16) SONDAGEM A PERCUSSÃO

O SONDADOR E O MÉDICO

 

         Para entender melhor o trabalho de execução de sondagens a Percussão, vamos imaginar a seguinte situação.

         Sr. José acordou indisposto, e percebeu que não teria condições de ir ao trabalho aquele dia, falou para sua esposa e ela imediatamente disse que ia levá-lo ao médico.

         Antes porém Sr. José tratou de avisar no trabalho que ele não poderia ir.

         hegando ao consultório, o Médico começa a examinar o Sr. José. Aperta aqui, aperta ali, pergunta onde dói, o que comeu e como andam as coisas. Para completar a consulta pede alguns exames de laboratório.     

   E lá vai o Sr. José com as coletas para serem examinadas. Depois de buscar os resultados do exame volta ao médico.

         Com base naquela primeira consulta e mais os exames de laboratório, ele dá o diagnóstico – Xiii... Seu José, o Sr. está com dengue. E receita para o Sr. José alguns remédios.


         Muito bem, se observarmos direito, o

 Sondador faz um trabalho igual ao do Médico. Quando executa uma sondagem, ele também está examinando o solo. Observa o nível de água do solo, perfura as diferentes camadas e coleta amostras de todas, para depois mandar para o laboratório para serem analisadas. Anota todos os problemas que durante a “Consulta” podem ocorrer e entrega um relatório completo sobre o solo examinado. O boletim de campo é o diagnóstico daquele local que ele está investigando. Então veja como é importante o trabalho do Sondador que junto com os ajudantes formam uma verdadeira Junta Médica para nosso sub-solo.


ENTÃO,

 PARA QUE SERVE UMA SONDAGEM A PERCUSSÃO?

 

1 –  PARA OBTER OS VALORES DE RESISTÊNCIA DO SOLO ATRAVÉS DA CRAVAÇÃO DE UM AMOSTRADOR PADRÃO


2 –  OBTER AMOSTRAS REPRESENTATIVAS DO SOLO PARA A CLASSIFICAÇÃO TÁCTIL-VISUAL.

 

         3 – VERIFICAR A POSIÇÃO DO NÍVEL D’ÁGUA NO SUB-SOLO

 

BOLETIM DE CAMPO

 

 

1 –    O BOLETIM DE CAMPO DE UMA SONDAGEM É UMA DOCUMENTO IMPORTANTE. ELE SERÁ AVALIADO POR CONSULTORES, ENGENHEIROS, GEÓLOGOS E TÉCNICOS DE ENGENHARIA

2 –    É A PARTIR DESSE DOCUMENTO QUE PROJETOS DE ENGENHARIA SÃO ELABORADOS, TAIS COMO: CONSTRUÇÃO DE CASAS, EDIFÍCIOS, PONTES, ESTRADAS, BARRAGENS E MUITOS OUTROS.

3 -    A RESPONSABILIDADE DE UM SONDADOR E DE SUA EQUIPE É MUITO GRANDE, POR ISSO, DEVEM EXECUTAR A SONDAGEM DA MELHOR MANEIRA POSSÍVEL, DENTRO DA MELHOR TÉCNICA.

 

OBRIGAÇÕES DO ENCARREGADO:

 ·       DEVE CONHECER TODO O PROCEDIMENTO DA SONDAGEM A PERCUSSÃO

 ·       DEVE SABER LER AS PLANTAS DE LOCAÇÕES E PROJETOS

 ·       DEVE TER CONHECIMENTO DE OUTROS SERVIÇOS DE INVESTIGAÇÕES GEOTÉCNICAS

·       DEVE POSSUIR RECONHECIDA EXPERIÊNCIA TÉCNICA E PRÁTICA

 

 

OBRIGAÇÕES DO SONDADOR:

 

·       DEVE SER TREINADO E APROVADO NO SERVIÇO PELO ENCARREGADO DE SONDAGEM, ENGENHEIRO OU GEÓLOGO.

·       DEVE OBRIGATORIAMENTE SABER PREENCHER CORRETAMENTE O BOLETIM DE SONDAGEM.

