ETAPAS DE FORMAÇÃO

O objetivo da vida religiosa é a consagração total de si mesmo a Deus no seguimento de Cristo, ao serviço da missão. Em vista disso, a formação religiosa na Ordem da Santa Cruz começa com a construção do homem interior, a fim de, partindo do coração, conduzir a pessoa inteira a uma configuração sempre mais íntima com Cristo no Seu amor ao Pai e aos homens. A formação religiosa abrange todos os campos da vida humana e religiosa, de modo que a pessoa seja conformada a Cristo e tenha a oportunidade de crescer sempre mais profundamente na adesão ao carisma e à missão da Ordem.

A formação religiosa na Ordem da Santa Cruz passa por várias etapas, para que cada Irmão possa assimilar o cunho nítido da Ordem e, ao mesmo tempo, possa desenvolver o seu cunho pessoal dentro da comunidade. O caminho de ingresso na Ordem passa pelo aspirantado, postulantado e noviciado. Segue-se o tempo da profissão temporária e, após esta, o Irmão é admitido à profissão perpétua.

Formação inicial

Aspirantado

O primeiro contacto com a Ordem faz-se através de dias de recolhimento ou retiros vocacionais, bem como através do acompanhamento espiritual com um dos membros da Ordem.

Atraído pelo convite de Jesus: “Vinde ver” (Jo 1,39), o jovem inicia o tempo de aspirantado. Os seguintes requisitos são exigidos para iniciar o tempo de aspirantado:

- idade compreendida entre os 17 e os 35 anos de idade,

- para os candidatos ao sacerdócio: formação escolar concluída (Brasil:2º grau / Portugal: 12º ano),

- para os candidatos a professos-Irmãos: formação profissional concluída,

- pertença à Igreja Católica, tendo recebido os sacramentos do Batismo e da Confirmação,

- uma suficiente saúde física e psíquica, bem como uma maturidade de acordo com a idade,

- uma vida cristã convicta e ativa, com um amor vivo a Deus e ao próximo,

- fidelidade ao Santo Padre, vontade de entrosar-se na Santa Igreja e na comunidade,

- vontade sincera de abraçar o modo de viver próprio da Ordem com suas exigências.

Postulantado

O postulantado é um tempo de prova onde são aprofundados os fundamentos da vida e do conhecimento religiosos. É o tempo onde o postulante aprende a entrosar-se, a silenciar, a rezar e a desprender-se do mundo.

É uma etapa para deixar o mundo e trabalhar a própria personalidade. A ênfase da formação do postulantado é a formação humana, como preparação para o noviciado, por isso, é uma etapa importante de abrir-se, de vir a conhecer, mas também de trabalho no próprio caráter. O tempo de postulantado é, via de regra, de um ano. Durante o postulantado, os candidatos cultivam uma relação íntima com o próprio Anjo da Guarda, a quem se consagram nesta etapa da formação.

Noviciado

O noviciado canónico, que tem uma duração de doze meses, destina-se a que os noviços conheçam melhor a vocação para a Ordem. Pela oração e pela renúncia de si mesmos são introduzidos no caminho mais intenso da perfeição. É o tempo onde o noviço aprende a maneira de levar em Cristo uma vida consagrada a Deus, mediante os conselhos evangélicos. Aprofunda, também, e amplia nesta etapa, os conhecimentos de fé sobre os Santos Anjos e a sua missão no plano salvífico de Deus, a fim de que o amor a eles cresça e a consagração aos Santos Anjos, que fará antes da primeira profissão, receba uma base sólida. A direção do noviciado é confiada ao Mestre de noviços, ao qual compete acompanhar espiritualmente os noviços.

Profissão temporária e profissão perpétua

Pela profissão religiosa, os Irmãos obrigam-se, com votos públicos, à observância dos três conselhos evangélicos, consagram-se a Deus pelo ministério da Igreja e são incorporados na Ordem da Santa Cruz.

Concluído o noviciado, os Irmãos emitem a sua primeira profissão temporária por um ano. Via de regra, após seis anos de votos temporários, o Irmão faz a sua profissão perpétua. O sentido e objetivo deste tempo de profissão temporária é consolidar a fidelidade dos Irmãos no seguimento de Cristo. Isto se realiza através de uma sólida formação religiosa, espiritual, apostólica, doutrinal e prática.

Pela profissão perpétua, o Irmão se consagra para sempre ao serviço de Deus e da Igreja. De todo o coração e com firme propósito, ele se entrega a Deus e coloca-se à disposição da Ordem, a fim de servir a Igreja na imitação de Cristo. Pela profissão perpétua na Ordem da Santa Cruz, o Irmão fica ligado à Cruz do Senhor, sinal da sua fé, da sua fidelidade e do seu amor.

Formação permanente e sacerdotal

Deus chama cada um dos Seus em todos os momentos e circunstâncias da vida, de modo que, após a formação inicial, por toda a sua vida, os Irmãos continuam a cuidar diligentemente da sua formação espiritual, doutrinal e prática. Pretende-se assim que cada Irmão forme não só a inteligência, mas também toda a pessoa, principalmente na sua missão espiritual, de modo a viver em toda a plenitude a sua própria consagração a Deus.

Via de regra, as vocações sacerdotais na Ordem da Santa Cruz são formadas no Institutum Sapientiae, em Anápolis-GO, Brasil. Finalidade da nossa formação sacerdotal é que, a exemplo de nosso Senhor Jesus Cristo, Mestre, Sacerdote e Pastor, se formem verdadeiros pastores de alma. O estudo da filosofia é fundamentado no património filosófico perene. O estudo da Sagrada Teologia apoia-se na Palavra de Deus escrita e na Sagrada Tradição. Todas as disciplinas teológicas ministradas no Institutum Sapientiae têm como fundamento o Magistério da Igreja. Durante o currículo dos estudos, os Irmãos candidatos ao sacerdócio são iniciados, por meio de exercícios práticos, na cura de almas e nas diversas tarefas da Ordem.