trabalho. Pessoalmente, por razões diferentes, gostei bastante de todas as disciplinas - mais teóricas e mais técnicas. Claro que a componente de Arquitetura Empresarial é fundamental para o curso, mas considero que todas as outras também o são.

 

Nuno Franca (POSI 9).


O POSI constituiu para minha vida profissional e pessoal um marco essencial e incontornável, pela exigência rigorosa na abordagem de conhecimentos fundamentais e inovadores, que se têm relevado na prática imprescindíveis aos novos desafios colocados nestes tempos conturbados à vida das empresas. No meu percurso profissional as funções basicamente técnicas no desenvolvimento de soluções de software de gestão entre 1988 e 1994 numa softwarehouse e, continuadas de 1995 até hoje no retalho alimentar, foram no POSI enquadradas num universo cientifico bastante mais vasto. A arquitectura das várias perspectivas no sentido de uma visão holistica das organizações, fundamentada no rigor, é conseguida no POSI pela qualidade cientifica dos docentes e em simultâneo pelas diferentes experiências profissionais e conhecimentos dos colegas de curso.


O POSI é um desafio, cada vez mais actual, que desmonta as visões simplistas, uni-dimensionais e algumas vezes pouco rigorosas para que o dia-a-dia da nossa vida profissional inconscientemente nos empurra, construindo uma nova forma de "olhar" as organizações, como realidade dinâmica, onde o alinhamento da estratégia de negócio com os processos que a concretizam e com os recursos subjacentes a esses processos devem ser entendidos numa arquitectura global estruturada por princípios e regras.


Rui Gueifão (POSI 13), Desenvolvimento de software na Insco insular Hipermercados.


É de realçar no POSI  a qualidade académica dos docentes, a exposição a uma multitude de temas sobre sistemas de informação e a maneira como eles se enquadram com o mundo empresarial real, a  comunicação entre as pessoas e expansão de horizontes, a exigência técnica e funcional.

O POSI abriu-me os olhos para a realidade do tecido empresarial e ajudou-me a saber melhor o que queria da minha vida profissional. Levou-me até a mudar de emprego.

Aconselharia o POSI como um investimento na "abertura de horizontes".


Fábio (POSI 9)


Com o aumento cada vez mais acelerado das inovações tecnológicas no mundo, a tendência de mudança dentro das empresas, e o acelerado processo de geração de conhecimento novo na “Era da Informação”, a pressão pela actualização profissional ou pela educação contínua, é cada vez maior. Com o avanço tecnológico a aumentar a eficiência, as pessoas terão de ser cada vez mais polivalentes. Consequentemente a educação continuada fará parte do plano de carreira de qualquer profissional.
A abrangência dos conteúdos transmitidos, casos de estudo muito actuais e interessantes, o profissionalismos dos docentes, o seu rigor e a respectiva experiencia, são variáveis que fazem com que esta pós-graduação seja de excelência. Recomendo-a a quem não tem receio de desafios, trabalho árduo e muito estudo, e que pretenda obter um elevado grau de conhecimento.
A minha participação nesta pós-graduação criou um marco no meu percurso académico e profissional que destaco com muito orgulho. Uma vez mais quero agradecer o todo o corpo docente e em especial ao Prof. Doutor José Tribolet a paciência que tiveram connosco, a experiencia que nos transmitiram e que nos marcou para uma vida. Obrigado.
Joaquim Batista (POSI 13).

António Silva SantosO Curso de Especialização em Engenharia Empresarial (Pós-Graduação em Sistemas de Informação do IST) ultrapassou as minhas expectativas.
Logo à partida, por não estar viciado no academismo de algumas das nossas instituições de ensino. Foram 3 semestres de aprendizagem colaborativa por uma comunidade constituída aleatoriamente e que, para minha surpresa, abarcava experiências diversificadas de profissionais oriundos de vários sectores da economia (Banca e Seguros, Utilities, Telecomunicações, Distribuição, Logística, Consultoria e Administração Pública). Os docentes, altamente qualificados, eram parte dessa comunidade partilhando com ela os seus conhecimentos.
Em segundo lugar pela visão holística que nos dá da dinâmica de uma organização e do seu Sistema de Informação, refrescando o nosso quadro mental frequentemente viciado nos factores tecnológicos e habilitando-nos com novos paradigmas de reflexão e de tomada de decisão face a problemas complexos.
Finalmente, pelo extenso know-how que a generalidade dos participantes, mesmos os de maior vivência profissional, tem oportunidade de adquirir, cobrindo várias disciplinas de gestão e técnicas, nomeadamente de Estratégia Empresarial, Arquitectura de Sistemas, Modelação de Dados e de Processos e Gestão de Projectos e Programas.
Pelo que recomendo o POSI a todos os meus amigos, ex-colaboradores e conhecidos.
António Silva Santos (POSI 13), Fundador da CaseEdinfor, Owner da Single Star Consulting.