·       DEVE CONHECER TODO O EQUIPAMENTO, OPERAÇÃO E MANUTENÇÃO.

·       DEVE SABER FAZER DESCRIÇÃOTÁCTIL-VISUAL DAS AMOSTRAS.

·       DEVE SABER INSTALAR MEDIDORES DE NÍVEL D’ÁGUA (INA) E PIEZÔMETROS (PZ). RETIRAR AMOSTRAS INDEFORMADAS (SHELBY). EXECUTAR ENSAIOS DE TORQUE , DE PERMEABILIDADE E DE VANE TEST.

O LOCAL

 - ONDE ESTÁ A PLANTA DE LOCAÇÃO?

 - AS SONDAGENS JÁ ESTÃO LOCADAS?

 - PODEMOS COMEÇAR?

VAMOS LÁ ENTÃO PESSOAL!

 

 -       OS EQUIPAMENTOS E UTENSÍLIOS ESTÃO EM ORDEM?

-       TODOS ESTÃO UNIFORMIZADOS E COM OS EQUIPAMENTOS DE SEGURANÇA?

QUE SÃO: CAPACETE, LUVAS, BOTAS E CAPA DE CHUVA.

 -       A ÁREA ESTÁ LIVRE E DESIMPEDIDA?

 -       O TRIPÉ JÁ ESTÁ MONTADO NO LUGAR?

 -       A ROLDANA E O MOITÃO ESTÃO BEM AMARRADOS?

-       AS HASTES E OS TUBOS DE REVESTIMENTO ESTÃO POSICIONADOS SOBRE O CAVALETE?

 -       A BOMBA E A CAIXA D’ÁGUA ESTÃO NO LUGAR?

 

ENTÃO MÃOS A OBRA...

 

PROCEDIMENTO


- Inicia-se a sondagem com o trado Cocha (TC), até o primeiro metro.


Não esquecer de coletar amostra do material e anotar a presença de CALÇADA, PISO DE CONCRETO, CAPA ASFÁLTICA E OUTROS, indicando sempre sua espessura (no boletim e na etiqueta).

- MONTAR A COMPOSIÇÃO (AMOSTRADOR + HASTES) E DESCER NO FURO ATÉ ATINGIR O FUNDO.

 

       - COLOCAR A CABEÇA DE BATER.

- MARCAR COM GIZ OS 45 CM NA HASTE QUE ESTÁ SOBRANDO PARA FORA DO TUBO – 15 CM / 15 CM / 15 CM.

VAMOS BATER O S.P.T.

 -       APOIAR O MARTELO (PESO) SOBRE A CABEÇA DE BATER.

CUIDADOSAMENTE, SEM BATER.             

VAMOS BATER O S.P.T.


 - INICIAR A CRAVAÇÃO ERGUENDO O MARTELO ATÉ UMA ALTURA DE 75 CM, QUE ESTÁ INDICADA POR UMA MARCA NA HASTE GUIA E DEPOIS SOLTAR A CORDA, DEIXANDO CAIR LIVREMENTE.

 

  -   ANOTAR O NÚMERO DE GOLPES PARA CADA ESTÁGIO DE 15 CM.

                            EX.:     2   ,   5   ,   8

                                      15      15     15

 

 -   AO TERMINAR A CRAVAÇÃO, DEVE RETIRAR O AMOSTRADOR DO SOLO E COLETAR A AMOSTRA.

 CUIDADO!

 -   NEM SEMPRE CONSEGUE SE CRAVAR OS 45 CM DO AMOSTRADOR.

 -   SE BATER 5 GOLPES E NÃO ENTRAR NADA, PÁRA O ENSAIO E AVANÇA.

 -   SE BATER 15 GOLPES PARA O PRIMEIRO OU SEGUNDO ESTÁGIO DE 15 CM E DESCER 5 CM, PÁRA O ENSAIO E AVANÇA.

