Lixão da Camélia em Tapes opera sem

 

licença e sem controle

 

registros realizados em 10 de fevereiro de 2008

Desde o dia 23 de janeiro, lixos jogados neste ponto do lixão da Camélia, continuam descobertos, produzindo os males e criando vetores que prejudicam o ambiente

Catadores continuam sobrevivendo da garimpagem de resíduos para venda, mesmo existindo um galpão pronto e sem funcionar

Os lixos misturados com matéria orgânica são atrativos para moscas e outros vetores, comuns em locais de lixão à céu aberto

Butiazeiros em meio ao lixão não sobreviveram a agressão em seu habitat, impactado nas últimas duas décadas

Bacias de tratamento do chorume não funcionam como o previsto, existindo pouca quantidade de líquidos em seu interior

Bacia 1 vazia, sem o chorume que deveria estar sendo recolhido neste local para evitar a contaminação do solo e águas freáticas

Bacia 2, com quantidade de líquidos abaixo do normal, para um local que trata chorume desde 2004, sem que sejam verificadas a eficiência do dispositivo de tratamento

Enquanto permanecer este lixão funcionando, açudes existentes na propriedade correm riscos de estar sendo contaminados.

A natureza na Camélia não merece mais esta agressão.

Este álbum contém

        18 fotos

Vejam fotos do dia 23 de janeiro de 2008:

http://osverdesfotos5.googlepages.com/lixao_23_01_2008