Quem anda para o lado é caranguejo, nós vamos é pra cima.                                                                                                 
                                                                          
Este site tem o objetivo de fornecer informações a escaladores que queiram escalar na área do Município de Santo Antônio de Pádua-RJ. Aqui você vai encontrar dicas de como chegar nas montanhas, distâncias e os croquis das vias existentes. Para mais informações, você pode entrar em contato com os escaladores locais (contato). Esperamos que as informações aqui contidas sejam úteis para que sua passagem pela cidade seja repleta de aventura vertical.
 
 


02/04/2016
Serra Vermelha
Escalada na Serra Vermelha com os amigos Wesley e Pedro de Itaperuna e Alice de Além Paraíba na cordada com Deyvisson. Wesley e Pedro entraram na via "Cleiton Mello" e Deyvisson e Alice entraram na "Super Homem Aposentado".



01/04/2016
Pedra Criminosa
Deyvisson e Béia fecharam a segunda investida com 30m conquistados. Impressão de que a via está bem puxada.



31/03/2016
Início da conquista da via Golpe de Estado na Pedra Criminosa em Santa Cruz, distrito de Pádua-Rj. Deyvisson e Getúlio iniciaram a abertura da trilha e inicio da conquista que ficou com aproximadamente 12m.



26/03/2016
Segunda etapa da conquista da  via Super Homem Aposentado na Serra Vermelha em Itaocara. Priemira etapa conquistada por Deyvisson e Cleiton e segunda etapa por Deyvisson e Leandro. Fechamos com 60m na entrada para o negativo. 


27/12/2014
Acho que essa será a última tentativa de conquista em 2014. Eu e Cleiton fomos mais uma 

25/12/2014 
Voltamos no dia seguinte à Serra Vermelha para continuar a conquista e levamos o Estevao junto. Comecei a conquista  a pedra estava queimando de calor. Bati 3 grampos na sequência e desci pos estava muito quente. Cleiton subiu e instalou a parada dupla de 30m. Passamos por um trecho de 5m difíceis mas que acredito que fique em no máximo sexto grau... Saímos da base já de noite, pudemos também escalar a via de top rope. 


24/12/2014
Vespera de Natal, Fomos eu (Deyvisson) e Cleiton para a serra Vermelha começar uma nova conquista que dará acesso ao grande teto da direita. Chegamos na base da parede as 16:30 após 20 min de trilha e começamos a conquista. Cleiton seguiu inicialmente por uma linha aparentemente simples mas com uma saída que não é de graça. Progrediu bem e bateu 4 grampos. Subi para revezar a conquista e quando estava batendo o meu primeiro grampo do dia a bateria da furadeira acabou... Mas deu para colocar pelo menos esse grampo... Fomos obrigados a voltar para casa mas deixamos essa conquista com 15 metros conquistados.


14/01/2014
Dia de levar a turma de Campos para escalar na Pedra Bonita. O tempo ajudou e ficamos com o céu nublado em 100% do tempo em que estávamos na via. Beraldi insistiu em ficar na via mais complicada e teve sua energia sugada pela montanha, sobrou para o Cristiano Alarcon tentar guiar a via da esquerda do Setor da Árvore Seca. As duas vias ainda estão esperando o primeiro ser humano que vai liberá-las. Caio, sobrinho de Cristiano, tem 8 anos e conseguiu seguir bem na caminhada apesar do risco no trecho final da trilha.



11/01/2014
Continuamos a  conquista da via a esquerda da árvore no setor Árvore Seca. Conquistamos mais 10m. Depois de um bom tempo sem conquistar, me senti meio enferrujado para continuar essa conquista mas deu tudo certo no final.


12/12/2013
Video que fiz na agulha do diabo com o parceiro de escaladas Marcelo Vieira. Top de linha!!!

Vídeo do YouTube



10/10/2013
Tá chegando o dia do Rio Mountain Festival, dias 18 e 19 de outubro de 2013. Abaixo está o link da vinheta do Festival, nosso vídeo faz parte da vinheta.

Vídeo do YouTube

 
 
11/09/2013
Nosso vídeo Teregônia será exibido no Rio Mountain Festival que acontecerá nos dias 18 e 19 de outubro de 2013. Imagens aéreas incríveis das montanhas da Serra dos Orgãos.
 
 
 
 
17/07/2013
Pessoal, esse vídeo abaixo está concorrendo internacionalmente ao título de melhor imagem aérea!!!! Quem gostar do vídeo, clique em "Gostei"no YOUTUBE e com isso estará ajudando o video a ser classificado entre os melhores. Obrigado!!!! Se compartilharem no Facebook ajuda ainda mais. Abraço

Clique em curtir e ajude a classificar este video.

 
 
 
06/07/2013
Escalada do Dedo de Deus, via Leste por Deyvisson, Marcelo e Adriana

Dedo de Deus - Via Leste

 
 
22/06/2013
Escalada da via Aperitivo no Escalavrado por Deyvisson e Marcelo.

Escalavrado - Via Aperitivo

 
 
16/06/13
Escalada do Dedo de Nossa Senhora no PARNASO por Deyvisson, Marcelo e João Paulo.

YouTube Video

 
 
14/06/13

Vídeo do YouTube

Pedra Bonita, primeiro teste drone, Cor de Burro14 de junho de 2013

Escalada na Pedra Bonita, via Cor de Burro Quando Foge. Eu e Béia subimos os primeiros 90m da via para fazermos umas imagens com o Drone. Ficou bem legal, pena que não completamos a escalada da via... Fica pra próxima.
 
 
13/06/13
Feriado, dia de abrir a trilha da Serra de Frecheiras. Eu e Béia partimos pra lá de tarde e concluímos a abertura da trilha para esse ano. De quebra, aproveitamos para voar o Drone na serra e fazer umas imagens.
 
08/06/2013
Pedra do Sino - Parnaso - Tersópolis

Pedra do Sino


 
08/04/2013
Video das escaladas Feito pelo Paulo Marim Jr.

Escalada na Pedra Bonita e Serra Vermelha


Serra Vermelha

Serra Vermelha
O dia seguinte: domingo.

Acordamos cedo. Todos estavam "moídos" pelo dia anterior, somado a viagem. Mas desta vez escalaríamos em Itaocara, onde estávamos hospedados na casa da minha mãe. A proximidade da escalada era de certa forma confortante.
    Levantei às 6 h 30 min e comecei a arrumar o meu equipamento de escalada. Rapidamente estava com tudo organizado. Fiz um café esperando o Junior e a Jana acordarem. Não demorou e todos estavam de pé. Tomamos um café, cada um comeu suas tralhas matinais. Um pouco depois das 7 h o Deyvisson ligou, conforme combinamos, dizendo que sairia de casa dentro de alguns minutos. Junior e Jana arrumaram seus materiais e ficamos guardando a chegada do Deyvisson. 
    O combinado era escalar na Serra Vermelha. Este nome aturalmente se deve a cor de parte da rocha que tem tons avermelhados e amarelados, justamente onde molha pouco por ser negativo. Tenho um carinho especial por essa rocha, pois fui eu quem a viu primeiro com olhos de escalador. Essa história da descoberta fica pra outra hora. 
    Quando o Deyvisson chegou estávamos todos prontos e a postos para a partida rumo a escalada, o objetivo era via Lágrima, Suor e Sangue (em Conquista) 5 VIIb (A0) E2 D1 90m, provavelmente faríamos a variante Festinha de Criança, 3 IVsup E2 25m que não tinha repetição. 
    Colocamos tudo no carro e partimos. O astral era ótimo, acho que até melhor do que no dia anterior. Eu me sentia muito bem, mesmo cansado fisicamente, mas mentalmente estava muito motivado. Estava entre amigos, escaladores, indo para uma escalada numa rocha com uma formação diferente, a rocha é muito bonita, o clima estava ameno, o céu estava encoberto e não iria chover. Perfeito!     
    Chegamos e fomos falar com o colono que mora perto do local de escalada, Seu Aurélio. A estrada passa ao lado de sua casa e demos uma parada para avisar e dar um bom dia para ele. Fomos recebidos bem, e logo prosseguimos de carro até o mais perto que o carro pode nos levar. Descemos e pegamos os equipamentos e partimos para a trilha. Esta seria uma verdadeira moleza não fosse a falta de frequência da via, e no final nos últimos 10 m o Deyvisson e depois o Junior entraram de facão abrindo a trilha. 
    A base desta via é uma das melhores que já vi. Está na sombra, o chão tem um musgo que seco fica igual a um carpete, e tem local para esticar uma rede.
    Fitamos um pouco a via vendo por aonde iríamos e ficamos convencidos de que a variante seria mais interessante, e para mim seria melhor, pois eu já conhecia a via original. Assim,todos escalaríamos a vista, exceto o Deyvisson. 
    Como da vez anterior o Junior foi guiando primeiro, internamente achei que seria legal que desta vez eu o fizesse. Então, me arrumei logo e parti para a guiada da minha cordada, formada novamente com a Jana. Engasguei um pouco no primeiro lance isolado de 4º grau, até que descobri um buraco de bidedo para me apoiar e consegui subir. Nesta mesma passada a Jana me esculachou com sua técnica, que quando foi a vez dela fez com extrema facilidade e me senti um ogro.     
    A variante passa mais a esquerda, em uma sequência de buracos impressionantes. Tem buraco de todo jeito, com a borda abaloada, com a borda aguda e com boa pega, etc. Mas também tem agarras daquelas bem fininhas com a aparência frágil e que são difíceis de se acreditar que não vão quebrar. Na verdade o segredo desta via está na escolha das agarras finas que se usa. Putz, vou dizer que isso para mim foi de mexer com o psicológico. Acredito até que dei sorte, na minha primeira escolha ruim a agarra do pé direito quebrou e proteção estava no peito. Meu pé vazou, eu voltei e me fixei na solteira, respirei e voltei a escalar. Esta parte era justamente no começo do trecho negativo de uns 3 m de extensão. E justamente nesta hora o Deyvisson começou a filmagem com o Air Drone, e eu lá pendurado, que M...
    Como a via era muito diferente do que eu já tinha escalado e a Jana teria que transpor o negativo, achei por bem ficar na parada de 30 m e manter a proximidade para fornecer qualquer ajuda em caso de dificuldades dela e dos demais. Ela veio muito bem e fiquei realmente surpreso com a sua capacidade e força de vontade de escalar naquele nível. O Junior veio depois de mim guiando o Deyvisson, o conquistador da via. Também veio bem e mostrou porque teve a capacidade de escalar o Aconcágua sem utilizar as mulas para levar seu equipamento. Ele tem muita raça e é um incentivo para qualquer um escalar com ele, porque a gana dele te contagia. 
    Desta vez também não fizemos a parte mais difícil da via, que eu já tentei numa outra vez. Mas curiosamente nunca consegui chegar nesta muito bem, sempre existiu um porém... kkk um cansaço, uma noite mal dormida, etc. A escalada do crux em livre ficou novamente adiada.
    Chegamos na parada dupla e o sol entrou na parede, e o pessoal já estava ressabiado do dia anterior. A Jana e eu já estávamos preparados para descer e não íamos esperar que o Junior chegasse até onde estávamos para unir nossas cordas. Ela logo desceu e ficou na parada de baixo, onde o Deyvisson ficou esperando e já tinha avisado que não subiria até onde eu estava.
Como fiquei segurando a corda quando a Jana rapelava para que não atrapalhasse a escalada do Junior, resolvi esperar que ele escalasse até a parada onde eu estava para aí sim, unirmos as cordas e descermos dali até a base. O Junior desceu e logo depois fui eu. Colocamos uma costura grande para passar a corda e manter o contato da Jana e do Deyvisson com ela quando passamos pelo lado deles. Logo em seguida os dois desceram. 
    Encontramos-nos os quatro mais uma vez naquela base show, ainda na sombra. Hidratamos um pouco enquanto arrumávamos os materiais. Conversamos sobre as escaladas que fizemos juntos, rimos, comemos algumas besteiras. Ali mais uma vez este esporte maravilhoso reuniu pessoas com a mesma paixão e estreitou laços de amizade. Formamos duas duplas que no meu entender se deu muito bem. Na verdade um quarteto, separados e unidos por duas cordas. Mas muito mais unidos por muitas outras coisas.
Obrigado a todos: Deyvisson, Junior e Jana, pela paciência e amizade! Fico na torcida para que venham outras escaladas. Foi um privilégio escalar com todos vocês!
                                                             por Alexandre de Aguiar Aragão