 VAMOS COLETAR A AMOSTRA

·       COLOCAR ETIQUETAS NO COPINHO E NO SAQUINHO

·       NO CASO DE LOCAIS MUITO ENCHARCADOS, DEVEM SER USADOS DOIS SAQUINHOS (DUPLOS), PARA GARANTIR QUE A ETIQUETA NÃO SEJA DANIFICADA.

·       CUIDADO AO RETIRAR A AMOSTRA DO AMOSTRADOR PARA NÃO DESTRUÍ-LA.     

SE NÃO VIER AMOSTRA?

·       NÃO ESQUECER DE ANOTAR NO BOLETIM QUANDO A AMOSTRA NÃO FOR RECUPERADA PELO AMOSTRADOR, FAZENDO UM CÍRCULO EM VOLTA DO NÚMERO DA AMOSTRA.

EX.:     *8*

COMO COLETAR ENTÃO?

·       ACIMA DO N.A. COLETAR NO TRADO.

·       ABAIXO DO N.A. RECUPERAR NA LAVAGEM OU COM O AMOSTRADOR DE JANELA.

·       AO COLOCAR UMA NOVA HASTE, MEDIR O SEU COMPRIMENTO E ASSIM CONTROLAR A PROFUNDIDADE DA SONDAGEM.

ENCONTROU O NÍVEL D’ÁGUA?

3 – PEGUE O MEDIDOR DE N.A. (À PILHA OU DE ASSOBIO)

4 – MEDIR O N.A. A CADA 5 DURANTE 30 MINUTOS (NO MÍNIMO), ATÉ OBTER 3 LEITURAS IGUAIS.

- AGORA O AVANÇO É POR LAVAGEM. 

- PRIMEIRO VAMOS CRAVAR O REVESTIMENTO.

ANOTAR NA HASTE OS CENTÍMETROS NECESSÁRIOS PARA ATINGIR A COTA DO PRÓXIMO ENSAIO DE S.P.T.

AVANÇO (PERFURAÇÃO) POR LAVAGEM.

·       LIGAR A BOMBA

·       AGUARDAR O RETORNO DE ÁGUA PELA BICA DE LAVAGEM.

AVANÇO (PERFURAÇÃO) POR LAVAGEM.

·       OS AJUDANTES PUXAM O CONJUNTO PELA CORDA

AVANÇO (PERFURAÇÃO) POR LAVAGEM.


·       SOLTAM A CORDA, QUANDO CAI A COMPOSIÇÃO, O SONDADOR GIRA A CRUZETA CORTANDO O SOLO.

·       VERIFICAR SE TEM MUDANÇA DE CAMADA E ANOTAR

DEPOIS DE AVANÇAR COM A LAVAGEM, RETIRAR A COMPOSIÇÃO E DESCER O AMOSTRADOR.

·       NÃO ESQUECER A CABÇA DE BATER

·       NUNCA ESQUECER DE CONFERIR, SEMPRE, A PROFUNDIDADE DO FURO.

VAMOS BATER O S.P.T.


VAMOS BATER O S.P.T.

 

 VAMOS BATER O S.P.T.

O PROCESSO DESCRITO ATÉ AQUI, DE AVANÇO E ENSAIO DE S.P.T. DEVE CONTINUAR ATÉ ATINGIR A PROFUNDIDADE SOLICITADA.


 ENSAIO DE TORQUE

1 –   ESTE ENSAIO SÓ DEVE SER EXECUTADO QUANDO SOLICITADO PELO CLIENTE.

       2 –   DEVE SER EXECUTADO LOGO APÓS O ENSAIO DE S.P.T.

·              Retirar a cabeça de bater

·              Colocar o CENTRALIZADOR encaixando no tubo do revestimento, para manter a composição da haste centralizada durante o ensaio. Caso ainda o revestimento não tenha sido cravado, colocar o CENTRALIZADOR na boca do furo.

·              Rosquear o ADAPTADOR na luva onde estava a cabeça de bater, para conexão do torquímetro.

·              Com o torquímetro empunhado, o Operador inicia o movimento de rotação da haste, com velocidade de giro constante, mantendo-o horizontal, fazendo a quebra da amostra de maneira firme.

