70) CONTENÇÃO EM TERRA ARMADA

Não O projeto de um muro de terra armada exige dois tipos de verificações, as relativas ao dimensionamento interno dos diversos elementos componentes da estrutura e as respeitantes ao dimensionamento externo.

De modo semelhante ao que acontece com qualquer obra de suporte de terras, no dimensionamento externo incluem-se as seguintes verificações:


1 – capacidade de carga do terreno de fundação;


2 – estabilidade em relação ao deslizamento pela base;


3 – estabilidade geral do conjunto composto pela obra e pela fundação.


Vídeo do YouTube



ORIGEM DA TERRA ARMADA

A invenção da tecnologia Terra Armada por Henri Vidal, em 1960, é até hoje reconhecida como uma das grandes inovações da engenharia civil. A brilhante intuição e o dinamismo de Vidal fizeram surgir um grupo de empresas Terra Armada, disseminadas pelo mundo inteiro, grupo este conhecido como Tèrre Armée Internationale, ou Grupo TAI. Hoje, são mais de dois milhões de metros quadrados de estruturas Terra Armada, construídas pelo Grupo TAI nos cinco continentes. 

Terra armada:

Os elementos de reforço são tiras metálicas, que recebem tratamento especial anticorrosivo. Estas tiras são presas a blocos cônicos de concreto que protegem a face, para evitar o deslocamento excessivo. Estes blocos de concreto não possuem função estrutural.

Para a execução da Terra Armada é seguido os seguintes passos:

  1. Preparo e concretagem das formas para execução das escamas de concreto armado da terra armada;
  2. A montagem é basicamente uma operação de terraplenagem com a rapidez da construção, dependendo do ritmo em que a terra possa ser espalhada e compactada;
  3. Aplicação lateral das escamas pré-moldadas de concreto, ou malhas eletrosoldadas;
  4. O processo se repete e segue um ciclo simples;
  5. É feita a colocação de escamas que são os painéis pré-moldados de revestimento;
  6. Fixam-se as escamas a uma camada de armaduras, aplicando a barra de ferro que fica fixada à escama a uma quantidade significativa de concreto cônico;
  7. Então é feito o espalhamento e compactação das camadas de aterro selecionado sobre as armaduras até atingir o nível de fixação da próxima escama;
  8. O ritmo de montagem de Terra Armada é determinado pela velocidade em que o aterro é espalhado e compactado, desde que as peças pré-moldadas já estejam prontas. O tamanho da equipe de montagem, a facilidade de acesso ao local da obra e, evidentemente, as condições meteorológicas influenciam muito no processo de montagem.

Terra Armada

Os muros em Terra Armada são estruturas de contenção flexíveis, do tipo gravidade, que associam: aterro selecionado e compactado; elementos lineares de reforço que serão submetidos à tração; e elementos modulares pré-fabricados de revestimento. Os muros Terra Armada são largamente utilizados em obras rodoviárias, ferroviárias, industriais e em outras aplicações de engenharia civil. Devido à sua alta capacidade de suportar carregamentos, Terra Armada é ideal para muros de grande altura, ou que estejam sujeitos à sobrecargas excepcionais. O princípio da tecnologia Terra Armada é a interação entre o aterro selecionado e os reforços - armaduras de alta aderência -  que, corretamente dimensionados, produzem um maciço integrado no qual as armaduras resistem aos esforços internos  de tração desenvolvidos no seu interior. Estes maciços armados passam a se comportar como um corpo “coesivo” monolítico, suportando, além de seu peso próprio, as cargas externas para as quais foram projetados.

O processo Terra Armada oferece grandes vantagens:

RESISTÊNCIA INTERNA: Que, aliada à estabilidade externa do volume armado, confere ao conjunto significativa capacidade de resistir às cargas estáticas e dinâmicas.

CONFIABILIDADE – A durabilidade dos materiais está bem documentada e é monitorável,  permitindo alto grau de confiabilidade.

