6 E depois?

E depois?

Mas o que significa exactamente o Pico do Petróleo? Sobretudo vai imediatamente implicar uma subida do preço de todas os produtos e actividades que dependem deste líquido precioso. Depois ou se encontram substitutos, ou essas coisas irão lentamente desaparecer. O grande problema é que o Petróleo está presente em quase tudo na vida moderna. Veja-se o que está em causa:

Transportes

A palavra petróleo faz imdiatamente vir à ideia os combustíveis usados nos automóveis, a gasolina e o gasóleo. E faz sentido, pois este é o sector de actividade que mais petróleo consome. Então o que vai acontecer quando estes combustíveis se tornarem inacessíveis ao consumidor comum? O petróleo neste aspecto é virtualmente insubstituível, por ser um líquido e por ter uma relação massa/energia fabulosa. Os automóveis a longo prazo (segundo a Volkswagen, daqui por cerca de 50 anos) poderão usar electricidade ou hidrogénio, mas existirão fontes de energia suficientes para os gerar?
Se alguma vez for for viável, esta solução implicará substituição completa da frota automóvel existente, um investimento de proporções gigantescas.
Os motores de explosão interna têm uma grande vantagem, em teoria basta receberem um gás inflamável para funcionarem, podendo por isso usar gás natural ou etanol (com algumas modificações simples). Estas poderão ser as soluções a curto prazo, mas nunca produzirão as quantidades de combustíveis que hoje o mundo consome. O gás natural também terá um pico (cerca de 10 anos após o do petróleo), e a subida do preço do petróleo também aumentára o do gás. Quanto ao etanol, o principal problema é que área terrestre disponível para o cultivo não produzirá combustível suficiente para as necessidades actuais sem entrar em concorrência com a agricultura. O etanol pode também ser uma faca de dois gumes, pois em alguns casos o seu processo de produção parece consmir mais energia que a que produz. No Brasil é bem conhecido o etanol da cana de açúcar, sendo este um caso sustentável em que actualmente o equivalente a um barril de petróleo custa apenas 25 $. Por outro lado o etanol produzido a partir de milho nos E.U.A. não parece ser sustentável, apesar da subida do preço do petróleo continua a necessitar de subsídios, o que pode indicar que é consumida mais energia na sua produção que aquela contida no produto final.

Como poderão milhões de pessoas por todo a globo continuar a usar um automóvel individual diariamente?

Outros sectores dos transportes sofrerão os mesmos problemas. A indústria naval por exemplo, se bem que neste caso o recurso a velas modernas pode ajudar bastante. O grande problema é mesmo com a indústria aeronáutica, o fuel para os motores a jacto (mais conhecido pelo signo inglês jet-fuel) não tem substituto à vista devido às suas características de estabilidade e uniformidade.

Quanto custará um vôo trans-antlântico depois do Pico do Petróleo?

Que futuro espera a aeronáutica?

Electricidade

Infelizmente cerca de três quartos da Electricidade consumida no mundo são produzidos a partir de combustíveis fóssies, Petróleo, Gás e Carvão. Com o aproximar do Pico do Petróleo a geração de electricidade vai ter que depender cada vez mais do Carvão e do Gás. Além de uma subida do preço da electricidade, tal pode também levar a um aumento da poluição atmosférica.

Como se poderá manter o crescimento mundial de produção energia electrica?

As fontes de energia renováveis podem ajudar mas estão ainda num estado embrionário. Apesar da Natureza nos fornecer quantidades titânicas de energia nas ondas, nas marés e nas correntes marítimas, para podermos usufruir delas agora o investimento deveria ter começado à cerca de 30 anos. A energia éolica é neste momento a mais amadurecida, mas ainda tem alguns anos de desenvolvimento pela frente.
Quanto à enregia nuclear continua a ser um grande ponto de interrogação. O urânio é um recurso muito escasso no nosso planeta para poder vir a ter um papel determinante nas nossas necessidade energéticas. Quanto às centrais de plutónio (chamdas em inglês de Fast-Breathers) depois de 50 anos de fracassos voltaram à ordem do dia, só o tempo dirá até que ponto podem ajudar.

Plásticos e outros derivados

Esta é uma das facetas mais esquecidas do Petróleo. A indústria petro-química está em quase todos os produtos que consumimos, além dos plásticos, o calçado, a roupa, os electrodomésticos, os químicos domésticos (ceras, detergentes, etc.), os perfumes, e muito mais.
A indústria da construcção civil também deve muito à petro-química, nalguns tipos de cimento, mas sobretudo no alcatrão.
Quem também deve muito ao petróleo é a indústria farmacêutica.

Pode a reciclagem atenuar o impacto do Pico de Petróleo nestas indústrias?

Agricultura

É na Agricultura que o Petróleo tem a função mais importante nos dias que correm. Além de ser indispensável para todas as máquinas da alfaia-agrícola é a petro-química que permite os níveis de produção actuais. A Agricultura moderna depende inteiramente dos pesticidas e herbicidas para manter as culturas saudáveis e dos adubos e fertilizantes que permitem o cultivo em solos não produtivos. Nos países ocidentais estima-se que por cada caloria que o consumidor ingere, são gastas 10 calorias em Petróleo.

Vivem hoje no nosso planeta cerca 6 500 milhões de pessoas; mantendo-se a tendência actual, daqui por 50 anos seremos mais de 9 000 milhões (segundo a ONU). O nosso planeta não terá capacidade para alimentar mais de 2 000 milhões sem a ajuda dos petro-químicos. 

Como continuará a população mundial a crescer exponencialmente ?
















ą
a380.jpg
(19k)
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:10
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:10
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:10
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:10
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:11
ą
meds.jpg
(33k)
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:11
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:11
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:11
ą
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:11
ą
road.jpg
(28k)
Pico DoPetroleo,
19/04/2010, 12:11
Comments