·              Anotar a leitura MÁXIMA ATINGIDA (TM), observada no ponteiro do relógio do torquímetro.

·              Após a leitura do TORQUE MÁXIMO (TM), manter o giro do torquímetro até atingir leitura constante.

·              Anotar a RESISTÊNCIA RESIDUAL (TR), observada no ponteiro do relógio do torquímetro.


ENSAIO DE TOQUE 

CUIDADOS

·              A composição das hastes deve ser ROSQUEADA COM APERTO, para NÃO haver folgas durante o ensaio de torque.

·              NÃO DEVE ser usado nenhum PROLONGAMENTO (CABO DE FORÇA)

·              O Operador deve manuseá-lo de maneira correta, através de sua empunhadura, MANTENDO-O SEMPRE NA HORIZONTAL.

·              A leitura máxima atingida no relógio do torquímetro se chama TORQUE MÁXIMO.

·              A leitura constante atingida após a “quebra da amostra” se chama TORQUE RESIDUAL.

·              As leitura de torque Máximo e Residual devem ser anotadas cuidadosamente no boletim de campo pelo Operador.

ENSAIO DE TORQUE

 

 QUANDO PARAR A SONDAGEM?

 1 – DE ACORDO COM A SOLICITAÇÃO DO CLIENTE

 2 – CONFORME A NORMA

                 - IMPENETRÁVEL ACIMA DO NA:

          - Dar 5 golpes e não descer nada.

          - IMPENETRÁVEL ABAIXO DO NA:

          - Lavagem por tempo

  - Durante 30 minutos, anotar quantos centímetros desce a composição em cada período de 10 minutos.

OBS.: Se passar de 15 cm deve começar o ensaio novamente. 


QUANDO PARAR A SONDAGEM?

·       QUANDO NÃO SE ATINGE O IMPENETRÁVEL. O processo de perfuração por lavagem, mais os ensaio de S.P.T. deve ser utilizado até obter:

A)   Quando em 3 metros seguidos, obter penetrações maiores que:

 15                       (que equivale a 45/15)

  5

B)   Quando em 4 metros seguidos, obter penetrações entre 45/15 e                                                45/30:

A + B = 45

 

15          ou              A    ,    B    ,    não  

 5                            15        15         15

 

C)   Quando em 5 metros seguidos , obter penetrações entre 45/30 e 45/45:

 

  A    ,    B    ,    C   

                                        15        15        15

 

A + B + C = entre 30 e 45


O SONDADOR DEVE ESTAR ATENTO PARA:

AO BATER O S.P.T.

A)   SE A COMPOSIÇÃO DESCE AO APOIAR O MARTELO (PESO).

o   Se não descer nada, anotar “zero” debaixo da letra P. E iniciar a contagem do número de golpes.

Ex.:       P    ,          ,          ,          .

                         0        15        15       15

 

o   Se descer, anotar o quanto desceu e continuar batento até a próxima marca.

Ex.:       P    ,          ,          ,          .

                         8        15        15       15

 

B)    SE A COMPOSIÇÃO DESCER MAIS QUE 45 CM:

 

1 – Descer somente a composição (amostrador + hastes + cabeça de bater). Anotar:

Ex.:             H      ,      H      .

                                 60            80

2 – Descer a composição após ter apoiado o martelo (peso). Anotar:

Ex.:             P      ,      P      .

                                 60            80

 

QUANDO DESLOCAR UMA SONDAGEM

 

·       A SONDAGEM SERÁ DESLOCADA SEMPRE QUE SE ATINGIR ALGUMA INTERFERÊNCIA EM UMA PROFUNDIDADE IGUAL OU INFERIOR A 8 METROS. OU QUANDO ATINGIR UMA PROFUNDIDADE QUE NÃO CONDIZ COM O SOLICITADO.

·       DEVE SER IMEDIATAMENTE COMUNICADO AO ENCARREGADO OU OUTRO RESPONSÁVEL.

