Nei Loja‎ > ‎

AUTOTERAPIADOSE-LIVROCOMPLETO

Peço aos amigos leitores, que se gostarem, indiquem o link aos amigos.

Os resultados são tão extraordinários que publicar para leitura se tornou 
minha melhor opção, já aos 70 anos e menos preocupado com vendas, mas
 querendo deixar este legado para os que o desejarem. 

Atualmente atendo exclusivamente pela internet para psicoterapia e
aconselhamento psicológico,
Nei Loja - Psicólogo - CRP 05 5509
Wzap 21 982625534

Segue o livro


Autoterapia do “SE”                   
“SE” tivesse sido diferente? e “SE” for diferente? 
Um incrível poder natural que temos, 
que equilibra nossa mente.
 Bem explicado, é fácil de usar.
“O pensamento é como um filme”!
Por Nei Loja – Psicólogo https://sites.google.com/site/neiloja/

Direto ao ponto:


Nossa mente cria estórias o tempo todo, melhorando o que realmente aconteceu, e faz isto AUTOMATICAMENTE, para nos aliviar! É uma “autoterapia” que nem percebemos fazer, mas note agora: Quando você se lembra de algo ruim, subitamente pensa e até fala coisas que não disse na hora, ou xinga o que não xingou antes, muitas vezes com gestos furiosos, ou até muda mentalmente a história toda… Mas sua mente faz isto para se sentir melhor – Surpreendentemente, é um mecanismo automático que quer manter o equilíbrio do organismo. Sabe por que? Porque lembranças ruins interferem com todo o organismo, às vezes com muita adrenalina e outros hormônios, arriscando a nossa saúde. O estresse, de frustração, raiva, mágoa, etc., é capaz de fazer um enfarte ou um AVC, pensando no pior, e essa autoterapia natural quer evitar, além destes males,
outros descontroles que podem levar à separação no casamento, luta física, perda do emprego, assim por diante.

 Por exemplo, 
você levou uma fechada no seu carro e ficou furioso. O outro carro já foi embora, mas você fica gritando, falando, xingando e reclamando, até a raiva diminuir – e neste processo aparece um mecanismo que chamo de “SE”, quando você começa a dizer, por exemplo, - “Se” ele parasse eu lhe daria uns socos na cara! - “Se” ele batesse no carro da frente eu debocharia muito… - “Se” continuar agindo assim, tomara que a polícia o pegue. -”Se” continuar, tomara que se arrebente em um poste.
Mas, curiosamente. as imagens dessas situações são criadas em sua mente. Você literalmente “vê” aquelas hipóteses acontecendo, não vê? Não as viu agora, enquanto lia? E isto alivia muito... O que nos leva a perceber que…

 O pensamento é como um filme!


Sabendo destes dois fatos você fará, facilmente, a sua autoterapia, ou seja;
 Mudando as histórias conscientemente (por sua vontade), você consegue apagar lembranças ou reduzir muito as vezes em que elas aparecem sozinhas, sem você querer. Funcionou comigo e com vários clientes, sempre usando uma técnica adiante ensinada. Eis a chave para eliminar neuroses, que são estes pensamentos recorrentes, irritantes, que não sabemos como deletar, mas podemos fazê-lo, e logo adiante você começará, sem nenhuma ajuda externa. Está claro que podemos “dirigir” nossos filmes passados e fazer novos filmes com finais diferentes, tantos quantos quisermos, muitos finais, até que a mente, ao lembrar, não consiga mais estar na história inicial que fica muito confusa.
Isto é simples de se fazer e vai resolver o desconforto em algum tempo, dependendo de cada um praticar mais ou menos.

Agora, outra boa notícia:

Do mesmo modo também criamos filmes do futuro, AUTOMATICAMENTE, por exemplo para mudar expectativas. Você pode estar pensando em uma reunião que ocorrerá amanhã e “vendo” várias coisas que não gostará. Mas, se quiser, pode fazer, antes,  um filme melhor, com situações excelentes, conclusões excelentes e relacionamentos excelentes, criando, assim, ótimas expectativas. Já fazemos isto o tempo todo, e sem perceber. 
Pense que amanhã vai participar de uma entrevista de emprego. Todos nós nesta situação criamos estórias, várias delas, de diversas possibilidades a ocorrer, tanto boas quanto ruins. Pense com calma e perceberá que são feitas várias estórias… várias! 

Imagine que um cliente ia gravar um vídeo, como ator, pela primeira vez, no dia seguinte, e me contou dos medos que estava sentindo, como a voz faltar, de sentir pânico, do carro enguiçar, do cliente não gostar…  E tudo vinha na mente dele, como um filme de cada vez. 

Ajudei-o a imaginar ótimos filmes, com ótimas estórias e finais felizes, de modo que se restabeleceu e se saiu bem no trabalho. O importante é que chegou lá equilibrado, bem-humorado e feliz. 

Precisamos nos lembrar dessa capacidade que temos quando ocorrer alguma visão ruim do futuro, não é mesmo? Afinal, podemos decidir como vamos viver nossos dias, fazendo filmes com ótimas expectativas, o tempo todo! É grátis, simples e ocupa o mesmo tempo/espaço de um filme negativo. Experimente agora! E faça isto sempre! Assim, se tornará um otimista, que é o melhor tipo de ser humano, para você mesmo e para os outros. 

Retomando e confirmando os filmes... 

Vou contar uma história real: Eu tive um cão, pastor alemão, que me acompanhava nos passeios a cavalo pelo interior de Teresópolis. Era muito grande e corria com facilidade ao meu lado, mesmo quando eu fazia o cavalo galopar...

