1 - Genealogia - A Duquesa de Goiás

 
 
 
 
 
 
 
DUQUESA DE GOIÁS

 

            Durante todo o Império houve apenas três duques titulados: o Duque de Caxias, a Duquesa de Goiás e o Duque de Santa Cruz (o príncipe Augusto Carlos Eugênio Napoleão, Duque de Leuchtenberg, irmão da Princesa Amélia Augusta Napoleona de Beauharnais de Leuchtenberg e Eistshadt, segunda Imperatriz do Brasil, filha de Eugênio de Beauharnais, que era enteado de Napoleão I em seu casamento com Josefina de Beauharnais,). O título de Duque de Santa Cruz foi uma gentileza de D. Pedro I para com o cunhado.

            A Duquesa de Goiás era a filha primogênita do relacionamento entre D. Pedro I e a Marquesa de Santos. Seu nome completo era Dona Isabel Maria de Alcântara Brasileira.

Foi batizada no dia 31 de maio de 1824. Porém somente em 24 de maio de 1826 é que ela foi oficialmente reconhecida como filha do Imperador, em Decreto que lhe concedeu o título de Duquesa de Goiás, dando-lhe, também, o tratamento de Alteza, o que foi comunicado ao quartel general das forças armadas para efeito das continências a prestar à menina. Assim, a Duquesa de Goiás era, também, princesa brasileira.

            Ela era tida, no Primeiro Reinado, como uma espécie de protetora da Província de Goiás.

            A Duquesa de Goiás casou-se com Ernesto Fischler, Conde de Treuberg e Barão de Holsen, com quem teve descendência.

            Faleceu em Murnau, Baviera, em 3 de novembro de 1898.

 

Bibliografia:

“Casa de Bragança – Casa de Habsburgo – Origem da Família Imperial Brasileira” – de Giulio Sanmartini – Rio de Janeiro – 1998 – Livro editado pelo próprio autor.

“Dom Pedro I e a Marquesa de Santos” – de Alberto Rangel – Livraria Francisco Alves – Rio de Janeiro, Belo Horizonte, São Paulo – 1916.

 

Comments