O Rei David, O Seu Reino


7 lições sobre a terceira parte da vida de David.

Completo com versículos para decorar.

Lição 1                                             

David é coroado rei

II Samuel

Versículo: Provérbios 3:5-6

 

David busca a vontade de Deus

 

      Embora Deus tivesse prometido a David fazê-lo rei de Israel um dia, David não procurou reinar em Israel. Depois que o rei Saúl e seu filho Jónatas morreram em combate, o país israelita foi assolado pelos inimigos e a nação estava em grande confusão!

      Possivelmente, David gostaria de liderar seus homens na guerra contra os inimigos de Israel, mas estava a aprender a aguardar o tempo oportuno estabelecido por Deus, ao invés de tomar as decisões por sua própria conta.

      Por isso foi que David pediu a orientação de Deus: “Irei para a terra de Judá ou permaneço em Ziclague?” Deus lhe disse que ele deveria ir para a terra de Judá. David então perguntou a Deus que cidade na terra de Judá deveria escolher para morar. Deus lhe disse que fosse para Hebron, uma cidade ao sul da terra de Judá. David e seus homens t4ranquilamente se mudaram para a cidade de Hebron com suas respectivas famílias e aguardaram para ver o que Deus faria em seguida.

 

David é ungido rei de Judá

 

      Quando os homens de Judá souberam que David voltou para Hebron, vieram procurá-lo e o fizeram seu rei. Judá sentia afinidade com David pois ele era da tribo. David não se antecipou a Deus, tentando arrebatar a liderança das outras tribos de Israel. Ao invés, continuou a aguardar pacientemente o tempo determinado por Deus. Enquanto aguardava a providência de Deus, David aprendia a ser paciente, coisa que nós devemos aprender também. Ele escreveu: “Espera no Senhor, tem bom ânimo, e Ele fortalecerá teu coração.” (Salmo 27:14). Apressar-se é muito fácil, mas Deus quer que aprendamos a esperar nele.

      Abner decidiu que Isbosete, filho de Saúl, deveria ser rei de Israel após a morte do pai, porque Abner foi general do exército de Saúl por muitos anos. Portanto, uma questão também de lealdade para com o antigo rei. Mas Abner se esquecera de que a decisão não era dele, mas de Deus. Abner começou a ajudar Isbosete a estabelecer seu reino como rei de Manaim na margem oriental do rio Jordão. Desse modo Isbosete reinava sobre todas as tribos de Israel com excepção de Judá, onde reinava David.

      Mas Abner queria que Isbosete reinasse em toda Israel, inclusive na tribo de Judá. Por isso ele trouxe alguns guerreiros e com eles atravessou o Jordão, chegando a Gideão, um lugar no norte, e aí travou uma batalha com a tribo de Judá. Mas os homens de David, comandados por Joab, eram mais fortes que os homens de Abner, de sorte que, após uma derrota fragorosa, Abner desistiu e fugiu com seus homens.

 

Asael persegue a Abner

 

      Quando Abner e seus homens fugiram da batalha, Asael, irmão de Joab e de Abisai, um rapaz ligeiro, conhecido como um dos mais velozes corredores do país, começou a perseguir a Abner, correndo atrás dele com o propósito de matá-lo, visto que Abner era uma ameaça ao rei David. Quando Abner viu que Asael o seguia, gritou-lhe para que parasse de persegui-lo. Abner sabia que poderia matar a Asael facilmente, mas não queria ter problemas com Joab, irmão de Asael. Mas Asael insistia na perseguição, embora Abner o prevenisse várias vezes no sentido de que deveria dar o fora, parando com a perseguição. Como Asael não lhe desse ouvidos, Abner o matou com uma lança.

      Quando Joab e Abisai viram que Abner matou o irmão deles, ficaram mais do que nunca decididos a derrotar a Abner. Joab e seus homens perseguiram a Abner e sua tropa até o pôr-do-sol.

      No crepúsculo vespertino Abner e seus homens pararam em cima de uma colina e gritaram aos homens que os perseguiam: “Quando vais ordenar às tuas tropas que parem de perseguir seus próprios irmãos israelitas?” Ao ouvir isso, Joab compreendeu o quanto era errado que israelitas lutassem entre si. Então tocou a trombeta e deu ordem de comando para que seus soldados desistissem da perseguição.

      Depois disso o exército de Joab regressou a Hebron e Abner e suas tropas voltaram para Manaim. Esse batalha nada resolveu, e, muito ao contrário. Resultou na morte de muitos do povo de Deus.

      Abner, general de Saúl, que fez rei a Isbosete, acabou zangando-se com seu protegido. Lembrou-se que Deus prometeu fazer de David rei de Israel. Quanto mais pensava no assunto, mais compreendia que estava do lado do perdedor. Então Abner decidiu abandonar Isbosete e juntar-se às forças de David.

      Para tanto, enviou primeiro mensageiros a David com o oferecimento de ajudá-lo a fazer todas as tribos de Israel aceitarem a David como seu rei. Também foi aos anciãos de Israel e os encorajou a escolherem a David como seu rei, lembrando-lhes que David os livrou dos filisteus e que o Senhor disse que David deveria ser o próximo rei.

 

Abner visita o rei David

 

      Então Abner escolheu 20 homens e com eles foi a Hebron visitar David. David tratou Abner com fidalguia e fez uma festa para homenageá-lo e os seus homens. Abner, por sua vez, ofereceu-se para colocar toda Israel sob a liderança de David. Ambos fizeram um acordo, de modo que David despediu Abner como seu amigo e aliado. Finalmente a promessa que Deus fez a David seria cumprida.