Você acha que estou narrando sem as imagens na mente? Impossível! E é impossível para você também! Enquanto eu lhe contava você fez um filme em sua mente, criando as imagens de um cão deste tipo, de um cavalo, de montanhas... Mas você fez o filme porque não consegue só ler ou ouvir – a mente não funciona sem as imagens! Se você começar a lembrar de uma história sua, isto também ocorrerá e seu filme rodará na sua mente. 

Agora perceba outra coisa interessante, também AUTOMÁTICA: Reveja o filme que você fez da minha historinha e perceba que ele já mudou um pouco. Sério! Coisas foram adicionadas e outras esquecidas. Por exemplo, podem ter sido incluídos latidos, mudanças na paisagem, a cor do cavalo… (Como era o cavalo? Era baio amarilho). Mas se não sabe que cor 
de cavalo é esta, vai desenvolver umas dez cores na mente, e misturará com imagens de filmes assistidos, lugares diferentes… Sabe por quê? Porque a mente é dinâmica, não é como um computador que registra e repete sempre igual. É da nossa natureza! 

Registremos aqui que a mente, sozinha, continua movimentando a história, faz e refaz e muda várias coisas… E não apenas quando dormimos, mas também acordados e geralmente distraídos. Bom, se a mente é nossa, porque não poderíamos fazer isto voluntariamente também? Podemos e já fazemos, sem perceber, mas fazemos! Preocupa pensar que podemos viver num filme que é uma fantasia constante? Bom… viver parece mesmo como estar num filme, não é? Ou, como dizem alguns, parece um sonho...


Mas filmes precisam de personagens, atores, cenários, muitas coisas. Existem filmes só com paisagens, mas vamos conversar sobre os mais complexos. Quem são esses personagens? De onde saíram? Vou dar a explicação mais simples: Nós vemos pessoas no mundo e ao vê-las as “filmamos” e as gravamos na mente. Daí, conforme a necessidade do filme, a mente pega as figuras das pessoas que quer e as coloca nele. Se precisar de um homem com barba branca, tem muitos no arquivo. Se precisar uma criança, um parente, já tem tudo no arquivo que só aumenta todos os dias, por que aprendemos e vemos mais e mais todos os dias. Se você quiser também pode colocar barba em mulher, cria gigantes feios ou bonitos, monstros, unicórnios, enfim, faz o que quiser! 
Quando um desenhista cria uma imagem absurda qualquer, cria primeiro na mente e depois é que desenha. O mundo tem milhões de revistas, desenhos, estórias, vídeos e filmes que primeiro foram imaginados e depois feitos.

Às vezes penso na primeira vez em que alguém conseguiu por para fora, ou seja, pelo menos desenhar algo que tinha em sua mente. Existem desenhos em cavernas, de nossos ancestrais, mostrando cenas. Pode imaginar a sensação dele, ou dela? Mostrou para outras pessoas uma coisa de dentro da mente, algo que hoje em dia se faz com tanta facilidade que nem nos lembramos do quanto já foi difícil. 

Retomando os filmes, saiba que quando sonha com uma pessoa morta lhe falando, como um pai falecido, mãe…  não tem nada a ver com eles, mas com sua memória ou representação deles na sua mente. Você usa as imagens deles nas suas cenas para dizerem coisas. Nestes sonhos, nos quais existem falas, sua mente inconsciente está dizendo algo sobre o que você deve prestar bastante atenção, sempre ciente de que é você falando com você mesmo, usando uma imagem qualquer – até a de cachorro falante a mente usa, e muito mais coisas. Podem ser ditas coisas importantes, mas também outras, sem importância alguma. 

Prosseguindo...

O que precisamos fazer é “dirigir” o filme de acordo com a nossa vontade. Mas qual a vontade? A consciente. A que está lendo agora, vivendo mais na Terra do que nos filmes, embora ocorra tudo ao mesmo tempo. Todos temos vozes interiores, porém temos uma mais forte que decide tudo, e que nós somos. As outras vozes são para opiniões, trocas de ideias, zoação, também autocrítica e muitas brincadeiras, porque nós somos nosso maior amigo, e podemos até errar quando lidamos conosco, mas necessariamente temos as melhores intenções. Assim, geralmente temos uma voz com a qual conversamos mais amiúde, sendo que somos UM, porém verdadeiramente mais do que UM, pelo pensamento. Não exatamente dois, porque muitas vezes desenvolvemos conversas internas com muita discussão, por exemplo, comprar ou não? Viajar ou não? Responder ou não? Isso é muito divertido! Prosseguindo...
Neurose vem de neurônio. É neuro + ose, portanto, seja lá o que for que pensamos, filmamos, ouvimos ou sentimos, está nos nossos neurônios e não existe outro lugar para estar.  “Ose” significa doença, e doença é o desequilíbrio, neste caso. Sob esta ótica, quando os neurônios ficam sempre agitados, mantendo as memórias “vivas” na mente, estão neuróticos. Mas  se conseguirmos nos equilibrar, a neuro+ose passará e ficarão apenas os neurônios em paz! A melhor sensação do mundo é a de paz...
E veja, finalmente, que coisa interessante, para usar em seguida: Se você estiver zangado e conseguir trocar seus humores negativos pelos positivos, a zanga acabará na mesma hora, porque não existe mal estar se estivermos com bons humores! Impossível! Veja bem: Humor é apenas o nome técnico do caldo que sai de uma glândula, e temos quase
280 glândulas, além dos peptídios neuronais do hipotálamos, tudo fazendo uma mistura no nosso sangue que seria como uma sopa de emoções em curso, atuando de acordo com o que está nos ocorrendo e estamos sentindo. Nós podemos mudar os humores de várias maneiras, saindo dos maus humores e liberando os bons humores, rindo, fazendo exercícios, fazendo filmes imaginários positivos, e de muitas outras maneiras. Expliquei isto em uma entrevista para a GloboNews, que está no link abaixo: Conheça-as no vídeo 

https://www.youtube.com/watch? v=La1hsC3y8OA&t=838s 

AGORA VAMOS AOS EXERCÍCIOS:
 
