Notícias



Conferência «O romance de adultério na Península Ibérica. De "monstros" femininos e medos masculinos. Leopoldo Alas "Clarín", Eça de Queirós e Fradique Mendes. Realismos e Naturalismos nas Literaturas Ibéricas.», 
por Elena Losada: 21 e 23 de Março




Conferência «O romance de adultério na Península Ibérica. De "monstros" femininos e medos masculinos. Leopoldo Alas "Clarín", Eça de Queirós e Fradique Mendes. Realismos e Naturalismos nas Literaturas Ibéricas.», 
por Elena Losada (Universidade de Barcelona)

AULA-CONFERÊNCIA ABERTA EM DUAS SESSÕES: 21 e 23 de Março. 14:00-15:45 h.






Encontro com poetas ibéricos e ibero-americanos na FCSH-NOVA,
integrado no Lisboa 2017-Capital Ibérica e Ibero-Americana da Cultura: 
24 de Março, às 16h 


No próximo dia 24, às 16h, a FCSH-NOVA recebe uma das sessões da «Semana da Poesia Ibérica e Ibero-Americana», integrada na programação do Lisboa 2017-Capital Ibérica e Ibero-Americana da Cultura.

O encontro reúne os poetas Blanca Luz Pulido (México), Carlos López Degregori (Peru), Jaime Siles (Espanha), João Luís Barreto Guimarães (Portugal), Olvido Garcia-Valdés (Espanha) e Rosa Alice Branco (Portugal). A moderação cabe a Isabel Oliveira Martins (docente do Departamento de Línguas, Culturas e Literaturas Modernas da FCSH-NOVA).

A sessão tem lugar na Sala Multiusos 2 (Edifício ID), com entrada é livre. A iniciativa é uma co-organização do Lisboa 2017-Capital Ibérica e Ibero-Americana da Cultura, da Casa da América Latina, do Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar (CHAM, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa) e do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-NOVA).





Conferência 
«O teatro e a guerra: ¡Ay, Carmela!, de Sanchis Sinisterra», 
por Ângela Fernandes: 29 de Março 


No próximo dia 29 de Março, às 16h, terá lugar a conferência «O teatro e a guerra: ¡Ay, Carmela!, de Sanchis Sinisterra», por Ângela Fernandes. A sessão realiza-se na sala T15 (Torre B) da FCSH-UNL (Avenida de Berna, 26).

Ângela Fernandes é Professora Auxiliar no Departamento de Literaturas Românicas da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. No Centro de Estudos Comparatistas dessa instituição coordena o grupo de investigação DIIA, que se dedica ao estudo dos diálogos literários e culturais ibéricos e ibero-americanos. As suas áreas de investigação contemplam também as relações entre a literatura e a ciência. As suas publicações mais recentes incluem os livros A Ideia de Humanidade na Literatura do Início do Século XX (2013), Looking at Iberia. A Comparative European Perspective (co-edição com S. Pérez Isasi, 2013) e ACT29. Literaturas e Culturas em Portugal e na América Hispânica (co-edição com M. López et al., 2014).

A iniciativa é organizada pelo Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-UNL). A entrada é livre.





Conferência 
«Polifonía y simbología en Réquiem por un campesino español 
de Ramón J. Sender», por Markus Ebenhoch: 31 de Março 



«Polifonía y simbología en Réquiem por un campesino español de Ramón J. Sender» é o título da conferência que Markus Ebenhoch proferirá no dia 31 de Março, às 16h, na sala T15 (Torre B) da FCSH-UNL (Avenida de Berna, 26). Markus Ebenhoch é Professor Auxiliar no Departamento de Filologia Românica da Universidade de Salzburgo (Áustria).

Réquiem por un campesino español (1953), de Ramón J. Sender, é considerado uma das obras mais emblemáticas sobre a Guerra Civil de Espanha. O autor, que após a vitória franquista viveu no exílio, descreve nesta novela curta as transformações políticas numa localidade espanhola durante as primeiras décadas do século XX: o feudalismo ainda existente durante a monarquia, a tomada do poder por parte dos sectores populares durante a Segunda República e a violência que resultou do levantamento fascista.

Nesta conferência será abordada a riqueza narratológica e simbólica presente por trás de um texto aparentemente simples e será analisada a adaptação cinematográfica homónima de Francesc Betriu (1985).

A iniciativa é organizada pelo Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-UNL). A entrada é livre.





Comemoração do 70.º aniversário do 
«Recital de Poesía al Servicio de la Verdad: 
Por la Paz de Latinoamérica»: 
27 de Abril, na Casa da América Latina 



A 24 de Abril de 1947 teve lugar o «Recital de Poesía al Servicio de la Verdad: Por la Paz de Latinoamérica», que juntou poetas espanhóis e hispano-americanos como Pablo Neruda, León Felipe, Rafael Alberti, María Teresa León e Nicolás Guillén no Teatro Bambalinas, em Buenos Aires. A 27 de Abril de 2017 comemoramos o 70.º aniversário desta histórica leitura de poemas, numa iniciativa organização do Centro de História d’Aquém e d’Além-Mar (CHAM, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa), do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Universidade Nova de Lisboa) e da Casa da América Latina. 

