CP5 - DR3 Ética e desenvolvimento institucional

EFA – NS - Técnico de Condutor de Obra

Formação de Base: CP5 – Deontologia e Princípios Éticos

Formadora – Carla Gomes

 

 

 

DR3 Ética e desenvolvimento institucional

Índice

Introdução. 3

Parte I - Após a leitura do artigo da Revista Dirigir “A Administração Pública hoje: nova ética para melhor intervir” elabore um comentário crítico que responda aos seguintes aspectos: 4

- Referência ao (s) princípio (s) ético (s) mais importante (s); 4

- O (s) princípio (s) ético (s) mais difícil (eis) de implementar? Justifique. 4

- A relevância da existência de uma Carta Ética para a Administração Pública. 4

- A Carta Ética para a Administração Pública serve apenas ao prestador do serviço público?. 5

- Como podemos, enquanto cidadãos, contribuir para uma melhoria do funcionamento dos serviços?  5

- Para concluir, comente o seguinte excerto do artigo: 5

“No sector público, como no privado, há gente que põe a imagem própria e a imagem institucional à frente – em actos, decisões e resultados”. 5

Parte II – Escolha um dos seguintes temas e elabore um trabalho sobre o mesmo. 6

Tema para elaboração de trabalho: 6

- Cultura Organizacional (O que se entende por cultura organizacional? Qual a diferença entre cultura e clima organizacional? Qual é a importância da aprendizagem da cultura organizacional pelos seus membros? Qual a importância da existência do contrato psicológico?) 6

O que se entende por cultura organizacional?. 6

A cultura organizacional é formada por seus valores éticos e morais, princípios, crenças, políticas internas e externas, sistemas, e clima organizacional. São “regras” que todos os membros dessa organização devem seguir e adoptar como directrizes e premissas para guiar seu trabalho. 6

Qual a diferença entre cultura e clima organizacional?. 6

Qual é a importância da aprendizagem da cultura organizacional pelos seus membros?. 7

Qual a importância da existência do contrato psicológico?. 8

Conclusão. 10

Bibliografia. 11

 

Introdução

Este trabalho pertence UFCD-CP5- Deontologia e Princípios Éticos, tem como desenvolvimento a Ética e desenvolvimento institucional. O trabalho será feito com uma capa, um índice, a introdução, o desenvolvimento onde abordarei, os princípios éticos mais importantes da Administração Pública de hoje, são os seguintes; o princípio ético mais difícil de implementar e a minha justificação; a relevância da existência de uma Carta Ética para a Administração Pública; o meu parecer sobre se Carta Ética para a Administração Pública serve apenas ao prestador do serviço público e falar como podemos, enquanto cidadãos, contribuir para uma melhoria do funcionamento dos serviços, esta parte do trabalho será feita com alguma pesquisa e após a leitura dos testos de apoio dados pela formadora Carla Gomes, de seguida e através de pesquisa abordarei os seguintes temas; o que se entende por cultura organizacional; qual a diferença entre cultura e clima organizacional; qual é a importância da aprendizagem da cultura organizacional pelos seus membros; qual a importância da existência do contrato psicológico. Para terminar farei uma conclusão e a bibliografia da pesquisa para a realização do trabalho.

 

Parte I - Após a leitura do artigo da Revista Dirigir “A Administração Pública hoje: nova ética para melhor intervir” elabore um comentário crítico que responda aos seguintes aspectos:

- Referência ao (s) princípio (s) ético (s) mais importante (s);

Os princípios éticos mais importantes da Administração Pública de hoje são os seguintes:

Zelar pelos interesses de cada cidadão; zelar pelos interesses gerais da sociedade e seus valores; um compromisso social para com os cidadão-contribuinte; Princípio do Serviço Público; Princípio da Legalidade; Princípio da Igualdade; Princípio da Proporcionalidade; Princípio da Colaboração e da Boa Fé; Princípio da Informação e da Qualidade; Princípio da Lealdade; Princípio da Integridade; Princípio da Competência e Responsabilidade.

- O (s) princípio (s) ético (s) mais difícil (eis) de implementar? Justifique.

Para mim o princípio ético mais difícil de implementar para os funcionários da Administração Pública de hoje é o de zelar pelos interesses de cada cidadão, derivado a complexidade do sistema da Administração Publica e do próprio funcionamento do estado Português. Mesmo que os funcionários tentem ajudar por vezes não é possível derivado à complexidade e carga laboral e psicológica a que estão submetidos. Como se não bastasse muitos funcionários têm interesses camuflados o que vai automaticamente prejudicar o cidadão.

- A relevância da existência de uma Carta Ética para a Administração Pública.