Não sou autor de todos os exercícios a seguir. Os que  desenvolvi resultam de uma compilação daqueles que me fizeram melhor, e que quando fiz deram certo. Indico-os aos clientes que relatam seus 
bons resultados, de modo que considere, positivamente, que também serão ótimos para você. Preparação inicial: - Vem um homem caminhando, olhando fixamente para uma garota linda que passa na outra calçada e aí dá uma cabeçada num poste que não viu, caindo sentado, esborrachado no chão... Não dá para não rir.  - Um amigo fez muitas poses e saltou para subir no cavalo, mas passou direto… e desabou com o maior barulhão do outro lado. - O rapaz estava capinando fora do campinho de futebol, na roça, quando a bola veio para ele. Como todos gritavam chuta, chuta, deu três passos para trás e desapareceu! Caiu no maior buraco!
Primeiro Exercício:
Preparação:  Escolha as músicas de que mais gosta e que lhe fazem bem (liberam seus bons humores)., e deixe-as preparadas para tocar – Pode ser direto do seu celular, com fones, ou outra solução qualquer. Prosseguindo, você tem registrada uma memória desagradável em um grupo de seus neurônios, que é uma lembrança que não se “desliga”, está sempre voltando à parte consciente da sua mente, não se aquieta, irrita muito, não deixando você em paz, e você quer se livrar. Faça assim: Lembre-se do fato “neurotizante” do início ao fim. Ele aparecerá na sua mente como se fosse um filme, certo? Tem início, meio e fim e é colorido, porque vemos as cores do mundo. Fazendo de conta que é mesmo um filme, assista-o do início ao fim e em seguida transforme-o em preto e branco. Rode-o agora do fim ao início, mas prosseguindo até bem antes do início, até chegar num
momento em que estava tudo bem, onde nada ainda havia ocorrido, um momento feliz, e sinta a boa sensação daquele momento anterior. Fica meio confuso, mas é assim mesmo! Ligue a música porque você está no período anterior e feliz… pense apenas neste momento feliz e nada mais. Toque a música animada bem alto, cante junto, sorria, sorria muito, lembre-se só deste momento feliz e permaneça ouvindo e sorrindo enquanto lê: Agora invente um novo final da sua história que você passará por cima daquele. Esta nova história é colorida, mas tem outro final, agora mais feliz, e agradável, do modo que você preferir. Não se espante. A memória não é a realidade, você já sabe, é apenas um arquivo. Por exemplo, se você quiser pode fechar os olhos e até “ver” um navio, porém não tem um navio na sua cabeça, apenas registros modificáveis, quer ver? Mude a cor do navio para azul. Transforme-o num
navio de guerra, agora numa locomotiva e depois em um barquinho bem pequeno… Percebeu? Não é real. Só tem navio na sua memória porque você viu, portanto filmou e gravou. Novamente, fortalecendo boas sensações, e mantendo a alegria, rode de novo o novo filme a cores sobre o filme antigo que estava em preto e branco, até chegar em seu novo final, agora muito mais feliz, com um grande sorriso. E agora... novamente vamos fazer mais um final, ainda mais feliz... Assista ao novo filme todo e volte do final para o início outra vez, tirando as cores. Você já está feliz com o novo final feliz, mas para garantir, faça, a cada vez, um melhor ainda. Vale qualquer coisa que quiser. Com boas sensações, sentindo muitos bons humores e sorrindo, diga “Óóóóóóóóóótimooooo!”. Novamente, “Óóóóóóóóóóótimoooo!”. Mais uma vez, “Óóóóóóóóóóóótimooooooo!”. Isso mesmo, alongue bem o Ó.
Agora repita tudo de novo com outro final melhor ainda e diga “Óóóóóóóóótimooooo!”. Novamente, “Óóóóóóóóóóóótimoooooooo!”. Mais uma vez, “Óóóóóóóótimooooo!”.
 
