A biblía é verdadeira?

Aqui estão cinco razões porque podemos confiar no que diz a Bíblia:

1. A Bíblia tem quatro Evangelhos, ou livros, acerca das Boas Novas de Jesus Cristo e da salvação. Os Evangelhos chamam-se Mateus, Marcos, Lucas e João. Os escritores conheciam muito bem o ministério de Jesus: Mateus foi um coletor de impostos que se tornou um dos discípulos de Jesus, ou seguidores; Marcos trabalhou com aqueles que fundaram as primeiras igrejas; Lucas foi um médico que investigou cuidadosamente a vida de Jesus e registou-os com grande detalhe; e João também foi um dos discípulos de Jesus. Os Evangelhos incluem relatos oculares e detalhes históricos precisos do ministério de Jesus, e foram escritos pouco tempo depois do Seu ministério. Fontes não-cristãs e a arqueologia também confirmam os factos históricos que aparecem nos Evangelhos.

2. Até hoje sobreviveram entre 25 000 e 30 000 cópias manuscritas do Novo Testamento. Os antigos pais da igreja fazemtantas referências ao Novo Testamento, que mesmo que essas cópias manuscritas fossem destruídas, quase todos os livros poderiam ser compilados de novo. Alguns críticos apontam que estas cópias têm milhares de variações, ou diferenças, no texto. No entanto, quase todas as variações são de importância menor, como diferenças na soletração e uso de “Jesus” em vez de “Senhor”. Nenhuma delas muda a mensagem central do Novo Testamento.

3. Todos os quatro Evangelhos falam do ministério de Jesus, mas incluem detalhes diferentes. Os escritores escreverampara diferentes públicos-alvo, por diferentes razões. Mateus escreveu aos judeus para provar-lhes que Jesus é o Messias, o Salvador. Marcos escreveu aos cristãos romanos para realçar os ensinos de Jesus e o Seu coração posto em servir os outros.Lucas escreveu aos gentios (não-judeus) para mostrar que Jesus, ao viver uma vida sem pecado, pagou o preço pelos nossos pecados. E João mostrou aos novos crentes que Jesus é o Filho de Deus, e que aqueles que creem n’Ele têm a vida eterna. Cada escritor teve um estilo de escrita diferente, mas todos os quatro relatos apresentam a mesma verdade essencial. De facto, essas diferenças provam que os Evangelhos não foram uma conspiração. Também estão presentes nos Evangelhos alguns relatos embaraçosos, como os discípulos a não entenderem os ensinamentos de Jesus. Esses testemunhos não teriam sido usados por aqueles que O chamavam Senhor se não fossem verdade.

4. Até sem terem cópias do Novo Testamento, ao longo dos séculos as pessoas falavam umas às outras das histórias de Jesus. Além disso, houve tantas testemunhas oculares dos Seus ensinamentos – pensa nas 5 000 pessoas alimentadas com cinco pães e dois peixes – que um detalhe incorreto seria facilmente detetado e desmentido.

5. Deus usou os escritores da Bíblia para transmitirem a Sua mensagem, guiou-os através de visões, sonhos e através das suas próprias experiências pessoais. 2 Timóteo 3:16 diz: “Toda a Escritura é inspirada por Deus”. Deus não moveu a caneta na mão do escritor, mas guiou-o em todo o processo; Ele inspirou o texto. Só porque os humanos cometem erros, não significa que não possam escrever documentos fidedignos.