A iniciativa terá lugar na Casa da América Latina, às 18h30 (Av. da Índia 110, Lisboa), com entrada livre.

Apresentações e comentários de Neus Lagunas, Sonia Miceli e Jorge Tomás García.

Leitura de poemas em português e espanhol por Francisco Gomes, José Pedro Sousa, Antonieta Magalhães e Laura García Borsani.

Investigação sobre o evento original em Buenos Aires por Margarida Silva.

Coordenação de Isabel Araújo Branco.




Encontro de Tradutores Profissionais com Alunos de Tradução




O NEIIA promoveu o «Encontro de Tradutores Profissionais com Alunos de Tradução» na FCSH-UNL, a 22 de Março de 2017. O encontro era aberto a todos os interessados e contou com a participação de três tradutoras profissionais: Joana Moraes Cabral, Rita Almeida Simões e Tânia Ganho. 

Joana Moraes Cabral passou a infância em vários países, seguindo sempre o ensino francês. Viveu na adolescência em Lisboa e, depois de estudar na Universidade em Paris, onde fez cursos de Letras Modernas Francesas e de Língua e Civilização Portuguesa, instalou-se na capital lusa. Trabalhou durante alguns anos como assistente editorial nas editoras Sextante e Livros Horizonte, mas sempre gostou de traduzir. Desde de 2012, é tradutora freelance e tem trabalhado tanto para o mercado português como para o francês. Traduz sobretudo textos literários, do campo das artes e das ciências humanas. 

Rita Almeida Simões é licenciada em Estudos Portugueses e pós-graduada em Edição de Texto (Universidade Nova de Lisboa). É tradutora de inglês e espanhol e revisora linguística profissional desde 2005. Começou por colaborar com empresas de tradução técnica nacionais e internacionais e depois dedicou-se ao mercado editorial português, trabalhando para editoras como Tinta-da-China, Dom Quixote, Asa, Teorema, Gradiva, Presença, Guerra e Paz, Texto, Lua de Papel e Sextante, entre outras. 

Tânia Ganho nasceu em Coimbra, em 1973, onde estudou e deu aulas de tradução como assistente convidada da Universidade. Depois de ter feito legendagem de filmes durante vários anos e de ter passado pela redacção da SIC como tradutora de informação, decidiu dedicar-se exclusivamente à literatura. É tradutora de autores como H. G. Wells, Anaïs Nin, E. L. Doctorow, Annie Proulx, Norman Rush, Siri Hustvedt, John Banville, Ali Smith, Alan Hollinghurst, Rachel Cusk, David Lodge, Chimamanda Ngozi Adichie, Jeanette Winterson e Rebecca Solnit, entre muitos outros. 





Conferência «A paisagem e a natureza no cinema de Víctor Erice»

   
         

«A paisagem e a natureza no cinema de Víctor Erice» foi o tema da conferência proferida por Filipa Rosário, a 22 de Março de 2017 na FCSH-UNL. 

Filipa Rosário é investigadora de Pós-Doutoramento e trabalha sobre «Paisagens no Cinema Português dos últimos 50 anos». Coordena, no Centro de Estudos Comparatistas, o projecto «O Cinema e o Mundo - Estudos sobre Espaço e Cinema» e lecciona Cinema Português na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. É co-coordenadora do Grupo de Trabalho Paisagem e Cinema da AIM - Associação de Investigadores da Imagem em Movimento. É Doutora em Estudos Artísticos – Estudos do Cinema e Audiovisual, pela mesma universidade, com a tese «IN A LONELY PLACE - Para uma leitura do espaço do road movie a partir da representação da cidade norte-americana». 




Conferência «El Quijote en su contexto histórico»

   
 
   

A 15 de Março de 2017 realizou-se uma conferência sobre «El Quijote en su contexto histórico», por Francisco Zamora Rodríguez, investigador do CHAM (FCSH-UNL). 

Francisco Zamora Rodríguez (Sevilha, 1982) é doutorado em História Moderna com a tese El consulado español en Livorno: el caso de Andrés de Silva (1677-1717), trabalho com o qual obteve o Premio Extraordinario de Doctorado na Universidad Pablo de Olavide de Sevilha (2011-2012). É investigador de pós-doutoramento da FCT no CHAM/FCSH-UNL desde 2013 e coordenador da linha temática FCT de Investigação «Global Cities». Realizou estadas de investigação na Università degli Studi de Pisa, Universidade de Florença, Universidade de Harvard, Casa de Velázquez, Universidad de San Carlos de Guatemala, Universidade Roma La Sapienza e UNED, entre outras instituições. Recebeu os prémios de Investigación da Fundación Española de Historia Moderna (2012) e da Associação Portuguesa de História Económica e Social (2014).






Semana do Uruguai em Portugal 

    

      


A Embaixada do Uruguai em Portugal, o CHAM-FCSH/NOVA-UAç, a Universidad Pablo de Olavide (Sevilha) e o Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-NOVA) promoveram a «Semana do Uruguai em Portugal» de 6 a 15 de Março de 2017.