 - FAZER UM DESENHO COM OS DESLOCAMENTOS ATRÁS DA FOLHA DE CAMPO


NÍVEL D’ÁGUA (N.A.)

IMPORTANTE!

1 – DEVE SER ESGOTADO NO FINAL DO DIA E NO DIA SEGUINTE É A PRIMEIRA COISA QUE DEVE SER VERIFICADO E ANOTADO.

2 – DEVEM ESTAR ATENTO PARA O CASO EM QUE SE PERCEBA MAIS DE UM NÍVEL D’ÁGUA.

3 – QUANDO TERMINAR A SONDAGEM, O FURO DEVE SER ESGOTADO, ATÉ O NÍVEL D’ÁGUA, E FEITO NOVA ESTABILIZAÇÃO.

 

NÃO PRECISA ESGOTAR O FURO TODO

 

SE OCORRER ARTESIANISMO!

1 – ANOTAR A ALTURA EM QUE A ÁGUA ESTÁ SAINDO PARA FORA DO FURO. PARA ISSO DEVE-SE COLOCAR TUBOS DE REVESTIMENTOS NA BOCA DA SONDAGEM, O NECESSÁRIO E SUFICIENTE, ATÉ QUE O NÍVEL D’ÁGUA SE ESTABILIZE E ELE POSSA SER MEDIDO.

OBTURAÇÃO DE FURO DE SONDAGEM

 ·       APÓS O TÉRMINO DA SONDAGEM, DEVE-SE OBTURAR O FURO COM CALDA DE CIMENTO (CIMENTO + ÁGUA). QUANDO DETERMINADO PELA SUPERVISÃO.

·       PARA QUE SE TENHA CERTEZA DE QUE O FURO ESTEJA TOTALMENTE PREENCHIDO, DEVE-SE PROCEDER DA SEGUINTE MANEIRA:

 - DESCER AS HASTES DA PERCUSSÃO DO FURO, DEIXANDO APENAS 0,60 A 1,00 METRO PARA ATINGIR O FURO. EM SEGUIDA INJETA-SE A CALDA. COM ISSO TODA ÁGUA E LAMA EXISTENTE NO FURO RETORNARÁ PELA BOCA DO FURO. QUANDO APARECER CALDA NA BOCA DO FURO, É SINAL DE QUE TODO O TRECHO FOI PREENCHIDO. RETIRA-SE ENTÃO AS HASTES E COMPLETA-SE O FURO PELA BOCA COM A AJUDA DE UM BALDE.

 

AMOSTRAGEM DO SOLO 

3 – TODAS AS AMOSTRAS DE UMA SONDAGEM DEVEM SER GUARDADAS JUNTAS. EM UMA CAIXA OU EM SACOS PLÁSTICOS REFORÇADOS, AMARRADOS E ETIQUETADOS, COM: NOME DA OBRA, LOCAL E NÚMERO DA SONDAGEM.

 4 – NÃO DEIXAR AS AMOSTRAS SOB O SOL OU SOB A CHUVA


SONDAGEM COM LÂMINA D’ÁGUA

1 – APÓS A TOTAL INSTALAÇÃO DO EQUIPAMENTO SOBRE O FLUTUANTE, ANTES DE INICIAR A SONDAGEM, É PRECISO CONHECER A DISTÂNCIA QUE EXISTE ENTRE O FLUTUANTE E A SUPERFÍCIE DA LÂMINA D’ÁGUA, QUE CHAMAMOS DE VÃO 

2 – MEDIR A LÂMINA D’ÁGUA

DEVE-SE USAR UM EQUIPAMENTO SIMPLES, DE PESO SUFICIENTE PARA AFUNDAR E QUE UM TAMANHO QUE DIFICULTE A PENETRAÇÃO NA LAMA DO FUNDO DO RIO. EXEMPLOS:

3 – O BOLETIM DEVE SER PREENCHIDO ASSIM:

 

CUIDADO!