07/04/2013

Escalada da via Cor de Burro Quando Foge

Neste final de semana, dias 6 e 7 de abril, eu (Aragão), Jana e Junior partimos para o noroeste fluminense ao encontro do Deyvisson, com o objetivo de escalarmos as vias em Itaocara e em Santo Antônio de Pádua. Uma empreitada de primeira linha. Saímos do Rio de Janeiro na 6a. A noite com a Jana ao volante, fomos até Além Paraíba onde eramos esperados pelos meus sogros Sergin e Leíze, para uma pequena parada para esticar as pernas e um lanche farto no melhor estilo de Minas Gerais, regado a pão de queijo e queijo minas, e a melhor hospitalidade mineira. Depois de nos fartarmos e conseguirmos entrar no carro partimos para Itaocara para casa da dona Neide, minha mãe, onde dormiríamos finalmente. Acordamos tarde, pois estávamos um pouco cansados da viagem que durou um pouco mais das habituais 5 h, e viemos de noite e sem pressa. Ligamos para o Deyvisson e combinamos o local da escalada do sábado que seria na Pedra Bonita, localizada no Distrito de Santa
Cruz que pertence a Santo Antônio de Pádua, detalhes em https://sites.google.com/site/paduaescalada/news. Tomamos um café e partimos ao encontro do Deyvisson em Pádua. Chegamos a sua casa e separamos rapidamente o material necessário, e partimos para Pedra Bonita para fazer a via Nada Consta 3 VIsup D2 E3 490 m. Esta linha começa com um grau fácil e gradativamente conforme se ganha altura a dificuldade vai aumentando. Acreditávamos ser uma boa escalada para as condições climáticas do dia. Colocamos tudo no super 4x4 da Jana e partimos para Santa Cruz, que até lá é asfaltada e
muito boa, atravessasse o centro do distrito e logo saímos em uma estrada de chão que somente tem uma subida que não está muito boa. De outra vez tive que deixar o carro antes e caminhar um pouco mais por conta disso. Mas, desta vez a como estávamos de 4x4 o
carro passou sem nenhum problema. Paramos o carro num largo da estrada, que fica bem próximo da base. A trilha é aberta e o acesso é bem tranquilo no que se refere à caminhada de aproximação, exceto pela travessia de um córrego que tem uma passagem escondida que
evita que se molhe o pé. Chegamos à base da via Nada Consta, mas o sol não deu trégua, ele resolveu mostrar serviço e tostar todo mundo... kkkkk. Animados com a vista da parede, íamos tentar escalar assim mesmo. Formamos a cordada eu com a Jana, e o Junior com o Deyvisson. Eu me aprontei e resolvi guiar, e o Junior viria logo depois de mim. Procurei o primeiro grampo e o vi a uns 30 m, como era um 2º grau, eu segui com certa tranquilidade, mas não dá para relaxar. O primeiro esticão de corda tem 60 m exatamente e apenas uma proteção no meio, quando se chega ao final o participante tem que estar com a sapatilha no pé porque senão a corda o puxa pela cintura. Neste primeiro esticão o guia está praticamente em solo. A rocha
é bem aderente, mas é bom algumas vezes conferir se os "cristais" onde se está pisando não vão esfarinhar um pouco e comprometer a aderência, é bom ter em mente que a via é pouca frequentada, e as agarras de mão são praticamente inexistentes nesta parte. Quando eu
estava já com uma boa altura me deu uma vontade de desistir e descer, meus pés pareciam estar sobre brasas, mas ali não tem muito jeito, tem-se que pelo menos estar num grampo, e ainda por cima, o Junior já tinha começado a subir. Isso tudo me fez ter que ir até o final do primeiro esticão com os pés sofrendo pelo calor intenso, foi sofrido. Esperei o Junior chegar na 2ª parada dupla para juntarmos as cordas para descermos, isso porque nenhum de nós quatro queríamos continuar escalando sobre aquelas condições de calor intenso.
Na base resolvemos que faríamos então a Cor de Burro Quando Foge, que segundo o Deyvisson era um 3 V E2 D1 300 m. KKKkk, só rindo... Começamos a trilha que beira a rocha em uma diagonal para a esquerda. É íngreme e na maior parte dela você vai pela rocha que é mais fácil do que ir pelo mato. A rocha ali é escura e com o sol a pino acabou por dar problema. Desidratei muito rápido, eu tinha muito peso do equipamento, a água estava quente como um chá, então comecei a me sentir muito mal, fraco, com muito calor, um pouco tonto. Paramos
em frente a via, e o sol castigava. Melhorei bem com um simples gole do isotônico gelado da Jana, e isso me deu forças para continuar até um pouco acima da base da via até conseguimos um abrigo entre as árvores, onde permanecemos por mais de uma hora até o sol baixar e a via começar a entrar na sombra. Descansados, hidratados e ainda com muita vontade de escalar fomos novamente para a base da via Cor de burro Quando Foge. Agora totalmente na sombra, que visão boa! Nos encordamos, e Junior entrou guiando a cordada dele que quem participava era o Deyvisson. Aguardei que ele ficasse a uma altura que não permitisse que caísse sobre mim, e logo, parti guiando a minha cordada, com a Jana a minha segurança. A via é toda em aderência e "agarrência", e em poucas vezes se acha uma agarrinha ou um pequeno reglete para as mãos. Saindo da base a primeira proteção está bem longe, talvez uns 30 m, e achei a graduação um 3º. A via não é muito frequentada e a rocha é um pouco esfarinhenta, mesmo quando aparecem umas pequenas agarras. A grampeação é realmente um E2 no quesito exposição, e em alguns momentos é preciso parar e respirar para manter a concentração. A via passa por uma bela linha. Muitas vezes existem concentrações de pequenos cristais que garantem uma boa aderência na pisada, mas é bom conferir sua solidez. Achei uma via corajosa para quem guia, mas o participante vem tranquilo. Não é sinuosa, mas tem algumas manhas para guiar, alguns zigue-zagues abrindo os pés para os lados resolvem
mais facilmente vários trechos. Um guia experiente e que passa tranquilamente por escaladas de 5º grau não encontrará muita dificuldade. Eu, como escalador que por muitos anos escalei vias esportivas tive que me superar várias vezes... kkkk! Não fizemos toda a via, faltando a parte mais difícil que começava no 3º esticão. Estava tarde e a noite já espreitava, e todos estavam em condições físicas ruins devido ao desgaste pelo sol e ainda pelo acúmulo do cansaço da viagem, então resolvemos descer e nos guardar para a via de domingo. Estávamos satisfeitos, tínhamos escalado uma via muito legal, ela continuará ali e podemos voltar outro dia para fazer o resto. Ótimo! O rapel feito com duas cordas de 60 m permitiu que não precisássemos descer toda a trilha que beira a rocha. Economizando pelo menos a metade da trilha. A lanterna que o Deyvisson me emprestou descarregou a bateria e desci com mais cuidado, porque ela somente dava umas piscadas. Depois já fora da parte rochosa, vim sob as luzes dos outros. Desta vez achamos o trecho que atravessa o córrego e que permite pular, não arriscando molhar os pés. Cansados, mas satisfeitos paramos em Santa Cruz para um refrigerante e um pouco de prosa, como é de praxe para escaladores educados e que cumprem o protocolo de confraternização com o pessoal local. Encontramos o Getúlio, escalador local que parou brevemente para uma conversa, mas logo nos deixou.

                                                               por Alexandre de Aguiar Aragão

06/04/2013

Vôo na Serra de Frecheiras.

Cheguei por volta das 15:30 em Pádua e fui direto para a Serra de Frecheiras para dar uma olhada na trilha e ver seu estado. Fiz essa caminhada sozinho e foi bem maneiro andar por aquelas bandas em solo. A trilha estava boa até o local que chamamos de Cozinha. Dali pra frente estava um pouco fechada até a entrada da matinha. Abri a trilha enquanto havia luz do dia e quando ficou tudo escuro eu retornei. Dei sorte pois o tempo não estava bom e quando cheguei na beira do asfalto, a chuva caiu com vontade. Neste dia aproveitei para fazer um vôo com o AR DRONE 2.0. 


03/03/2013

3 de março de 2013


Finalmente saiu a primeira escalada de 2013. Eu (Deyvisson), Béia, Leandro e Getúlio fomos na parte da tarde para a Pedra Bonita para tentarmos mandar em livre o crux da via Cor de Burro Quando Foge 3 Vsup E2 D1 300m pois era o único trecho da via em que ainda não havíamos mandado em livre. Guiei uma cordada e o Béia guiou a segunda. Iniciamos a caminhada as 15:35 e chegamos à base da via as 16:05. Começamos a escalada por volta das 16:30 e desde as 16:00 a base da via já se encontrava na sombra. Eu estava um pouco preocupado em guiar tudo pois estava há quase 4 meses sem escalar e a via não era de graça. Ao terminar de guiar a primeira cordada, Leandro que estava na outra ponta da corda começou a escalar e chegou até a mim. Perguntei se ele queria guiar a próxima cordada mas ele falou que eu poderia guiar tudo se quisesse. Continuei a guiada neste segundo trecho mais delicado que o primeiro. O Béia veio guiando a segunda cordada, mas catou a minha corda em diversos momentos, o que invalidou aquela guiada dele. Cheguei na parada de 90m e prossegui por mais 3 grampos. Leandro subiu até a parada de 90m e continuou a fazer minha segurança. Fiquei com medo de tentar o crux pois não há agarras, só cristaizinhos frágeis que na hora em que olhamos para eles bate aquela dúvida em saber se eles suportam ou não o peso do escalador. Com medo, resolvi prosseguir na guiada e parti para o próximo grampo que não é dos mais pertos. Passei veneno mas consegui chegar nele... eu já sabia que o grampo seguinte é o que me traria mais dificuldades. Olhei pra ele, mais uma vez fiquei na dúvida em subir, resolvi arriscar, passei perrengue, houve um momento em que eu pisei em um cristal e a parte de cima dele se esfarelou, achei que iria cair mas consegui aguentar as pontas e melhorei minha posição o que aliviou um pouco a minha situação... Após uns 3 movimentos desagradáveis, consegui alcançar o grampo e enfiei meu dedo nele com medo dos meus pés resvalarem naquele musgo seco aderido a pedra. Costurei logo e em seguida veio aquela sensação de relaxamento total do corpo, quando o perigo passa e não te alcança. Fiquei bastante feliz por ter conseguido liberar aquele lance, fiquei também surpreso pois não tenho escalado com frequência e o meu peso não tem ajudado muito nas escaladas. Bem, agora a via Cor de Burro Quando Foge está liberada de cabo a rabo, quem achar que dá conta do recado, é só tentar e se conseguir, nos envie uma foto da escalada que postaremos aqui.

