Feridas na cabeça
 

"Depois, trançaram uma coroa de espinhos, meteram-lha na cabeça
e puseram-lhe na mão uma vara"  
(Mt 27,29)

» Dos poros da cabeça de Jesus saíram suor e sangue:
"Ele entrou em agonia e orava ainda com mais instância e seu suor tornou-se como gota de sangue a escorrer pela terra" (Lc 22, 44)

Ocorreu aqui o fenômeno da hematidrose (esgotamento físico acompanhado de um transtorno moral, conseqüência de uma emoção profunda e de um medo atroz)..Este fenômeno físico é explicado por uma dilatação dos vasos capilares subcutâneos com ruptura, em seu ponto de contato com a base, das milhões de glândulas sudoríparas. O sangue mistura-se com o suor e se coagula sobre a pele. É essa mistura de suor e sangue coagulado que vai se juntando até escorrer por cima da pele  de todo o corpo em quantidade suficiente para cair no solo.

 

AS FERIDAS DA COROA
"Tecendo uma coroa de espinhos, puseram-na em Sua cabeça".  (Jo 27,29)

São Vicente de Lerins escreveu que a coroa tinha forma de um capacete que recobria toda a cabeça. Aqui o Sudário é preciso e não deixa dúvidas, pois a nuca de Jesus e o topo da cabeça estão com as múltiplas feridas dos espinhos. Estes são pontiagudos com quase 3 cm de comprimento e finos, tendo a ponta como agulha de costurar.
Na nuca, há um "corredor" de sangue, pois todas as vezes que Jesus ia falar, tinha que se fixar nos cravos dos pés, levantar para respirar e assim, batia a cabeça contra os espinhos no patíbulo (pau transverso).
Mais de setenta espinhos atingiram a cabeça de Jesus. Vários santos católicos descreveram corretamente como teria sido a coroa de Cristo. Santa Brígida a comparou como um fundo de cesto. Um chumaço de espinhos, da planta Ziziphus Spina, foi colocado sobre a cabeça de Jesus e assentado com um pedaço de madeira.

» Ferida do lábio inferior
Uma pequena ferida, tipo fissura vertical, com aproximadamente um centímetro do lado direito, mostra-nos um coágulo descendo em vertical, indo até o início do queixo. Esse coágulo está um pouco marcado no Sudário por estar misturado com a saliva que escorreu da boca de Jesus. A cabeça ficou ora tombada para a direita, ora para a esquerda, justificando o porquê da saliva dos dois lados do Santo Sudário. Na mortalha, a boca de Jesus está fechada, prova de que colocaram um pano para cerrá-la. Tal pano foi posto em volta da cabeça, após a descida da Cruz.

Como não amar a quem tanto ama?