A minha participação no POSI foi bastante enriquecedora tanto a nível pessoal como profissional. A nível pessoal conheci pessoas interessantes, fiz novas amizades e senti-me desafiada nas diferentes tarefas que me foram apresentadas ao longo do curso. A nível profissional tive oportunidade de alargar horizontes, de pensar a empresa de uma forma mais integral e de diferentes perspetivas. Apesar da vertente inicialmente técnica do POSI, cada ano se tem dado mais ênfase à visão global da empresa em oposição à micro-visão característica das tarefas mais técnicas. Não foi fácil, pois o nível de exigência é elevado, mas considero que valeu a pena.
Sandra Alcaria (POSI 12).

O POSI contribui para mudarmos a forma como vemos o mundo e prepara as pessoas para assumirem a responsabilidade pela liderança dos grandes esforços de adaptação e transformação das organizações.

Alberto (POSI 12).

A minha opção pelo POSIE3 foi tomada com elevadas expectativas, não só em função dos conteúdos programáticos e da excelência do corpo docente, como também pelas referências que dele tinha compiladas a partir do meu círculo de contatos profissional e pessoal.

Foi com ponderação que encarei a decisão por esta pós-graduação pois as referências que dela obtive apontavam para a necessidade de uma grande entrega à exigência e dinâmica da familiarização com um vasto conjunto de matérias e competências antevendo, deste modo, a necessidade de uma eficaz gestão do tempo em conciliação com as minhas exigências profissionais, igualmente absorventes.

Considerei também a minha convicção, potenciada pela conjuntura de incerteza atual, de que é um fator crítico de sucesso a necessidade da permanente qualificação em instrumentos de conhecimento e experiências, pois cada vez mais estas contribuem para a diferenciação e sucesso das organizações.

É com regozijo que hoje observo que tomei uma das minhas decisões mais acertadas, no momento mais apropriado. No POSIE3 encontrei qualidade e atualidade numa vasta e completa gama de saberes, numa profícua união de teoria com prática, culminando numa mais-valia pessoal e profissional excecionalmente enriquecedora. O fomentar da partilha de experiências de diferentes realidades profissionais quer com professores quer com colegas e sempre no respeito pela experiência de cada um, considero ter sido a peça final e determinante que me permitiu a absorção de uma Aptidão a que recorro avidamente no meu contributo para o sucesso da minha organização.

Carlos Marques

O Curso de Especialização em Engenharia Empresarial (Pós-Graduação em Sistemas de Informação do IST) foi uma experiência gratificante, que me permitiu enquadrar a prática da minha experiência profissional na teoria. Para além da tecnologia "pura e dura", há escolhas e decisões que só ganham em ser tomadas a partir de uma reflexão mais informada e holistica, o que foi proporcionado neste curso pela conjugação de várias disciplinas da área técnica e da área de gestão.


Posso afirmar que me foi possível alargar o meu know-how profissional a partir de disciplinas como  Arquitectura Empresarial, Gestão de Projectos ou Estratégia e Sistemas de Informação.

Para além disso, o ambiente de aprendizagem foi colaborativo e integrou experiências diversificadas de pessoas de vários sectores, a par da de docentes altamente qualificados, o que foi igualmente um factor muito positivo deste curso.

Gil Cota (POSI 11).


A excelência e singularidade desta pós-graduação confere uma actualização e aprofundamento de conhecimentos a vários níveis, tais como, sistemas de informação, processos de negócio, organizações e governação.