27/01/2013

Três meses sem escalar, pra quem gosta mesmo do esporte não é fácil... Esse período tá osso e a previsão é que seja assim até o final do ano. Hoje vi umas fotos das novas vias na Pedra Bonita, a Árvore seca e a outra que esqueci o nome... fiquei pilhado. Na foto, quem estava escalando era o meu primo Cristiano Alarcon e ver aquela imagem me transportou para o dia da conquista. Ainda vou encadenar aquela via, agora tá meio complicado, o peso não está ajudando, e nem os compromissos... mas com o tempo tudo se ajeita. Muitas conquistas ainda estão por vir, e eu farei parte da história delas!!!

27/10/2012

Bombeiro apagando incêndio proximo da Coringa.


Marcamos uma sequência bem legal de escalada: Coringa no Pão-de-açúcar e de tarde a k2 no Corcovado. Eu (Deyvisson), Béia e Marcelo Vieira estávamos confiantes de que seria um bom dia de escalada. Infelizmente, quando chegamos na base da Coringa, estava pegando fogo na vegetação que fica após o final da via. Marcelo até tentou guiar mas quando a fumaça apertou e os gravatás começaram a rolar incandecentes, resolvemos abortar a missão. O plano B era tentar uma via que se chama Bhoemia gelada e fica do lado oposto da montanha. Partimos pra lá, mas quando chegamos no trecho em que é preciso fazer um rapel para se chegar a base da via, resolvemos desistir pois o Marcelo tinha passado mal na trilha, resolvemos não arriscar. Demos uma passada na casa do parceiro Aragão e no final da tarde fizemos uma via nos coloridos pra não perder a viagem. No dia seguinte, eu e Béia fomos até o Corcovado para tentarmos a K2 mas não conseguimos achar a base da via... Acabei confundindo com outra parte da montanha e fomos obrigados a retornar...

12/10/2012


Dia das crianças mas quem ganhou o presente fomos nós. Eu e Leandro fomos até a Pedra de Miracema com uma previsão de chuva. Saímos as 07:00 e iniciamos a escalada às 08:50. Chegamos no último grampo às 10:50 e conseguimos conquistar um trecho de aproximadamente 20m de escalada difícil em uma primeira vista... pode ser que seja diferente nas repetições mas será preciso levar uma escovinha para limpar o limo da pedra. Ficamos na sombra até aproximadamente 01:30 e batemos os dois últimos grampos no sol. Rapelamos pois quando o sol abriu de vez acabou esquentando bem. Foi um bom dia de conquistas, progredimos bem na montanha e Leandro conseguiu fazer em livre o lance chave da via que ainda estava na pendência para ser liberado em livre. Agora é aguardar a próxima oportunidade para voltar lá e repetir em livre o novo trecho conquistado. Valeu Leandro por dar essa força nas conquistas... se formos depender do outros colegas para escalar... vamos acabar ficando em casa.


30/09/2012

Escalada Morro dos Cabritos

Dia perfeito para uma escalada show com o parceiro Marcelo Vieira. Fomos até o morro dos Cabritos no Vale dos Frades em Teresópolis e entramos na via Mário Arnaud 5 Vsup E1 D3 700m. No início alternamos na guiada mas depois do grande platô marcelo assumiu a guiada e nos levou até o artificial no final da montanha. Foi um dia de sol entre  nuvens, perfeito para escalar uma grande parede. Na volta para Terê, fomos até a casa do Marcelo e de lá, eu rumei para o Rio de Janeiro. Ao passar em Saracuruna, o trânsito engarrafou e bandidos tomara a pista para roubar os motoristas. Consegui acelerar e escapei pelo acostamento, foi um grande susto... Tentei ligar para a polícia mas só dava fora de área, depois de alguns kilometros, finalmente falei com a polícia. Foi um aperto grande mas tudo terminou bem.



09/09/2012
Atualizando o site depois de um bom tempo sem conseguir fazer isso. Hoje foi a vez do Cleiton conhecer a via Amigo da Onça. Cleiton já está parado há um tempo na escalada devido aos múltiplos acidentes pelos quais passou. Entramos na trilha às 14:30 e iniciamos a escalada às 15:20. Dividimos a guiada e Cleiton guiou os primeiros 60m da via sem dificuldades. Fiquei com a segunda parte da via guiando até a parada dupla do triângulo de pedra. Descemos desta parada pois o sol já estava indo embora e o trecho acima iria exigir um  tempo considerável para resolver o crux da via. Foi bom escalar novamente com o Cleiton e relembrar nossas muitas aventuras pelos paredões da região de Pádua.


07/09/2012

 
Neste dia, Eu (Deyvisson) fui apresentar ao Béia a via Amigo da Onça na Pedra de Miracema-RJ. Começamos tarde a trilha e iniciamos a escalada às 15:00 com o Béia guiando a via. Após guiar 100m de via, Béia me passou a ponta da corda para eu terminar a guiada dos 20m que faltavam para a parada dupla de 120m. Não pudemos continuar pois o sol já estava se pondo. Descemos a trilha já de noite mas como ela já está bem delimitada, isso não foi problema.


26/08/2012

Escalada da Agulha do Diabo. Eu e Marcelo VIeira escolhemos esse dia pois a previsão do tempo estava perfeita para uma escalada na Agulha. A previsão dizia 0% de possibilidade de chuva na área. Entramos na caminhada às 06:40 e as 09:10 já estávamos na cota 2000. Às 09:40 chegamos ao acampamento Paquequer. Descemos o vale que dá acesso à base da agulha com aproximadamente 01:30 de escalaminhada. Começamos a escalada pouco antes das 12:00. Marcelo guiou toda a via e estávamos com boa velocidade. Quando entramos na chaminé anterior ao cavalinho começou um sereno forte que logo se transformou em uma chuva considerável, molhando nossas chances de chegar ao topo neste dia. Aproveitamos a corda de outra dupla que estava descendo e adiantamos o nosso escape do lugar. A chuva nos acompanhou por boa parte do trajeto e foi reduzindo a intensidade sem pressa. Chegamos na barragem às 19:10 após 28km de trilha, cansados mas não menos felizes. A Agulha é sempre uma grande aventura, fazendo cume ou não.


04/08/2012

 Escalada da via Leste no Dedo de Deus. Deyvisson e Béia em uma cordada e Peterson e Otávio em outra. Fizemos uma escalada tranquila e conseguimos pegar um dia bonito. Pela primeira vez eu guiei integralmente a via, antes eu havia escalado revezando a guiada ou de segundo. Grande dia de escalada.


22/07/2012

 Continuação da conquista da via Amigo da Onça na Pedra de Miracema-RJ. Leandro conseguiu conquistar mais 20m em um trecho bastante acidentado e com um crux que acreditamos ser VI (pendente confirmaçao). Ao que parece, o que vem pela frente é um trecho de aproximadamente 60m de escalada tranquila... Agora é esperar a próxima oportunidade para conferir se é isso mesmo.


21/07/2012

Escalada e conquista da Variante Festinha de Criança IV 25m

Sábado, rumamos para a Serra Vermelha não muito cedo, por volta das  09:00. Participaram Deyvisson, Leandro, Cínthia, Marcelo e Adriana. Apesar de não termos escalado toda a via, foi um dia extremamente agradável de escalada pois ficamos até as 16:00 escalando e ainda por cima com sombra poderosa na base da via. O sol de julho também ajuda sendo menos intenso o que favoreceu para que pudéssemos ficar escalando até esse horário. De quebra, tivemos a oportunidade de abrir uma variante da primeira cordada da via Lágrima, Suor e Sangue (a única via da Serra Vermelha) que de noite cheguei a conclusão de que deveria se chamar Festinha de Criança IV 25m, pois ao ficar pensando no dia que tivemos naquela montanha, reparei que estávamos como crianças na base daquela montanha, especialmente a Cínthia, na qual pude perceber uma sensação de vitória pessoal e ví um crescimento consistente em sua escalada. Para mim foi muito gratificante ver uma pessoa que está começando a escalar se superar e vencer um lance delicado como é o crux daquela cordada e saber que eu pude contribuir com mais aquela via para que todas as pessoas possam provar o gosto da escalada. Quanto ao Marcelo e Adriana, simplesmente pessoas espetaculares, simples, vou resumir, ótimos parceiros para se ter na montanha. Uma vez eu vi um senhor conquistador dizer em uma entrevista: "a amizade do montanhista é a amizade mais bonita, pois é uma amizade desinteressada", concordo com ele e podemos dizer que temos a partir desse final de semana mais duas amizades neste nível de qualidade. Marcelo e Adriana, quando quiserem escalar por essas bandas novamente, é só falar pois as portas sempre estarão abertas para vocês.



20/07/2012

Carrapatos de Pedra


Hoje fomos até a Pedra Bonita para repetirmos a via Nada Consta 3 VI 490m E3 D2. Participaram da escalada: Deyvisson, Marcelo e Adriana Teresópolis) e Wesley (Itaperuna). Dia perfeito para escalar com muuuitas nuvens bloqueando esse sol de inverno. Espero que vocês tenham apreciado a escalada tanto quanto eu apreciei. 


18/07/2012

Nesta quarta-feira fomos até a Pedra de Miracema para dar continuidade na conquista da via "Amigo da Onça" que já conta com 90m. Eu (Deyvisson e Leandro) chegamos na base com 45min de caminhada. Leandro guiou os 90m da via e Eu iniciei a conquista saindo a direita da parada dupla em direção ao diedro mequetrefe. Conseguimos conquistar e bater mais uma parada dupla para completar aproximadamente  120m de via. No fim das contas até ameaçou uma chuva mas ficou só no chuvisco mesmo. 

15/07/2012

O domingo ficou separado para podermos ir até a Pedra do Sapo em Porciúncula-RJ. Escalamos o dia todo, nada de sol pra atrapalhar a escalada depois das 12:00. Só saímos da Pedra do Sapo quando já estava anoitecendo. Participantes: Deyvisson, Béia, Leandro e Cínthia.


14/07/2012

Início da conquista da via "Amigo da Onça"


Neste sábado, Eu (Deyvisson) e Leandro resolvemos ir até a Pedra de Miracema para começar uma nova conquista. Depois de muito andar no mato, resolvemos entrar na mata e essa decisão foi crucial pois conseguimos chegar até a base da montanha de maneira mais eficiente. Leandro iniciou a conquista e em seguida eu assumi a ponta da corda para continuar o trabalho. Neste dia conquistamos 90m em uma laje de terceiro grau mas com lances escorregadios e grampos não muito próximos um do outro. Optamos por descer ainda com a luz do dia já que teríamos que passar pela mata e isso poderia complicar um pouco se a noite chegasse.


08/07/2012

AR DRONE sobrevoando o Rio Pomba


Mais um video com o AR DRONE, desta vez sobreoando o Rio Pomba na cidade de Pádua-RJ.


07/07/2012

Teste com o AR DRONE 2.0













Filmagem Iphone


Primeiro teste na rocha com o  AR DRONE 2.0  e ficou bem legal. Ainda estou aprendendo a pilotar mas já deu pra fazer umas tomadas bem legais da escalada. Estes são apenas dois dos videos que gravamos, vou tentar postar mais videos. Participantes: Deyvisson, Lissandra, Leandro, Cínthia.


13/06/2012



AR DRONE NO CORCOVADO COM VENTO

Teste do AR DRONE 2.0

AR DRONE 2.0 Niterói-RJ Brazil

Chegando a 33m com o AR DRONE.


