Distribuição de papéis

O que mais importa para desenvolver as capacidades de um membro de um grupo, a comunicação, a participação, e, por isso, lideranças, não é a variedade de técnicas. Se o clima no grupo continuar sendo de dominação, se o comando per manece somente com  coordenador, as técnicas servirão apenas para disfarçar e, por isto mesmo, para reforçar tal dominação.


Para que os membros do grupo cresçam e para que o grupo, como um todo, cresça, deve haver distribuição e rodízio de lideranças.


Segundo RAMOS “A criação de papéis fixos e estereótipos de comportamento (o professor, o pai, o chefe, o dono, etc) realizam difusamente a ideologia autoritária”. Segundo o mes mo autor a escola e a família são duas agências que mais per sonificam o autoritarismo, desempenhando função básica na sua perpetuação em outras instituições da sociedade.


Se o que se almeja é realmente a promoção das pessoas, o discurso autoritário deve ser desfeito. O desempenho de pa péis é um exercício neste sentido.
É preciso ter coragem e eliminar medos tolos: o medo de que o coordenador perca sua influência; de que os “encontros” sejam sacrificados; de que a reunião vire bagunça. O autoritarismo é insegurança dos medrosos. E os medos são muitos. Como os fantasmas. Mas somem logo, onde brilha a luz da inteligência, do diálogo, do respeito recíproco, da con fiança.


É preciso querer bem às pessoas e confiar nelas. Então não se quererá nunca mais dominá-las.


Alguns papéis que podem ser úteis ou necessários para o bom andamento de uma sessão:
1) Coordenador ou Animador.
2) Expositor  (explicitador,   conferencista,   professor,   propo nente).
3) Secretário.
4) Cronometrista.
5) Recepcionista'.
6) Avaliador.

 

LIDERANÇAS SETORIAIS
O desempenho dos papéis pode obedecer às várias neces sidades do grupo, relacionando-se com os seguintes setores:
1) Organização — (animador; secretário; cronometrista);
2) Clima grupal — (recepcionista; coordenador; recreador; sensibilizador);
3) Assuntos — (expositor; painelista; questionadores; sinte-tizador cartazista; atualizador; repórteres; pesquisadores; entre-vistadores);
4) avaliação — (avaliador das lideranças; avaliador do clima grupai; dinâmica de grupo);
5) Material — (muralista; cartazista; desenhista; sensibili zador);
6) Pessoas — (coordenador; aniversarista; espiritualizador; biógrafo);
7) Comunicação — (estilista; analista da comunicação; co municador; desobstruidor de canais, etc.);
8) Pode-se criar papéis ligados aos objetivos, conteúdos, ati-vidades ou técnicas específicas da disciplina, da aula ou da reunião.

 

É interessante que os grupos criem novos papéis, segundo suas necessidades e objetivos. A criatividade neste campo estará a serviço de novas formas de participação. A distribui ção de liderança, através do desempenho de papéis no grupo, é uma estratégia para promover o desenvolvimento de poten-cialidades e o clima de comunicação e interação grupai.

 

COMO DISTRIBUIR OS PAPÉIS NO GRUPO
As modalidades podem variar, segundo o nível de desenvol vimento e integração do grupo. Algumas sugestões:
1) Sorteio dos papéis.
2) Escolha livre, no início do encontro.
3) Escolha livre, de um encontro para outro, a fim de pla nejar.
4) Eleição do coordenador ou animador; este estabelece contatos e negocia, fora da sessão, a distribuição de papéis para a sessão seguinte, formando o “seu ministério”. Planeja com o mesmo a sessão seguinte.
5) A distribuição pode valer para uma ou duas sessões ou então para um período maior; uma semana, quinze dias ou um mês, conforme a duração do grupo.
6) Num curso ou treinamento breve, é bom variar de encontro para encontro.
7) A descrição dos papéis em fichas pode ser útil, ao menos nas primeiras vezes.
8) Além dos papéis distribuídos, evidente que o clima de participação proporciona o surgimento e desempenho de outros.
09) Certos papéis podem ser desempenhados em cada encontro; outros, uma vez por dia ou por semana; alguns são desempenhados durante os encontros do grupo; outros, fora dele, como muralista, cartazista, repórteres, etc.
10) Para certos papéis, como o de avaliador, podem ser confeccionadas e distribuídas fichas, com roteiro (itens) para anotar as observações.