O corpo docente é exigente, possui alto nível de conhecimentos e está integrado na realidade empresarial, razão pela qual o curso não é meramente académico.


É um curso bem desenhado, orientado a pessoas com mente aberta e alto nível de abstração sendo, por isso, frequentado por profissionais dos mais variados sectores de actividade.


A sua realização tem um custo elevado para a familia, na medida em que é muito trabalhoso obrigando a uma dedicação total, no entanto é uma experiência enriquecedora onde se criam relacionamentos profissionais e abrem portas para novas oportunidades.

 

Gil Vieira (POSI 12), Chefe da equipa de Infraestruturas Tecnológicas, Agência para a Modernização Administrativa.


Participar no POSI foi uma experiência enriquecedora, tanto a nível pessoal como profissional.

 

Considero o POSI uma excelente ferramenta para a transposição do conhecimento académico à realidade das empresas em Portugal.


Carlos Alberto Bianchini Ramos (POSI 11), EDP - Energias de Portugal, S.A., DSI - Direcção de Sistemas de Informação.


Joao TedimCompramos uma casa na Trafaria.


É um edifício de 2 pisos, do início do século XX onde planeamos montar uma oferta que ajude a fazer renascer a estância balnear que a Rainha Dona Amélia visitava com orgulho no início do século XX.

 

A Trafaria é um lugar surpreendente (como é aliás surpreendente também o destino que agora lhe pretendem dar). É uma vila pequena que se estende desde o rio Tejo desenhando uma malha de ruas estreitas e casas baixas até um centro cívico onde ainda se encontra a igreja, o mercado e, sob a poeira dos dias, o casino, a casa de fados onde cantava Amália quando na margem sul, a grande central de transbordo terrestre, a fábrica de transformação.

 

Aprendemos a Trafaria depois da praia, em São João (milagre tardio mas óbvio), nos almoços ainda matutinos a que o sol nos obriga à procura de sombra e recobro de muitos banhos com os nossos filhos.

 

Aprendemos a Trafaria e aprendemos as pessoas. E elas aprenderam-nos a nós, conheceram-nos, e aos miúdos. E com esse favor que nos fizeram deram-nos o conforto de podermos dar aos nossos filhos, pequenos, a espaços, quando lá, a liberdade de quando as ruas eram só nossas e das nossas brincadeiras.

 

Estamos agora a aprender a Trafaria das coletividades e das escolas, das pessoas da terra e dos que não sendo da terra partilham connosco o privilégio desta adoção, das festas, da padroeira, das ameijoas ainda a respingar água salgada do alguidar, das esplanadas improvisadas entre duas ruas, dos embarcados e dos que ficam, do tempo que passa de forma diferente quando estamos entre amigos.

 

Até à Trafaria há um percurso que, desde Lisboa, nos permite atravessar o Tejo de barco.

Para mim, desde 2009, há um outro percurso. Esse meu. E no tempo.

 

Antes de 2009, fui empresário durante 10 anos.

É incrível o que se aprende e desaprende enquanto empresário.

Posso orgulhar-me de ter desaprendido na exata medida do que aprendi.

 

Em 2009 a minha ignorância era tão grande como a segurança que sentia na minha sabedoria.

E foi a plena consciência disso que tornou muito claro que teria que voltar à escola muito antes de tentar voltar ao mercado de trabalho. Foi o que fiz ao inscrever-me no POSI.

 

Aprendi que havia uma disciplina chamada engenharia empresarial e outra chamada arquitetura empresarial, fui obrigado a revisitar o essencial da gestão de projetos de uma forma muito assertiva e sistemática, reaprendi a olhar para as empresas, os empreendedores e os seus projetos (portanto para mim também), interiorizei com profundidade os conceitos de processo e ontologia mas, mais do que isto, fui obrigado à análise e à autocrítica e vi-me deitar por terra preconceitos que limitavam o âmbito e impacto do que poderia ser a minha intervenção enquanto profissional.

 

Ao mesmo tempo que posso dizer que aprendi pouco posso dizer que reaprendi tudo.

E não sem sofrimento.

 

O final do POSI levou-me naturalmente de volta ao mercado de trabalho.

Atualmente trabalho na Microsoft Portugal numa função cujas exigências, estou totalmente seguro, não estariam ao meu alcance antes do POSI.