Hoje conseguimos mais uma aquisição para as nossas filmagens nas montanhas paduanas. Estamos com um AR DRONE 2.0 que é um quadricóptero controlado pelo Iphone. Vamos ulitilizá-lo para fazer as tomadas aéreas das nossas escaladas pela região. Em anexo está um video com um dos primeiros vôos do AR DRONE ainda em fase de adaptação. Agora é contar os dias para poder estrear esta belezinha na pedra.


03/06/2012

Domingo, fizemos a repetição de metade da via "Nada Consta". Duplas: Deyvisson e Getúlio, Leandro e Cínthia. Em seguida fomos até a pedra Santa Maria para fazermos a repetição da nova via da esquerda.


02/06/2012

Sábado, eu, Leandro, Cínthia, Béia e Getúlio iniciamos a conquista de duas novas vias em uma nova Pedra na região de Santa Maria, próximo a Paraoquena.


29/04/2012

Domingão, tudo preparado para escalarmos na Pedra Bonita, partimos bem cedo mas antes de chegarmos nas Três Cruzes a chuva começou a cair e fomos obrigados a voltar para casa. No final do dia, fomos até a Pedra do Arraialzinho e fizemos as vias Vovó Santinha e Cactus de Fogo. Foi bom voltar ao Arraialzinho depois de uns 3 anos sem aparecer por lá.


28/04/2012

Mal Súbito


Neste sábado, Eu (Deyvisson), Leandro e Chintia fomos mais uma vez para a Pedra Bonita. Resolvemos escalar a via Mal Súbito (também conhecida como via do Dago). Leandro guiou toda a via. O crux ficou por conta da variante orkut onde Leandro conseguiu guiar quase todo o lance, utilizando o estribo apenas na passada final. Rapelamos da parada dupla anterior a cordada da fenda diagonal. Chegamos na base e seguimos para a direita da parede onde ficam as duas vias mais novas da montanha: a primeira é a via Árvore Seca e a segunda é um projeto ainda sem nome. Leandro tentou guiar o novo projeto e conseguiu chegar ao terceiro grampo em livre. A partir desse grampo, seguimos em artificial até o último grampo e continuamos a conquista instalando apenas 1 grampo já que a noite se aproximava e só tínhamos uma lanterna para 3 pessoas. Foi um dia bem legal onde pudemos escalar sem o peso do material de conquista já que nos últimos tempos temos nos dedicado exclusivamente às conquistas.


23/04/2012

Conquista Árvore Seca


Saímos bem cedo para a Pedra Bonita, eu, Cristiano, Leandro e Getúlio. Fomos até a via Árvore Seca e continuamos a conquista até os 15m. Fizemos algumas tentativas de escalada em top rope mas tivemos dificuldades para fazer os lances. Conseguimos executar alguns lances isolados mas temos que dar uma fortalecida para conseguirmos mandar a via toda pois é bem difícil para o nosso nível atual. Em seguida, abrimos outra via à esquerda da Árvore Seca. Fizemos em top rope a partir da outra via pois não havia tempo para conquistarmos de baixo. Essa via tem um grau mais baixo e por isso é mais tranquila para ser escalada. A via ainda não tem nome.


22/04/2012

Cristiano guiando a via Mata Fome. Imagem: Guilherme Miller


No domingo, fizemos uma escalada no Sapinho, (eu e Cristiano). Chamamos o Guilherme Miller que foi conosco para fazer umas imagens aéreas com o AR DRONE. Ficamos animados com o resultado das imagens. Já era fim de dia e a luminosidade já estava baixa mas mesmo assim deu pra fazer umas filmagens do alto com o quadricóptero.


21/04/2012

Leandro guiando a via do Canudinho na Pedra Bonita


Depois de um bom tempo sem escalar, voltei (Deyvisson) a ativa em Pádua para continuar as conquistas. Neste feriado de Tiradentes, Eu (Deyvisson), Leandro, Cinthia, Cristiano e Getúlio fomos até a Pedra bonita para continuar as novas conquistas. Eu comecei conquistando a via Canudinho e instalamos a parada dupla, em seguida resolvemos continuar esticando essa via e paramos a conquista por volta dos 40m de altura. Enquanto eu conquistava o pessoal estava escalando as outras vias. A seguir, fomos dar prosseguimento a via da Árvore Seca que só contava com 1 grampo. Eu coloquei mais 2 grampos na via e em seguida o Cristiano Alarcon conseguiu fazer os lances em livre com ajuda no segundo movimento. 


22/02/2012

Quarta- feira de cinzas, combinamos uma escalada na Serra Vermelha para fechar o carnaval com 6 dias consecutivos de escalada. Eu, Leandro e Cristiano ficamos encarregados da escalada enquanto o Cleiton ficou responsável pela filmagem de uma distância que desse pra pegar toda a pedra. Leandro, em ótima fase de escalada guiou os 50m da via sem dificuldades e em seguida Cristiano escalou de top rope um trecho da escalada. Eu fui por último e me reuni com leandro na parada de 50m onde optamos por fazer o rapel pois o sol já estava querendo dar as caras. Dito e feito, descemos de rapel e quando saímos da matinha o sol mostrou toda a sua força queimando com vontade durante os 5min que faltavam de caminhada. Bem, esse carnaval realmente rendeu pois fizemos a seguinte sequencia de escalada:

17/02- Pedra do Sapinho pra esquentar.

18/02- Conquista na Pedra Bonita com dia nublado perfeito.

19/02- Escalada na Pedra do Macuco em Muriaé-Mg (na sombra, heehe)

20/02- Conquista na Pedra Bonita, mais nublado impossível.

21/02- Conquista no Baú e Peito de Moça em Campos-RJ.

22/02- Escalada na Serra Vermelha.

Na barra de navegação na esquerda, clique em Fotos para ver as imagens das escaladas.


21/02/2012

Esta Terça foi o dia de dar uma mãozinha ao meu primo e amigo Cristiano Alarcon lá pelas bandas de Campos dos Goytacazes. Saí cedo de Pádua e encontrei o Cristiano no trevo para Rio Preto e seguimos rumo a montanha de nome Peito de Moça. Ao chegarmos no local, visualizamos uma falésia de aproximadamente 100m e resolvemos ir dar uma olhada mais de perto. Paramos o carro embaixo de umas árvores, andamos 10m e já estávamos debaixo do grande negativo desta montanha que descobrimos depois se chamar Baú (de Rio Preto). Tentamos ensaiar alguns movimentos no negativo mas foi impossível para o nosso condicionamento físico atual ehehee, caminhamos para a direita da pedra e achamos duas fendas, escolhemos a fenda da direita e começamos a conquistar uma via em móvel. Este lado esquerdo da montanha é levemente positivo e concluímos a conquista da via Meu Boy IVsup A2 15m. Esta via tem duas fendas na diagonal que se conectam com uma terceira fenda na vertical seguindo levemente para a  direita até o mato onde batemos um grampo para rapel. Saímos do Baú e fomos na parte da tarde para a pedra principal, a Peito de Moça onde iniciamos uma conquista após um trecho de 10min de caminhada. Conquistamos em artificial (furos de cliff) pois a parede estava nos parecendo impossível de ser escalada em livre. Quando chegamos aos 30m de via, bati a dupla e desci pois já estava dando a nossa hora de partir. Cristiano havia esquecido de levar a sapatilha para esta segunda etapa de conquista mas resolveu fazer uma tentativa de escalada em livre desta nova via com a minha sapatilha. Fiquei surpreso pois ele conseguiu mandar 80% da via em livre, mesmo com a sapatilha folgada e ficamos animados em voltar num outro dia para dar prosseguimento a essa nova via. Cristiano bufou um mocado para conseguir subir essa via mas valeu a pena ver que é possível mandá-la em livre. Clique em Fotos na barra de navegação na esquerda para ver os flashes deste dia.


20/02/2012

Nesta segunda de carnaval, Eu (Deyvisson) e Leandro partimos ainda de madrugada rumo à Pedra Bonita para dar prosseguimento a conquista da via que eu e Zeliciano havíamos entrado no sábado. Dos primeiros 30m de via, faltava apenas bater a parada dupla, o que fizemos rapidamente. Comecei a conquista por volta de 08:00 e a via se mostrou bem mais difícil do que os primeiros 30m que estava com uma graduação de 3sup. Já na saída da dupla as agarras ficaram bem menores e quebradiças, por isso optei por progredir em furos de cliff. Quando alcançamos o local da segunda parada dupla (60m) instalei os grampos e o Leandro começou a escalar com corda de cima. Acredito eu que devido ao fato de estarmos escalando há 4 dias ininterruptos, Leandro teve mais dificuldades nos primeiros 30m do que em sua repetição no sábado, quando passou com facilidade pelos lances. A segunda parte da via, definitivamente dificultou a nossa vida. Segundo o Leandro, a graduação deve estar entre 5º ou 6sup. Esta via vai ficar com 60m pois não temos intenção de esticá-la até o topo, vamos investir em mais vias curtas de 60m pois a parede oferece muitas oportunidades e inclinações diferentes. A via foi batizada de " As Aparências Enganam" 60m, 4º, VIsup, E1, D1. Optei por deixar as proteções bem próximas, evitando assim quedas com aterrissagens em platôs. Para repeti-la, são necessárias 17 costuras e corda de 60m. Clique em Fotos na barra de navegação na esquerda para ver os flashes deste dia.


19/02/2012

Neste domingo, partimos bem cedo rumo a Muriaé-Mg para escalar a Pedra do Macuco. Eu (Deyvisson), Leandro e Cinthia aproveitamos a manhã toda e entramos em algumas das muitas vias da parede. A maioria das vias é bem exigente e optamos por gastar nossas energias nas vias mais "tranquilas". Valeu muito a pena ir até lá pois tinha muito tempo que eu não passava por lá. Vamos ver se marcamos logo a próxima viagem para tentar resolver os lances pendentes. Clique em Fotos na barra de navegação na esquerda para ver os flashes deste dia.

18/02/2012

Dia muito produtivo para a escalada paduana. Eu (Deyvisson), Leandro, Rodrigo e Zeliciano partimos bem cedo para a Pedra Bonita para fazermos duas tentativas de conquista. Eu e Zeliciano entramos em uma antiga via que já havia sido iniciada a conquista por nós desde 2004 e estava com somente 16m de extensão. Conseguimos esticar a conquista  e alcançamos os 30m na pedra. Leandro e Rodrigo iniciaram a conquista de uma nova via localizada 50m para a direita da nossa e conseguiram esticar 15m de conquista. As vias foram repetidas em livre e ficaram muito boas. Aproveitamos até as 10:00 pois haviam muitas nuvens nos protegendo do sol, e quando começou a queimar de verdade demos o pé da montanha chegando em casa por volta das 12:00. Clique em Fotos na barra de navegação na esquerda para ver os flashes deste dia.

17/02/2012

Final de tarde, escaladinha rápida na Pedra do Sapinho em Boa Nova para conhecer a terceira via da parede: Dia de Culto. O grau ainda está para ser confirmado pois estamos tendo muita dificuldade em vencer o crux da via. Aproveitamos também para bater a parada dupla desta nova via que estava pendente. Neste dia, participaram, Deyvisson, Béia, Leandro e Cinthia.


