Dinamizando Grupos

ESTRATÉGIAS PARA DINAMIZAR A EVANGELIZAÇÃO DE JOVENS


01. Poesia 
Pode-se tirar muito proveito da poesia para trabalhar em nossos grupos de jovens. A literatura brasileira é muito rica e encontramos nela um excelente material para pensar e refletir. A poesia fala de vários assuntos, trazendo ao nosso pensamento aquilo que todos já sabemos, mas que não tivemos oportunidade de dizê-lo. Ou, nas palavras do poeta, Rubem Alves: “O poeta é aquele que entre mil coisas que nos atrapalham, sabe ver o essencial e chama-lo pelo nome”. A atitude contemplativa que nasce da experiência poética enriquece nossa vida ao sabor.

 

02. Letra de Música 
 Encontramos ainda no eclético cancioneiro nacional  muitas letras que podem ser usadas para motivar a discussão em torno de determinados temas. Lógico que cabe uma análise anterior e uma pesquisa do próprio gosto musical do grupo. Mais 02 exemplos: "Caçador de Mim", de Milton Nascimento se prestaria a uma boa discussão inicial sobre auto-conhecimento e algumas letras dos grupos Paralamas do Sucesso ou Titãs servem às discussões de temas sociais.

 

03. Reproduções de Pinturas 
Material pouco ou quase nunca usado como recurso na evangelização. Quadros de extrema beleza e sentido de diversas escolas, serviriam para motivar a aula. Exemplos: a tela "Guernica" de Picasso, que retrata todo o horror da guerra serviria a um bom exercício de reflexão em torno da temática e a obra (todo ou parte) "A Criação" de Michelângelo ofereceria rico material para se discutir a "visão" do homem sobre Deus.

 

04. Notícias ou Reportagens de Jornal ou Revista
Este é dos mais férteis e atuais recursos que poderemos utilizar nos estudos com nossos grupos. Atenção para a escolha da matéria e sua relação com o tema e possibilidade de exploração à luz da Doutrina Cristã. Não precisamos de exemplos, mas apenas lembrar que revistas como a SUPERINTERESSANTE e jornais como a FOLHA DE SÃO PAULO possuem muitas matérias aproveitáveis.

 

05. Filmes ou Documentários cristãos ou não

Outro farto material que, se bem selecionado poderá auxiliar bastante o evangelizador a "prender" a atenção da galera. Muitos temas podem ser tratados a partir de filmes. O cinema nacional se enriqueceu muitos nos últimos tempos. Mas os filmes estrangeiros podem igualmente serem utilizados. É preciso apenas adequar o título e a problemática tratada à luz da nossa realidade.

06. Manipulação de Jogos com fins Específicos 
 Neste caso nos referimos à possibilidade de uso de alguns jogos que estão à venda em lojas para uso recreativo da criançada ou do público em geral. A depender da técnica ou da dinâmica a ser empregada podemos fazer uso de alguns jogos. Exemplos: os jogos de montar tipo "Lego" podem ser utilizados na construção de representações" dos jovens sobre essa ou aquela palavra ou idéia. O jogo "TORREMOTO" da Estrela já foi por nós e outros companheiros utilizado para criar "um clima" de discussão em torno da responsabilidade e livre-arbítrio. É exercitar o "olhar pedagógico" para descobrir os recursos ao nosso redor.
Grupo de Atividades Baseadas na Construção e Expressão do Conhecimento:

 

07. Jornais Falados 
Esta atividade pode acontecer ao final de um tema ou unidade visando fixar a aprendizagem e oportunizar a expressão dos jovens. É necessário permitir a criatividade estimulando o grupo a criar um modo original de apresentar o jornal à turma e desencorajar as "cópias" do que já existe na mídia. É imprescindível dar ao grupo tempo e condições de produção para nos encantarmos com o produto que os jovens podem criar.

 

08. Criação de Textos 
 A expressão é etapa fundamental na construção do conhecimento. Textos ao estilo jornalístico, literatura de cordel, histórias, poesias, comentários ou qualquer outro estilo podem expressar as idéias, valores, dúvidas ou preocupações dos jovens. Os textos criados podem ser apresentados à turma e rechearem os murais, jornais escritos, etc.