 A importância da existência da carta ética da Administração Pública, é que os seus funcionários encontram-se ao serviço exclusivo da comunidade e dos cidadãos, prevalecendo sempre o interesse público sobre os interesses particulares ou de grupo. Com a Carta Ética os funcionários e cidadãos têm uma orientação acerca dos princípios de actuação a cumprir e a exigir.

- A Carta Ética para a Administração Pública serve apenas ao prestador do serviço público?

Na minha maneira de ver a Carta Ética para a Administração Pública serve para todos os serviços públicos existentes, mas serve também para nós todos, pois se todos a cumprimos será muito mais fácil saber lidar com todas as situações que encontramos no nosso dia-a-dia.

- Como podemos, enquanto cidadãos, contribuir para uma melhoria do funcionamento dos serviços?

Como cidadãos podemos contribuir para um melhor funcionamento dos serviços se colaborarmos, tendo em conta as dificuldades que estamos a passar se formos mais correctos estamos logo á partida a fazer uma melhoria, mas por vezes temos que exigir a quem trabalha para a Administração Pública seja também mais competente.

- Para concluir, comente o seguinte excerto do artigo:

“No sector público, como no privado, há gente que põe a imagem própria e a imagem institucional à frente – em actos, decisões e resultados”.

 

Neste caso temos muito boa gente, que utiliza o poder institucional, para ser apoderar ilicitamente e de forma imprópria, utilizando da imagem ou do cargo que utiliza para fins próprios. Todos nós temos ouvido falar de vários caso em que tem acontecido.

O caso da TVI, que deu muito que falar, alguns membros deste canal televisivo, foram despedidos ou desviados do canal, sendo convidados a sair por acórdãos, ainda hoje nenhum de nós tem a certeza de como foram feitas as coisas e no final ninguém tem culpa, mas o que é certo é que houve alguma coisa, pois se não houvesse uma “máquina” institucional, para aniquilar tudo aquilo de que se falava, não seria preciso eliminar estas pessoas dos cargos que lhes estavam a atrapalhar a imagem.

Parte II – Escolha um dos seguintes temas e elabore um trabalho sobre o mesmo.

Tema para elaboração de trabalho:

- Cultura Organizacional (O que se entende por cultura organizacional? Qual a diferença entre cultura e clima organizacional? Qual é a importância da aprendizagem da cultura organizacional pelos seus membros? Qual a importância da existência do contrato psicológico?)

O que se entende por cultura organizacional?

A cultura organizacional é formada pelos valores éticos e morais, princípios, crenças, políticas internas e externas, sistemas e clima organizacional de uma determinada organização. São “regras” que todos os membros dessa organização devem seguir e adoptar como directrizes e premissas para guiar seu trabalho.

A cultura organizacional abrange artefactos (padrões de comportamento), valores compartilhados (crenças) e propósitos (valores, verdades). Também pode conter componentes visíveis, que são sempre orientados pelos aspectos organizacionais, ou componentes ocultos, que são sempre orientados pela emoção e situações afectivas.

Qual a diferença entre cultura e clima organizacional?

O clima organizacional é de certa forma, o reflexo da cultura da organização, ou melhor, o reflexo dos efeitos dessa cultura, na organização como um todo. Luz (1995) afirma que o “clima é resultante da cultura das organizações; dos seus aspectos positivos e negativos (conflitos).”

Portanto, o clima organizacional influencia e é influenciado pelo comportamento dos indivíduos na organização, no seu desempenho, motivação e satisfação no trabalho.

Já Mário Soares, ex. Presidente da República Portuguesa em (2002), diz que “o clima mapeia o ambiente interno que varia segundo a motivação dos agentes. Aprende as suas reacções imediatas, suas satisfações e suas insatisfações pessoais”. Como mudanças na cultura organizacional são mais profundas, levam mais tempo para acontecer. Já o clima é mais fácil de ser percebido e apresentando, tem uma natureza mais transitória, podendo ser administrado tanto a curto quanto a médio prazo.

A compreensão da relação entre a cultura organizacional (mais ampla, de mais lenta transformação), e o clima organizacional (mais restrito, de fácil transformação) é essencial para a boa aplicação.

Qual é a importância da aprendizagem da cultura organizacional pelos seus membros?

Para a aprendizagem organizacional, é necessário entender a relevância do aprendiz individual para a eficácia da formação do conhecimento organizacional. A aprendizagem individual e consequentemente a organizacional, precisam estar conectadas à origem da palavra educação, que vem do latim educare e significa extrair de dentro de si. Em decorrência disso, o alvo da aprendizagem está em proporcionar condições para que o indivíduo extraia o conhecimento de si próprio.

          Dessa maneira, pensar em organizações de aprendizagem, apenas acreditando que a forma de se transmitir conhecimentos para os indivíduos é apenas em ambientes de treino, salas de aula ou quaisquer outras circunstâncias onde o aprendiz fosse viabilizado somente pela interacção entre emissor – aquele que detém o conhecimento – e receptor aquele que irá aprender – seria um equívoco.

