Registros realizados em 23 de janeiro de 2008 - Lixão da Camélia

Os Butiazais de Tapes ainda sofrem com os lixos à seus pés...

e catadoras ainda pisam nos lixos da cidade, na esperança de algum dia trabalharem na Usina de Triagem.

As condições de catação dos lixos no Lixão da Camélia permitem a contaminação dos catadores, que convivem com doenças e moscas em quantidade para transmitirem moléstias graves.

Restos de carne que são lançados no lixo, ficam expostos ao calor e atraindo moscas, originando um cheiro insuportável nas imediações.

Os resíduos que são separados na "garimpagem" dos lixos, poderiam estar separados, enviados para coleta seletiva entregar na Usina de Triagem, para que dignamente os catadores pudessem trabalhar e ter condições de vida melhores do que a situação atual.

Cerca de 15 famílias sobrevivem dos lixos de Tapes, e nos últimos 24 anos o Lixão da Camélia recebeu nossos resíduos sem o cuidado necessário com o ambiente, com os recursos hídricos e os seres humanos que sobrevivem neste local.

Em certos locais, o despejo dos lixos sem a cobertura devida acaba atraindo animais silvestres a noite, que vasculham os lixos em busca de alimentos e insetos de toda a ordem durante o dia.

Em outros pontos, a utilização de lixos antigos que deveriam estar confinados, são usados para cobrirem os lixos atuais.

O manejo de terras no local para tapar os lixos é comum, com isso abrindo o solo para receber a lixívia dos lixos, acabarão penetrando no solo os líquidos poluentes produzidos pela matéria orgânica.

Em meio aos lixos de Tapes, muitos perigosos são encontrados, como a Lã de Vidro, podendo causar danos ao catador, como este jovem abaixo, de 14 anos, sem condições de estar na frente de trabalho, sem luvas, sem botas, sem roupa adequada.

Segundo os catadores, os mesmos aguardam as iniciativas de criação da Cooperativa, que iria operar a Usina de Triagem, que já possui licença sem que eles tivessem conhecimento disso. Também, segundo eles, existe o temor de que a Usina não seja entregue para eles trabalharem.

Enquanto isso, aguardam os caminhões dos lixos que despejam ali nossos resíduos, que para eles é o sustento de suas famílias, sua comida, seu trabalho. Neste dia, o caminhão não foi, pois acreditamos que tendo conhecimento de nossa presença no local, evitaram despejar os lixos neste dia, mas com certeza na manhã seguinte, o lixo chegaria ao lixão.

Raízes dos butiazeiros expostas ao sol podem levar a morte da árvore, como outras que já estão danificadas no ambiente.

O que ser isto??

Depois das aparições de Sinais em São Paulo e Estados Unidos esta semana, um sinal de vida inteligente na Terra surgiu no Lixão da Camélia. Apareceu algo que desde 2004 não existia no local, algo semelhante ao dreno de gases que um Aterro Sanitário teria, caso fosse este o caso no ambiente. É importante saber qual a profundidade do "monolito" ou "totem" deixado pelos ETs, para saber se ele atinge o local de produção do gás metano, poluente 21 vezes mais do que o CO², gás que contribui para o efeito estufa.

Este álbum contém

        27 fotos