ADAPTABILIDADE – A tecnologia provê soluções para casos complexos e, muitas vezes, demonstra ser a melhor solução para problemas como: uma faixa de domínio estreita; taludes naturais instáveis; condições limite de fundação com  expectativa de  recalques significativos.

ASPECTO  ESTÉTICO – A variedade de possibilidades de paramentos externos pode atender a diversas exigências arquitetônicas.

Os elementos de reforço do solo

Os elementos de reforço são os componentes chave das estruturas em Terra Armada. Na maioria dos casos utiliza-se, como reforço, armaduras de aço do tipo HA, de alta aderência, que são perfis especiais de aço, zincados a fogo, de acordo com as especificações Terra Armada. Estes elementos têm características físicas e geométricas que lhes conferem grande resistência à tração, ductilidade, e excelente coeficiente de aderência ao solo.  A elevada resistência à tração, a capacidade de não se deformar ao longo do tempo sob tensão constante e sob cargas dinâmicas e a resistência ao manuseio durante as etapas construtivas, são características importantes deste tipo de armadura, que não têm similares dentre os elementos de reforço de solos.    

A construção

O fator chave na aceitação mundial da tecnologia Terra Armada tem sido a simplicidade e a rapidez de construção. Em ambientes urbanos os projetistas têm que conviver com locais restritos, cronogramas apertados, e pouco espaço físico. Na construção dos muros Terra Armada, a maior parte da atividade construtiva ocorre por trás do paramento, sem andaimes e sem interrupções  do fluxo de tráfego. As estruturas podem ser construídas a poucos centímetros das divisas e podem facilmente ser projetadas para seguir alinhamentos curvos dos traçados. A montagem é basicamente uma operação de terraplenagem com a rapidez da construção dependendo do ritmo em que a terra possa ser espalhada e compactada. Seja o paramento em escamas pré-moldadas de concreto, ou  malhas eletro-soldadas (TerraTrel), o processo é claramente semelhante e  segue um ciclo simples e repetitivo:

Colocação de escamas (painéis pré-moldados de revestimento)

Fixação de uma camada de armaduras

Espalhamento e compactação das  camadas de aterro selecionado sobre as armaduras

O ritmo de montagem de Terra Armada é primeiramente determinado pela velocidade em que o aterro é espalhado e compactado. 

Outras considerações são o tamanho da equipe de montagem e a facilidade de acesso ao local da obra e, evidentemente, as condições meteorológicas.

Uma equipe média consta de:·        

Um encarregado de turma (que também trabalha na montagem)       
Três serventes        
Um operador do equipamento de içamento das escamas       
Equipamentos de compactação       
Operadores dos equipamentos de compactação
De uma maneira geral, com uma única equipe de montagem, um muro pode ser montado num ritmo de:     

20 m2 a 30 m2 de parede vertical por dia para muros pequenos com acesso difícil     
30 m2 a 60 m2 de parede vertical por dia para muros extensos com acesso fácil e bom espaço para espalhar e compactar
                         ***

Terra Armada é marca registrada de Terra Armada Ltda.

zoomclique para ampliarzoomclique para ampliarzoomclique para ampliarzoomclique para ampliarzoomclique para ampliarzoomclique para ampliarzoom
diminuir o textoaumentar o texto

Terra Armada

Os muros em Terra Armada são estruturas de contenção flexíveis, do tipo gravidade, que associam: aterro selecionado e compactado; elementos lineares de reforço que serão submetidos à tração; e elementos modulares pré-fabricados de revestimento. Os muros Terra Armada são largamente utilizados em obras rodoviárias, ferroviárias, industriais e em outras aplicações de engenharia civil. Devido à sua alta capacidade de suportar carregamentos, Terra Armada é ideal para muros de grande altura, ou que estejam sujeitos à sobrecargas excepcionais. O princípio da tecnologia Terra Armada é a interação entre o aterro selecionado e os reforços - armaduras de alta aderência -  que, corretamente dimensionados, produzem um maciço integrado no qual as armaduras resistem aos esforços internos  de tração desenvolvidos no seu interior. Estes maciços armados passam a se comportar como um corpo “coesivo” monolítico, suportando, além de seu peso próprio, as cargas externas para as quais foram projetados. 

