Expressões Gauchescas

A
Abrir cancha - Distanciar-se, abrir espaço para alguém passar.
A cabresto - Conduzido pelo cabresto. Submetido.
Aguentar o tirão - Topar a parada, sustentar com brio uma opinião.
A la pucha - Exprime admiração, espanto.
Andar com a barriga no espinhaço - Andar com fome, magro, desnutrido.
Andar com a cincha na virilha - Necessitar urgentemente de dinheiro, estar em grande apertura financeira.
Andar como cachorro que roubou toucinho - Andar ressabiado, arredio, desconfiado. O mesmo que "Andar como cachorro que lambeu graxa".
Andar como pau de enchente - Andar de um lado para outro, ao sabor dos acontecimentos.
Andar cortando arame com os dentes - Andar sem dinheiro.
 
 
B

Bacalhau de porta de venda - Pessoa muito magra, esmirrada, demasiadamente seca.
Baixar o coco - Corcovear, velhaquear.
Boi manso é que arromba a porteira - Em sentido figurado, diz-se do indivíduo de boas maneiras que consegue passar por bom, quando na verdade não o é.
Bolear a perna - Apeiar-se, descer do animal de montaria.
Botar a cola no lombo - Disparar, fugir.
Botar os cachorros - Atiçar os cachorros. || Em sentido figurado, falar mal de alguém.
 
 
                                C
Cabeça de passarinho - Diz-se de pessoa distraída, leviana, desatenta, irresponsável .
Cantar a buena dicha - Descompor, dizer as verdades.
Casar mal a filha - Meter-se o indivíduo em dificuldades.
Cavalo dado não se olha o pelo - Para receber um presente ou favor não se impõem condições.
Cerrar a noite - Escurecer.
Cerrar o tempo - Ameaçar chuva. || Em sentido figurado, haver briga, luta, conflito.
Chegar a jeito - Abordar o assunto com boas maneiras, na ocasião oportuna, a fim de conseguir o pretendido.
Cheirar a defunto - Haver perigo iminente de um conflito de consequências graves.

Churrasquear no mesmo espeto - Terem duas ou mais pessoas grande amizade, entre si. "Churrasqueamos no mesmo espeto", isto é, somos grandes amigos, nos damos muito bem.
Com o estribo frouxo - Descontrolado, perdido, enlouquecido.
Com o pé no estribo - Prestes a partir.
 
 
                                D
Dar a lonca - Deixar-se surrar, dar o couro, apanhar. || Morrer.
Dar carão - Negar-se a moça a dançar quando convidada pelo rapaz, ou vice-versa.
De boca aberta que nem burro que comeu urtiga.
Deixar correr o marfim - Não interferir.
De laço a laço - Em toda a extensão.

Desabar o tempo - Chover forte.
Descambar a madeira - Surrar, espancar. || Em sentido figurado, atacar, censurar, criticar, falar mal de alguém.
Despenhar-se por um canhadão abaixo - Sofrer malogro, insucesso; agir com precipitação e temeridade.
Dobrar o cotovelo - Beber, levar o copo à boca.
 
 
E
Embarrar o pastel - Estragar o que estava bom. Pôr um plano a perder.
Em cima do laço - Imediatamente, em seguida, ao pé da letra.
Em quatro paletadas - Em pouco tempo, rapidamente, com facilidade.
Encostar o relho - Surrar, esbordar, castigar, bater de relho.
Endurecer as conjunturas - Morrer.
Enfrenar mal o cavalo - Ser mal sucedido.
Enrolar o poncho - Preparar-se para viajar.
Entrar em curral de rama - Meter-se em complicações.
Entreverar os pelegos - Casar-se, ajuntar-se com mulher.
Espalhar o pé - Dançar. || Fugir.
 