      Tão logo Abner e seus homens foram embora, Joab voltou da batalha. Quando Joab soube que Abner visitou a David e que este o despediu como aliado, ficou uma fera.

      “Que fizeste?” Joab interrogou a David. “Porque deixaste Abner ir embora? Certamente sabes porque ele veio: foi para espionar. Está fingindo que é teu amigo.” A verdade é que Joab desejava vingar-se de Abner pela morte de seu irmão Asael.

      Saindo da presença do rei, Joab agiu rapidamente para impedir que Abner escapasse. E, sem nada dizer ao rei David, Joab enviou mensageiros para alcançar Abner e trazê-lo de volta a Hebron.

 

Joab fere Abner

 

      Quando Abner regressou a Hebron não tinha suspeitas e estava totalmente despreparado para o que aconteceu em seguida. Joab o chamou a parte, junto à porta da cidade, fingindo que queria falar com ele. Com um rápido golpe de sua espada, Joab feriu a Abner, matando-o instantaneamente.

      Quando o rei David soube que Joab tinha assassinado a Abner, ele ficou muito angustiado. David orou para que Deus não o culpasse, nem a seu reino pela morte de Abner, mas que deixasse Joab sofrer pelo homicídio que cometeu.

 

David lamenta a morte de Abner

 

      David ordenou a seu povo que rasgasse as roupas e se vestissem de saco para lamentar a morte de Abner. Todo o povo seguiu o exemplo do rei lamentou a morte de Abner. David jejuou, nada comendo durante o dia inteiro, até que chegasse a noite. O povo notou a atitude do rei e se agradou dela. Alegrou-se de ver que o seu rei era justo e não um sanguinário. Eles concluíram que David certamente não planejou a morte de Abner. David lamentou a morte de Abner embora este tivesse sido seu inimigo durante anos.

 

David é ungido rei de Israel

 

      O rei David fez um acordo com os anciãos de Israel e eles o ungiram rei. Esta foi a terceira vez que David foi ungido. A primeira fio quando, ainda pastor de ovelhas e adolescente, Samuel o ungiu rei; a segunda vez foi quando Saúl morreu numa batalha e a tribo de Judá ungiu David rei de Judá; desta vez, as demais tribos de Israel ungiram David rei de todas as tribos de Israel. Embora David tivesse esperado muito tempo para isso acontecer, sabia que Deus manteria sua promessa. David era agora Rei de Israel como deus prometeu. David reinou em Israel por 40 anos: sete anos e seis meses reinou em Judá e trinta e três anos reinou em toda Israel e Judá.

      David conquistou a cidade de Jerusalém dos jebuseus e fez dela a capital de Israel. Localizada no centro do país, tornou-se a Capital ideal. David edificou a cidade, fortificou-a e a tornou linda. David transformou-se no maior rei de Israel. O segredo de seu sucesso residiu no facto de que Deus estava com ele e o abençoou poderosamente. David era “um homem segundo o coração de Deus2. Uma das grandes características de sua vida foi que ele nunca tentou vingar-se de seus inimigos pessoais e verificou que Deus sempre o fez, a Seu tempo e a Seu modo. Deus quer que façamos o mesmo. Ele disse: “Minha é a vingança, Eu recompensarei” (Romanos 12:19).

      Precisamos de aprender com David a esperar na providência divina. Precisamos também deixar que Deus cuide de qualquer inimigo que porventura tenhamos. Quando tentamos atingir as pessoas que não gostam de nós, erramos e pecamos contra eus. Precisamos de pedir a Deus que nos ajude a aprender a esperar nele e a deixar que ele cuide das pessoas que não gostam de nós.

     

 

Lição 2                                        

David Devolve a Arca

II Samuel 6-7

 

Versículo: Salmo 100:1-2

 

A Arca da aliança

 

     O rei David estabeleceu sua capital na cidade de Jerusalém e decidiu trazer para esta cidade a Arca da Aliança, que às vezes era também chamada a Arca de Deus porque era parte de Tabernáculo e representava a presença de Deus no meio de seu povo. Deus deu leis específicas relativas ao modo como a Arca deveria ser transportada: os levitas deveriam erguê-la pelos varais ligados a ela para carregá-la nos ombros.

     Muitos anos antes, a Arca da Aliança for a capturada pelos filisteus numa batalha. Mas os filisteus ficaram com medo quando estranhos flagelos recaíram naqueles que guardavam a Arca, de sorte que eles acharam melhor devolvê-la à terra de Israel. A Arca ficou durante vinte anos na casa de um sacerdote de nome Abinadab. O Rei David anunciou que iria trazer a Arca do Senhor para Jerusalém.

 

David planeja enviar a Arca para Jerusalém

 

     David organizou uma magnífica procissão para trazer a Arca da Aliança para Jerusalém. Além do grande número de sacerdotes, levitas, e gente do povo, vieram 30,000 soldados para escoltar a Arca da Aliança para a cidade de Jerusalém. Foi um acontecimento feliz e alegre. David e os israelitas não haviam lido as instruções de Deus concernente ao modo pelo qual a Arca deveria ser transportada para Jerusalém, de modo que David providenciou uma carroça novinha em folha, puxada por bois, para transportá-la. David dispôs para que os filhos de Abinadab dirigissem a carroça. A Arca foi coberta com um cobertor azul conforme determinava a lei de Moisés. À medida que a procissão se dirigia para a Capital, a enorme multidão e David, especialmente, se regozijavam triunfantemente.

 

Uza toca na Arca e morre

 

     De repente os bois tropeçaram numa saliência do terreno. E então Uza, um dos filhos de Abinadab, imediatamente esticou a mão para firmar a Arca. Quando fez esse gesto, algo terrível aconteceu: Uza imediatamente caiu esticado no chão. O povo correu para ver o que tinha acontecido e logo compreendeu que Uza estava morto. Todos ficaram assustados e horrorizados também. Uza esticou o braço para tocar a Arca de Deus, e agora estava morto.