Repita a passagem do filme a cores por sobre o filme em preto e branco, melhorando mais a história e seu final feliz, repetindo toda a série escrita acima. Você está colocando várias novas informações no mesmo local da memória original neurótica, percebe? E assim ficará tudo misturado com os finais que você está escolhendo. Repita várias vezes, cinco, dez, cem ou quantas achar necessário para que, assim que recomeçar, aquela memória original se dirija para vários finais felizes. E se voltar novamente no futuro, recomece tudo até ficar muito mais embaralhado na sua mente. A cada vez que você se exercitar sentirá maior alívio e com pouco tempo nem se lembrará ou tornará sem importância essa memória, porque outros temas mais em
evidência tomarão o espaço que era usado, e que está muito bagunçado. Mas você não deve mudar apenas o final sem rodar todo o filme, porque o filme inicial “puxará” a memória inicial. Precisa rodar no mesmo caminho que está gravado, ou seja, rodar pelos mesmos neurônios, percebe? A memória está gravada num trilho, ou numa trilha (de neurônios) e você precisa bagunçar exatamente o mesmo trilho/trilha. É como se fosse uma musculação especial para a mente. Várias e várias repetições, hoje, amanhã, depois…  e depois, liberdade para sempre!
– Exercício das estradas do passado e do  futuro. Fique bem relaxado, só e tranquilo acompanhando estes pensamentos: Diante de você existem duas estradas. Uma é a do seu passado e a outra é a do seu futuro. Ambas estão diante de você.
A estrada à esquerda é a sua vida desde que nasceu. Entre nela... Agora imagine-se jogando sobre ela milhões de pedras preciosas, de modo que fique muito reluzente, repleta de brilhos e cores. Percorra-a com músicas agradáveis nos ouvidos e vá jogando diamantes, e todas as pedras mais bonitas que você conhece. Está um dia claro, ensolarado com todas aquelas pedras brilhando.... é uma cena de extrema beleza... Mantenha seu relaxamento, sua calma… cante com a música… Faça várias respirações profundas e intensas, soltando bastante o ar, sempre
visualizando aquela linda estrada e dizendo óóóóóóóóóóótimooooooooo!! Agora, plante às margens de sua estrada do passado, dos dois lados, suas árvores favoritas e coloque vários daqueles grandes cartazes, chamados outdoors de propaganda nos quais estão registradas as suas boas memórias. Voltando para o ponto inicial, como no desenho, e olhando para toda a extensão dela, abra os braços e diga bem forte: “Obrigado, minha vida, por me trazer até aqui, pronto para seguir adiante, com as minhas escolhas e para uma nova vida que desejo viver. Continue falando: OBRIGADO POR TUDO, SEM NENHUMA EXCEÇÃO.” Repita SEM NENHUMA EXCEÇÃO, NENHUMA EXCEÇÃO, NENHUMA EXCEÇÃO, NENHUMA MESMO, NENHUMA EXCEÇÃO... 
Repita as frases acima 20 vezes no mínimo… Agora, olhando para a estrada do futuro, diga: “Entro muito feliz, no meu futuro”... Então, vá entrando muito feliz, sorria mesmo para a sua estrada do futuro, que está à sua direita. Sorria muito. Esta é uma estrada nova, que você fará ser como quiser, uma vida nova, uma outra maneira de ver, de sentir e de se relacionar. Realmente você pode fazer, imaginar e criar tudo o que quiser, então decida um belo e límpido futuro, no qual você será realmente feliz. Agora... defina as cores da estrada, o tipo de chão, os cartazes (os “outdoors”) onde você desde já registrará suas próximas vitórias e todas as coisas excelentes que lhe acontecerão. Os sorrisos de todas as pessoas pelas quais você passará, e sempre visualizando, lá na frente, uma linda luz, muito brilhante e agradável, que é um guia, o farol, o motivo do seu existir, segundo suas decisões. 
Coloque na sua estrada do futuro muitos outdoors. Desenhe mentalmente e escreva neles as mensagens que quiser. Claro que serão mensagens fortes, dando-lhe mais força, apoiando seus passos, dizendo-lhe palavras amigas, porque nem sempre existem pessoas no mundo externo para elogiá-lo e apoiá-lo.  E diga… óóóóóótimoooo várias vezes. Faça isto sempre!
Outro exercício: Escreva frases afirmativas que farão seu estado mental melhorar muito e cole em vários lugares! Quando as vir, leia mesmo, se possível falando alto, e pare um segundo para refletir sobre seus efeitos positivos. 
É um ótimo exercício que contraria pensamentos e coisas faladas por vários tolos na sua vida, que você não tem que concordar. Coloque músicas animadas e escreva assim: Sou muito inteligente!!! Sou uma pessoa de muita sorte! Minha vida inteira foi e é maravilhosa! Todas as minhas lembranças são excelentes! Não sou unanimidade, nem Cristo foi, mas muitos gostam de mim. Tenho ideias excelentes! Minha imaginação é extraordinária! O que penso vale uma fortuna! Sou muito especial para muita gente! Etc. Agora leia muitas vezes falando em voz alta e com energia as frases acima e mais as suas. A REPETIÇÃO É QUE FIXA A INFORMAÇÃO – como na escola!
Veja como é simples o que estamos fazendo: Neurose seriam neurônios doentes, lembra? Mas melhorando a informação, estes neurônios ficam relembrando coisas porque a memória foi traumática. Por exemplo, uma mordida de cachorro ou um xingamento. Por ter sido traumática, ou seja, machucou, fica rapidamente fixada, ainda que não queiramos, pois a natureza quer que você evite situações semelhantes no futuro, por sobrevivência. Manter a lembrança acesa supostamente manterá você distante do que a motivou, e nunca mais entrará num local com cachorros estranhos sem o dono. Memorizou logo da primeira vez, porque doeu, ou seja; traumatizou. Percebe? Toda esta confusão tem o melhor objetivo de o afastar de repetir o que o traumatizou, portanto tem um objetivo muito saudável, da Natureza, ainda que desconfortável. Os demais animais também tem este modelo de aprendizado.
Uma ideia 
Se você gostar, coloque em sua agenda, todos os dias, uma frase ou várias, todas excelentes, em todos os dias que ainda virão. Quando abrir sua agenda, a cada dia, terá mais um forte estímulo para sua trajetória. Existem agendas prontas, já com frases estimulantes, mas é muito melhor você escrever as suas, contendo seus desejos e afirmações que ninguém poderá melhor declarar. Quantas vezes a pessoa começa mal o dia? Teve sonhos ruins dos quais nem se lembra mas que “estragaram” seu humor? Bem, se ao abrir a agenda tiver algo para lembrá-la de coisas ótimas, abrirá um sorriso, cantará ou lembrará de uma bela canção, retomando o dia com uma base mental totalmente diferente. Colocar frases no espelho do banheiro e em outros lugares também apoiam muito.
- Exercício especial para síndrome de pânico;
Li na internet o depoimento de uma norteamericana explicando como melhorou muito desta síndrome e que continuava reagindo bem, através de um exercício que um terapeuta de lá lhe ensinou. Infelizmente não publicou o nome dele. Trata-se de fazer um enfrentamento violento quando sente que a sensação quer retornar, e gritar: E daí? E daí? E daí? Caramba! E daí? E prossegue até que passe. A percepção que ela aprendeu é que não vem nada de fora, mas está dentro, então ela pode confrontar e derrotar. E ela grita… e daí? Qual é? Quer o que? Assim a energia de raiva e domínio controlam os sintomas que são também humores que estão sendo liberados para o sangue, modificando seu caldo equilibrado. E daí? Não enche! E daí? Qual é? Tá querendo o que? E daí?
 