17/12/2011

Neste sábado, eu (Deyvisson) e Leandro fomos até a Pedra Bonita para fazermos mais uma investida na via Cor de Burro Quando Foge. O tempo  estava bem nublado o que deu uma aliviada na temperatura. Começamos a escalada às 10:00 e pouco antes das 15:00 conseguimos alcançar os grampos da outra via (Nada Consta). Assim que o Leandro chegou na parada dupla, começou uma chuva forte, porém só durou uns 5 minutos. Iniciamos o rappel para retornarmos para Pádua. A via ficou assim: Cor de Burro Quando Foge 4 V E2 D1 150m.


05/11/2011


Neste sábado, o destino da escalada foi um lugar chamado Salinas que fica próximo a Friburgo-RJ. Eu (Deyvisson) fui com o pessoal da escalada de Teresópolis (Fred, Zói, Tio Lúcio e ). Chegamos em Salinas e iniciamos a caminhada de 01:30 até a base do Capacete para entrarmos na via Chamada de Rodolfo Chermont 5 (A0, 6+) E1 200m. Os guias das cordadas foram o Fred e o Tio Lúcio. Iniciamos a escalada às 12:00 e ao chegarmos no cume, depois de alguns minutos, a neblina desapareceu para nos permitir visualisar a paisagem. O dia estava perfeito para escalar, pois as nuvens nos protegiam do sol em alguns momentos. Iniciamos o rapel e às 16:00 já estávamos na base da montanha. Daí pra baixo foi rápido, e com aprox. 1h de caminhada já estávamos no carro prontos para retornar para teresópolis. Eu já havia estado em salinas há muitos anos e ao retornar agora eu me perguntei porque eu fiquei tanto tempo sem voltar neste lugar. Com certeza as escaladas de Salinas estarão na minha lista de montanhas desejadas para 2012.


02/11/2011


Neste feriado de finados, eu (Deyvisson) e Béia fomos na parte da tarde até a Pedra Bonita pra tentar continuar a conquista da "Cor de burro quando foge". Chegamos na base da pedra às 14:15 e o Béia iniciou guiando a cordada, porém empacou no lance dos 40m. Eu continuei a guiada e chegamos na última parada dupla para dar continuação a conquista. Conseguimos conquistar aproximadamente 20m e com isto a via passa agora a ter 110m de extensão. Este último trecho conquistado parece ser um pouco mais difícil que os lances anteriores.


30/10/2011


Para encerrar a overdose de escalada deste final de semana, Eu (Deyvisson), Cristiano Alarcon, Leandro e Cínthia fomos até Porciúncula para escalar na Pedra do Sapo. Saímos bem cedo e pudemos aproveitar bastante das vias daquela montanha. Desta vez, fizemos a via Linha vermelha e emendamos até o buraco que fica bem na base do negativo. Leandro ainda guiou um trecho de uma diagonal para a esquerda que dá acesso ao outro platô na base do negativo mas acabou desistindo faltando um grampo para o platô. Entramos também nas vias "Formiga de Ferro, Acidente Louco, além da via da esquerda da acidente louco e a via da Fenda na matinha da esquerda da pedra. A idéia era retornar a Pádua e ir Para a Pedra Bonita com o Béia para repetir em livre o último trecho conquistado da "Cor de burro quando foge", mas devido a um contratempo tivemos que adiar esta última escalada. Bem, o saldo da escalada foi beeemmm posistivo, pois foram 3 dias consecutivos de escalada em duas montanhas maravilhosas. Agora é esperar a próxima oportunidade para tentar voltar na Pedra Bonita pois neste verão, a via "Cor de burro quando foge" fica na sombra depois das 15:30.

 

29/10/2011

Neste sábado, fomos Eu (Deyvisson), Cristiano Alarcon, Leandro, Cínthia e Péterson até a Pedra Bonita para tentarmos dar continuação a conquista da via "Cor de burro quando foge". Péterson, Leandro e Cínthia fizeram a escalada da via e Eu e Cristiano nos encarregamos de continuar a conquista. A inclinação da parede se acentuou o que deixou a via um pouco mais técnica do que os 60m iniciais que são bem positivos. Às 19:20 terminamos de instalar a terceira parada dupla com aprox. 90m. Neste dia também duplicamos as outras duas paradas que estavam em grampo único. Ao total (inclulindo as paradas duplicadas) foram 9 grampos instalados na via. O Cristiano escalou este último trecho conquistado de top rope e relatou que os lances são bem legais de realizar. Agora é aguardar a próxima oportunidade para voltar lá fazer a primeira repetição deste último trecho conquistado. 

 

28/10/2011

Na sexta do dia 28, eu (Deyvisson) cheguei em Pádua na parte da tarde e fui com o Béia até a Pedra Bonita para fazermos a primeira repetição da via "Cor de burro quando foge" e quem sabe bater algum grampo. Chegamos na base da via às 16:00, porém uma chuva nos fez desistir da escalada. Iniciamos a descida da trilha e no meio do caminho a chuva deu uma trégua, o que nos fez esperar um pouco e retornar até a base da via para fazer uma tentativa, mas desta vez sem os equipamentos de conquista que deixamos mais em baixo na trilha. Ao chegarmos na base, novamente a chuva recomeçou só que mais forte e com alguns raios. Esperamos ali mesmo e novamente a chuva parou. Como foram pancadas curtas de chuva, a pedra não chegou a molhar e pudemos escalar a via. Eu iniciei guiando até a metade do que já havíamos conquistado, em seguida o Béia passou a guiar e foi até o último grampo que estava ao nível de 70m. Como foi uma escalada rápida, descemos e chegamos na moto ainda de dia, às 19:20.

 

02/10/2011

Neste domingo, eu (Deyvisson) e Aragão fomos até a Serrinha e o  Aragão fez a primeira repetição da via (que ainda não tem nome) conquistada por Béia. Entramos também na via Bundicídio, onde escalamos só os 2 primeiros grampos devido ao sol forte. A idéia é retornar lá para tentar dar continuação na conquista da bundicídio.  Neste dia, pudemos ir de carro até uma antiga casa que tem depois da descida e da porteira, isso adiantou bastante a caminhada pois a estrada foi reparada com trator, o que faz com que gastemos menos tempo caminhando para acessar a base da pedra.


01/10/2011

Neste sábado fomos para a Serra de Frecheiras em duas cordadas: Leandro e  eu (Deyvisson), e Béia c/ Peterson. Leandro e Béia guiaram a via quase toda, faltando 30m para chegar no grande platô. Segundo o relato deles, a guiada da via foi tranquila sem dificuldades. Foi a primeira vez que alguém guiou quase toda a via sem que um dos conquistadores participasse da guiada. Leandro e Béia estão de parabéns pois entraram na via determinados a guiar e só pararam pois tínhamos limite de horário para voltar por compromissos, sem contar o sol que estava rachando.


17/09/2011


No sábado, Béia, Rodrigo, e Zeliciano foram até o buraco do Sal na SErra de Frecheiras e entraram na via Tempos de Guerra que dá acesso ao buraco. Esta via ainda está sendo escalada em artificial pois ninguém conseguiu liberá-la. Acredito que não seja impossível de mandar em livre mas tem que estar escalando muito bem pra isso. Quando eles me mandarem as fotos e o relato da escalada, eu colocarei no site.


04/09/2011


 



Confira as fotos no ícone Fotos na esquerda.


Neste domingo, eu (Deyvisson) e Alexandre Aragão madrugamos e entramos na trilha em direção a Agulha do Diabo às 06:30. Caminhamos por 06:30 e às 13:30 iniciamos a escalada da Agulha. Não sou de reclamar de trilha mas considerando que a trilha para a Agulha está dentro de um Parque Nacional (PNSO) acredito que deveria haver uma rotina de manutenção naquela trilha pois estava em péssimas condições chegando mais perto de ser uma picada na mata do que propriamente uma trilha digna de um Parque Nacional. Bom, voltando a escalada: entramos na via e tivemos algumas dificuldades quanto ao trajeto da mesma pois em alguns lances não sabíamos por onde prosseguir.  O monstro Aragão guiou a primeira cordada que tinha uns 20m onde deu pra proteger com um camalot número 2 além dos grampos. Em seguida ele também guiou uma diagonal para a direita de uns 20m fazendo uma parada em árvore. A via continuou para a direita em um lance de domínio de um trângulo de pedra com uma fenda horizontal para pé e em seguida veio um pequeno trecho de caminhada até a base de um diedro com uma fenda fina na esquerda. Este lance nos pareceu esquisito, contudo, Aragão conseguiu guiar sem problemas até a próxima parada em outro platô. O Aragão colocou uma pilha pra eu guiar a próxima cordada que era curta, e eu fiquei com um pouco de medo devido ao meu peso excessivo, mas guiei assim mesmo e constatei que era uma passagem tranquila de se fazer. Depois deste lance, seguimos por uma caminhada até uns blocos de pedra, onde erramos o caminho e seguimos para a direita. Quando descobrimos que estávamos no caminho errado, voltamos e passamos por baixo das pedras e chegamos até a base da chaminé dos blocos entalados. Caminhamos até  o final da chaminé, e comecei a guiar a mesma. Esta chaminé não é difícil, mas a passagem pelo buraco entre as pedras deu um trabalho danado. Quando eu cheguei em uma grande pedra entalada no alto da chaminé, me deparei com um lance esquisito e não consegui resolvê-lo, então fiz a segurança para o Aragão se juntar a mim em cima deste bloco de pedra. Conseguimos colocar uma proteção móvel acima deste bloco e o Aragão guiou os dois grampos que faltavam para a parada dupla com uns movimentos tipo ninja na saída da chaminé. Desta parada dupla, seguimos em uma caminhada até o lance do cavalinho, onde pudemos ver de perto o abismo que fica abaixo deste lance. Decidimos retornar pois não queríamos fazer o rapel de noite, e não daria tempo para atingir o cume antes do anoitecer. Iniciamos o rapel às 17:30 e chegamos a base da via quase sem luz às 18:00. O retorno pela trilha foi bem cansativo com alguns lances de rapel e muito trepa pedra na subida para o colo entre o Mirante do inferno e o São João. Chegamos ao Acampamento Paquequer às 20:30, abastecemos nossos cantis pois nossa água tinha acabado no meio da escalada e continuamos a descida. Optamos por pegar o atalho do Morro da Cruz e chegamos em Teresópolis às 23:45. Depois desta maratona de 17:00 e 9.000kcal, separamos os equipamentos, mandamos um X Tudo com refrigerante pra dentro e o Aragão resolveu tocar direto dirigindo para o Rio. Não ter chegado no cume foi apenas um detalhe  desta aventura nota 10 com um parceiro de escalada que é um grande camarada. Quando dizem que a Escalada da agulha foi classificada entre as 15 mais belas escaladas do mundo, eu digo que aquela montanha merece este título, foi uma aventura incrível e eu já conto os dias (e espero a perna parar de doer) pra tentar mais uma vez escalá-la. Aragão guiou com maestria praticamente toda a montanha, e mostrou que sua habilidade também é extrema não só nas falésias mas também nas grandes paredes. Apesar de não termos tirado muitas fotos, conseguimos filmar em HD muitos trechos da escalada. Aprendi muito nesta escalada com o Monstro e me diverti pra caramba nesta montanha onde o acesso se torna um obstáculo tão grande quanto a escalada em sí.


20/08/2011

Neste sábado, fizemos uma tentativa de escalada no Dedo de Deus mas uma chuva fina colocou nossos planos de escalada literalmente por água a baixo. Eu (Deyvisson), Cristiano Alarcon e Leandro Dornelles assistimos o sábado se iniciar com uma chuva fina constante e vimos com o passar das horas a nossa chance de escalar ser eliminada pouco a pouco. Mesmo assim, decidimos fazer uma tentativa de baixo de chuva até a base do Dedo de Deus, onde chegamos e pudemos constatar o óbvio...tudo molhado por lá. Tentamos subir pelos cabos de aço mas com eles molhados fica quase impossível subir, então optamos por retornar. 