     A notícia da tragédia rapidamente circulou na procissão, de modo que o regozijo do povo imediatamente se transformou em medo e surpresa. David, especialmente, ficou consternado. Sentiu-se responsável porque foi ele quem teve a ideia de trazer a Arca para Jerusalém. Agora, ele temia trazer a arca para Jerusalém. As comemorações e a procissão foram encerradas abruptamente! David deixou a Arca da Aliança na casa de Obed-Edom, o geteu, ao invés de levá-la para dentro da cidade de Jerusalém.

     David e os líderes de Israel não podiam compreender por que Deus feriu a Uza só porque ele tocou na Arca. Naquela ocasião eles nem sequer compreenderam que haviam desobedecido as leis de Deus com referência ao transporte da Arca. Começaram a compreender de novo que Deus é Santo. Haviam se esquecido de que a Arca representava a presença de Deus e tinham esquecido também de que Deus é Santo e da necessidade de obedecerem as Suas leis referentes a Arca. Deus usou a morte de Uza para ensinar a David e ao povo de Israel uma grande lição.

     É também uma lição para nós. Não podemos tratar levianamente as coisas de Deus. Devemos lembrar que quando nos aproximamos de Deus, devemos fazê-lo do modo como Ele determinou, pois do contrário incorreremos da Sua ira. A Bíblia nos ensina que o único caminho pelo qual poderemos ir ao nosso Deus Santo é pelo sangue de Jesus Cristo.

     A Arca do Senhor ficou na casa de Obed-Edom por três longos meses. Durante esse tempo Deus abençoou grandemente Obed-Edom e sua família, mais do que nunca reacendeu o desejo de trazer a Arca para Jerusalém. Mas antes de empreender a tarefa, entretanto, ele e os demais pesquisaram as Escrituras diligentemente para saber a forma correcta de transportar a Arca da Aliança.

     Descobriram que a lei de Moisés ordenava que a Arca deveria ser transportada nos ombros dos levitas e não num carro (ou carroça) puxada por bois. Compreenderam então que esse for a seu erro anterior. Desta vez fariam o transporte da arca correctamente.

     David sabia que Deus os abençoaria se transportassem a Arca de acordo com o plano de Deus.

 

David transporta a Arca correctamente

 

     Foi assim que David organizou novamente uma grande procissão, mas desta vez os levitas transportaram a Arca de Deus em seus ombros como Deus havia ordenado que fizessem. Deus demonstrou através desta lição que Sua presença nunca deveria ser transportada em carro, mas sim nos ombros dos homens. Em outras palavras, Deus sempre usa os homens para representá-Lo diante de outros homens. Este facto ensinou ao povo que os levitas eram as pessoas que deveriam representar Sua presença perante o povo de Israel.

     David sentiu-se muitíssimo feliz em trazer a Arca da Aliança para a cidade de Jerusalém. As trombetas soaram e os músicos tocaram toda espécie de instrumentos e o povo dava vivas à medida que a Arca passava por eles. Foi um grande dia de alegria e festa. David estava animado como uma criança ao liderar a procissão. As Escrituras declaram que ele dançou diante do Senhor com toda sua força, dum jeito bem parecido ao de uma criança pulando de alegria.

     Os levitas sacrificaram bois e outros animais ao Senhor em todo o percurso da procissão. Ao proceder assim, estavam pedindo o perdão de Deus para o caso de que não estivessem observando alguma lei pertinente ao transporte da Arca.

     Os levitas transportaram a Arca durante o percurso para Jerusalém e a colocaram no Tabernáculo. Então David ofereceu holocaustos e ofertas pacíficas ao Senhor. Depois disso, David mandou distribuir comida a todo o povo.

     Foi um dia feliz para todo o mundo – com excepção de uma pessoa. A esposa de David, Mical, filha do rei Saul, ficou vendo de sua janela, com repugnância, a procissão que entrava em Jerusalém. Ela não participava do entusiasmo de David pela volta da Arca da Aliança. Ela perturbou-se muito enquanto olhava o marido dela na procissão.

     Quando viu seu marido, o rei, dançando diante da Arca, ela o desprezou, achando que estava agindo como tolo, mais como se fosse um empregadinho, ou uma criança, ao invés de um rei. Após as festividades, quando David voltou para casa, ela o criticou pelo que considerava um comportamento indigno de um rei.

     “O que fiz foi perante o Senhor,” respondeu-lhe David, “O Senhor que escolheu a mim antes que a teu pai para reinar sobre o povo de Israel. Portanto eu dançarei perante o Senhor.” David fez Mical entender que quando ele estava diante do Senhor não via a si como rei, mas sim como se fosse criança ou simples homem do povo. Portanto, ele achava que suas acções eram apropriadas visto que eram dedicadas a Deus. David tinha certeza de que Deus o aceitara, e achava também que seu povo compreendia seu coração e gostava dele. Lamentava que sua esposa não compreendesse sua posição de humildade perante Deus. Esse facto nos mostra que David era um homem muito humilde. Foi lamentável que Mical criticasse seu marido justamente nesta ocasião alegre e feliz. Não foi só David quem sentiu o desdém presente na sua crítica, pois Deus também o viu. O resultado disso foi que ela nunca pode ter filhos, segundo as Escrituras nos declaram.

