Programa de Introdução à Psicologia do Desenvolvimento

Mestrado Integrado em Psicologia (1º Ciclo)

Introdução à Psicologia do Desenvolvimento

Docentes

Sara Bahia (Professora Auxiliar)

Creditação (ECTS) - 6

Funcionamento

Uma aula teórica para todos os alunos -  5 aulas práticas com limite de inscrição

Objectivos

Compreender a natureza da Psicologia do Desenvolvimento de modo a identificar o tipo de problemas, metodologias e recursos teóricos que lhe são específicos
Adquirir conhecimentos sobre as principais mudanças em termos do desenvolvimento biológico, cognitivo, emocional e social ao longo da vida
Reconhecer a influência dos factores biológicos, sociais, culturais e contextuais no desenvolvimento ao longo da vida
Desenvolver uma atitude científica e crítica face à observação, descrição, análise e explicação das mudanças desenvolvimentistas
Conhecer as principais metodologias e alguns instrumentos de avaliação de desenvolvimento psicológico das crianças pré-escolares

Competências a desenvolver

- Capacidade de observação do processo de desenvolvimento humano;
- Competências de análise e de interpretação das mudanças desenvolvimentistas à luz de referenciais teóricos;
- Capacidade de reflexão sobre as implicações práticas, educacionais, sociais, políticas e éticas das teorias e conceitos desenvolvimentistas.

Conteúdos programáticos

1. Conceptualização epistemológica e histórica da Psicologia do Desenvolvimento
1.1. Conceito, contextos e factores de desenvolvimento
1.2. Abordagem histórica ao estudo do desenvolvimento


2. Modelos e perspectivas teóricas sobre o desenvolvimento
2.1. Modelos maturacionais
2.2. Modelos psicodinâmicos
2.3. Modelos construtivistas
2.4. Modelos contextuais


3. Métodos da Psicologia do Desenvolvimento
3.1. Métodos de investigação para o estudo do desenvolvimento
3.2. Instrumentos de avaliação do desenvolvimento
3.3. Debates metodológicos contemporâneos na Psicologia do Desenvolvimento

Bibliografia

- Ainsworth, M., & Bowlby, J. (1991). An ethological perspective to personality development. American Psychologist, 46, 33-341.
- Baltes, P. (1987). Theoretical propositions of life-span developmental psychology: On the dynamics between growth and decline. Developmental Psychology, 23, 611-626.
- Bower, T. (1983). Uma introdução ao desenvolvimento da primeira infância. Lisboa: Moraes
- Bremner, G., & Fogel, A. (Eds.) (2001). Blackwell handbook of infant development. Oxford: Blackwell.
- Craig, W. (Ed.) (2000). Childhood social development: The essential readings. Oxford: Blackwell.
- Flavell, J. (1975). A Psicologia do desenvolvimento de Jean Piaget (trad. brasileira). S. Paulo: Pioneira Editora.
- Goswami, U. (Ed.) (2002). Blackwell handbook of childhood cognitive development. Oxford: Blackwell.
- Lourenço, O. (1994). Além de Piaget? Sim, mas devagar! Coimbra: Almedina.
- Lourenço, O. (2001). The danger of words: A Wittgensteinian lesson for developmentalists. New Ideas in Psyhology, 19, 89-115.
- Lourenço, O. (2005). Psicologia de desenvolvimento cognitivo: Teoria, dados e implicações. Coimbra: Almedina.
- Muir, D. & Slater, A (Eds.) (2000). Infant development: The essential readings. Oxford; Blackwell.
- Papalia, D.E., Olds, S., & Feldman, R.D. (2001). O mundo da criança. Lisboa: McGraw-Hill.
- Piaget, J. (1936). La Naissance de l'intelligence chez l'enfant. Neuchâtel: Delachaux et Niestlé.
- Piaget, J. (1937). La construction du réel chez l'enfant. Neuchâtel: Delachaux et Niestlé.
- Piaget, J. (1977). A teoria de Piaget. In P. Mussen (Ed.), Manual de psicologia da criança (vol. 4; pp. 31-117). S. Paulo: Editora Pedagógica.
- Santrock, J. (1998). Child Development. New York: McGraw-Hill
- Schaffer, H. R. (2004). Introducing child psychology. Oxford: Blackwell Publishing.
- Schaie, K. (1965). A general model for the study of developmental problems. Psychological Bulletin, 64, 92-107.
- Slater, A. & Bremner, G. (Eds.)(2003). An Introduction to developmental psychology. Oxford: Blackwell Publishing.
- Smith, P., & Harter, C. (Eds.) (2002). Blackwell handbook of childhood social development. Oxford: Blackwell.
- Vasta, R. (org.) (1992). Six Theories of Child Development. London: Jessica Kingsley
- Vygotsky, L. (1979). Pensamento e linguagem. Lisboa: Edições Antídoto.
- Youniss, J. (1997). A new generation: New intellectual opportunities. Human Development, 40, 96-101.

Métodos de ensino

Exposição teórica
Visionamento de vídeos
Leitura e discussão de textos

Modalidades de Avaliação (Regime Geral de Avaliação e/ou Regime Final Alternativo)

1. Trabalho de grupo - entrega do relatório escrito até duas semanas após a apresentação na aula prática
2. Trabalho individual – entrega até 17 de Dezembro
3. Assiduidade
4. Exame – datas a definir

Elementos de Avaliação

(Propostas de datas de avaliação, prazos de entrega de trabalhos, ponderação percentual de cada elemento de avaliação)
1. Trabalho de grupo - 25%
2. Trabalho individual – 10%
3. Assiduidade – 5%
4. Participação em investigação – 2,5%
5. Exame – 57,5%
No regime final alternativo não existe o componente de assiduidade nem o de participação em investigação, e o exame tem um peso de 65%.

Regras relativas à melhoria de nota

Qualquer dos elementos de avaliação pode ser melhorado, uma única vez, dentro dos prazos legais.

Exigências relativas à assiduidade

A assiduidade nas aulas práticas é ponderada num elemento de avaliação com o peso de 5%. Terão este elemento de avaliação os alunos que não excederem duas faltas não justificadas.

Regras específicas relativas aos estudantes considerados em situação de excepção  (estudantes-trabalhadores, atletas de alta competição, alunos dirigentes associativos, alunos militares, pais e mães estudantes, alunos com necessidades educativas especiais)
Apenas os estudantes numa destas situações, assim como estudantes que durante o semestre tenham estado deslocados ao abrigo de um programa de mobilidade (Erasmus ou semelhante), devidamente reconhecido pela Faculdade, podem optar pelo regime final alternativo.
ras específicas relativas aos estudantes considerados em situação de excepção

Língua de ensino

Português.