 
F
Fazer a viagem do corvo - Sair e demorar muito a regressar.
Fazer costado - Ajudar, colocar-se ao lado de outro.
Fazer-se de chancho rengo - Fazer-se de desentendido. Fazer-se de tolo.
Feliz que nem lambari de sanga.
Fazer-se fumaça - Desaparecer, fugir, ir embora.
Filho de tigre sai pintado - Tal pai, tal filho; o filho se assemelha ao pai.
Fincar as guampas no inferno - Morrer (aplica-se em relação a pessoa indesejável).
Firme que nem prego em polenta.
Forcejar nas quartas - Esforçar-se, esmerar-se, empenhar-se.
Frio de renguear cusco - Muito frio, insuportável.
 
 
G
Ganhar de mano - Anteceder-se na disputa de determinada coisa; chegar em primeiro lugar para pedir o que se deseja.
Ganhar nos pelegos - Ir deitar-se, meter-se na cama.
Gastar pólvora em chimango - Desperdiçar esforços, sem proveito nenhum.
Gemer nas puas - Estar sofrendo castigo moral ou tendo aborrecimentos, em consequência de faltas cometidas.
Granar o catete - Realizar-se o fato como estava previsto. "Ele pretendia conseguir aquilo tudo, mas não granou o catete, isto é, não se realizou o que ele pretendia".
 
 
H
Há cachorro na cancha - Significa que há qualquer coisa atrapalhando a execução de determinado plano.
 
 

I

Ir ao cepo - Ir para o lugar de namoro.
Ir ao pelego - Esbordoar, espancar, surrar alguém.
Ir no pacote - Ser logrado, enganado, iludido.
Ir para o laço - Submeter as pessoas em contenda ou um caso à apreciação judicial, quando não se consegue solução amigável. || Ir para o castigo.
Ir por um canhadão abaixo - Sofrer malogro, insucesso; agir com precipitação e temeridade.
Ir-se a la cria - Largar-se na estrada, ir embora. O mesmo que mandar-se a la cria.
 

J

Jogar de mano - Jogar em combinação de outrem, comprometendo-se, ambos, a dividirem entre si, igualmente, os lucros ou prejuízos. || Jogar um contra o outro, em igualdade de condições.
Jogar o pelego - Arriscar a vida.
Juntar as esporas - Cerrar as pernas, fincando as esporas no animal de montaria.
Juntar os trapos - Casar, amasiar-se.
Juntar o torresmo - Economizar, juntar dinheiro, enriquecer.
 

L

Lamber a canga - Tornar-se manso, confiante, submisso, afeiçoado. A expressão tem origem no fato de o boi manso, mesmo quando liberto, solto no campo, gosta de aproximar-se de sua canga e lambê-la.
Lamber a cria - Permanecer o pai em casa mimando o filho recém-nascido.
Lamber esporas - Adular, engrossar, bajular.
Lançar um pealo - Lançar uma indireta.
Largar campo fora - Deixar que vá embora.
Levantar a grimpa - Reagir, não submeter-se, mostrar-se altaneiro, soberbo.
Levar a carga - Insistir na conquista de uma mulher. || Arremeter contra o inimigo.
Levar clavo - Sofrer prejuízo, ser logrado, enganado, ludibriado.
Loco de especial - Muito diferenciado.
 
