Fotos: Os Verdes de Tapes 06/12/2007

Caminhão com carga de sangue e

vísceras de animais mal

acondicionada, mancha

de sangue a esquina da

Igreja Matriz de Tapes

O caminhão empresa CELGON de Coleta de Resíduos, com placa de Alvorada (ICN 2555), que transportava os resíduos líquidos industriais de matadouros, e estava com a carga mal acondicionada, com as portas sem a devida vedação e sem condições de uso para este tipo de carga, sem os indicativos que mostrariam o grau de perigo do material transportado,

acabou vazando vários litros de sangue animal na esquina das ruas Felicissimo Alfonsim e Assis Brasil, no miolo central da cidade de Tapes.

Por volta das 20:30 horas do dia 06 de dezembro, o caminhão que trafegava no sentido Barra do Ribeiro-BR 116, ao dobrar a esquina, a carga interna tombou e acabou vazando sangue e vísceras de animais abatidos para o consumo, deixando o ar empestado com o fedor que exalou deste líquido.

Após o isolamento da área procedida pela Guarnição da BM, foi acionado o Corpo de Bombeiros Voluntários de Tapes, que lavou a rua e o meio fio, enviando todo este material potencialmente contaminante e poluente para dentro dos esgotos da ruas centrais.

Em meia hora de acidente, e após a autuação de praxe da BM com a lavratura do B.O., foi liberado o caminhão, que seguiu pela Avenida Assis Brasil despejando sua carga sangüínea. Um presente de Natal para a cachorrada da avenida.

AS PERGUNTAS SÃO SIMPLES:

O motorista do caminhão mostrou a Licença Ambiental para Transporte desta carga poluente e contaminante e existia no caminhão a identificação universal indicando grau de perigo em caso de acidente?

Esta empresa deve coletar regularmente este tipo de resíduo, e transportando à noite material perigoso pela Avenida principal da cidade, não estaria descumprindo a lei de trânsito e ambiental?

Por que apenas a lei de trânsito foi, será e deverá ser aplicada?

Ocorrendo um acidente deste tipo, as normas mínimas de segurança, deveriam ser acionar o isolamento da área, impedida a chegada dos líquidos potencialmente poluentes no encanamento dos esgotos e por que motivos não foi acionada a PATRAM que deveria ser chamada em casos de acidentes?

Neste caso, o caminhão seria retido, até a vinda de outro em condições de transporte que iria buscar carga e seriam autuados pela legislação ambiental. Nada disso foi feito, a excessão de lavarem os resíduos líquidos e contaminantes para dentro dos esgotos e liberarem o caminhão para seguir sujando as ruas.

Foto: Saída da cidade, em frente ao posto BR e Casas Pelegrino

O que diz a Legislação?

LEI 11.520/2000 (Código Estadual de Meio Ambiente)

na seguência dos fatos:

Capítulo XII - Artigo 217, artigo 218 § 1º e 2º e artigo 221;

Capítulo I - Artigo 129, artigo 132, artigo 139, artigo 140 (ver Decreto 38.356/98) e artigo 141;

Capítulo XIII - Artigo 99, 100 e 101.