 

Deus faz uma promessa a David

 

     David gozou de grande paz no seu reino porque Deus lhe deu vitória nas suas guerras contra os filisteus. David sentiu-se muito grato a Deus por todas essas bênçãos. Enquanto David desfrutava essas bênçãos, ele lembrou-se da casa do Senhor, que era nada mais do que uma tenda, enquanto que o próprio rei David vivia num lindo palácio.

     Agora que a Arca da Aliança estava em Jerusalém, David achou que era tempo de construir uma casa maior, linda e permanente para abrigar a Arca do Senhor.

     Portanto David mandou chamar o profeta Natan e lhe disse que era propósito de seu coração construir um lindo templo para a Arca do Senhor a fim de mostrar a Deus seu grande amor. “Vivo numa casa de cedro,” disse David a Natan, “enquanto a Arca de Deus habita numa tenda. Gostaria de construir uma casa para a Arca do Senhor.”

     O profeta Natan achou que a ideia de David era muito boa e o encorajou a levá-la em frente. Entretanto, mais tarde naquela mesma noite Natan recebeu uma mensagem do Senhor. O Senhor disse a Natan para aconselhar a David no sentido de não construir uma casa para o Senhor. Ao invés disso, Deus disse que construiria uma casa para David.

     Natan disse a David que essa casa que Deus iria construir para David não seria um edifício de cedro, pois David já tinha uma casa dessas. Em vez disso, seria uma família reinante que continuaria a reinar sobre Israel e desempenharia um papel muito especial no plano de Deus. Natan disse que alguém da família de David continuaria a reinar sobre Israel e desempenharia um papel muito especial no plano de Deus para o mundo. Quando o reinado de David terminasse com a sua morte, o profeta Natan disse que o filho do rei o sucederia no trono e que esse filho construiria lindo templo para Deus. Natan disse que alguém da família de David continuaria a reinar em Israel, e o significado disso era que alguém da família de David, o Messias (Jesus) iria nascer. Esta promessa se cumpriu quando Jesus nasceu na cidade de David para ser nosso Salvador.

     Imaginem vocês como David se sentiu quando Natan lhe transmitiu essa mensagem de Deus! Essa mensagem apagou por completo todo o desapontamento que teve por não poder construir um templo para o Senhor, ao mesmo tempo que o fez sentir-se privilegiado por saber que o Messias nasceria de sua família e um dia reinaria no eterno Reino de Deus. Jesus é eterno rei e Ele reinará para todo o sempre. Se você aceitou Jesus como seu Salvador, então você é também parte do grande reino de Deus.

 

 

Lição 3                                          

David e Mefibosete

II Samuel 4, 9, 16, 19

 

Versículo: Tiago 4:17

 

David se lembra de sua promessa

 

            David se lembrou da promessa que fez a seu querido amigo Jónatas muitos anos antes. Jónatas pediu a David que lhe prometesse que seria sempre bondoso para com seus descendentes (I Sam. 20:14-16). E David prometeu solenemente atender esse pedido.

            Portanto, David se lembrou da promessa que fez a seu querido amigo Jónatas que agora estava morto enquanto David se tornou rei de Israel. David quis saber se algum dos filhos de Jónatas ainda vivia.

 

Mefibosete fica coxo

 

            O pequeno Mefibosete tinha cinco anos de idade quando chegaram notícias do campo de batalha sobre a morte de seu avô, o rei Saul, e de seu pai Jónatas nas mãos dos filisteus. A ama de Mefibosete teve medo de que matassem também o seu pequeno Mefibosete, de modo que ela o agarrou e fugiu de casa. Na fuga, Mefibosete caiu e quebrou o tornozelo cujos ossos não se soldaram correctamente. O resultado disso foi que ele ficou coxo por causa desse problema no pé pelo resto de sua vida.

            Na idade adulta Mefibosete morava em Lodebar, uma cidade do norte, ao leste de rio Jordão, muito longe da cidade real de Jerusalém. Esperava, assim, que David jamais o encontrasse num lugarejo desses, tão distante. Além de ser aleijado, Mefibosete vivia constantemente com medo. Ele raciocinava que se David soubesse de seu paradeiro mandaria executá-lo porque Mefibosete era da família real de Saul e poderia com justiça ser considerado uma ameaça ao trono do rei David. Naqueles tempos, quando alguém for a do círculo da família real subia ao trono de um país, isto é, sem ser da linha de sucessão, esse novo rei que inaugurava uma dinastia costumava matar todos os membros masculinos da família real anterior, para que não houvesse quem pudesse disputar-lhe o direito ao trono. David, naturalmente, prometeu a Jónatas não fazer tal coisa, mas Mefibosete desconhecia a promessa de David a seu pai.

            David indagou de sua corte para saber se sobrevivia alguém da casa de Saul para que pudesse favorecer a tal pessoa por amor de seu amigo Jónatas.

            Seus servos informaram então que havia um sujeito de nome Ziba que trabalhava para Saul. A pergunta deveria ser feita a esse homem.

 

David interroga Ziba

 

            Ordenaram que Ziba comparecesse à presença do rei David. Então o rei perguntou a Ziba: “Será que não sobrou ninguém da casa de Saul para que eu possa mostrar a misericórdia de Deus para com ele?”

            Ziba respondeu: “Sim, há um filho de Jónatas que ainda vive. O nome dele é Mefibosete, mas ele é aleijado de ambos os pés.”

            “Onde está ele?” indagou o rei David.

            “Em Lodebar,” respondeu Ziba.

            Agora que sabia do paradeiro do filho de Jónatas, David ordenou: “Tragam-no a mim.”

            Imaginem vocês o que Mefibosete não sentiu quando os mensageiros chegaram à sua casa com a ordem de levá-lo ao rei David. Achou que, com certeza, chegou o dia que ele tanto temia. Mefibosete pensou: “O rei David me descobriu; ele sabe que sou neto de seu inimigo Saul; portanto, com certeza ele vai me matar.”