 

Há coisas que não aprendemos sozinhos, por muita experiência que tenhamos …

E para aprender essas coisas, precisamos de mais do que programas, prémios e certificações de qualidade. Precisamos de pessoas que sejam capazes de embarcar numa viagem de transformação connosco, guiando-nos.

 

No POSI encontrei essas pessoas. 

 

A Trafaria é um sítio extraordinário (apesar do destino que agora lhe pretendem dar).

Tal como eu, apesar do destino que me queriam dar.

 

João Tedim (POSI 11), Microsoft Portugal


A ideia de frequentar o POSI surgiu para mim como um desafio e garanto que foi um dos maiores desafios da minha vida até à data.

Para todos  os profissionais que respiram entre os dois mundos, do negócio e tecnologia, esta é a ferramenta. É uma oportunidade única de

observar e agir na nossa realidade profissional em duas perspetivas simultaneamente.

A preocupação dos professores em transmitir conhecimento aplicado à realidade é nota dominante, e muito proveitosa para quem está a absorver tanta informação.

A estrutura deste curso é uma pedrada no charco à abordagem tradicional, aqui pomos as mãos na massa J, aprendemos a fazer e fazemos mesmo!

 

Já passaram 10 anos e são muitos os ensinamentos que continuam presentes no meu dia-a-dia, é um curso que continuo a aconselhar a quem pretenda ter uma visão global da realidade empresarial.


Diogo Garrido  (POSI 3)


O POSI foi para mim uma experiência muito enriquecedora quer a nível pessoal quer profissional. Vou de seguida elencar alguns dos pontos que, passados 4 anos, tenho mais presentes:  

 

1. Disponibiliza aos seus alunos um conteúdo curricular actual e abrangente que cobre diferentes domínios que são essenciais a quem trabalha em TI nos dias de hoje, desde os bites e bytes até à governação em TI;

 

2. O POSI é leccionado por e para pessoas com experiência de aprender fazendo em diferentes áreas académicas e profissionais, o que significa uma oportunidade de partilhar experiências, conhecimento e pontos de vista diferentes;

 

3. Apresenta uma perspectiva muito "hands-on" que permite maximizar o potencial de conhecimento adquirido através do trabalho realizado;

 

4. Conhecem-se pessoas muito capazes e aprende-se a orquestrar a tecnologia, as pessoas (e respectivo conhecimento), os processos (quer pessoais quer profissionais) e a informação disponível de forma a entregar com sucesso todos os trabalhos semanais atribuídos (e nada sabe melhor do que a satisfação de resolver às 2h da manhã aquele problema difícil com muita camaradagem e com, pelo meio, uma bifana e dois dedos de conversa).

  

Jorge Silva (POSI 10)


Em 2006 abracei uma das melhores experiências da minha vida tanto a nível pessoal como profissional/académico.


Com a ajuda do POSI foi-me dado a conhecer uma nova perspetiva de organização, em que a ambição e o raciocínio passaram a ser os meus pilares na criação de valor, de uma forma metódica e focada.


Com esta experiência "descobri" que a lógica nem sempre nos é apresentada de forma explicita.


Devemos abordar os desafios com sentido crítico, e com uma perspetiva o mais abrangente possível, que englobe todo o ecossistema em que me insiro.


Com o POSI vivi uma nova cultura, uma nova vida.


Fiz novos amigos e ainda hoje falo com muitos deles.


Melhorei o meu nível de conhecimento empresarial e tornei-me mais assertivo, principalmente porque perdi "o medo" e a "vergonha" de tentar e errar :)


Agradeço à equipa do POSI que me prestou a máxima atenção e garantiu todas as condições para viver uma experiência única.

Continuem assim!


Hugo Rodrigues (POSI 8), PT Prime, Coordenador - Cloud Services e Segurança


O POSI é uma Pós-Graduação de qualidade, com os níveis de exigência e excelência a que o Instituto Superior Técnico nos tem habituado ao longo da sua história. O POSI propocionou-me uma atualização a nível dos SI e das TI, de Arquiteturas Empresariais, Processos Empresariais, e permitiu-me ganhar o mindset de Chief-Information-Officer, necessário a uma gestão de alto-nível de Sistemas de Informação em Organizações de grande dimensão. Recomendo a todos os gestores de SIs e TIs.