1 – NÃO MEDIR A LÂMINA D’ÁGUA COM HASTES POIS ESTAS AFUNDAM COM FACILIDADE NA LAMA DIFICULTANDO AS MEDIDAS

2 – A ANCORAGEM DO FLUTUANTE DEPENDE DAS CONDIÇÕES LOCAIS, COMO: LARGURA DO RIO, CORRENTEZA, ALTURA DA LÂMINA D’ÁGUA E DO TIPO DO TERRENO DO FUNDO DO RIO.

3 – COM AS SONDAGENS NO MAR, OU GRANDES REPRESAS, A EQUIPE DEVE ESTAR ATENTA ÀS CONDIÇÕES DO TEMPO, COMO: CHUVAS, VENTOS FORTES E TEMPESTADES. 

CUIDADO COM OS EQUIPAMENTOS

 - TRIPÉ – Verificar as emendas das pernas e condição da escada

 - ROLDANA – Se está rodando livremente

 - HASTES – Se estão retilíneas

 - BICO DO AMOSTRADOR – Observar a cada ensaio o seu estado, caso esteja amassado ou quebrado deve ser substituído.

 - AMOSTRADOR – Verificar se não está empenado ou se a válvula não está entupida.

 - MARTELO – Verificar se o coxim de madeira encontra-se em bom estado e se a haste guia não está empenada.

 - CRUZETA DE LAVAGEM – Verificar se há vazamento

 - MOTO-BOMBA – Verificar o nível do óleo e do combustível diariamente. Se há vazamento de água, perda do rendimento e desgastes da gaxeta.

 - CORDAS – Se não estão gastas

 - TRADO CAVADEIRA – Observar o estado das conchas, se estão trincadas, amassadas ou se estão boas de corte.

 - TRADO ESPIRAL – Verificar seu diâmetro mínimo ( Ø 47,63 mm)

 - PEÇA DE LAVAGEM (FACA) – Verificar o diâmetro e o corte, para ver se está de acordo com a NORMA (Ø 56 a 62 mm)


MANDAMENTOS DO SONDADOR

1 – SE TODOS OS EQUIPAMENTO ESTÃO EM PERFEITO ESTADO DE USO

2 – CUIDAR E COBRAR DOS DEMAIS AJUDANTES QUANTO AO MANUSEIO DOS EQUIPAMENTOS E E.P.I.’S.

3 – FICAR ATENTO E CUIDAR, DA MONTAGEM DO TRIPÉ, EVITANDO QUE TOMBE.

4 – NÃO SUBIR MAIS QUE 3 HASTES (6 M) POR VEZ, EVITANDO DESEQUILIBRAR O CONJUNTO.

5 – CALÇAR OS PÉS DO TRIPÉ, PARA QUE NÃO AFUNDEM OU ESCORREGUEM NO TERRENO OU PISO DE APOIO.

6 – MANTER AS HASTES E OS REVESTIMENTOS SOBRE CAVALETES, QUANDO FORA DE USO.

7 – TOMAR CUIDADO QUANTO AO POSICIONAMENTO DO TORQUÍMETRO, QUE DEVE SER OPERADO HORIZONTALMENTE E DE MODO CONSTANTE (QUANDO HOUVER ESTE ENSAIO)

8 – NÃO UTILIZAR CIRCULAÇÃO DE ÁGUA ACIMA DO LENÇOL FREÁTICO

9 – MANTER O LOCAL DA SONDAGEM LIMPO DE INTERFERÊNCIAS QUE DIFICULTEM O MANUSEIO DOS EQUIPAMENTOS.

10 – PREENCHER O BOLETIM DE CAMPO CORRETAMENTE

11 – FICAR ATENTO AOS CUIDADOS A SEREM TOMADOS QUANDO EXECUTAR SONDAGENS EM ENCOSTAS, CALÇADAS, AVENIDAS MOVIMENTADAS E DEMAIS LOCAIS QUE NECESSITE DE MAIOR ATENÇÃO E SEGURANÇA

12 – ANOTAR A PROFUNDIDADE CORRETA DAS CAMADAS


ANEXOS: 

MODELOS DE IMPRESSOS


BOLETIM DE SONDAGEM A PERCUSSÃO

ENSAIO DE PERMEABILIDADE EM SOLOS



Perfil Geológico - Geotécnico


BIBLIOGRAFIA

·       GEOTÉCNICA.