            Cheio de medo, Mefibosete partiu de sua casa, achando que jamais voltaria a vê-la. Estava certo de que sua vida até o rei David significava a mesma coisa de uma viagem para a morte.

 

O rei David presta honras a Mefibosete

 

            Quando Mefibosete chegou ao palácio real foi levado perante o rei David. Tremendo, ele caiu aos pés do rei.

            “Mefibosete!” disse o rei, “Estou feliz em conhecer um dos filhos de Jónatas.”

            Com uma profunda mesura, Mefibosete, tremendo, respondeu: “Sou o servo de vossa Majestade!” Ele esperava ouvir palavras condenando-o à morte.

            Em vez disso, ouviu David dizer: “Não temas. Usarei de misericórdia para contigo por amor a Jónatas, teu pai. Ele foi grande amigo meu, de sorte que vou devolver a ti todas as terras do rei Saul, teu avô. Na verdade, quero que venhas viver aqui comigo no palácio, fazendo tuas refeições à minha mesa.”

            Mefibosete nem podia acreditar no que estava ouvindo. “Por que estás sendo tão bondoso para um cão morto como eu?” Perguntou ele muito surpreso.

            David explicou que fez uma promessa a Jónatas, pai de Mefibosete, muitos anos antes. Prometeu a Jónatas que sempre usaria de bondade para com a família de Jónatas.

 

David interroga a Ziba.

 

            David chamou a Ziba e disse: Estou dando tudo o que pertencia a Saul e família ao neto dele. Quero que você e seus filhos cultivem a terra para o neto de Saul e que sejam servos dele. Ele ficará em Jerusalém comigo e comerá à minha mesa.”         

            Antes de trabalhar para David, Ziba foi servo de Saul. Tinha quinze filhos e 20 empregados que o serviam. Agora, ele, seus filhos e empregados deveriam todos trabalhar para Mefibosete.

 

O rei David honra Mefibosete

 

            Em questão de minutos Mefibosete passou da condição de uma pessoa miserável e desgraçada a uma situação de homem rico com terras e servos. Não tinha mais que temer por sua vida, foi admitido directamente na família do rei. Que mudança! Ao invés de sentenciar Mefibosete à morte, David mostrou misericórdia para com ele por amor de Jónatas, pai de Mefibosete.

            Este é um lindo quadro representativo da bondade de Deus para connosco! Embora sejamos pecadores, merecedores de morte eterna num lago de fogo, Deus mostra misericórdia para connosco por amor de Jesus. O rei David não só permitiu que Mefibosete vivesse, mas também lhe deu terras e servos, e o privilégio de comer à mesa do rei.

            Este é um lindo quadro representativo da bondade de Deus para connosco! Embora sejamos pecadores, merecedores de morte eterna num lago de fogo, Deus mostra misericórdia para connosco por amor de Jesus. O rei David não só permitiu que Mefibosete vivesse, mas também lhe deu terras e servos, e o privilégio de comer à mesa do rei.

            Da mesma maneira, Deus, por amor de Jesus, não somente nos dá vida eterna e a esperança do céu, mas também nos dá toda sorte de bênçãos espirituais. Em verdade nos tornamos filhos de Deus. Deus concede misericórdia e graça àqueles que vêm a Ele com fé.

            Mefibosete ficou gratíssimo a David por sua grande bondade para com ele. Do mesmo modo devemos dar graças a Deus pelo que Ele tem feito por nós por intermédio de nosso Senhor Jesus Cristo. Pela fé em Jesus como seu Salvador você pode receber essas bênçãos em sua vida.

 

Ziba traz provisões para David

 

            Alguns anos mais tarde David teve de fugir de Jerusalém quando seu filho Absalão tentou usurpar, isto é, roubar seu trono. Enquanto David fugia, Ziba, servo de Mefibosete, veio a David com dois jumentos carregados com 200 pães, 100 cachos de uva, 100 frutas de verão e um odre de vinho.

            David perguntou a Ziba: “O que significa isso?”

            Ziba respondeu: “Os jumentos são para o pessoal da casa do rei montar: a comida é para o rei e seu povo. Vossa Majestade vai precisar dela.”

            “Onde está Mefibosete?” perguntou David.

            “Ele ficou em Jerusalém,” disse Ziba. “Mefibosete disse que com a fuga de Vossa Majestade ele pode agora tornar-se rei de Israel.”

            David ficou surpreso e muito contrariado ao ouvir essa informação de Ziba. Depois de tudo o que fez por Mefibosete, seria possível que ele estivesse tornando-se um traidor? David não percebeu que Ziba estava a mentir.

            Diante disso, David respondeu a Ziba: “Você pode ficar com tudo o que pertence a Mefibosete.”

            Ziba prostrou-se diante do rei. Estava muito alegre porque David acreditou na sua mentira sobre Mefibosete. Agora todos os bens de Mefibosete pertenciam a ele.

 

Mefibosete é injustiçado

 

            Depois da derrota de Absalão, o rei David começou a sua caminhada de volta a seu trono em Jerusalém. Junto com muitos outros, Ziba, seus filhos e servos saíram ao encontro do rei David com o fim de ajudá-lo a atravessar o rio Jordão com todos os que o acompanhavam. Ao se aproximar de Jerusalém, David viu mais alguém vindo em sua direcção. Era Mefibosete, cavalgando um jumento. Não tinha lavado os pés, nem feito a barba, nem lavado suas roupas desde o dia em que o rei partiu até o seu regresso.

            “Porque não foste comigo, Mefibosete?” perguntou David quando se encontraram.