A iniciativa juntou especialistas em História, Literatura, Cinema, Teatro e Medicina, contando ainda com projecção de filmes, concertos, uma demonstração de tango, uma exposição de fotografia e um recital de literatura e música. Com entrada gratuita, as sessões tiveram lugar no Palácio Nacional da Ajuda, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, na Casa da América Latina, no Fórum Lisboa, no Instituto Camões e no Instituto Cervantes. 

O programa pode ser consultado em http://semandouruguaiemportugal2017.weebly.com/

      
         
        
      
      






Conferência «Hacia una crítica postcolonial 
de la novela negra hispanoamericana»

      
   


A conferência sobre «Hacia una crítica postcolonial de la novela negra hispanoamericana», por Doris Wieser, Professora Auxiliar na Universidade de Göttingen (Alemanha), teve lugar a 24 de Fevereiro de 2017.  

Doris Wieser é doutora pela Universidade de Göttingen com uma tese sobre o romance policial na América Latina, publicada com o título Der lateinamerikanische Kriminal­roman um die Jahrtausendwende. Typen und Kontexte [O romance policial latino-americano na viragem do milénio: tipos e contextos] (2012). Foi bolseira de pós-doutoramento da Fundação Alexander von Humboldt, no Centro de Estudos sobre África, Ásia e América Latina (CEsA) e na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, de 2014 a 2016. Com o seu actual projecto de investigação sobre as construções políticas e literárias de identidades nacionais em Angola, Moçambique e Portugal, ganhou o concurso de Investigador/a FCT e trabalha no CEC (FLUL) desde Janeiro de 2017. Concluiu o Magister em Letras Hispânicas, Lusófonas e Alemãs na Universidade de Heidelberg. Entre as suas publicações destacam-se ainda o livro de entrevistas Crímenes y sus autores intelectuales (2010) e a colectânea de ensaios Identidades em movimento (2015). 




Conferência «Estética y arte en la cultura poética 
de la Generación del 27»


   

   


A 22 de Fevereiro de 2017 realizou-se uma conferência sobre «Estética y arte en la cultura poética de la Generación del 27», por Jorge Tomás García, investigador do Instituto de História da Arte (FCSH-UNL). 

Jorge Tomás García é doutorado em História da Arte (Universidade de Murcia, Espanha) e licenciado em História da Arte e em Filologia Clássica. Actualmente é bolseiro de pós-doutoramento da FCT no Instituto da História da Arte (FCSH/UNL) com um projecto intitulado «Visual Culture in Ancient Lusitania», e Professor Auxiliar Contratado do Departamento de História da Arte na FCSH. É autor de cinco monografias (publicadas em editoras como Signifer Libros, Oxford Archaeological Reports e Giorgio Bretschneider Editore) e artigos de investigação. 





Conferência «Visiones desde el campo de la historia 

sobre Crónica del rey pasmado»

 

  

«Visiones desde el campo de la historia sobre Crónica del rey pasmado» foi o título da conferência proferida por Koldo Trápaga a 14 de Dezembro de 2016 na FCSH-UNL.

Koldo Trápaga é investigador Marie Curie Fellow no Instituto de Arqueologia e Paleociências da Universidade Nova de Lisboa, com o projecto «ForSeadiscibery». É doutorado em História Moderna pela Universidad Autónoma de Madrid, onde desenvolveu a sua tese sobre reconfiguração política e governo da monarquia hispânica durante a segunda metade do século XVII através do estudo de D. João da Áustria e das suas casas reais.


   

A conferência foi organizada pelo Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-NOVA).





Conferência «Los documentos curriculares en la enseñanza de ELE en Portugal para la enseñanza básica y secundaria»



Marta Sá Fialho deu uma conferência sobre «Los documentos curriculares en la enseñanza de ELE en Portugal para la enseñanza básica y secundaria» a 26 de Novembro de 2016 na FCSH-Nova.

 Marta Sá Fialho é professora dos ensinos básico e secundário e colabora com o Ministério da Educação.

 A conferência foi organizada pelo Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-UNL).

 




Ciclo «A América Latina no Cinema»: 
em Outubro e Novembro de 2016, na FCSH 



No dia 28 de Outubro de 2016 teve início o Ciclo «A América Latina no Cinema», com o filme Relatos selvagens, de Damián Szifron, na FCSH-UNL.

O ciclo prolongou-se por mais três sextas-feiras: a 4 de Novembro tivemos A teta assustada, de Claudia Llosa, a 11 de Novembro Diários de Motocicleta, de Walter Salles, e a 18 de Novembro O Sal da Terra, de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado.

O Ciclo «A América Latina no Cinema» é uma organização do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos (FCSH-Nova). 

Relatos selvagens, de Damián Szifron: 28 de Outubro.
A teta assustada, de Claudia Llosa: 4 de Novembro.
Diários de Motocicleta, de Walter Salles: 11 de Novembro.
O Sal da Terra, de Wim Wenders e Juliano Ribeiro Salgado: 18 de Novembro.

Sextas-feiras, 16h, Auditório 002 (Torre A, cave).

      


Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Avenida de Berna, 26-C, Lisboa




Comments