Ricardo Perdigão (POSI 10), MEO - DOP - Direcção de Operação, Manutenção e Supervisão de Plataformas de Serviços

Julio Cesar RibeiroÉ sobretudo um espaço privilegiado de onde podemos contemplar a lógica das Organizações na qual estamos inseridos e fazer reflexões críticas fortemente sustentadas por uma base teórica muito útil e que, arrisco-me a dizer, é pouco conhecida e praticada, o que per si  faz do curso um diferencial. 
Abordando os Sistemas de Informação de forma estruturada e como peça central de qualquer Organização moderna, a experiência no POSI ajudou-me muito a estruturar pensamentos e a maneira de atuar como gestor dentro da Organização a que pertenço.
Júlio César Ribeiro (POSI 13)

Joao MatiasDecidi inscrever-me no POSI para desenvolver as minhas competências de gestão de organizações sustentada em Sistemas de Informação. Encontrei no POSI muito mais do que isso. Encontrei uma visão das organizações refrescante e muito pragmática. Encontrei novas formas de enfrentar os desafios e de olhar para o mundo que me rodeia. 
Encontrei um grupo de trabalho (professores e alunos) que sustentou o desenvolvimento de muitas competências pessoais (para além das competencias técnicas) que muito me têm ajudado no meu dia-a-dia pessoal e profissional. 
Sou hoje mais observador e mais atento. Sou hoje mais assertivo e com um espirito crítico mais apurado.

João Matias, (POSI 13)

A elevada qualidade, e unicidade, do programa do POSI-E3, aliadas com a sua extremamente exigente execução, proporcionaram-me aquirir um vasto conhecimento sobre as Organizações, abordadas durante o curso através de uma visão sistémica, que permitem-me atualmente exercer as minhas (novas) responsabilidades, relacionadas com a função de Controlo Interno, com maior consciência e  segurança. 

Mais, o POSI-E3 ofereceu-me as bases necessárias para a continuação do estudo e investigação nas diversas áreas lecionadas, caso assim o deseje, e a preparação necessária para enfrentar um conjunto de desafios nos próximos bons anos a nível profissional. Neste sentido, só posso agradecer a existência do POSI-E3 e a possibilidade de tê-lo frequentado.

É de referir ainda que os sempre bons momentos do POSI-E3 foram possíveis graças aos excelentes companheiros de turma, docentes e equipa do secretariado, que tive oportunidade de conhecer. 

José António Costa (POSI 14), Gestor de Controlo Interno; Sogrupo SI, Grupo Caixa Geral de Depósitos 

Trabalhei durante 11 anos numa instituição da administração pública portuguesa, num caminho que onde vão surgindo um conjunto de eventos organizacionais, peças soltas de um puzzle, para ao fim deste tempo, após o POSI-E3, identificar a necessidade de uma Engª empresarial assente numa arquitetura empresarial e num modelo ontológico para responder aos desafios atuais, resultando no melhor alinhamento dos interesses de todos dentro das organizações e nas melhores oportunidades de concretização da trajetória das organizações.

Mas o verdadeiro objetivo do POSIE3 é aprender, perceber e conhecer como os “servidores de carbono” funcionam e conseguir, a partir da experiência do professor Tribolet, replicar esta experiência de aprendizagem. Neste contexto, existe uma necessidade crescente de profissionais com uma visão holística sobre as organizações, reconhecendo as competências e as experiencias adquiridas durante o POSI-E3 como forma de acrescentar valor em matérias que impactam na performance e na estratégia das organizações. Acredito que o POSI-E3 é um verdadeiro trunfo para os alunos, mas acima de tudo traduz valor acrescentado para as organizações e para os seus ativos.

João Elvas (POSI 13), eSPap Ex: IGFSS

O POSI é Pós-Graduação especialmente vocacionada para a vertente da gestão empresarial, com especial ênfase no alinhamento das novas tecnologias com a visão e missão das organizações. Através da forma única como são leccionadas as cadeiras, o aluno é provocado e procura, em todos os momentos, enquadrar a sua organização nos paradigmas e modelos empresariais estudados, sempre através de casos de estudo reais de organizações e ancorado na perspectiva de rentabilização dos processos de negócio da organização. Impressiona pela clareza com que o aluno percepciona o que pode e deve ser melhorado na sua organização. Os conteúdos curriculares permitem ainda compreender e impulsionar de forma decisiva a atitude do aluno perante os processos internos das organizações onde se encontram, refinando posturas assumidas em projetos e grupos de trabalho.