            “Ó rei, meu servo me enganou. Eu queria que Ziba me selasse um jumento, de sorte que eu pudesse acompanhar o rei,” disse Mefibosete. “Eu próprio não poderia fazer esse serviço e Ziba aproveitou para enganar e deixar-me para trás. E ele foi mais além, pois falou mal de mim perante o rei. Mas o rei David é como um anjo do Senhor. O rei pode fazer comigo o que achar melhor a seus olhos porque eu já recebi muito mais bondade do que mereço. Não me queixarei ao rei.”

            Ao ouvir isso, o rei David disse a Mefibosete: “Tu e Ziba deveis dividir a terra.” 

            Mefibosete ficou muito agradecido ao ouvir essa declaração do rei. O facto demonstrava que o rei David realmente acreditou na sua lealdade.

            “Ele pode ficar com tudo,” disse Mefibosete humildemente. “A única coisa que me importa é que o rei voltou em segurança à sua casa.”

            Ziba mentiu, enganou e caluniou Mefibosete perante o rei com o propósito de ganhar o favor do rei David. Mas de quanta bondade David usou para com Mefibosete! Ele lhe concedeu misericórdia e graça e o recebeu como seu filho! David agiu para com Mefibosete da mesma forma que Deus age para connosco.

            Que Deus maravilhoso e compassivo nós temos! Seria uma loucura recusar o perdão de Deus e perder o privilégio de participar de Sua família. Se ainda não O aceitou como Salvador, venha falar comigo depois da lição.

 

Lição 4                                            

David e Bate-Seba

II Samuel 11-12

 

Versículo: Salmo 51:10

 

O sucesso torna a David descuidado

 

     Durante muitos anos maravilhosos o rei David gozou das bênçãos de Deus no seu reino. Foi bem sucedido em todas as guerras que empreendeu; era admirado por outras nações e amado pelo povo de Israel. O sucesso e a popularidade nem sempre são bons para nós, pois algumas vezes nos podem fazer auto confiantes e descuidados.

     Na sua prosperidade, David começou a fazer o que os outros reis de seu tempo faziam: tomou várias mulheres por esposas. Deus havia proibido aos reis de Israel a formação de haréns, mas David não obedeceu a Deus nesse assunto.

     Em certas épocas do ano era costume dos reis levarem seus exércitos para batalhar. Geralmente David saía ele próprio com seu exército para a guerra, mas desta vez ele decidiu enviar seu general Joab para lutar contra os amonitas, enquanto ele ficava em Jerusalém. Temos um adágio que diz: “Mente desocupada é oficina do diabo.” Algumas vezes, quando ficamos sem fazer nada, acabamos por nos meter em problemas. Foi isso o que aconteceu a David. Enquanto seus homens estavam longe, lutando no campo de batalha, na terra dos amonitas, David estava deitado em sua cama descansando na hora da sesta.

 

David vê Bate-Seba

 

     Ele decidiu subir ao terraço de sua casa. Nos climas quentes como o da Palestina, as casas tinham terraços para permitir que as pessoas se refrescassem à noite. Do terraço de seu palácio David podia ver grande parte de Jerusalém. Desta vez, entretanto, só uma coisa prendeu sua atenção – ele viu uma linda mulher banhando-se no terraço da casa dela. Imediatamente David desejou para si aquela mulher.

     Ele perguntou a seus servos quem era ela e soube que era Bate-Seba, mulher de Urias, um de seus soldados, que estava longe lutando sob o comando de Joab. Como ela era casada, seria grave erro David tomá-la para si. Mas ele a desejou tanto que nem ligou para esse importante detalhe. Ele mandou chamá-la ao palácio e naquela noite cometeu o pecado de adultério com ela.

     David pensou que ninguém ficaria a saber do que tinha feito naquele momento de tentação e achou também que poderia safar-se sem problemas, mas desta vez se enganou redondamente. Poucas semanas depois Bate-Seba mandou-lhe um recado dizendo-lhe que estava grávida, esperando bebé, e David era o pai.

     David cometeu adultério com Bate-Seba, o que implicava terrível pecado contra Urias e contra Deus. O temor assaltou seu coração quando compreendeu que a verdade viria à tona. Ele deveria de alguma maneira esconder seu pecado de modo que ninguém ficasse a saber do acontecido. Que poderia fazer? Teve uma ideia: mais do que depressa mandou uma mensagem a Joab, seu general que estava no campo de batalha comandando o exército de Israel contra os amonitas. Nessa mensagem mandou dizer a Joab que lhe mandasse o marido de Bate-Seba, Urias, com a máxima urgência.

 

David convoca Urias

 

     Tão logo Urias recebeu a mensagem, imediatamente deixou o acampamento do exército e veio ter com o rei David. Urias não sabia o porquê de sua urgente convocação a Jerusalém pelo rei.

     David perguntou a Urias como ia a guerra. Urias fez-lhe rápido relatório e então David lhe disse que ele podia ir passar a noite em casa com a esposa. David achava que se Urias fosse para casa pernoitar com sua mulher, todos iriam pensar que Urias era o pai do bebé que Bate-Seba estava esperando, de sorte que só ele e Bate-Seba saberiam da verdade. Mas Urias se recusou a ir para sua casa naquela noite, preferindo dormir junto com os servos do rei no palácio.

     Na manhã seguinte, quando David soube do facto, chamou Urias e lhe disse: “Acabaste de voltar da terra dos amonitas: por que não foste para casa visitar tua mulher ontem à noite?”

     Urias respondeu: “Bem, eu sabia que Joab e os outros soldados tinham de acampar no relento nos campos abertos, e enquanto eles forem tais privações como poderia eu ir para minha casa me divertir com minha esposa?”