 

09. Jornais, Boletins, Jornais Murais, Livros Artesanais... 
 O jovem gosta e precisa exteriorizar o seu pensamento. Estimular a produção é uma etapa do processo de construção e expressão do conhecimento. O produto escrito é importante veículo de fixação da aprendizagem além de auxiliar o jovem a expor de forma correta o seu pensamento que passa a ser conhecido pelo grupo que pode assim se posicionar diante dos conceitos e idéias expostos e participar de forma integrada na confecção desses materiais. O próprio processo de criação/ confecção permite um nível bem mais profundo de integração do grupo.

 

10. Organização e Apresentação de Estudo
  Esta é uma das mais ricas atividades que podemos desenvolver nas juventudes. Cabe ao evangelizador selecionar um "bom" tema, fornecer bibliografia adequada, apoiar e dar "aquela força" ao grupo ou ao jovem que apresentará o resultado de seu estudo.

 

11. Pesquisa Orientada
Segue-se a linha de trabalho do item anterior. Destacamos, com fins de esclarecimento, que a pesquisa envolve sempre uma questão norteadora, uma pergunta que precisa ser respondida ainda que parcialmente. O evangelizador deverá conhecer bem as fontes que indicará para evitar problemas no transcorrer do processo de pesquisa. Não esquecer que o resultado da pesquisa deve ser socializado.

 

08. Projetos
Aqui o evangelizador dispõe de uma atividade com amplas possibilidades de exploração tanto no aspecto do estudo como da integração. O tema do projeto pode envolver uma pesquisa, um estudo, uma atividade que se quer desenvolver. Exemplos: montagem de uma biblioteca da sala; construção de uma maquete mostrando as viagens de Paulo; Importa recordar que todo projeto pressupõe um planejamento que de conter justificativa, objetivos, estratégias ou ações, responsáveis, recursos, cronograma e avaliação.

 

10. Criação de Vídeo 
 Essa atividade pode ser utilizada em grupos onde haja disponibilidade de equipamento. Definido o tema e objetivo, torna-se necessário estabelecer um roteiro e... mãos à obra. Pessoas interessadas ou que dominem um pouco dessa área podem auxiliar tanto nas indicações das "filmagens" quanto na edição. Óbvio que não se pretende algo profissional, mas estimular a criação do jovem.

 

11. Cirando do Livro
Escolhe-se um livro que possa ser lido por todos. Semana após semana o livro anda de mão em mão até que todos o tenham lido. Marca-se um grande debate, momento em que, colher-se-a o fruto das conquistas de cada um.

 

13. Biblioteca Comentada 
Atividade derivada da Biblioteca da Sala. Os livros contidos na Biblioteca são "distribuídos" pelos voluntários que a cada semana, quinzena ou mês "apresentam" o material lido de forma bastante sintética.

 

14- Grupo de Atividades Integração
Por serem conhecidas e bastante utilizadas nos grupos de jovens as atividades abaixo, apenas as indicamos, sem comentá-las.
-Visitas: a outros grupos de jovens, hospitais, creches, etc.
-Participação em Eventos: através dos grupos de canto, dramatizações, equipes de recepções, etc.
-Torneios esportivos com vistas à criação de ambiente social e integrador.
-Passeios confraternativos previamente planejados em clima cooperativo..
-Integração nas atividades do movimento espírita: encontros, oficinas, etc.
-Aniversariantes do mês, bimestre ou trimestre.
-Agenda, contendo nomes e telefones dos integrantes do grupo.
-Participação em Campanhas tais como: arrecadação de livros, objetos e roupas usados, limpeza do prédio, evangelho no lar, etc.
-Participação em atividades promocionais realizadas pela instituição, tais como: chá beneficente, almoço fraterno, sorvetada, etc.
-Festival ou encontro de artes onde os jovens realizariam suas "performances".
-Feira cultural onde os jovens apresentariam seus trabalhos com base nos estudos realizados, semelhantemente às feiras de ciências das escolas.

 

15- Serviço de estado maior
Um pequeno grupo assessora uma pessoa que dever um tomar uma decisão.

 

16- Gincanas
 Atividades por demais conhecidas e que podem ser voltadas para o conteúdo, arrecadação de materiais ou cumprimento de certas tarefas.