É de facto reveladora a possibilidade dada pelo POSI de compreender estas áreas de conhecimento numa perspectiva de alinhamento da organização com os seus SI, não se limitando unicamente à apresentação das tecnologias e melhores práticas do mercado. Especialmente marcante é a envolvência de toda a formação num paradigma que nem sempre é compreendido por grande parte das organizações, em especial pelos seus departamentos tecnológicos: Os Sistemas de Informação das organizações são em grande parte a agregação do conjunto do saber e conhecimento interno dessa organização, e apenas acreditando nesse facto devem e podem ser desenhados e implementados, correndo o risco, caso o não façam, de o investimento humano e financeiro feito nessa área não devolver a rentabilidade esperada.

Rogério Raposo

No decurso de uma carreira em tecnologias de informação, é frequente depararmos com alguns obstáculos ou dificuldades, maiores ou menores, mas que por vezes são difíceis de contornar para chegar a bom porto.
Como funcionário do estado, e no decurso da minha carreira profissional foram várias a ocasiões em que me deparei com tais dificuldades ao longo dos anos. 
Acredito que é nesses momentos temos que recorrer a todas as ferramentas ao nosso dispor para superar os problemas, e encontrar as melhores soluções que nos permitam resolve-los.
A minha visão do que é o POSI assenta sobre isso mesmo. Recebi nesta pós-graduação um toolkit de metodologias e uma forma diferente de encarar os problemas que me tem sido fundamental no desenrolar da minha vida profissional.
Nas palavras do poeta, "eu sou do tamanho do que vejo" (Alberto Caeiro). Estou certo que o POSI me fez crescer, como pessoa e como profissional de TI.

Jorge Sousa (POSI 10)

Considero que devo dar o meu testemunho porque sendo formado em Organização e Gestão de Empresas e possuindo uma formação superior na área financeira, poderá ser útil para colegas neste domínio do conhecimento perceber porque razão escolhi esta Pós-Graduação no IST; como é que aguentei durante 12 meses sem desistir e que beneficio obtive para a minha função na empresa e organização onde trabalho.
 
A função de CFO nos tempos de hoje exige uma proximidade muito grande da tecnologia, não só como utilizador mas também pelo lado das necessidades de investimento neste dominio.
 
Decidir bem exige informação in the right time and in the right moment.  Uma arquitetura de informação bem definida é hoje variável crítica em qualquer negócio. Tanto ou mais que qualquer outro investimento em recursos matriais e humanos na empresa pois contribui de forma fundamental para a defesa da sustentabilidade a médio longo prazo.
 
Da análise do programa do curso, da Instituição que o organiza e da experiência e composição do corpo docente, não restavam dúvidas que estava no sito certo para reforçar o meu conhecimento neste domínio.
 
Mas havia um óbice ... vivia e trabalhava no Algarve :(
 
Felizmente foi-me dito logo q a distância não seria obstáculo (hesitei ... mas acreditei);
 
Questionei ainda o problema dos trabalhos de grupo com colegas, mas foi-me reiterado que não me preocupasse pois essa era a parte interessante. Iria partilhar conhecimento multidisciplinar (hesitei... mas acreditei).
 
Posso confirmar agora que os 12 meses foram trabalhosos efectivamente, mas de um espirito de grupo e camaradagem formidáveis !
 
Os dias tornaram-se mais longos e as noites mais curtas, mas de uma entrega do grupo contagiosa e fabulosas.
 
O resultado final para mim foi quadruplo: Aprendizagem, Camaradagem, Consolidação de conhecimento e a percepção de uma área de conhecimento para mim nova - a Engenharia Empresarial -  que completa e reforça a formação em Organização e Gestão de Empresas.
 