 

SORTEIO DE PAPÉIS
Nas primeiras sessões os papéis podem ser descritos em fichas, para serem sorteados. Eis algumas sugestões:
1) Observe, durante o encontro de hoje, o nível de integra ção do grupo, nos vários momentos. Anote. No fim apresente suas observações, bem como suas sugestões. Obrigado.
2) Quando surgir algum termo desconhecido ou difícil, lance alguma pergunta ao professor ou ao grupo, para provocar uma busca de esclarecimentos. Obrigado.
3) Destaque alguns méritos dos membros do grupo, com ex pressões de apoio, de reconhecimento, de estímulo. Obrigado.
4) Anote uma ou duas qualidades que observou em cada membro do grupo. Obrigado.
5) Se surgir algum obstáculo à comunicação no grupo, tente alguma solução para o mesmo. Obrigado.
6) Questione o professor, ou mesmo os colegas, se suas colocações não forem suficientemente claras. Agradecido.
7) Descubra e sugira alguma aplicação prática das idéias ou experiências mais interessantes de hoje. Obrigado.
8) Observe, durante o encontro de hoje, 3 pessoas que exer cem influência acentuada no grupo. Anote suas observações. No fim poderá referir. Obrigado.
9) Procure, com suas intervenções, estimular a participação de todos os membros do grupo, criando clima para todos se sentirem à vontade, especialmente os mais retraídos. Obrigado pela colaboração.
10) Observe quais os momentos de cansaço ou tensão no grupo. Faça alguma intervenção (brincadeira, piada, toque de bom humor), ou proponha uma rápida atividade recreativa (pou cos minutos, na própria sala de aula), para melhorar o clima. Grato.
11) Se surgir algum obstáculo na comunicação do grupo, tente alguma solução para o mesmo. Obrigado. 
 12) Procure intervir, oferecendo exemplos práticos para as l idéias  mais  difíceis que forem aparecendo. Se alguém apresentar, reforce, apóie, ou acrescente outros. Obrigado.
13) Formule algumas conclusões, a partir do que foi dis cutido ou das experiências feitas. Depois poderá propô-las ao grupo. Obrigado.
14) Anote uma ou duas qualidades que observou em cada membro do grupo. Obrigado.
15) Observe as principais formas de comunicação usadas. Anote. No fim relate. Obrigado.
16) Observe o nível de integração do grupo nos vários mo mentos. Anote. No fim apresente suas observações e suges tões. Obrigado.
17) Acompanhe todos os momentos do encontro, redigindo uma ata ou relatório resumido do mesmo. Obrigado.
18) Questione o professor, ou mesmo, os colegas, se suas colocações não forem suficientemente claras. Obrigado.
19) Descubra e sugira alguma aplicação prática das idéias ou experiências mais interessantes de hoje. Obrigado.
20) Terminado um exercício cansativo, organize, ou propo nha que alguém organize uma brincadeira para descansar. Se alguém o fizer, apóie. Obrigado.
Alguns papéis, como os n.°s 2, 6, 12, 15, 18 e 19, podem ser distribuídos a várias pessoas, para dinamizar mais o grupo.

 

OUTRAS SUGESTÕES
1) Poderia, por favor, preocupar-se dos problemas de co municação no grupo, tomando iniciativas e sugerindo soluções para as dificuldades que surgirem? Agradecido.
2) O clima, a atmosfera de bem-estar, é importante para um encontro como o nosso. Que tal você se preocupar disso? Sua criatividade pode fazê-lo o “Recepcionista” do encontro. Agradecido.
3) Convém que conste, por escrito, um relatório sintético, de nossos trabalhos. Você não poderia prestar-nos este ser viço? Secretariando a sessão? Na seguinte pode fazer rodízio com outro colega. Obrigado pela disponibilidade.
4) O tempo é uma das maiores riquezas de que dispomos. Mas, infelizmente, em geral é mal administrado. Hoje isto não pode acontecer. Você não poderia ocupar-se disso, distribuin do o tempo, avisando, controlando o horário, etc.? A função de cronometrista é importante para o bom andamento das ses sões. Agradecido.
5) O trabalho bem avaliado tem mais resultado. Você não poderia fazer, no fim da sessão, uma breve avaliação da mes ma, dando sugestões para a seguinte? Muito obrigado.
6) A sociedade em que vivemos está super especializada em censurar as pessoas. Poucos sabem descobrir as quali dades. Que tal você desempenhar este papel hoje, no grupo? No fim de cada sessão (ou durante) pode conferir condeco rações simbólicas para os aspectos em que os membros do grupo se distinguem. Desde já, nosso reconhecimento por este serviço prestado ao crescimento das pessoas.
7) O bom humor ajuda muito a comunicação entre as pes soas, e favorece os resultados no trabalho. Quando a turma já estiver cansada, não seria interessante propor um momento de distensão e recreação (uma piada, uma brincadeira, etc.)? Deixamos a seu cargo. Legal? Bom sucesso.
8) A boa comunicação é fundamental para o relacionamento e para um trabalho frutuoso. Que tal se você se preocupasse com os problemas que surgirem neste setor, tomando inicia tivas e sugerindo soluções? Vai ser de muito proveito para todos.

 

Fonte: ANDREOLA, Balduíno A. Dinâmica de Grupo: jogo da vida e didático do futuro. São Paulo: Vozes, 2003. [pp. 27-32]

Comments