13/08/2011

Escalada em Jacarépagua com o monstro Aragão. Chegamos meio tarde na falésia perdida mas mesmo assim deu pra fazer uma investida na via mais fácil do local (7a). Sofri muito nesta via mas pelo menos consegui tirar o pé do chão e subir um pouco...Agora é treinar mais pra tentar repetir a via com uma performance melhor na próxima vez.


30/07/2011






Para fechar as férias, nada melhor do que uma escalada na Pedra do Sapo em Porciúncula-RJ. Partimos bem cedo pra lá, eu (Deyvisson), Leandro e Cínthia e escalamos até os dedos arderem. Entramos nas vias: Capitão Caverna V, Linha Vermelha V, Formiga de Ferro III e Acidente Louco 7a(um trecho). Já deu pra perceber que se depender do Leandro e da Cínthia vai ter escalada todo o dia em pádua, ainda bem, sangue novo no esporte sempre é bom.


29/07/2011

Foto: Estevão, Cleiton, Arthur, Leandro, Cínthia e Deyvisson.

Fomos até a Pedra das Três Cruzes para uma escaladinha de final de tarde. Participaram da escalada: Deyvisson Bastos, Cleiton L. M e seus filhos Estevão e Arthur e os novos escaladores Paduanos Leandro e Cínthia. Esta pedra tem um nível de dificuldade menor o que proporciona  um aprendizado mais tranquilo do esporte como no caso da Cínthia, Estevão e Arthur. Os dois pequenos estão se aventurando no esporte desde muito novos, o que pode fazer com que desenvolvam as habilidades do mundo vertical e se destaquem em um futuro próximo.


27 e 28/07/2011











Nestes dois dias, começamos a escalada na Serra de Frecheiras com o objetivo de bivacar no negativo e continuar a conquista da via Bem Aventurados. Após um dia extenuante de escalada e içamento de equipamentos, não conseguimos atingir o platô e optamos por bivacar na parada de 120m onde a inclinação acentuada da parede nos proporcionaria um bom bivaque. Montamos o portaledge com a idéia de no dia seguinte acordar cedo e escalar os 80m que faltavam para o grande platô do negativo. Nosso primeiro grande erro: Não conseguimos levantar cedo e com isso perdemos tempo para conquista. Chegamos no platô depois depois do meio-dia e atingimos o último grampo do negativo às 14:30. Isso comprometeu a conquista pois o Béia tinha um compromisso as 19:00 em Pádua, o que nos obrigou a descer e abandonar a idéia da conquista. Instalamos um cordelete no último grampo para agilizar a próxima tentativa de conquista e começamos a descer. Fizemos uma parada no ponto de bivaque e desmontamos o acampamento para em seguida reiniciar o rapel de descida. Após uma longa caminhada com as mochilas desreguladas e pendendo para os lados, chegamos no carro e rumamos para Pádua, onde chegamos às 20:40. Resultado da tentativa de conquista: NENHUM grampo batido e um esgotamento total devido aos esforços na parede.


25/07/2011


Nesta segunda, fizemos o porteio dos equipamentos até a base da via Bem Aventurados na Serra de Frecheiras e retornamos para casa. Optamos por levar todo o equipamento no antes devido ao peso excessivo que teríamos que carregar montanha acima.


16/07/2011

Peterson na segurança e Rodrigo escalando. Foto: Deyvisson B.

No final da tarde de sábado, rolou uma escaladinha na Pedra do Arraialzinho. Tinha muito tempo que eu (Deyvisson) não ia escalar lá, e foi bom pra relembrar como aquela pedra esfola os dedos.


Este video é de um Sr. que está com 77anos e continua escalando. Apesar de não ser de Pádua, tive que colocar o video aqui pois fiquei impressionado com a escalada do vovô.

Vídeo do YouTube



14/07/2011


Hoje eu (Deyvisson) fiquei impressionado com a evolução da escalada do nosso amigo Béia. Fomos no fim de tarde até a Pedra Bonita, onde repetimos a via Mal Súbito (Via do Dago). A via foi toda guiada pelo Béia que passou inclusive pela variante orkut em livre (acredito que dá mais de oitavo grau). Não satisfeito, tocou direto pra cima, passando pelo platô da árvore e sem querer pulou um grampo, o que o fez guiar um trecho delicado de uns 20m sem proteção alguma (o que ele fez sem dificuldades). Chegamos na dupla que fica antes da fenda em móvel (120m) e tivemos que retornar pois já estava escuro. Eu, ao tentar passar pela variante, mesmo de corda de cima, tive imensa dificuldade e acabei pisando em 2 grampos. Resumindo: Com o upgrade do Béia, ele é sem dúvida o melhor escador da nossa cidade no momento, e do jeito que está escalando, já já, estará vencendo vias de nono grau. Parabéns Béia, tiro o capacete pra vc, escalou MUITO!!!!!! Filmamos muito mas acabamos não batendo nenhuma foto, então coloquei uma do Béia escalando em outra via para homenageá-lo.


29/06/2011

Béia após guiar a Nada Consta (490m). Foto: Deyvisson B.


Até que em fim, tiramos as teias de aranha dos dedos. Depois de mais de 2 meses sem escalar devido a uma luxação do ombro esq, fiz (Deyvisson) hoje minha primeira escalada para testar o ombro. Eu e Béia  fomos até a Pedra Bonita na parte da tarde e começamos a escalar às 15:10 a via Nada Consta (490m) com o Béia guiando a cordada. Conseguimos atingir o topo da montanha após 02:20 de escalada (nosso recorde de tempo) e começamos a rapelar ainda de dia. Chegamos na estrada após 01:30 de rapel e caminhada. Foi um dia muito bom de escalada pois o ombro não deu problema e o Béia conseguiu guiar a via toda em livre, sem apelar em nenhum grampo. Agora é escolher a data pra fazer a investida em frecheiras.


23/04/2011

No feriado da semana santa 23/04, Béia, Rodrigo, Zeliciano e Accácio foram até o Parque Nacional Itatiaia para fazer a caminhada até o pico das agulhas negras. Depois de caminharem um bom trecho, o Béia aproveitou pra guiar uma via que eles encontraram pelo caminho. Segundo Béia, a graduação da via estava por volta do 6 grau, mas deu pra mandar a via.

Béia guiando nas Agulhas Negras. Foto: Accácio



Está marcado para dia 09/04/2011 na Serra de Frecheiras a fundação do Clube Paduano de Montanhismo. Fica aqui o convite para quem quiser participar deste avanço do esporte Paduano. O link para o site do Clube é: http://www.clubepaduanodemontanhismo.com.br/    Aproveitem!!!

                                                                                        Deyvisson B.


08/03/2011


No carnaval só deu chuva, mas na terça na hora do almoço, Béia, Lissandra, Nathália, Aragão, Alice e Deyvisson foram ate a Pedra do Sapinho para ver se sairia alguma escalada. A escalada saiu, salvando o feriado que estava com cara de que seria todo perdido devido as chuvas.   


26/02/2011


Neste sábado foi iniciada a conquista da via "Cor de Burro quando foge" na Pedra Bonita. Iniciei a conquista (autosegurança) pela manhã e consegui alcançar os primeiros 62m da via. Pela tarde voltei à pedra com o Béia e o Rodrigo para pegar os equipamentos que eu havia deixado na parede. Aproveitamos que já estávamos lá e batemos mais 2 grampos, o que deixou a via com aproximadamente 68m conquistados. Essa via vai ser uma boa saída para quem quiser escalar a Nada Consta pois ela vai economizar 6 rapéis (do provável ponto de encontro entre as duas vias até a base pela Nada Consta são 330m) devido a inclinação maior da parede. Os primeiros 30m são bem fáceis, III grau, e por isso eu bati o primeiro grampo na parada de 30m. Daí pra cima, a parede ganha inclinação, por isso coloquei 3 grampos entre a parada de 30 e a de 60m. Quando chega na parada de 60m a parede inclina de vez e os regletes deixam a via mais difícil, o que fez com que os 8m ficassem com 3 grampos para proteção. Agora é esperar a próxima oportunidade pra continuar a conquista. Clique na foto para ver o trajeto das vias da montanha.


19/02/2011

Depois de 18 dias na total inatividade, estava tudo combinado para escalarmos na Serrinha pela manhã mas um imprevisto fez com que Rodrigo não pudesse ir conosco para a monanha. Com essa mudança no time da escalada, fomos (Deyvisson e Wanderson) na direção da Pedra Bonita e escalamos os primeiros 300m da Via Nada Consta 3sup VI 490m E3. O dia estava perfeito para escalar com o céu lotado de nuvens, o que proporcionou uma escalada tranquila sem os efeitos do sol. Como tínhamos horário estabelecido pra voltar, não pudemos progredir até o cume (faltaram 190m), mas deu para o Wanderson passar pela cordada do crux e sentir a parede mais inclinada e com micro agarras. Foi bom voltar naquela montanha, e desta vez, sem o sol castigando (como foi nas últimas 2 vezes) ao ponto de desidratarmos.  Pela tarde, Deyvisson, Cleiton, Arthur, Estevão e Sr. Expedito foram até o Sapinho para repetir as vias já existentes. O Cleiton já está conseguindo escalar a parede toda levando em conta que sofreu fraturas nos pulsos há pouco tempo. Já o Estevão, mostrou que tem a escalada no sangue pois conseguiu escalar até o quarto grampo da via Filhos Meus, o que o coloca talvez como o escalador mais jovem da nossa região. Arthur não pôde escalar pois está se recuperando de uma cirurgia, mas já cobrou que da próxima vez ele vai ter direito a uma subida a mais que Estevão. Então, tá combinado!!!!!


 

04/02/2011

Hoje fez 1 mês que eu coloquei o contador  de acessos no site, e tivemos até agora 205 visitas, o que eu considero bastante já que o site foi construído sem ajuda de nenhum universitário da área da informática. Até que poderiam ter sido 200 visitas por dia, mas pra começar acho que tá bom pois até o google começou com meia dúzia de gatos pingados no acesso. Bem, independente de quantas pessoas passam por aqui, o importante é que de alguma forma nós estamos divulgando a cidade de Santo Antônio de Pádua, pois existe sim alguma coisa para fazer lá, ao contrário do que muitos conterrâneos dizem por aí aos quatro cantos. Apesar da escalada não contar com nenhum tipo de apoio da Prefeitura, esperamos que em pouco tempo essa realidade possa ser modificada, já que com o potencial turístico para a escalada, alguns escaladores de outras regiões já estão se aventurando pelas bandas de Pádua para conhecer nossas vias, e com isso, gastam seu dinheiro na cidade, contribuindo com a economia local. O futuro promissor da escalada na cidade é indiscutível, mas temos que nos apressar para que esse futuro não esteja tão distante.


01/02/2011

Escalada na Pedra do Sapinho por Deyvison Bastos, Cleiton Mello e seus filhos Estevão e Arthur. Saímos de Pádua às 17:45 rumo a Boa Nova para o primeiro contato de Estevão e Arthur com o mundo vertical e também para fazer um teste com o pulso operado do Cleiton. Apesar de estar 5 anos afastado da escalada e estar com o pulso em recuperação de cirurgia, Cleiton conseguiu escalar parando para descansar somente 1 vez. Estevão e Arthur fizeram bonito também, conseguindo escalar uma boa parte da parede já que foi o primeiro contato deles com o esporte. Eles queriam mais, porém a noite já tomava conta do lugar e tivemos que prometer a eles que vamos levá-los de novo para escalar, pois com a pequena claridade restante, tínhamos que voltar pra casa. Cleiton voltou para casa feliz da vida de ver seus filhos empolgados com o esporte. Esperamos que essa empolgação também o contagie para que ele possa dar sua contribuição no término da conquista da Serra de Frecheiras. A foto deles escalando eu vou ficar devendo até que o Cleiton me passe para que eu possa publicar aqui.