O Professor Tribolet utilizou a expressão de "Escola de Sagres" e eu considero-a adequada, pois todos já tínhamos algum conhecimento, mas ao terminar saímos com perspectivas bem mais integradas dos conceitos e sua real aplicação nas organizações.  Ou seja capazes de "navegar ou ajudar a fazê-lo nas nossas organizações por mares nunca antes navegados".
 
Rui Orega Mendonça -ArChiM8 19 (POSI 14), CFO - Aviludo

A inscrição na pós-Graduação em Sistemas de Informação foi algo que me ocorreu, alguns anos antes da inscrição efetiva, na perspetiva de aprofundar a dimensão tecnológica do meu conhecimento, indo ao encontro da minha formação de base. A frequência no 12º POSI, veio contrapor as minhas ideias e preconceitos iniciais sobre este curso, uma vez que me trouxe novas dimensões de reflexão para além da componente, hoje posso afirmar, puramente tecnológica.

Os sistemas de Informação no século XXI serão verdadeiramente diferentes e seguramente deixarão de ser olhados e tratados como ilhas, para passarem a comportar-se como sistemas heterogéneos interligados, com vida, com capacidade para utilizar ou consumir informação quando e como entenderem, tirando partido da agilidade e do comportamento humano, vivendo claramente integrados em comunidades, de forma análoga ao fenómeno sentido nos últimos anos das redes sociais.

Esta nova visão de introdução do comportamento humano, muda claramente o paradigma dos sistemas controlarem os processos para os processos controlarem os sistemas. Acresce ainda que, o POSI introduz não só novas visões sobre os Sistemas de Informação como adiciona de forma vincada as componentes da organização e da gestão.

Em conclusão este curso ajudou-me a compreender os novos desafios dos Sistemas e Tecnologias de Sistemas de Informação do Século XXI.”

Carlos Mariano (POSI 12), Diretor de Desenvolvimento Empresarial na AQUASIS – Sistemas de Informação S.A.


Começo por dizer que depois do POSI “nada mais fica como dantes”. Quem venha a frequentar o POSI deve preparar-se para ver a sua mente ser “desconstruída”. Será reconstruída com toda a certeza. Com muito suor e lágrimas (pois o caso não é para sangue)!
Mas pode ter a certeza que ultrapassar este desafio será um marco importante e inolvidável quer do ponto de vista pessoal quer do ponto de vista profissional.

Tive o prazer e o privilégio de participar na 1.ª edição do POSI-E3. Devo dizer que foi uma das experiências mais gratificantes que vivi.
Pelo muito que aprendi. Pelo Amigos que ficaram. Pelos novos horizontes que se abriram.
Utilizando uma metáfora, o POSI permitiu-me perceber que “existe vida” para além da casa das máquinas nos porta-aviões chamados Organizações.

Uma palavra para os docentes. A sua qualidade, os seus conhecimentos e disponibilidade tornam esta experiência ainda mais enriquecedora.

Se estão prontos para “dar o litro” e aprenderem a sério e valorizarem-se pessoal e profissionalmente num ambiente ao mesmo tempo descontraído mas muito rigoroso então está na hora de embarcarem nesta aventura.
Tenho a certeza que, no final, irão olhar para trás e perceber que cresceram como profissionais e como pessoas.

Luís Castro e Silva (1.ª edição do POSI-E3 - POSI 13), Coordenador do Núcleo de Administração de Sistemas na eSPap (Entidade de Serviços Partilhados da Administração Pública)




"Vais fazer o POSI? Chii, coitado!
Não há impossíveis! Para a frente é que é o caminho..."

O POSI deu-me a conhecer a realidade organizacional atual e entendo que me vai ajudar na orientação da minha vida profissional. Uma nova abertura de horizontes!

Vou recordar...
"Coisas Tipo" Archimate, System Architect, Enterprise Architect,
Levantar cedo aos sábados... mas reunir-me com um grupo extraordinário,
As pausas para café, os almoços na tasquinha,
Sem duvida os Amigos!

Surpreendeu-me...
O fomentar da partilha de experiências de diferentes realidades profissionais tanto com professores como entre colegas e sempre com respeito pela experiência de cada um,
O espírito de grupo para motivar e superar, a entreajuda, o companheirismo

Carlos Grifo (POSI 15), formação em Arquitetura, SPORTINVESTE