    ·       MANUAL DE ESPECIFICAÇÕES DE PRODUTOS E PROCEDIMENTOS (ABEF)

     ·       NORMA ABNT 6484

 


Porque é fundamental realizar a sondagem do terreno antes de construir a residência? Quais as principais funções da sondagem?

A Sondagem a percussão com determinação de SPT, é hoje, sem sombra de dúvida, o processo de investigação do subsolo mais aplicado nos meios de engenharia. Seu custo, relativamente baixo, sua facilidade de execução, sua simplicidade de equipamento, a possibilidade de trabalho em locais de difícil acesso possibilitam ao engenheiro obter informações da sub-superfície, indispensáveis para projetar ou escolher o melhor tipo de fundação, bem como sua provável cota de apoio.
As informações fornecidas pela sondagem são as seguintes:
a- Coleta de amostras de solo, semi-deformadas de metro a metro, para uma posterior caracterização táctil-visual em laboratório, através do barrilete amostrador padrão;
b- Perfil geotécnico do local investigado;
c- Profundidade de ocorrência do lençol freático (nível d’água do subsolo);
d- Determinação da resistência do solo através do S.P.T. (StandardPenetration Test), ou seja, o número de golpes necessários para a cravação dos últimos 30 cm do barrilete amostrador por um peso de 65 kg, solto a uma altura de 75 cm em queda livre;
e- Fornecer informações sobre a consistência e compacidade dos solos investigados;
f- Demais fatores pertinentes.
Portanto, somente com a execução de sondagens a percussão é possível determinar as características e propriedades do subsolo dessa residência ou empreendimento.
Basicamente a sondagem a percussão fornece todas as informações citadas acima. Um engenheiro de posse dessas informações poderá tomar decisões de projeto e execução mais eficientes, precisas, seguras e econômicas. Pode ser feita a seguinte analogia: Um médico dificilmente tomará decisões importantes no diagnóstico de um paciente apenas baseado nocontato visual, sem antes executar investigações mais detalhadas (exames laboratoriais, raio X, etc.). O mesmo acontece na engenharia, um engenheiro com informações mais detalhadas poderá projetar ou escolher o melhor tipo de fundação, bem como sua provável cota de apoio de uma forma mais econômica, segura, eficiente. Com uma fundação adequada e bem dimensionada, dificilmente uma residência apresentará problemas.



Interpretação errada de boletins de sondagem na elaboração do perfil geológico geotécnico



Já vivencie na minha vida profissional e na pratica varias vezes esta interpretação errada, principalmente quando se adota estacas hélice continua monitorada onde o trado helicoidal não tem forca para romper o matacão que pode ter ate mais de 3,00 m e geralmente se acha a falsa nega, acreditando ter chegado no solo firme ou na rocha sã. Executada a estaca mais próxima de onde fora constatado o problema, nota-se que a estaca ultrapassa em muito a estaca vizinha, fatalmente falha na execução entre o definido em projeto o necessário a obra visto a falta de sondagens mistas que poderiam detectar este problema. Uma forma de reforçar a fundação e promover nos locais onde existe o matacão o reforço com Jet Grouting ou tubos de pvc manchetados com injeção de calda de cimento modificando a condição do SPT baixo para elevação do mesmo para chegar a tensão necessária de assentamento da fundação. Nestes casos a solução em estacas raiz e a melhor técnica indicada pois ela consegue ultrapassar o matacão e ficar ancorada com pelo menos 3, 00 m na rocha sã. O tubulão convencional com camisa de concreto também é indicado pois se escava a região do matacão identificando o mesmo e dai prossegue-se a escavação até abertura da base em rocha ou de melhor suporte.

Dependendo da área, se for muito grande conjugar a  geofísica (electroresistividade) com execução de sondagens mistas (Sondagens a Percussão mais sondagens rotativas conseguimos ter a certeza da elaboração do perfil geológico geotécnico.

Comments