E se der uma gargalhada, aí ganha nota dez, porque levará para o lado feliz e os bons humores entram em ação...

Obs: Esta mesma abordagem está sendo usada para exercitar outro fenômeno da mente. Veja abaixo.

- Exercício para controlar uma voz interna desagradável:

Conversas internas todos temos, já falei disso, e eles são os personagens de nossos filmes, mas à vezes tem um chato no meio, que talvez represente algo de nossa história concreta, ou que por motivo algum perturba muito, fala demais e diz muita bobagem.
Bom, de fato o mundo está cheio de gente assim, e um de nossos personagens, na verdade nós mesmos, adotou este estilo e volta e meia nos incomoda. Então, como explicado antes e pelos mesmos motivos, confronte! E daí? Não enche! Caramba! Cai fora! Sem papo! Desaparece! Que cara mais chato! (maltrate mesmo) e prossiga até se livrar, voltando então ao seu assunto principal. Use a raiva sim! Sobreponha com seu grito qualquer tentativa da voz, e defina que quem manda é você e fim!
Outra dica/ exercício Já escreveu seus êxitos? Mas é muito importante! Escreva em um papel ou no seu computador sua lista de êxitos, começando desde pequeno, desde a sua
escola primária. Lembre-se de tudo o que você passou e superou na sua vida. Faça isto com calma. Nossas vidas são repletas de êxitos, de realizações positivas, pequenas e grandes, das quais nos esquecemos nos momentos de angústia. Até mesmo aquele gol da vitória no time da esquina ou da medalha que ganhou por ser o melhor em uma matéria, ou o dia em que aprendeu a andar de bicicleta… Tudo é importante e é sua trajetória. Então, quando alguma coisa não estiver indo bem, e você estiver com sua autoestima lá no chão, esta lista irá levantá-lo instantaneamente. Lendo-a você se lembrará da pessoa campeã, meritória e muito amada que você é, cheia de êxitos, que pode estar atravessando um momento complicado, mas é a pessoa que teve, tem e terá sempre muitos êxitos a relatar! Em breve retornarão, a vida de todos é assim, neste sobe  e desce de emoções, paradas e arrancadas… é assim mesmo!
Ler sua lista de êxitos recolocará em seu organismo os bons humores daqueles momentos! Boas lembranças abrem as torneiras das glândulas de bons humores e aí... Os maus humores saem fora! Portanto, fortaleça suas estruturas com uma lista bem completa... Seu primeiro emprego, seus primeiros desenvolvimentos, sua primeira nota dez, o fato de ter superado coisas que nem todos superam, assim por diante, sem querer comparar seus êxitos com os de ninguém. 

Exercício com a criança interior que todos temos Leia todas as instruções abaixo com calma e depois faça o exercício. 
Terá ótimos resultados, com certeza. 

Deite-se e faça um relaxamento completo, inspirando e expirando profundamente, de modo que quase não sinta o corpo, ficando bem leve e pensando estritamente na sua respiração.  Agora vamos dar um passeio no passado, até um momento muito feliz da sua vida, da sua infância talvez, algo muito bom, que fez você se sentir muito bem mesmo! Não importa o que foi, mas precisa ser algo que você sentiu como ótimo, não importando nenhuma opinião, só a sua. 

Se preferir, faça o exercício ouvindo-o no Youtube. Está bem gravado na voz de um amigo. Digite: https://www.youtube.com/watch? v=tiLtSPXzG50 Ou digite "Exercício para recuperar sua criança interior – Nei Loja"

Prosseguindo… Vou lhe contar a minha lembrança, para você fazer uma ideia: foi numa tarde, aos dez ou onze anos de idade, quando “soltei pipa” - que em alguns lugares chama-se 
“soltar papagaio” - de um lugar muito especial. Eu estava em cima da caixa d’água, no telhado do pequeno prédio onde meu pai morava, perto do Méier, no Rio de Janeiro. Era um prédio de quatro andares, mas eu estava bem seguro ali, pois a caixa d’água era muito grande. Era uma tarde fantástica, azul mesmo, quase sem nuvens, e o meu subúrbio era bem rural. Havia cavalos ao longe, cachorros e grandes espaços. Eu estava muito feliz, seguro, tranquilo e gostando muito de soltar a minha pipa dali. Já ouvi um relato de uma moça que se lembrou do momento em que cantaram a música “Parabéns para Você” no seu aniversário de seis anos. Especificamente aquele aniversário foi muito especial. Agora se concentre no seu momento especial e fique nele por algum tempo, sentindo a alegria daquela boa sensação... Atenção: Adiante, quando vir estes parêntesis ( ) você dirá o seu nome. 