     David achou que deveria tentar outra vez. Disse a Urias: “Urias, precisas de ficar em Jerusalém mais um dia; amanhã podes encetar a viagem de regresso à batalha com os amonitas.”

     Nessa noite David convidou Urias a jantar com ele e durante a refeição os servos ficaram enchendo Urias de vinho até que o embriagaram. David pensou que, com certeza, Urias, no estado em que estava, haveria de esquecer-se de seu patriotismo e empatia com seus companheiros de batalha. Achava que ele iria para casa dormir com sua mulher. Mas para espanto e desgosto de David, Urias novamente dormiu junto a porta do palácio com os servos do rei como fez na noite anterior.

     Essa situação deixou David muito nervoso. A seu ver só lhe restava uma alternativa para esconder seu pecado de adultério: livrar-se de Urias. Foi assim que David escreveu uma carta a Joab, no mais aceso da luta, retirando-lhe então o apoio dos outros soldados, de modo que Urias pudesse facilmente ser morto na batalha pelo inimigo.

     Urias não tinha a menor ideia de que estava levando sua própria sentença de morte. Urias era um soldado tão confiável de honrado que David sequer receou mandar por ele a carta a Joab, onde a própria morte de Urias foi tramada.

 

Urias morre na batalha

 

     Joab recebeu a carta e procedeu de acordo com as instruções de David. Pôs Urias no mais aceso da luta e então retirou seus homens, deixando Urias sozinho no meio do inimigo, de sorte que Urias foi morto imediatamente pelos amonitas. Joab então mandou uma mensagem contando a David os detalhes da batalha, mencionando de passagem no relatório que Urias havia sido morto na luta. Quando recebeu a mensagem, David ficou muito contente em sabe que Urias estava morto. Agora ele podia casar legalmente com Bate-Seba e continuar com seu adultério.

     David não somente cometeu adultério mas era também culpado de assassinato como mandante. Mais tarde David escreveu sobre como se sentiu nessa ocasião. Ele disse: “Quando tentei ocultar meu pecado, senti meu corpo doente todos os dias. Dia e noite a mão de Deus pesava sobre mim. Perdi toda minha energia como num dia quente de verão” (Salmo 32). Vocês acham que David estava feliz? Como poderia? O pecado sempre impede as pessoas de serem felizes. Acaba a fazer com que as pessoas se sintam culpadas e desgraçadas.

     Vocês provavelmente já se sentiram culpadas quando mentiram aos pais, colaram provas, pegaram algo que não lhes pertencia, ou fizeram algo do estilo, sabendo que estavam procedendo mal. A gente não pode sentir-se realmente feliz quando esconde pecado no coração. O pecado faz com que a pessoa se sinta desgraçada, como David se sentiu.

     Naturalmente, se David tivesse ido á guerra com seus soldados, nunca teria sido tentado por Bate-Seba. Quando não assumimos nossa responsabilidade, tornamo-nos uma presa fácil da tentação. Devemos aprender a nunca nos eximirmos de nossas responsabilidades.

 

Bate-Seba se casa com David

 

     Quando Bate-Seba soube que seu marido Urias morreu na batalha ela ficou de luto. Mas depois que o período de luto passou, David a tomou por esposa. Então ela foi morar no palácio do rei. O tempo passou e o bebé de Bate-Seba nasceu – um menino. Os problemas de David pareciam resolvidos. Seu pecado estava bem encoberto e ninguém sabia de nada. Entretanto, Deus sabia de tudo e ficou muito insatisfeito com David. Deus deu tempo a David para que confessasse seu pecado e se reconciliasse com Ele. Mas David nunca encarou seu pecado, nem admitiu que tivesse errado. Na verdade, agiu como se tivesse feito tudo certinho. A Bíblia nos diz que quando nós não nos julgamos a nós próprios então Deus nos julga.

 

Para a semana, vamos ver as consequências deste pecado de David.

 

Lição 5                                 

As Consequências do seu Pecado

II Samuel 11-12

 

Versículo: I João 1:9

 

Natan repreende a David

 

     Eis como Deus julgou a David. O Senhor mandou o profeta Natan entrevistar-se com David. Natan contou ao rei David a história de um homem rico que tinha muitos rebanhos de ovelha e de vaca, e de um homem pobre que só tinha uma ovelhinha. O homem pobre amava tanto a essa ovelhinha que a mantinha dentro de casa, alimentando-a com cuidado e tratando-a come se fosse um membro de sua própria família.

     Natan contou que um dia o homem rico queria preparar um almoço para um viajante que veio ter à sua casa. Entretanto, esse homem rico não estava nem um pouzinho disposto a matar uma de suas muitas ovelhas para a refeição. Em vez disso, o rico pegou a ovelhinha do homem pobre e a matou para alimentar o seu hóspede. Natan terminou e esperou a reacção de David.

     Ao ouvir o relato do profeta Nata, David ficou uma fera. “Como vive o Senhor,” David exclamou, “o homem que fez isso morrerá e devolverá ao pobre quatro ovelhas no lugar da ovelhinha que ele comeu.”

