23) Execução de projetos de contenção e Geotecnia


Execução de Projetos de Cortina Atirantada



PLANTA BAIXA



PLANTA FRONTAL



CORTE TRANSVERSAL



Execução de tirantes como meio de contenção do solo


Os tirantes são elementos estruturais utilizados em contenção de cortinas e encostas, cujo material será definido pelo projetista.

Eles podem ser feitos de fio, cordoalha ou barra, sendo este o último o mais utilizado atualmente. 

O tirante, em síntese, é composto por dois trechos, sendo o primeiro livre e o segundo ancorado. 

O trecho livre não tem contato com o cimento, ele é composto apenas de tubo pvc, aço e bainha de cimento em volta do tubo.

No trecho ancorado há injeção de calda de cimento para, assim, transmitir-se ao terreno a carga de tração. 

A implantação de uma cortina atirantada em solo prevê a sequência das seguintes etapas de execução: montagem, perfuração e instalação, injeção e protensão.

Montagem dos tirantes:

A montagem do tirante é realizada por armadores devidamente treinados com auxílio de serventes. 

Os equipamentos necessários são esmerilhadeira ou policortes, utilizados no corte do aço, furadeira com broca de 6mm necessária na perfuração dos tubos PVC da parte ancorada, arco de serra para lixar ou cortar os tubos de PVC.

 O aço do tirante deve sempre passar por um criterioso tratamento realizado com tinta anticorrosiva em duas demãos. 

Os tubos PVC na parte ancorada devem ser furados a cada 50 cm em 6 direções diferentes, após esse processo é necessário limpar a parte interna para retirada de resíduos e depois instalar as válvulas manchetes.

Etapa de perfuração para instalação de tirantes

Finalizada a etapa de montagem, dá-se início a fase de perfuração e instalação do tirante. A perfuração é executada por um operador de perfuratriz treinado, equipado com EPI, trena e medidor de ângulo para garantir o posicionamento exato do tirante conforme projeto. 

Os equipamentos utilizados nessa etapa são perfuratriz completa; compressor; bomba d’agua, se necessário; tubos de revestimento, caso o terreno não seja firme. 

Lembrando, ainda, que são utilizados martelo de fundo em terrenos rochosos e martelo tricone em não rochosos. 

Concluída a perfuração e limpeza do furo, pode-se, então, instalar o tirante.

Tirantes inseridos na perfuração do solo

Fase posterior:

Após a execução das fases anteriores, o tirante está pronto para receber a injeção de calda de cimento.

Neste procedimento é utilizado bomba de injeção completa, bomba d’agua e reservatório d’agua. 

O profissional que realiza a injeção é chamado de injetador e deve ser treinado para tal.

Portanto essa parte é o processo mais importante do processo de instalação de tirante. 

Pois é responsável por ancorar e transmitir a carga de tração ao terreno. 

Os valores das pressões de injeção, do consumo de cimento e o fator d’agua utilizado o devem ser anotados em um diário e passados ao cliente no final da execução.

A protensão é iniciada após o tempo de cura da calda de cimento, sendo mínimo de 3 a 4 dias para cimento ARI-RS e 7 dias para cimento CP – II.

Essa fase é realizada por um técnico de protensão, com auxílio de uma bomba e macaco de protensão aferido e paquímetro. 

Contudo ele serve para medir o alongamento e anotá-lo em um boletim de campo. 

Concluindo na protensão há a verificação de todos os passos anteriormente realizados. 

Por fim, se o tirante suportar as cargas solicitadas em projeto e atender aos alongamentos, encerra-se o processo.






PARA VOLTARA A PÁGINA PRINCIPAL CLIQUE NO LINK ABAIXO



Comments