003) FUNDAÇÃO MECANIZADA COM WIRTH

OBJETIVO:
 
 Nos casos onde é necessário o embutimento das estacas escavadas em solos resistentes à ferramenta de escavação, ou em rocha, ou nas obras viárias onde tradicionalmente são utilizadas soluções em tubulões pneumáticos como pontes,  viadutos e Portos, quando se torna inviável a execução de fundações manuais ou com auxílio de tubulões a ar comprimido devido a elevação da pressão de trabalho superior a 2 kg/cm2 será utilizado equipamentos especiais que permitem utilizar perfuratrizes de grande diâmetro sem a utilização da mão de obra direta, confinada no poço de perfuração, sem oferecer risco de vida ao trabalhador.

Perfuração com flutuante e lamina d´água

Perfuração Mecanizada com Wirth em lâmina d´água


Tubulão mecanizado com Wirth em Terra

 Perfuração Mecanizada com Wirth em terra

 

Perfuração Mecânicazada

 A perfuração é executada, no trecho em solo, com as técnicas usuais da estaca escavada, com uso de lama estabilizante e caçamba como ferramenta de escavação, até encontrar solo resistente ou o topo rochoso. A caçamba é então substituída por um trado especial com holles bit´s que, graças ao tipo de haste provida de um sistema especial de autobloqueio dos elementos telescópicos,consegue transferir todo o torque da perfuratriz hidráulica à sua extremidade, possibilitando a perfuração em camadas de solos resistentes ou rochas brandas, permitindo com que a cisrculação do material escavado retorne no interior da haste de perfuração.

O material resultante da escavação é quase totalmente retirado prensado entre as lâminas do trado, enquanto o restante, depositado no fundo da perfuração, é retirado pelo sistema de "air lift". Esse processo elimina todos os resíduos do fundo da perfuração, permitindo um contato melhor entre o concreto e a rocha.






Execução da 3a Ponte Lago Paranoá - Brasília - DF

CASO DE OBRA : PERÍODO DO SERVIÇO (SET / 97  até JUN / 98):

FUNDAÇÃO DO PORTO DO PECÉM 
 

CLIENTE : Construtora Andrade Gutierrez S.A. - SETECO :

 
Cargo ocupado  -  Engenheiro de produção das obras de fundação do Porto do Pecém na cidade de São Gonsalo do Amarante - CE, executando serviços de cravação de estacas pré-moldadas pré-tendidas de Ø 0,80 m e perfuração de pino com utilização de Wirth para engastamento na rocha sã quando necessário.

Emprego de Tecnologia de obras portuárias com utilização do cantitravel para execução do Porto do Pecém

O cantitravel é um equipamento destinado a execução de obras portuárias que partem da praia rumo ao mar. Trata-se de uma espécie de plataforma metálica que trabalha em balanço apoiada em uma viga principal e com cerca de 20 m de estrutura em balanço, equipada com guindaste que serve de contrapeso e também para mobilidade das vigas auxiliares muito utilizados em obras marítimas. O conjunto permite que seja feita a cravação dos pilares de sustentação da estrutura a ser construída, sejam cravados/escavados sem a necessidade de apoio de flutuantes ou embarcações sem o contato com o terreno.

No Porto do Pecem, a tecnologia do cantitravel foi usada para a construção da ponte de acesso do Porto para a região dos Piers sendo que o cantitravel partiu da terra e uma plataforma off-shore foi deslocada ao mar para construção dos Piers. Nessa obra, o equipamento foi empregado principalmente para reduzir o impacto ambiental e facilitar o acesso ao mar devido a dificuldade de trabalho embarcado devido as fortes ondas presentes na maioria dos dias dos meses na região da praia do Pecém. As pistas de acesso serão executadas no canteiro e na sequencia aplicadas a estrutura do porto que é pre-moldada.

Se o viaduto do trecho leste fosse construído por sistema convencional, seria gasto um prazo muito maior e a dificuldade para execução das fundações embarcadas seria muito difícil face a regime das mares ter comprimento de ondas muito grandes o que se tornaria impossível o estaiamento das embarcações, somente a partir das fundações serem executadas e que os blocos e os pilares e a estrutura poderiam ser construídos. Com a tecnologia adotada, essas intervenções são dispensadas e os pilares do viaduto são cravados diretamente no solo, atuando como estacas.