 

17- Jogos Cooperativos 
 Modalidade diferenciada dos jogos recreativos por enfocar sempre a cooperação entre os membros para atendimento das regras. Em treinamentos recentes tivemos contato com alguns desses jogos. Há pouca bibliografia mas podemos desenvolver nossa criatividade.

 

18- História de Vida 
 Esta atividade objetiva conhecer melhor os integrantes do grupo e consiste numa entrevista breve dirigida a um voluntário que responde as perguntas. Só há uma regra: não se pode constranger o entrevistado com perguntas indiscretas.

19- Entrevista Simulada 
 Neste caso um ou mais jovens "interpretam" um personagem respondendo as questões apresentadas que constam de um texto previamente elaborado. Temas como: Moisés, Os apóstolos, personalidades famosas ou inusitadas podem ser explorados dessa forma.

 

20- Brainstorming (chuva de idéias)
Exposição rápida de idéias, sem criticas.
Um grupo se reúne em sessão de brainstorming para buscar idéias ou soluções novas, ou seja, quando for necessário usar a imaginação. O trabalho do grupo consiste em produzir o maior numero possível sobre um determinado problema. Pode também colocar uma palavra no quadro negro, por exemplo, “esperança”, e cada elemento do grupo, de modo ordenado, vai dizendo todas as palavras que lhe vêem à mente, sem qualquer tipo de censura. Em seguida, essas palavras podem ser associadas, apagadas, sublinhadas, contestadas, criticadas.... e outros mil usos segundo o objetivo e momento do grupo.

 

21- Mural
Cada grupo escreve, desenha, prega recortes, etc. em cartolina, papel, cortiça ou no quadro-negro.

 

22- Comissão
Um número reduzido de pessoas estuda um tema para apresentar conclusões ao grupo que representa.

23- Conferência
Exposição de meia hora ou mais, diante de um grupo, com conversação simultânea ou posterior.

 

24- Debate dirigido
Um grupo reduzido trata informalmente de um tema, com a presença de um “moderado” oficial.

 

25- Debate público
Duas pessoas capacitadas conversam diante de um auditório que depois intervém sobre um ponto previsto.

 

26- Entrevista coletiva
Um especialista é interrogado diante do grupo, por seus membros.

 

27- Estudo de um caso
O grupo estuda, analítica e exaustivamente, um caso em todos os seus detalhes, para tirar conclusões.

 

28- Foto palavra
Apresenta-se fotos e slides diversos; cada um escolhe um ou vários inicialmente. Em seguida, explica o motivo da sua escolha. No final, pode-se fazer uma boa escolha em comum.

 

30- Happening
O grupo recorre a todos os meios de expressão que quiser, combinados, simultâ-neos, progressivos, para expressar uma idéia, uma série de idéias ou sentimentos... Por exemplo: luz e sombra, voz em offpoesias, slides, encenações, quadros-murais,  mímica, etc.

 

31- Mesa redonda
Um grupo de especialistas, que sustentam pontos de vista divergentes, expõe um tema diante de um auditório que intervém posteriormente.

 

32- Pequeno grupo de discussão
Um pequeno grupo reduzido trata informalmente um tema, com um coordenador eleito entre os membros.

 

33- Phillips 6/6
Um grupo grande se divide em subgrupos de seis pessoas para discutir, durante seis minutos um tema e chegar a uma conclusão. A partir das informações de todos os subgrupos extrai imediatamente a conclusão geral. Essa conduta pode repetir-se sucessivamente.

 

34- Role-playing (encenação, dramatização)
Duas ou mais pessoas representam uma situação, assumindo os papéis do caso que se propõe, e, depois, estuda-se o caso conforme as reações suscitadas pelo grupo.

 

35- Seminário
Um grupo reduzido explora um tema em sessões planejadas, recorrendo a fontes originais de informação.

 

36- Técnica do cochicho
Denomina-se também a técnica dos “diálogos simultâneos”, ou seja, em um grupo, os membros dialogam simultaneamente, de dois em dois, para discutir um tema ou um problema do momento. O animador anota o que vai ser dito.


Créditos: www.pjestigmatina.com

Comments