 

31/01/2011

Beraldi aprendendo a voar. Foto: Deyvisson B.


No último dia do mês de janeiro, Deyvison B, Cristiano A. e Gustavo B. foram até a Serrinha para pela manhã para que Gustavo e Cristiano guiassem a via Secos e Molhados e assim sugerirem um grau de dificuldade para a via. A idéia era também entrar nas outras duas vias da parede mas o tempo passou e a Secos e Molhados consumiu todo o tempo disponível. Gustavo iniciou guiando e prosseguiu até o segundo grampo depois da parada de 30m. A partir deste ponto, o cansaço e a esquisitisse do lance o fizeram passar a ponta da corda para Cristiano A. tentar o lance. Ao chegar no lance, Cristiano disse que estava bem cansado e que não teria como guiar os próximos grampos. Seguindo a fila, Deyvisson B. assumiu a ponta da corda e deu prosseguimento a guiada mesmo depois de exitar bastante nos dois grampos seguintes ( e pegar uma ajudinha da costura). Também com a mente e o corpo pesados, Deyvisson costurou até a base do negativo e desceu, dando a chance de Gustavo B. tentar guiar o lance do negativo. Ao tentar guiar o negativo, Gustavo caiu 2 vezes sendo que na segunda vez ele havia puxado aproximadamente 3m de corda e estava na iminência de costurar quando a agarra da direita que o sustentava se quebrou fazendo Beraldi bater asa por 6m e pousar no positivo. O resultado desse pouso imperfeito foi o tornozelo esquerdo torcido e um retorno mancando pela trilha . Resumindo, esse dia foi o dia da escalada das desistências e das exitações com o saldo final de um tornozelo tocido e um lance ainda não vencido em livre e guiado. Pelo menos a segunda cordada foi guiada até a base do negativo, pois esse trecho só estava sendo escalado em top rope até o momento. O desafio continua lá pra quem quiser se aventurar...


30/01/2011

Deyvisson na parada dupla e Rodrigo mais a baixo. Foto: Deyvisson


Final de férias chegando mas até que não deu pra reclamar desse verão,  rolou muita escalada no sol e na sombra também. Hoje, Deyvisson e Rodrigo foram até a Serrinha (antiga pedra Sem Nome) para tentar fazer em livre o lance do negativo que ainda não havia sido escalado sem equipamento para escalada artificial. Deyvisson guiou até a parada de 30m e rodrigo subiu até a mesma para em seguida fazer a segurança em top rope para Deyvisson. Após algumas tentativas, Deyvisson conseguiu escalar em livre a virada do negativo até duas agarras de mão cheia que tem no positivo mas na hora de fazer a tração da virada o peso falou mais alto e este lance ficou sem ser escalado em livre. Em seguida Deyvisson se apoiou na corda para passar o lance que não estava conseguindo e continuou em livre até a parada dupla. Até agora, ninguém conseguiu mandar o lance todo em livre mas possivelmente alguém mais leve e mais forte terá mais chances nessa tracionada sinistra no final do negativo. Com 1800 kcal a menos, agora é esperar pra ver se alguém consegue.


27/01/2011

Deyvisson na Conquista.  Foto: Herivelto Marinho (Béia)

Saímos bem cedo em direção a Pedra Sem Nome (agora com nome, Serrinha) para fazer mais uma tentativa de conquista da via Secos e Molhados. Béia fez a primeira repetição da via guiando até a parada dupla de 30m sem apoiar em proteções. Começei (Deyvisson) conquistando logo depois da virada do pequeno negativo e a parede reduziu a inclinação passando a um positivo bem forte (próximo de 85 graus) onde conquistamos aproximadamente 10m até o local da parada dupla. Após instalar a parada dupla, fizemos o rapel até a base para podermos retornar pra casa. As nuvens deram uma ajuda e bloquearam o sol durante uma parte da caminhada até o carro. Agora é esperar pra ver quem vai ser o primeiro a conseguir guiar o negativo em livre, vamos aquecer os motores!!!!!


26/01/2011

Béia guiando a via Mata Fome. Foto: Deyvisson Bastos

Escalada no final de tarde na pedra do Sapinho em Boa Nova, distrito de Pádua. Fizemos (Deyvisson e Béia) um treino nas duas vias da pedra pra melhorar a resistência.


24/01/2011


Este dia começou bem cedo e às 07:00 saímos em direção a Pedra Sem Nome para mais um dia de conquista, mas desta vez com uma participante diferente, Yara, que está grávida e nos acompanhou na caminhada até a base da montanha. Devido aos contratempos na trilha, iniciamos a escalada bem tarde, e por isso decidimos só escalar neste dia, deixando a conquista para uma outra oportunidade. No dia anterior, Rodrigo Faria já havia reclamado dizendo que a via não era terceiro grau como eu (Deyvisson) havia dito. Foi então a vez do Cristiano A. fazer sua tentativa de guiar a via que até então só havia sido repetida em top rope   até a parada de 30m. Nos primeiros grampos Cristiano já reclamou também... não é terceiro grau não!!!! ehehehe. Após guiar aproximadamente 15m da via, Cristiano alcançou a corda fixa para instalarmos o top rope. Daí em diante, fizemos a via com a corda de cima e suamos pra caramba pra conseguir passar os lances mais complicados. Ainda não sabemos qual é a graduação da via pois estamos esperando que mais pessoas a repitam para confirmar o grau. Depois desta escalada em top rope, chegamos a conclusão que o grau de dificuldade deve estar por volta do sexto grau. Agora é aguardar até um corajoso ir lá e mandar a via pra confirmar o grau. 


23/01/2011

    

Pela manhã, Deyvisson B. e Rodrigo foram até a Pedra Sem Nome para dar seguimento na conquista da via Secos e Molhados. Apesar da ponta da broca ter sido destruída, deu pra vencer a barriga negativa e chegar novamente na parede positiva.

    No final de tarde, Deyvisson, Cristiano A. e Yara foram até a pedra do Sapinho para terminar o dia escalando as duas vias da pedra.


20/01/2011

Foto: Alice.

Escalada na Pedra do Urubu na Urca por Herivelto Marinho (béia), Alexandre Aragão, Alice e Tontom.


19/01/2011


Foto: Deyvisson B.

Escalada da via Azul III 90m no Coloridos (Urca) por Deyvisson Bastos e Alexandre Aragão. 


14/01/2011

Foto: Deyvisson B.

Escalada na Urca, via Reinaldo Benken IV 160m. Da esq. para direita: Herivelto Marinho (béia), Alexandre Aragão e Deyvisson Bastos. Fiquei devendo o crux da última cordada, mas não tem problema, da próxima vez eu tento de novo, ehehehe. Mais um dia na montanha. Amanhã, sábado, haverá uma homenagem ao Bernardo Collares na Urca e a comunidade de escaladores estará lá pra prestigiar e escalar.


09/01/2011

Via: MissPancas - Pancas-Es

Início da primeira cordada da via MissPancas na pedra do Operário em Pancas-Es. Deyvisson guiando a cordada e segurança feita por Flávia Soares. Entramos nesta via já depois das 18:00 e por isso não deu pra subir muito, fizemos uns lances e depois descemos. Quando estiquei 30m desta parada da foto, não encontrei a parada dupla com malha rápida, e por isso achamos melhor não prosseguir, pois já teríamos que abandonar um cordelete para fazer o rapel na Chapeleta. Dias depois, descobri contactando o conquistador que a via só tem paradas de 60m em 60m, sendo assim, só dá pra escalar com 2 cordas de 60m. Mesmo assim, valeu a pena a escalada, da próxima vez vamos entrar mais cedo na pedra pra poder tocar pra cima até o topo.  Para ver as fotos, é só entrar no link  Fotos.

09/01/2011

Pancas-Es

Yosemite vira parquinho perto deste lugar, só vendo ao vivo pra entender a verdadeira dimensao destes colossos de pedra. Hoje fizemos a escalada de uma parte da via MissPancas na montanha que fica atrás do Hospital. Amanha eu tento postar as fotos.


07/01/2011

Foto: ??? Campeonato de Parapente em Pancas-ES.


Se tudo correr bem, estaremos em Pancas-ES no dia 08/01/11 no final da tarde. Essa pequena cidade é um tipo de Disneylândia para quem gosta de escalar, mas com um detalhe, os brinquedos ainda tem que ser construídos (para brinquedos, entenda Vias de escalada). As rochas de lá tem umas 6 vias conquistadas até o momento, incluindo a segunda maior chaminé do país. Essa primeira parada por lá vai ser um tipo de reconhecimento, mas com certeza os equipos de conquista vão junto para quem sabe iniciar uma nova via naquele paraíso. Um escalador que passou por Pancas descreveu o lugar da seguinte maneira: "Em Pancas estão as espinhas da crosta terrestre". Depois de uma descrição dessas, só nos resta ir conferir pessoalmente. Deixo uma foto do lugar só pra vocês terem uma idéia do que estamos falando.



30/12/2010

Foto: Deyvisson B.

Nada melhor que uma nova conquista pra fechar o ano de 2010 do jeito que um escalador gosta. Hoje, quinta, Deyvisson e Béia rumaram para a Pedra Sem Nome para lapidar uma nova via naquela montanha. Quem estreou na conquista foi o Béia, ele mandou ver e abriu 23m de via que no final do dia foi repetida por Deyvisson. A via ficou muito maneira e possibilita um bom treinamento para ganho de força pois as agarras são pequenas, o que desgasta bastante o escalador. Essa foi a terceira via aberta na Pedra Sem Nome, e o nome da via vai estar aqui assim que o conquistador (Béia) batizá-la. A chuva, como de regra, deu as caras neste dia também por nada mais que 20 minutos e o restante ficou por conta da garoa fina. De qualquer forma, a pedra estava bem seca se comparada com as últimas investidas deste fim de ano. Depois de hoje, podemos dizer que temos mais um conquistador pelas bandas de Santo Antônio de Pádua. Agora é aguardar o ano novo, ou quem sabe ainda dá pra fazer alguma escaladinha no dia 31??????? Para ver as fotos, é só entrar no link  Fotos.



24/12/2010

Foto: Deyvisson B.

Pra não fugir a regra, no final da tarde fizemos uma escaladinha nas vias da pedra do Sapinho em Boa Nova. Três subidas pra cada um em cada via deu pra queimar umas calorias...

 


14/12/2010

Foto: Deyvisson B.

Nesta terça, fomos preparados para bivacar a 120m na via em conquista Cabeça de Bigorna, mas quando terminamos de montar o portaledge e organizar tudo para poder dormir, reparamos nos flashes no céu que pareciam vir de trás da montanha. Conversamos sobre a possibilidade de ficar toda a noite ali, e resolvemos que seria mais prudente desmontar o acampamento suspenso e ir embora. Já eram 22:00 quando começamos a descer de rapel e as nuvens e os raios ficavam cada vez mais perto a cada momento que passava. Foi o tempo certo de chegarmos a base e a chuva caiu forte de vez. Arrumamos tudo rapidamente nas mochilas e começamos a caminhada de volta para o carro. Chegamos em casa 01:30 encharcados. Saldo final da escalada: 60kg de equipamento molhado e nenhum grampo batido, mas não tem problema, não desistimos nunca, até a próxima tentativa.



