Oração pessoal

Método de oração


Existem inúmeros métodos de oração. Estes têm sua originalidade e de vem nos ajudar a entrar numa relação pessoal com Deus. Eles são uma graça do Espírito e uma disposição da pessoa. Portanto, cada método de oração quer ser uma ajuda e não uma limitação da ação de Deus em nossa vida.


Segue um método simples e que pode ser aplicado em todos os momentos de nossas orações.


Preparação
1) Preparar a oração, escolhendo o texto a ser rezado; lê-lo atentamente; deixá-lo falar; motivando-se interiormente na generosidade e na docilidade.


2) Escolher o local onde vai rezar (capela, quarto, jardim...) tendo em vista o maior fruto. O lugar pode ser de grande ajuda ou também de distração.


3) Determine quanto tempo você vai dar para o momento da oração (l hora, 45 minutos, 30 minutos...), para não cair na tentação e na armadilha de querer encurtá-la por causa de distrações, resistências, aridez... quem disse que uma oração meio seca, árida, sem muito fogo... não é uma boa oração?

 

Início
1) Tome uma posição tranqüila, distendida, em sintonia com o tema da ora ção e a própria situação interior ou física no momento.


2) Tome consciência da presença amorosa de Deus em sua vida. Deus está sempre presente em nossa vida. A oração é um momento privilegiado de nós nos fazermos presentes àquele que sempre está presente.


3) Invoque as luzes do Espírito Santo. Peça sempre o Dom da oração: "Se nhor, ensine-me a rezar no hoje da minha vida". E que "todas as minhas palavras, pensamentos, ações, desejos... sejam ordenados segundo os desejos e a vontade de Deus".


4) Pedir ao Senhor uma graça: aquilo que você deseja ou precisa. Você pro vavelmente sabe qual a graça que mais precisa! Ou, qual a graça que quero pedir a partir do texto bíblico lido. É importante pedir esta graça com humildade e com perseverança.


Durante
1) Leia lenta e atentamente o texto bíblico (ou outro). Deixe o texto falar.


2) O que o texto diz? Tente conhecer e situar o texto: o que acontece, quais os personagens, o que fazem e o que não fazem, quem fala com quem, o que dizem. Qual o ensinamento, a mensagem central do texto?


3) Deixe o Espírito rezar em você e através de você. Entregue-se e confie-se totalmente ao Senhor. Faça um momento de silêncio interior lembrando o que leu...
4) Detenha-se na palavra ou frase que fale a você mais fortemente. Sabo reie-as e tire o sentido para sua vida.


5) Qual a relação deste texto com a sua vida? O que este texto confirma, questiona, dinamiza... em sua vida e em sua missão? Que apelos pro voca?


6) Alargar a visão. Ligue o texto com outros textos bíblicos de que você se lembra.


7) Oração: o que o texto lhe faz dizer a Deus? Fique em presença de Deus e converse com Ele como um amigo fala ao seu melhor amigo. Agradeça, louve, peça, silencie...
8) Formule um compromisso de vida a partir daquilo que rezaste.


9) Um colóquio final: Termine bem seu encontro com o Senhor. Faça unia oração de síntese de tudo o que você rezou e refletiu. Faça um colóquio amigo cheio de afeto.

Após
1) Formule uma frase ou palavra para repeti-la durante o dia. Trata-se de algo para continuar fazendo a memória viva daquilo que Deus lhe reve lou durante a oração.


2) Revisão da oração. Anotar num caderno o que ficou da oração: como foi a oração? O que ajudou e prejudicou durante este momento de encontro com o Senhor? Que sentimentos experimentei? Que descobertas foram importantes? Qual a frase ou palavra que mais me tocou e por quê? Como quero continuar minha vida de oração? Que outros meios podem me ajudar a rezar melhor?


Considerações gerais sobre a oração
a) A preparação da oração pode ser feita de várias maneiras:
• Preparar-se a si mesmo: tranqüilizar-se, relaxar-se... sentir o corpo, pôr uma música de fundo, contemplar uma paisagem ou quadro, sentir as batidas do coração, sentir a própria respiração... a temperatura nas mãos, no rosto... Ou caminhando por alguns instantes, tomando consciência do
que vai fazer; ler uma poesia ou um salmo ou outra oração... O impor tante é acalmar-se e preparar-se interior c exteriormente para este mo mento importante com o Senhor da vida. Tome consciência de que é o Senhor que o espera. Faça-se conscientemente presente àquele que sem pre está presente em sua vida.
• Preparação do material necessário para a oração: aqui trata-se de recolher o material sobre o qual você vai rezar: texto bíblico, outros textos, atividades de um fim de semana... Escolher um lugar e uma posição que mais ajudem a bem rezar.
• Preparação mais imediata a partir de uma oração preparatória que situe toda a sua vida, sua fé, suas atividades... como, por exemplo: Senhor, que todas as minhas intenções, pensamentos, ações, palavras, gestos... sejam ordenados unicamente para o serviço e louvor de vós. Afaste de mim Indo o que não for segundo a vossa vontade.


b) A oração propriamente dita. Estando num lugar e numa posição em que se sinta bem, ler com calma o texto preparado para a oração. Lê-lo com calma, escutar o que o texto diz, afirma, denuncia... Colocar sua vida na vida da Pa lavra.

Coloque-se no lugar dos personagens do texto, acolha suas atitudes, acolha os questionamentos que eles lhe provocam... Fique com o Senhor: agradeça, peça luz, peça perdão, louve, silencie, fale, pergunte, desabafe, chore, descubra o sabor e o sentido de cada palavra e de cada frase.

Coloque sua vida no texto e deixe que as palavras do Senhor plasmem a sua maneira de viver. O que as palavras falam em sua vida? Qual a relação destas pala vras com a sua vida de trabalho, na família, nos estudos, na afetividade, nas relações sociais... no todo de sua vida? Quando tiver uma frase ou palavra que lhe falem, não tenha pressa em continuar.

O mais importante não é o muito ler ou o muito saber, mas o saborear internamente a riqueza da Pala vra do Senhor. É muito importante terminar bem uma oração. A esta oração final podemos chamar de colóquio, isto é, uma oração conclusiva feita com afeto e atenção. Neste colóquio se retoma tudo o que foi significativo du rante a oração.


c) O exame da oração. Este terceiro passo é tão importante como os dois ante riores. Trata-se de anotar tudo o que foi significativo na oração: frases que mais tocaram, descobertas, resistências, medos, sonos, distrações... mo ções: o que lhe deu consolação e o que lhe deu desolação? Este exame da oração pode ser o objeto da conversa com o seu orientador espiritual. Atra vés dos pontos comuns nas orações é possível perceber por onde Deus vai guiando a pessoa. O exame da oração favorece o discernimento, isto é, sen tir e perceber por onde Deus vai conduzindo os seus filhos.

 

 Créditos: www.pjestigmatina.com

Comments