Agora você, a pessoa que é agora, do modo que é agora, e com a idade real que tem hoje, aproxima-se daquela cena no passado e chega perto da criança dizendo: “E aí, meu amigo/a ( ), olhe só quem chegou...” E abra seus braços para um abraço. Então, a pessoa criança, que é você mesmo, seu/sua maior amigo/a no mundo, volta-se para você, abre um enorme sorriso e corre para você, pula no seu pescoço, lhe dá um grande abraço, dizendo: “Como me orgulho de você, ( )”. “Como me orgulho tanto de você, ( )”. Você está indo, continue em frente, nós somos vencedores/as, estamos vivos e seguindo em frente! Tantos anos se passaram, e você permanece forte, lutador/a e contando comigo, com minha amizade, com meu amor, meu carinho, meu/minha maior amigo/a. Sinta com grande intensidade a emoção do seu amor por você. Existe uma música cantada pelo conjunto 14 bis que diz: 
Alô, menino, alô, moleque... no meu coração. Quando o adulto balança, ele vem pra me dar a mão... Refere-se ao menino que existe dentro de cada um de nós, que socorre o adulto, dando-lhe a mão. Socorra-se em você mesmo. Você é, em qualquer idade, o seu maior amigo. Sorria agora para esta óóóóóóóóóóóótimaaaaaaaaaa ideiaaaaaa! E jamais abandone sua criança interior.
Outro exercício
Quando você está pensando em alguma coisa, portanto está “vendo” uma imagem da sua memória, você fica com o corpo em certas posições, coloca os olhos em certas posições, seus gestos ficam iguais aos daquela ocasião. Isto significa que, se
você ligou uma memória, não só as imagens mentais se repetem, mas todo o comportamento também, porque a memória inclui o corpo ao incluir todos os nervos espalhados por todo o corpo. Nota: Este exercício lembra o primeiro, mas é feito de outra maneira, e quanto mais maneiras, muito melhor! Pense naquele “olho” do aparelho de som, o compact disc, ou CD, que tem um "laser", o qual vai lendo a memória do disco. Você sabe que se o “olho” do aparelho de CD sair da posição certa, ele trocará de música, ou filme, foto, etc. Obrigatoriamente irá ler a nova trilha onde caiu, às vezes porque uma pancada no aparelho fez o movimento acontecer. Igualmente, se os seus olhos saírem da posição fixa que sempre ficam quando você está “vendo” imagens dentro do cérebro, também ocorrerá uma troca, uma mudança de memórias, de sensações e de estado mental, pois algo ficará fora do lugar. Vamos então desmontar uma memória negativa qualquer que você queira. 
Primeiro, mantenha a memória bem ativa e prepare-se: fique só, recolhido e sem perturbações. Mantendo a lembrança na mente, vire os olhos para um lado totalmente, até mesmo virando a cabeça. Force os olhos no canto, e ali mesmo, mova-os para cima e para baixo. Esta é uma posição muito incomum, que certamente estará fora de seus padrões de memória. Sinta interiormente o que ocorre com seus pensamentos quando você força de um lado para o outro a sua visão. Agora... Fique ziguezagueando seus olhos e, ao mesmo tempo coloque novas imagens e pensamentos por sobre aqueles anteriores, porque aí você regravará aqueles neurônios. Sorria enquanto faz isto, ligue sua música favorita, traga todas as boas lembranças, porque você já sabe fazer isto muito bem. Você já sabe que se colocar novas informações, o que antes estava lá, “sozinho”, agora estará muito acompanhado do que você quiser, como novas imagens, novas músicas, novos
aromas, etc., de modo que a “memória neurótica” nunca mais será igual. Lembre-se de que quanto mais exercícios fizer, mais cedo se libertará. Notas: Supondo que você passou em um lugar com cheiro ruim e passou a ficar se lembrando o lugar e do cheiro? Pois use um aroma que você goste muito, seja perfume ou outra coisa, e cheire pensando naquele lugar. Várias vezes – Percebeu? A memória do cheiro ficará alterada. E tem mais: Se quiser se “desapaixonar”, faça o oposto. Lembre-se da pessoa e fique em um lugar sentindo péssimos cheiros. Também imagine-a caindo em um esgoto dos mais medonhos com todos aqueles cheiros nojentos. Várias vezes… Causará uma boa alteração também.

Um exercício de mudança
Quantas chances você tem que repetir o mesmo dia até torná-lo perfeito? 