Serão utilizadas estacas de concreto circulares de 80 cm pré-moldadas de concreto protendidas e execução de blocos pré-moldados.

Veja como funciona o principio do cantitravel :

Daniel Beneventi

1 Instalação:


O cantitravel é instalado sobre quatro estacas (mesa), sobre as quais é montada a plataforma do equipamento que vai comportar o sistema com os demais equipamentos de apoio - como a grua e o bate-estaca, sendo que parte desta plataforma, cerca de 20,00 m de extensão esta em balanço.




LAY-OUT DO CANTITRAVELER
ESTACAS PRÉ-MOLDADAS

2 Vigas, pilares e segmentos do tabuleiro:


As vigas e os pilares (estacas) que serão utilizados para a execução do porto são pré-fabricados. São fabricados no canteiro de obras que fica logo atras do porto que sera executado na região da praia o que facilita o deslocamento das estruturas pré-moldadas. O sistema cantitravel não interfere na tipologia desses elementos nem na quantidade de concreto consumido, isso cabe ao projeto executivo da obra. No caso do porto do Pecém, serão adotados vãos de 20,00 m de extensão. As estacas terão entre 18 e 35 m de comprimento.

3 Cravação:


As estacas de concreto pré-moldadas circulares de diâmetro 80 cm serão cravados com auxílio de guindaste com capacidade de carga de 130 t que fica apoiado no cantitravel funcionando inclusive de lastro para contra peso ao balanço da viga, que içara a estaca na parte traseira da ponte e posicionara a mesma num gabarito que fica na treliça em balanço para facilidade da locação topográfica das estacas. Apos içada a estaca a mesma e colocada a frente cerca de 20,00 m no gabarito, onde será descida no gabarito tendo pelo  menos dois apoios na estaca, a estaca ficara apoioada na superficie do chão e a parte superior nos dois apoios do gabarito. Em seguida o guindaste ira apanhar o martelo de cravação a explosão Delmag D - 32 ou o martelo de cravação Juntan Hidráulico e posicionar na cabeça da estaca para início da cravação da estaca, por meio de um bate-estaca operado a partir do cantitravel. Quando novas estacas são cravadas no solo, a estrutura do cantitravel é transferida adiante, o equipamento de guindar apanha as vigas metálicas traseiras e as posiciona na parte dianteira sem que seja necessário acessar o solo ou o mar. Em uma demonstração na obra do porto do Pecém, uma estaca de 25 m de altura foi cravada em aproximadamente 35 minutos.

Cravação das Estacas com Martelo Hidráulico Junthan

4 Movimentação:

Com o novo conjunto de estacas cravadas à frente do cantitravel - sobre as quais o sistema vai se movimentar para se apoiar, são executadas as vigas na parte de trás para finalizar um trecho da obra. O cantitravel mantém guias com roldanas para orientar a instalação das estacas e se movimenta sobre vigas-trilhos. Uma das dificuldades da movimentação é o acompanhamento da topografia do terreno.



ESTACA DE 25,00 m SENDO ERGUIDA COM AUXÍLIO DE GUINDASTE NO CANTITRAVEL

5 Pistas

Os segmentos do tabuleiro da Ponte Portuária são montados, alinhados, sobre as vigas já executadas. Sobre esses segmentos pré-fabricados de concreto é executada a estrutura necessária para a pavimentação




  

   

 

CRAVAÇÃO DE ESTACAS UTILIZANDO MARTELO EXPLOSÃO DELMAG D - 62
 
    
 

VISTA DOS SERVIÇOS EXECUTADOS NO CANTITRAVELER

AVANÇO DA PRAIA PARA O PIER - 01 E 02
 

 

 

  DETALHE DA PERFURAÇÃO NO INTERIOR DA ESTACA COM PERFURATRIZ WIRTH PARA CONFECÇÃO
 DO PINO INTERNO ESCAVADO EM ROCHA
 
 
DETALHE DA PERFURAÇÃO COM AUXÍLIO DE ÁGUA PARA LIMPEZA DO INTERIOR DA PERFURAÇÃO EM ROCHA E DA ESTACA  
 
    
 
