Os 10 melhores lugares para encontrar vida extraterrestre

Um dos maiores objetivos dos pesquisadores é encontrar formas de vida fora do nosso planeta, seja de que tipo for. Por hora, nenhuma grande evidência foi confirmada, mas tudo indica que estamos no caminho certo para que nas próximas décadas possamos realizar tal feito, já que as agências espaciais estão planejando enviar sondas para novos lugares do sistema solar.

Confira nessa lista que preparamos  alguns lugares que estão sendo explorados e outros não, mas que são que possuem condições para a existência de vida, principalmente em suas formas mais simples.

Marte

Marte

Referenciado em várias obras de ficção científica, Marte é comumente relacionado como um dos locais mais propícios para a existência de vida alienígena. Claro que os cientistas não esperam encontrar humanóides verdes lá, mas sim formas mais simples de vida.

Segundo os pesquisadores, o planeta vermelho no passado era mais quente e mais úmido, sendo lar de um oceano, calotas polares, vulcões e claro, muita água. Embora água em estado sólido já foi encontrada, ainda não foi confirmada a existência de seres simples, como microrganismos, mas toda a comunidade científica mantém esperanças de que esses seres estão escondidos sob a superfície rochosa do planeta.

 

Meteoritos

Meteorito

De acordo com análises, muitos meteoritos que caíram na Terra possuem compostos orgânicos. No ano de 1996, um grupo de pesquisadores divulgou que tinham encontrado uma grande evidência de microfósseis num meteorito marciano localizado na Antártida. As análises indicam que a vida pode ter existido no planeta vermelho há aproximadamente 3,6 bilhões de anos atrás. Isso significa que a vida teria surgido em Marte e transportada para o planeta Terra por meio de meteoritos provenientes do planeta vermelho. Tais bactéria podiam suportar ambientes muito hostis e não necessariamente podiam ter vindo de Marte, mas como de qualquer canto do sistema solar.

 

Europa

Europa

Europa é uma das luas do maior planeta do sistema solar, Júpiter, é considerada por muitos como o ambiente mais propício para a existência não só de formas de vida simples, mas também complexa. Acredita-se que existe um oceano líquido por debaixo da superfície congelada do satélite, e que tal oceano pode possuir oxigênio suficiente para sustentar algumas formas de vida mais complexas do que simples bactérias.

 

Calisto

Calisto

Calisto é outra lua de Júpiter, e assim como Europa, é um possível lugar que pode abrigar vida alienígena. Até a descoberta de um oceano salgado sob sua superfície, Calisto era conhecida como uma lua chata e morta. De acordo com informações obtidas pela sonda Galileo, da NASA, o segundo maior satélite natural do gigante gasoso possui um campo magnético variável, indicando a presença de correntes. A suposição de tal oceano se deve ao fato de um asteroide ter se chocado contra a lua, que formou uma grannde cratera. Uma colisão desse tipo deveria causar uma grande onde de choque por Calisto, e um oceano subterrâneo poderia ter amenizado o impacto. Assim como em Europa, a presença de um oceano pode indicar a presença de vida.

 

Titã

Titã

Outra lua muito estudada recentemente pelos cientistas é a famosa lua Titã, a principal lua deSaturno. A temperatura na lua é inferior à -180ºC (já que o satélite não recebe luz solar), mas os cientistas esperam encontrar simples formas de vida no satélite.

Caso a vida seja encontrada lá, pode significar uma revolução nos nossos conceitos básicos para a existência de vida, indicando que mesmo em ambientes químicos totalmente diferentes do da Terra, a vida possa ser encontrada.

 

Encélado

Encélado

A sonda Cassini, da NASA, durante sua passagem por essa lua de Saturno, notou a presença de elementos como carbono, nitrogênio, hidrogênio e oxigênio durante a erupção de um gêiser de gás. A temperatura e densidade da nuvens pode indicar que a superfície do planeta não seja tão fria assim e que pode haver água em estado líquido ali, possibilitando a existência de algumas formas de vida.

 

Cinturão de Órion

Cinturão de Órion

O cinturão de Órion é um berçário estelar localizado na nossa própria galáxia no qual os pesquisadores acreditam que sejam um potencial para a descoberta de vida. Essa nebulosa está localizada à 1.500 anos-luz de nós, e de acordo com dados obtidos pelos telescópios, os cientistas encontraram um padrão de moléculas que sugerem a existência de vida: água, monóxido de carbono, metano, óxido de hidrogênio, dióxido de enxofre, entre outros. Logo, lá poderiam haver muitos astros com tais características.

 

Exoplanetas

Kepler22b

Nossa galáxia,  (Via Láctea) possui centenas de bilhões de estrelas, e outros bilhões de bilhões de planetas, habitáveis ou não (isso só na nossa própria galáxia). O telescópio espacial Kepler já descobriu centenas de planetas, e a NASA já afirmou que já avistaram dezenas de planetas que podem ser habitáveis fora do nosso sistema solar, e o destaque vai para o Kepler 22-b,uma exoplaneta 2 vezes maior que a Terra que orbita uma estrela parecida com o Sol. A temperatura média em sua superfície seria de 22ºC, a temperatura ideal para a existência de água em estado líquido e/ou para a existência de vida, complexa ou não. Os pesquisadores ainda não sabem a composição do planeta localizado à 600 anos-luz de distância, que deverá ser melhor estudado em breve.

 

Gigantes vermelhas

Gigante vermelha

Como você já deve saber, o estágio final de uma estrela é uma gigante vermelha, onde ela se expande várias dezenas de vezes antes de morrer. Claro que é impossível que haja vida numa estrelas, mas segundo os pesquisadores, nesse período de expansão, os planetas que estavam congelados por estarem distantes dela, acabam tendo seu gelo derretido com a maior proximidade, criando condições favoráveis para a vida.

Entretanto, orbitar uma gigante vermelha traria vários riscos à um planeta, já que os fenômenos que ocorrem nelas são muito mais fortes que estrela normal, logo o planeta teria que ter uma camada protetora muito resistente, o que acaba gerando muitos debates se existem formas de vida que se originaram sob tais condições.

 

O universo ainda não explorado

O universo é um lugar incrivelmente grande e explorá-lo por completo é uma missão impossível até mesmo para a mais inteligente civilização que existe. Só observamos em detalhes apenas uma mísera fração do universo e da nossa própria galáxia, e é extremamente provável que a vida inteligente exista do outro lado do cosmo ou até mesmo em galáxias vizinhas, mas infelizmente nunca entraremos em contato por causa da inimaginável distância que nos separa.

Ainda nem levamos em consideração se devemos procurar formas de vida que conhecemos, ou seja, que precisam dos mesmos ingredientes (como a água) que nós para a existência. O DNA precisa de água para existir, mas podem existir formas de vida que não são baseadas em tais elementos. Logo, não podemos usar a Terra como exemplo para a procura de vida em outros planetas.

Mas seja como for, a busca continua, e quem sabe um dia podemos encontrar alienígenas, seja como eles forem. Se forem seres inteligentes, esperamos que sejam amigável.


Texto Original:



Comments