Assisti a uma comédia romântica chamada, aqui no Brasil, de “O Feitiço do Tempo”, disponível em videoclubes, que resumidamente conta a história de um sujeito arrogante, um jornalista de televisão muito complicado que um dia foi aprisionado por uma nevasca em uma cidade no interior dos Estados Unidos, passando a ter o mesmo dia repetido um número infinito de vezes. As outras pessoas com as quais falava não sabiam que o dia se repetia. Só ele sabia. Depois de muitas cabeçadas, até muito engraçadas e de diversas tentativas, foi se modificando como ser humano e, como sempre sabia o que aconteceria naquele único dia com cada uma das outras pessoas, passou a prevenir acidentes e problemas nas vidas delas, de modo que se tornou alguém muito melhor, muito querido, muitíssimo popular. Envolveu-se de uma maneira muito bonita com uma
moça, e assim, finalmente o dia passou a ser o próximo. Cada um vê o filme de um modo diferente, é claro, mas a minha percepção foi a de que ele teve a oportunidade de repetir o mesmo dia talvez milhares de vezes, e de aprender muitas coisas diferentes, de melhorar imensamente sob aspectos humanos e afetivos, mas não para ganhar o prêmio de o dia deixar de ser o mesmo. Foi para ganhar o prêmio de aprender que é possível fazer-se um dia perfeito... Ele conseguiu um dia perfeito... Precisou mudar como ser humano e conseguiu fazer um dia perfeito... E nós, na nossa realidade? Infelizmente, não podemos repetir nossos dias, apenas avançamos para a velhice e para a nossa morte! Então, de quantos dias você vai precisar até conseguir fazer o seu dia perfeito? Quantos dias você vai gastar? Podem ser cinco, dez, quinze anos que você jamais terá de volta. 
Se quiser um dia perfeito, precisa ser este, hoje, agora, e parte dele é o que você está lendo ou fazendo aqui neste momento. Não sabemos se teremos um dia a mais, sequer! Então, crie uma lista de crenças que lhe façam bem. Copie em um papel todas as coisas positivas nas quais você quer acreditar ,e de modo afirmativo. Um dos meus livros, não por acaso, chama-se “Crenças Positivas” e o outro, “Conselhos que Nem Sempre Recebemos – Você pode ser Feliz”. Ambos podem ser encontrados também em versões virtuais no site www.amazon.com
 
Outro exercício: 

Feche sua mão direita com força! Diga bem forte, ao mesmo tempo abrindo a mão : - “Eu abro mão de todas as minhas culpas, sejam as colocadas por mim ou pelos outros, em minha vida”. Prossiga: - “Eu abro mão de todas as minhas culpas, sem nenhuma exceção, porque me reconheço um ser humano, falho, impreciso, limitado, como somos todos os seres humanos do planeta, sem nenhuma exceção. E com esta mão aberta, livre de minhas culpas, me oriento para o Bem. Sei que a falha humana existirá, mas sempre estarei ligado ao Bem, com o forte propósito de ser uma pessoa voltada para o Bem. Tenho a certeza de que novas culpas jamais me importunarão”. Os ressentimentos também são “lixo dentro de nossas mentes”. Precisam ser retirados. São os ressentimentos contra outras pessoas, desde a família, pai, mãe, irmãos, filhos, esposas e maridos, colegas, chefes, vizinhos, e por aí vai. 

Você não pode controlar as outras pessoas, mesmo que estejam muito próximas. Sinta alívio ao perceber isto, pois “O OUTRO sempre nos escapa” e ninguém cumpre as expectativas das outras pessoas. É simplesmente impossível! Feche agora sua mão esquerda. Diga, ao abri-la: - Eu abro mão de TODOS OS MEUS RESSENTIMENTOS. Retiro todos os meus ressentimentos de dentro de mim, me coloco leve, me coloco saudável, me coloco feliz em saber que não posso controlar os outros seres humanos, mas posso conviver bem com eles, porque nunca mais guardarei ressentimentos... A falha humana é universal. Todos temos falhas humanas. 


RECURSOS PARA AMPLIAR OS EFEITOS 

Existem coisas que você lê que lhe fazem um bem enorme. Você gostaria de lembrá-las sempre, mas é muito raro que volte a ler e a reler diariamente as mesmas coisas, as mesmas páginas de um livro, de uma revista, ou mesmo este livro. Assim, para garantir não se esquecer de nada, use  Gravações e cartazes Já lhe passou pela cabeça fazer a sua própria gravação em áudio, que contenha só aquilo que realmente quer ouvir, com a sua própria voz que é você - a pessoa que você mais confia no mundo - e com o fundo musical que realmente preferir? Uma fita particular, só sua e de mais ninguém? Pois os novos celulares fazem essas duas coisas muito mais fáceis - Vídeos e gravação de voz. Você grava e depois fica se ouvindo, com fones ou não.
Basta escolher uma música de que goste, colocar para tocar a uma certa distância do celular onde já ligou o gravador de voz que todos têm, e depois falar o quanto quiser, mais próximo dele, as coisas que você quiser, para lhe motivar e trazer bons pensamentos. Assim, ficará sua fala com a música de fundo. Quer conhecer uma gravação que fiz há vários anos? Chama-se RELAXAMENTO COM NEI LOJA, que é um dos noventa vídeos de meu canal no Youtube. O meu canal no Youtube chama-se Canal Nei Loja. Acredite na força da repetição, mas em uma enorme quantidade de repetições só das coisas que você quer, aquelas que lhe fazem muito bem... 


Outra coisa muito importante é  PERDOAR-SE. 