DESCIDA DA GAIOLA

 

COLOCAÇÃO DA ARMAÇÃO DO PINO ESCAVADO EM ROCHA E A ESTACA
 
  

CONCRETAGEM DO PINO E DO FUSTE INTERNO DA ESTACA COM AUXÍLIO DE TREMONHA ATÉ O TOPO DA ESTACA PARA GARANTIR TOTAL PREENCHIMENTO

 

 

PRINCIPAIS SERVIÇOS EXECUTADOS NA PLATAFORMA PIATÃ : 
 
 
DESENBARQUE DA ESTACA NO CAIS EM MARRECAS PARA SEREM TRANSPORTADAS POR REBOCADORES OU DIRETAMENTE ACONDICIONADAS EM BATELÃO

 

TRANSPORTE EM MARRECAS



TRANSPORTE EM BATELÃO

 
VISTA GERAL DA PLATAFORMA OFF-SHORE PIATÃ

 
PRINCIPAIS SERVIÇOS EXECUTADOS NA PLATAFORMA PIATÃ :
 
 
 

 EMBARQUE DE PESSOAS


  
 
REBOCADOR E BATELÃO

 



GABARITO DA PLATAFORMA PARA LOCAÇÃO, POSICIONAMENTO E EXECUÇÃO DAS ESTACAS DE 30,00 m DE COMPRIMENTO.



 
     
GABARITO
 
ESTACAS POSICIONADAS NO GABARITO DE LOCAÇÃO

 
 
 
 
 
UTILIZAÇÃO DE GPS - GLOBAL  POSICION SEARCH
PARA LOCAÇÃO DAS ESTACAS

 

                      

 

CRAVAÇÃO COM MARTELO DELMAG
            
 
 
 
PERFURAÇÃO INTERNA DO PINO COM TRICONE DE ASAS COM WIDEA



Possíveis problemas na perfuração com tricones



"Perda de Circulação" ou "Ausência de Retorno" é a perda do fluido de perfuração (ou pasta de cimento) para os espaços porosos, fraturas ou cavernas da formação, durante as operações de perfuração ou completação.

Prisão de coluna de perfuração por diferencial de pressão, desmoronamento, embuchamento ou inchamento de argila.


Desgaste de brocas tri-cônicas.




Objeto indesejável (ferramenta, seção da coluna de perfuração, cones de broca, cabos) preso ou caído no poço que impede a sequência da perfuração.


Algumas ferramentas e recursos existentes para pesca de objetos indesejáveis perdidos durante acidente com perfuração


Mudanças de direção do poço em função de fatores naturais e mecânicos.


Tais mudanças podem ser desejadas ou não, de maneira que pode se utilizar equipamentos que as proporcionam, como demonstram estas ilustrações. 




  

 
MONTAGEM DAS VIGAS PRÉ-MOLDADAS
 
 
ARRASAMENTO DAS ESTACAS
 
 
DETALHE DA EXECUÇÃO DAS ESTACAS
ESTACA RAIZ EMBUTIDA DENTRO DA ESTACA CRAVADA
 

 

DIRETORIA DA ANDRADE GUTIERREZ NO PORTO DO PECÉM

 

SISTEMA DE PERFURAÇÃO POR CIRCULAÇÃO REVERSA

ENG. VICENTE GARAMBONI E ENG. MARIO JUNIOR

PORTO DO PECÉM

 


Cuidados na perfuração :


 

Kicks e Blowouts


 

O Kick é um influxo indesejável e não esperado, que pode ocorrer da formação para dentro do poço. Ocorre quando a pressão no poço, em frente a uma formação permeável, fica menor que a pressão de poros dessa formação. O fluido invasor pode ser de água, óleo ou gás. Dentre suas causas citamos a falta de ataque ao poço durante as manobras, pistoneio, perda de circulação, peso de lama insuficiente e corte da lama por gás. Quando um kick é detectado deve-se fechar o poço pelo BOP,circular o fluido invasor para fora do poço, circular um fluido mais denso para controlar o poço, abrir o BOP e voltar a perfurar.

 

 
 
 
 
 

 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
Comments