O processo Terra Armada oferece grandes vantagens: 

  • RESISTÊNCIA INTERNA: Que, aliada à estabilidade externa do volume armado, confere ao conjunto significativa capacidade de resistir às cargas estáticas e dinâmicas.
  • CONFIABILIDADE – A durabilidade dos materiais está bem documentada e é monitorável,  permitindo alto grau de confiabilidade.
  • ADAPTABILIDADE – A tecnologia provê soluções para casos complexos e, muitas vezes, demonstra ser a melhor solução para problemas como: uma faixa de domínio estreita; taludes naturais instáveis; condições limite de fundação com  expectativa de  recalques significativos.
  • ASPECTO  ESTÉTICO – A variedade de possibilidades de paramentos externos pode atender a diversas exigências arquitetônicas.

Os elementos de reforço do solo

Os elementos de reforço são os componentes chave das estruturas em Terra Armada. Na maioria dos casos utiliza-se, como reforço, armaduras de aço do tipo HA, de alta aderência, que são perfis especiais de aço, zincados a fogo, de acordo com as especificações Terra Armada. Estes elementos têm características físicas e geométricas que lhes conferem grande resistência à tração, ductilidade, e excelente coeficiente de aderência ao solo.  A elevada resistência à tração, a capacidade de não se deformar ao longo do tempo sob tensão constante e sob cargas dinâmicas e a resistência ao manuseio durante as etapas construtivas, são características importantes deste tipo de armadura, que não têm similares dentre os elementos de reforço de solos.    

A construção

O fator chave na aceitação mundial da tecnologia Terra Armada tem sido a simplicidade e a rapidez de construção. Em ambientes urbanos os projetistas têm que conviver com locais restritos, cronogramas apertados, e pouco espaço físico. Na construção dos muros Terra Armada, a maior parte da atividade construtiva ocorre por trás do paramento, sem andaimes e sem interrupções  do fluxo de tráfego. As estruturas podem ser construídas a poucos centímetros das divisas e podem facilmente ser projetadas para seguir alinhamentos curvos dos traçados. A montagem é basicamente uma operação de terraplenagem com a rapidez da construção dependendo do ritmo em que a terra possa ser espalhada e compactada. Seja o paramento em escamas pré-moldadas de concreto, ou  malhas eletro-soldadas (TerraTrel), o processo é claramente semelhante e  segue um ciclo simples e repetitivo:

  • Colocação de escamas (painéis pré-moldados de revestimento)
  • Fixação de uma camada de armaduras
  • Espalhamento e compactação das  camadas de aterro selecionado sobre as armaduras

O ritmo de montagem de Terra Armada é primeiramente determinado pela velocidade em que o aterro é espalhado e compactado. Outras considerações são o tamanho da equipe de montagem e a facilidade de acesso ao local da obra e, evidentemente, as condições meteorológicas. 

Uma equipe média consta de:·         

  • Um encarregado de turma (que também trabalha na montagem)        
  • Três serventes         
  • Um operador do equipamento de içamento das escamas        
  • Equipamentos de compactação        
  • Operadores dos equipamentos de compactação

De uma maneira geral, com uma única equipe de montagem, um muro pode ser montado num ritmo de:      

  • 20 m2 a 30 m2 de parede vertical por dia para muros pequenos com acesso difícil      
  • 30 m2 a 60 m2 de parede vertical por dia para muros extensos com acesso fácil e bom espaço para espalhar e compactar

                         ***

Terra Armada é marca registrada de Terra Armada Ltda.


Comments