Perdoe-se mesmo! São muitos os palestrantes, livros de várias doutrinas e culturas mundiais que falam da importância de você se perdoar. Deve haver um motivo. Assisti a um programa da MTV chamado “Barraco”, onde estava reunido um grupo para debater vários assuntos. Eles chamavam de Barraco para lembrar aquela expressão popular “vou fazer um barraco”, mas as pessoas eram bemeducadas. Estavam discutindo livros de autoajuda quando uma moça, de presumíveis vinte e cinco anos, declarou que só havia conseguido se curar de uma doença grave quando tomou um “banho do perdão”. Ela tinha feridas pelo corpo que não cicatrizavam, e que nunca mais retornaram após este banho do perdão. Claro que ninguém estava ali para interpretar motivos, dar explicações, e nem vou fazer isto agora. Importa o fato. Ela estava com seus neurônios tão
demasiadamente alterados, que chegava a ter feridas pelo corpo! Você quer pensar um pouco nisto? Então vamos perceber que as feridas não precisam ser visíveis. Carregamos muitas culpas que são profundamente destrutivas em nossas vidas. Feridas terríveis dentro de nós que são os chamados “sentimentos de culpa”. Perdoar-se é vital. Ninguém é “super” e é triste quando temos que assumir isto. Somos humanos. Falhamos. Erramos e muitas vezes jamais nos perdoamos. Não nos damos outra chance! Incrível! Existe pelo menos uma crença religiosa que diz que todos os dias de manhã Deus perdoa você. E perdoa de graça, porque é Pai, e o Pai dá sem explicar o porquê. Por isto é pai. Faz pelos filhos e está acabado. No Brasil 95% das pessoas são cristãs, então... Você não precisa de ajuda nenhuma para ter este perdão. É espontâneo! Está na Bíblia, em Lamentações 3.22 e 23.
Que tal acreditar nisso? Acredite mesmo! Acredite que você tem sempre uma nova chance de se encaminhar para o Bem, todos os dias. Você pode errar, do modo humano de errar. Pode até ficar “maluco” sem querer, porque ninguém “escolhe ficar maluco”, mas precisa se orientar e tender para o Bem, não permanecendo errado e nem maluco. Permanecer será o que lhe abrirá as feridas internas ou externas. Reflita: Você consegue aceitar que já está fazendo o seu melhor? Que nem sempre conseguiu fazer tudo o que gostaria e que a vida é assim mesmo? Mas que ainda pode e deve recomeçar? Que não existe idade para recomeçar? Finalmente, você percebe que a opinião mais importante sobre você mesmo é a sua? Que é você quem deve definir o que vai fazer com a sua vida? Uma vida só sua... Então, cuidado, porque muita gente quer e consegue se apropriar das vidas dos outros, dão muitas opiniões, mas...
quem terá que se resolver, se der errado, é você.


As mudanças externas ajudam nas internas? Muito, mas muito mesmo! 

Tenho tido a oportunidade de orientar diversas pessoas na resolução de questões complicadas, utilizando os recursos que conheço e que percebo que funcionam. Se você quiser sentir os resultados, posso lhe garantir duas coisas: são muito fáceis de praticar e não conheço efeitos negativos. Um pensamento puxa outro, isto já sabemos. Mas o que "liga" um circuito neurológico de memória da mente pode ser uma porção de coisas diferentes, e você pode agir sobre uma boa parte delas. Por exemplo, mudando as cores da sua casa, mudando a posição dos móveis, mudando de quarto, ou até de casa, de bairro, de tudo! 
Livre-se de roupas que não usa mais ou de materiais que lembram passagens ruins de sua vida, objetos, fotos, vídeos, o que for. Às vezes um quadro, um vaso de plantas relembra e liga as lembranças menos felizes. Livre-se e pronto. Vire a página para uma nova vida. É sempre possível recomeçar, para qualquer um de nós. 

E... Dê graças por tudo! 

Quando ouvi isto pela primeira vez, achei muito estranho. É uma frase que vem de alguém muito inteligente e que você compreenderá melhor agora, após já ter lido tantas coisas sobre esta maneira muito especial de perceber o funcionamento de nossos cérebros. Suponha que você sofra uma contrariedade do tipo mais simples. Está com pressa, tentando abrir a porta da rua, e a chave está enguiçada, dificultando-o, fazendo com que perca tempo... Você vai ficando mais e mais impaciente, mais
estressado, e o que ocorre? Possivelmente “liga” aqueles pensamentos que colocam seu organismo inteiro muito mal, repleto de caldinhos ruins. Mas, se você acreditar em Deus, leva uma grande vantagem, porque, se ocorrer algo daquele tipo, ou até outras coisas mais graves e você disser: “Graças a Deus...”, sabe o que acontecerá? Seus pensamentos irão para o grupo positivo, porque Deus em nós é o positivo, o nosso melhor, seja qual for a sua religião. Por isto é Deus. Esta área de nosso pensamento nunca tem caldinhos ruins. Se tiver, algo está errado. Lembre-se: se você começar um pensamento negativo, diversos outros surgirão, um pensamento ruim puxando o outro, até você sentir algum esgotamento, por puro desgaste de energia. Corte logo e pense em coisas alegres, felizes e novas possibilidades. Um pensamento ou lembrança feliz também puxa outros.
Com certeza vale a pena fazer mais este cartaz que você deve colocar por perto, em vários lugares, para se lembrar de dizer... Graças a Deus!

 Amigos leitores, espero sinceramente que a leitura e a prática dos exercícios aqui ensinados levem você a uma vida muito mais 
de acordo com seus sonhos e desejos.
Votos de imensas alegrias, 
Nei loja Autor Nei Loja – Psicólogo,  - 70 anos, formado em 1975 

Conheça no site https://sites.google.com/site/neiloja/ Psicólogo, pós graduou-se em Desenvolvimento de Recursos Humanos e especializou-se em técnicas da PNL (Programação Neurolinguística), uma corrente de pensadores norte-americanos
que vem influenciando sobremaneira a visão contemporânea da psicologia, sendo diferente no sentido de que busca resultados objetivos e não somente o chamado autoconhecimento, o qual, sem dúvida, também é imensamente importante. 





Comments