          No âmbito das organizações de aprendizagem, a educação deve concorrer para a formação de um educando que participe efectivamente do processo de criação e comunicação de conhecimentos no dia a dia do seu trabalho. O foco da atenção, nesse caso, está no aprendiz, que assume responsabilidade compartilhada nos processos de aprendizagem individual e organizacional.

          O indivíduo, assim, tem fundamental importância no processo de aprendizagem organizacional, considerando-se que as condições organizacionais, sobretudo a sua cultura, serão forças impulsoras ou restritivas à expressão da criatividade, à consolidação desse aprendizado. A identificação do indivíduo como sujeito do processo de aprendizagem, desse modo, é base para a formação e compartilhamento de dois tipos de conhecimento no ambiente organizacional. Trata-se do conhecimento explícito e tácito. O conhecimento explícito pode ser articulado na linguagem formal – oral e escrita – e é facilmente transmissível, mas nesse caso, há um privilégio do enfoque teórico, em detrimento do pragmatismo, o que pode levar o receptor da aprendizagem a não aproveitar a amplitude da percepção fornecida pelo emissor ou facilitador da aprendizagem.

          Qual a importância da existência do contrato psicológico?

Face à perspectiva de aumento das relações transaccionais e a diminuição das ligações permanentes entre indivíduos e organizações o conceito de contrato psicológico assume importância como um instrumento de avaliação do bem-estar dos trabalhadores.

O conceito de contrato psicológico é igualmente relevante para avaliar a resposta dos sujeitos à introdução de novas formas de organização do trabalho, como os círculos de qualidade ou equipas semi-autónomas.

“Os contratos estabelecem uma ligação dos indivíduos à sua organização, regulando o seu comportamento e possibilitando o alcance dos objectivos organizacionais (Robinson, Kraatz & Rousseau,

1994). O contrato de trabalho formal prevê os deveres e direitos mútuos dos trabalhadores e da organização. No entanto, a relação entre ambas as partes parece englobar regras que vão para além do que está escrito formalmente nesse contrato, sendo influenciada, em grande medida, pelo Contrato psicológico (Castanheira & Caetano, 1999).”

 

Conclusão

 

A primeira parte deste trabalho, foi mais fácil de realizar do que a segunda parte, derivado ao conhecimento até então adquirido. A realização do trabalho sobre, Ética desenvolvimento institucional, tornou-se muito gratificante, pois consegui perceber muito melhor como funciona a Ética na Administração Pública e em termos institucionais como muitas empresas colocam ao seu serviço as questões sociais e de preocupação com a comunidade envolvente.

Sobre os temas possíveis para escolher, entendi que seria mais proveitoso o terceiro tema, “Cultura Organizacional”, tem como fundamental o que já se está habituado numa empresa tendo como ponto principal para que é novo no local habituar-se embora não tivesse muito conhecimento de como funcionava, “Clima Organizacional”, tem como fundamental o ambiente em que se trabalha, sendo mais produtivo se a pessoa se encaixar bem nesse clima, “Contracto Psicológico”, tem uma vertente mais virtual, quero dizer que é um contracto verbal, tendo a ver com o que nos é proposto e teremos que entender se seremos adaptáveis ao que nos é sugerido, para tal não é assinado.

Considero que através de uma pesquisa aprofundada consegui entender e alcançar os objectivos pretendidos pela Formadora Carla Gomes, tendo em conta que não tinha até ao momento aprofundado estas matérias, já anteriormente estive envolvido sem conhecimento tão aprofundado, tendo com isso melhorado muito os meus conhecimentos.

 

 

 

 

 

 

 

Bibliografia

http://cartunistabraga.blogspot.com/2007_08_01_archive.html

http://www.mj.gov.pt/PT/DocumentosPublicacoes/LegislacaoCorrupcao/Documents/11.Carta_Etica_da_Administracao_Publica.pdf

http://pt.wikipedia.org/wiki/Cultura_organizacional

http://www.administracaoegestao.com.br/pesquisa-de-clima-organizacional/relacao-entre-clima-e-cultura-organizacional/

http://www.via6.com/topico/20635/cultura-ou-clima-organizacional-

http://www.facape.br/ruth/adm-comport_organ/Conceito_de_cultura_e_clima_organizacional.pdf

http://www.alcobaca.pt/resources/0350dcd37c1dfbfdae5d9b349c43fbc0/lcaprdorg.pdf

http://gestaodoconhecimento.net/aprendizagem-organizacional/

http://www.scielo.oces.mctes.pt/pdf/cog/v12n1/v12n1a05.pdf
Comments