14/11/2010

Fotos: Alice


Neste Domingo, Deyvisson Bastos, Alexandre Aragão e Alice foram até a Pedra Sem Nome para iniciar uma nova via na parede. A chuva não deu trégua e marcou presença o dia inteiro, repetindo a condição de escalada da investida anterior no dia 01/11/2010. A idéia era fazer uma conquista em móvel até o teto que fica a 30m da base, mas como a canaleta de saída estava totalmente molhada e muito escorregadia, optaram por iniciar a conquista um pouco mais para a esquerda e ainda sim, debaixo do teto. Aragão iniciou a cordada de conquista fazendo uma tentativa de progressão em livre o que rendeu-lhe uma queda, e  Deyvisson, de quebra, ganhou uma pisada no rosto e uma bundada na cabeça, o que deu o nome da via (Bundicídio= Tentativa de assassinato utilizando os glúteos, kkkkkk), com isso, alteramos a maneira de ascender, progredindo em parafuso para a instalação do primeiro grampo pois como a pedra estava molhada, qualquer tentativa de escalada em livre tinha ido pelo ralo. Em seguida, Deyvisson assumiu a ponta da corda e deu continuidade a conquista. As fotos e filmagem ficaram por conta da Alice que se protegeu da chuva debaixo de uma barraca improvisada na base da via. A conquista estava caminhando de forma razoável, mas alguns trovões foram o suficiente para apressar a batida do último grampo do dia. A caminhada de volta foi feita em 20min debaixo de uma chuva leve, e às 17:30 já estávamos no carro. Até aqui nada de mais, um dia de conquista atrapalhado pela chuva...10min depois. Ficamos com o carro atolado em um lameiro, e deu um trabalhão pra conseguir passar daquele trecho estrada de sorvete sabor lama. Vencido este desafio, nos deparamos com uma rampa leve, mas totalmente encharcada devido a chuva constante. Foram aproximadamente 01:30 de tetativas frustradas de vencer a rampa. Já escurecendo, resolvemos abandonar o carro, e partir pro asfalto na base das canelas (3,7km) com todo o equipamento nas costas. Chegando no asfalto, tentamos pegar carona, mas ninguém nos ajudou. Os pés já estavam doendo, foi quando tivemos a brilhante idéia de  caminhar mais 4km até o distrito mais próximo na tentativa de achar um orelhão para ligar para casa e resolver nosso problema, e o relógio já marcava 20:30. Nem uma alma parava pra dar carona naquela altura do campeonato, mas de repente, vem mais um carro, já estávamos desanimados mas fizemos sinal mesmo assim. Quando parecia que o carro não ia parar mais, ele encostou e o motorista saiu do carro já gritando " Se for ladrão atira logo", PRONTO, havíamos conseguido a bendita carona após 1km de caminhada no asfalto. O Sr. que deu a carona nos levou até Pádua onde pudemos pegar outro carro. Deyvisson levou Aragão e Alice até Itaocara e retornou para Pádua, mas a aventura ainda não havia acabado, pois no dia seguinte ainda teriam que resgatar o carro abandonado. Em caso de emergência, ligue para o Cleiton, heeheh. No dia seguinte, Cleiton conseguiu com o Amigo Jefinho um Troller para fazer o resgate do peugeot atolado. Chegando lá, outro problema...o Troller também ficou preso na rampa escorregadia. A chuva fina atrapalhava a secagem da rampa, e com isso tivemos que arrumar uma enxada para retirar a lama da estrada. Após uns retoques na estrada, o Troller saiu furioso rampa acima e foi posicionado para rebocar o peugeot. Empurra daqui, empurra dali, o Peugeot chegou no ponto certo para amarrarmos ao Troller. O pior passou mas ainda havia uma descida forte pra fazer...apoiamos o carro pela lateral e fomos descendo devagar até o trecho bom de estrada, e a partir deste ponto  tudo ficou tranquilo de novo. Fica aqui registrado o agradecimento ao Cleiton Mello que se prontificou a nos ajudar no resgate e ao Jeferson (dono do Troller) que também de boa vontade se deslocou até lá no feriado para nos ajudar nesta missão molhada, VALEU MESMO PESSOAL. Jamais desanimar é o lema, foi uma aventura daquelas, e depois daquele prato de comida e daquele banho...já estamos prontos pra outra, mas de preferência, sem carro atolado da próxima vez.


01/11/2010

A segunda feira chuvosa não foi suficiente para impedir a conquista de mais um trecho da Pedra sem Nome no maciço de Frecheiras. Deyvisson Bastos e Cristiano Alarcon conquistaram aproximadamente 15m do trecho vertical da via, chegando a base do pequeno teto. As fotos e filmes ficaram por conta de Cleiton Mello que ficou na base e Cristiano (câmera de mão). Até esta data, foram conquistados 45m da via que estamos estimando  ficar com 100m. Até agora, a via se mostrou bem tranquila com agarras grandes e o grau geral dos 45m conquistados não passa do IV grau. A proteção da via até o momento está em E1 (muito protegida) para estimular a repetição da mesma. A via em conquista já tem nome e se chama Secos e Molhados em homenagem a este dia chuvoso de conquista.

Conquista da Secos e Molhados


Foto: Cristiano Alarcon

 

 

31/10/2010

Apesar de termos iniciado a conquista no finalzinho da tarde, conseguimos instalar a parada dupla e um grampo acima dela na Pedra sem Nome. A via está com 30m.

 Foto: Herivelto Marinho (Béia)

 

15/10/2010

Nesta sexta, iniciei uma conquista em solitário na pedra ainda sem nome próximo a Serra de Frecheiras. A idéia inicial era conquistar no trecho que tem um negativo, mas ao chegar mais perto da pedra, encontrei uma linha escalável e aparentemente bem mais tanquila do que o negativo que parece ser bem difícil. Foram somente 2 horas de conquista mas deu pra conquistar aproximadamente 15m em uma parede positiva que ao nivel de 10m começa a inclinar bem, dificultando a conquista. Mesmo assim, acho que o trecho conquistado não passa de um IVsup. A via está bem protegida e o primeiro grampo está a 4 ou 5m do chão com um mar de agarras. A idéia é voltar lá amanhã e conquistar pelo menos mais uns 30m, mas a falta de gente pra dar uma força está dificultando a coisa. A técnica de conquista em solitário é boa mas ainda estou com algum receio de utilizá-la. Se a mente estiver boa amanhã, eu toco pra lá de novo. Veja també as fotos e o vídeo nas suas respectivas subpáginas neste site.

Foto: Cleiton L. M.


14/10/2010

Pedra ainda sem nome. Amanha vou tentar fazer uma conquista em solitário neste trecho amarelo de rocha negativa. Vamos ver se sai alguma coisa. Ao fundo dá pra ver um dos pontões de Frecheiras. Tem aprox. 150m.

Foto: Deyvisson B.


12/10/2010

Neste feriado, eu (Deyvisson) e Paulinho fizemos uma malhação na pedra do Sapinho em Boa Nova. Deu pra escalar até a mão não fechar mais.

Foto: Deyvisson B.


10/10/2010

Escaladinha relâmpago no Campo Escola em Campos dos Goytacazes por Deyvisson, Cristiano e Gustavo.



09/10/2010

A minha idéia inicial era ir para Pádua e conquistar os 20m que faltam para chegar na caverna que fica no negativo de frecheiras, mas como ninguém se habilitou a ir lá comigo, eu parti pra Campos dos Goytacazes  pra dar uma força na conquista do Bauzinho. Para ver as fotos, é só entrar no link Fotos.


02/10/2010

Escalada na Urca, via Ricardo Prado por Deyvisson Bastos e Herivelto Marinho (béia).


Na segunda, dia 06/09/2010, foi aberta a via Bonitinha mas Ordinária na Pedra do Vôo em Boa Nova. Ao que parece é a via mais atlética das que abrimos até agora nas rochas pequenas. É preciso confirmar o grau, mas predomina um V com uma saída de possível oitavo grau. Agora é esperar pra ver se alguém consegue realizar os lances em livre e guiando. O desafio está aberto.




Domingo, 05/09/2010 foi mais um dia de conquista, só que com um valor histórico diferente do que estávamos acostumados. Alcançamos o famoso Buraco do Sal na Parede de Frecheiras. Dizem os antigos que durante a segunda guerra, os habitantes do local retiravam o sal impregnado na rocha para alimentar o gado. Apesar de não ser tão alto (aprox. 30m) o buraco fica em um local de difícil acesso. Ao chegarmos dentro do buraco às 18:00, pudemos constatar que haviam no local algumas ferramentas como enxada, uma cabeça de picareta que foi utilizada como ancoragem para prender um cipó e mais 2 ponteiras que eram ulitizadas para fazer o furo na rocha. A via foi batizada de "Tempos de Guerra". A história completa será exibida aqui em outro momento. Para ver as fotos, é só acessar o link Fotos.

Na foto, Deyvisson Bastos e Herivelto Marinho (Béia) dentro do buraco do sal.




No sábado 05/09/2010 Deyvisson Bastos e Béia conquistaram a via Mundo Animal VI (a confirmar) 13m na nova rocha descoberta em Boa Nova. A pedra do Vôo tem aproximadamente 13m de altura.




Na Sexta 27/08/2010 Deyvisson Bastos e Gustavo Beraldi escalaram o Dedo de Deus pela via Leste/Maria Cebola. Para ver as fotos, é só acessar o link Fotos.

 

Dedo de Deus - 27/08/2010 - Foto: Sérgio


Serra de Frecheiras (foto abaixo)

Foto: Deyvisson Bastos. (Escalador Cleiton guiando a via Bem Aventurados na Serra de Frecheiras com segurança de Alexandre Aragão.


Demorou mas saiu!!!
    
      Depois de muito tempo a idéia do site foi colocada em prática, e isso aconteceu depois de uma conversa com um grupo de escaladores de Muriaé que encontramos na Pedra do Sapo em Porciúncula-RJ. O escalador Jean nos contou sobre o site que havia montado sobre Escalada em Muriaé, e com isso, eu e Cristiano Alarcon ficamos animados com a idéia de criar também o site sobre Escalada das cidades de Santo Antônio de Pádua e Campos dos Goytacazes.
       Dá pra notar que o site ainda precisa de muitos ajustes, sem contar que não foram inseridas quase nenhuma foto porque o arquivo ainda não está disponível para o upload (na semana que vem estará resolvido), mas o pontapé inicial (e mais difícil) foi dado.
       Em breve vou adicionar videos, fotos e croquis das nossas vias e conquistas,
espero que todos gostem do site e que o site se torne um ponto de ajuda e informação para quem quiser se aventurar por estas bandas de cá.
                                                                              Deyvisson Bastos Silva




 VISITANTES 

     shared hosting                          a partir de 04/01/2010

"Escalada, mais que um esporte, um estilo de vida"

Deyvisson Bastos Silva

"Os dias que estes homens passam nas montanhas são os dias em que eles realmente vivem. Quando as cabeças se limpam das teias de aranha e o sangue corre com força pelas veias. Quando os cinco sentidos cobram vitalidade e o homem completo se torna mais sensível e então já pode ouvir vozes na natureza e ver as belezas que só estavam ao alcance dos mais ousados"
Reinhold Messnerh
omens passam nas mon
Subpáginas (2): 2011 Escaladas 2012