 
M
Mais amontoado que uva em cacho.
Mais angustiado que barata de ponta-cabeça.
Mais apressado que cavalo de carteiro.
Mais atirado que alpargata em cancha de bocha.
Mais baixo que voo de marreca choca.
Mais bonita que laranja de amostra.
Mais chato que gilete caída em chão de banheiro.
Mais conhecida que parteira na campanha.
Mais curto que coice de porco.
Mais difícil que nadar de poncho.
Mais duro que salame de colônia.
Mais faceiro que ganso novo em taipa de açude.
Mais faceiro que guri de bombacha nova.
Mais faceiro que mosca em tampa de xarope.
Mais faceiro que pica-pau em tronqueira.
Mais feio que indigestão de torresmo.
Mais firme que palanque em banhado.
Mais grosso que parafuso de patrola.
Mais grosso que rolha de poço.
Mais medroso que cascudo atravessando galinheiro.
Mais nervoso que gato em dia de faxina.
Mais nervoso que potro com mosca no ouvido.
Mais perdido que cebola em salada de frutas.
Mais perdido que cusco em procissão.
Mais perfumado que mão de barbeiro.
Mais tradicional que fórmula de Minâncora.
Mais tranquilo que água de poço.
Mal enfrenado - Que passa das medidas, que não tem freio.
Marca de estância velha - Diz-se para significar coisa muito conhecida, que permanece sempre igual, que não muda nunca.
Marcar na paleta - Anotar, assinalar, não esquecer o mau procedimento de determinado indivíduo.
Meter a catana - Falar mal de alguém.
Meter a pata - Cometer gafe.
Mondongo duro de pelar - Coisa difícil de fazer.
 

N

Não aguentar carona - Não suportar afrontas sem reagir.
Não aquentar banco - Não se demorar, em visita. O mesmo que não esquentar o banco.
Não beber água nas orelhas dos outros - Não depender de favores.
Não dar rodeio - Ser o gado sem costeio, bravio, alçado, xucro, chimarrão. || Não temer, não afrouxar, não aguentar desaforo. || Não deixar o adversário em sossego.
Não estar para clavo - Não estar disposto a sofrer prejuízo.
Não fazer mossa - Não causar qualquer abalo.
Não levar qualquer um para compadre - Não aceitar a amizade ou a companhia de qualquer pessoa.
No bico da chocolateira - Imediatamente, ao pé da letra.
Num upa - Num abrir e fechar de olhos. De um golpe, rapidamente.
 
O
Oigalê - Exprime admiração, espanto, alegria.
Orelhar uma esperança - Alimentar uma esperança.
 

P

Pagar a mula roubada - Ser obrigado a prestar contas dos atos maus ou dos crimes que tenha praticado.
Passar por debaixo do poncho - Passar ocultamente, contrabandear.
Pisar no tempo - Fugir, ir embora.
 

Q

Quartear esperanças - Esperar com fé.
Quebrar o corpo - Desviar o corpo. || Em sentido figurado, negar-se alguém a fazer o que havia prometido; fugir a um compromisso.
Que Tal? - Tudo bem?
 

R

Rebenqueado de saudades - Sofrendo saudades, curtindo a dor da separação.
Riscar estrada - Tocar a galope em viagem. Sair a galope, disparar.
Ruim como a carne da pá - Diz-se da pessoa muito ruim, com alusão à carne de paleta que é de má qualidade.
 
 
                                S

Saber onde moram as corujas - Ser esperto, ser perspicaz, ter grandes conhecimentos.
Sacudir os arreios - Reclamar, opor-se a alguma coisa, discutir acaloradamente, não aceitar oposição.

T

Ter o estômago frio - Ser incapaz de guardar segredo.
Tirar o culo - Ter azar, entrar mal, em uma referência a jogada perdedora do jogo do osso.
Tirar uma tora - Travar luta, brigar. || Dormir uma soneca.
Tranquilo que nem cozinheiro de hospício.
Tratar burro a pão de ló - Tratar bem a pessoa que não merece ser bem tratada.
 

U

Um viva a la Pátria - Uma bagunça, uma desordem.
 

V

Ver-se em assado - Ver-se atrapalhado, ver-se em dificuldades.
Visita de soltar os bois - Visita demorada.
 
 
 
REFERÊNCIAS:    > http://www.geocities.com/potreiro/expresso.html
                               > http://ale-sistemas.com/wp/2008/07/05/expressoes-gauchas/
                                         > http://rvc.ideiah.com.br/?p=96    
                               > http://fotorc.multiply.com/journal/item/5
 

                                   

                                   
 

 


 


 



 

 


 

 

 

Comments