 

David compreende a mensagem de Deus

 

     Natan mirou David por muito tempo e finalmente lhe disse: “Vós sois o homem!” Como David ficou surpreso ao ouvir as palavras de Natan! O homem rico na história era como David, e o homem pobre, como Urias, Bate-Seba era como a ovelhinha. Essa história mostrou claramente o pecado de David contra Urias. David sabia agora que seu pecado foi descoberto. Então Natan transmitiu uma mensagem de Deus a David: Natan lembrou a David o quanto Deus o havia abençoado e o quanto ele, David, desprezou o mandamento divino ao cometer adultério com Bate-Seba e ao planejar a morte do marido dela no campo de batalha. Natan disse a David: “A espada não se apartará de tua casa porque fizeste isso; tuas esposas serão dadas a teu vizinho. O mal surgirá contra ti de tua própria casa.” Deus pronunciou seu julgamento sobre o pecado de David. David sabia que Deus sempre mantém sua palavra. David estava a aprender pela experiência: “Certamente o teu pecado te achará” (Números 32:23)

     Fulmindo pela tristeza, David disse: “Pequei.” A palavra de Deus feriu o coração e a consciência de David! Que alívio deve ter sido confessar seu pecado depois de carregá-lo secretamente por quase um ano! Ele se lamentou, chorou, sofreu agonia. Quando Deus expôs seu coração perverso, David prontamente confessou seu pecado a Deus e a Natan, o profeta. David continuo a chorar quando entendeu em toda sua extensão o pecado que cometeu.

     O profeta Natan disse: “O mal surgirá contra ti de tua própria casa,” o que nos faz lembrar que Deus diz: “Não vos enganeis, não se zomba de Deus: porquanto tudo quilo que o homem semear ele também colherá” (Gálatas 6:7). É importante lembrarmo-nos de que aquilo que fazemos aos outros será igualmente feito a nós. O mal voltará para nós como um bumerangue. O que semeamos aos pouqinhos um dia colheremos aos montões. E devemos lembrar que Deus não mantém animais de estimação. Ele não mostra favoritismos. Mesmo o rei David, que tinha amado e servido a Deus por muitos anos, não era excepção ao divino princípio de Deus, que consiste na semeadora e na colheita – colheremos aquilo que semearmos.

     O profeta Natan, ao ver o grande sofrimento de David e ao ouvir sua confissão do pecado contra Deus, disse-lhe: “O Senhor perdoou o teu pecado, não morrerás, mas em virtude desse teu pecado, deste aos inimigos do Senhor ocasião para blasfemar. Portanto, o filho que Bate-Seba deu à luz morrerá.” Embora Deus tivesse perdoado a David quando ele confessou seu pecado, contudo Deus castigaria David.

     Quando um crente cai em pecado, a equipa do diabo demonstra enorme prazer em apontar seu dedo par ao crente decaído. Isso é verdade tanto hoje como no tempo de David. Mas Deus é fiel e demonstra que Ele não permite que seus próprios filhos (nem mesmo David) fiquem com pecado inconfessado. Nem Deus exime Seus filhos do castigo!

     A palavra de Deus diz: “Se confessarmos os nossos pecados, Ele é fiel e justo para nos purificar de toda nossa injustiça” (I João 1:9). Portanto, pela confissão de seu pecado, David recebeu o perdão de Deus. Nada obstante, Deus iria permitir que David colhesse as consequências de seu pecado.

 

David se aflige

 

     Quando o profeta Natan foi embora, David continuo a extravasar se pesar perante Deus, pedindo misericórdia e purificação. Pediu a Deus que o fizesse mais branco do que a neve. Ele se deu conta do pecado que cometeu contra Urias e o confessou. Mais do que isso, reconheceu que seu pecado foi contra Deus. David pediu a Deus que lhe purificasse o coração e lhe desse um espírito recto. Implorou a Deus que não retirasse dele o Espírito Santo e que não o expulsasse de sua presença. Pediu também que sua alegria fosse restaurada e que ele fosse novamente usado por Deu sno seu trabalho (Salmo 51). Deus ouviu a oração de David e lhe perdoou os pecados. Contudo as consequências desses pecados não seriam apagadas.

     A criança a quem Bate-Seba deu à luz adoeceu gravemente. David lembrou-se de que o profeta Natan lhe disse que o bebé morreria. David recusou todo alimento que lhe foi oferecido, embora os seus servos tentassem convencê-lo a comer nem que fosse um pouquinho.

     Quando David soube que o bebé morreu, levantando-se, tomou banho, mudou a roupa e entrou na casa do Senhor. Então David adorou ao Senhor. Ele sabia que poderia perder esse filho porque cometeu um grande pecado. Sabia também que Deus agiria com justiça ao levar o menino. Por isso David adorou a Deus durante toda essa provação. David ficou muito grato a Deus por tê-lo perdoado. Sabia que o bebé não poderia voltar par ele, mas sabia também que um dia iria para onde estava o bebé – no céu. As Escrituras Sagradas nos ensinam (II Samuel 12:23: “Eu irei para ele, mas ele não virá para mim”), que as criancinhas vão para o céu quando morrem. É muito bom que a Palavra de Deus nos ensine a verdade, mesmo em se tratando de grandes heróis da Bíblia, da estatura de David, porque Deus quer que nós aprendamos de seus erros. O pecado de David nos ensina uma lição: nunca devemos fugir de nossas responsabilidades e devemos resistir sempre à tentação.

     O Apóstolo João escreveu: “Filhinhos, estas coisas eu vos escrevo para que não pequeis.” Deus não quer que pequemos porque o pecado causa dano a nós e aos outros, além de, especialmente, magoar a Deus. E o pecado sempre produz resultados trágicos. Mas se pecarmos, e quando pecamos, devemos imediatamente pedir a Jesus, nosso Salvador, que nos perdoe. Quem sabe, há pecados na sua vida que você precisa de confessar a Deus neste mesmo momento, enquanto oramos.

 

Lição 6                                            

David e Absalão

II Samuel 14-19

 

Versículo: Provérbios 14:12

 

Absalão, um filho rebelde

 

     Em nossa última lição, aprendemos sobre o grande pecado de David contra Deus. Embora tivesse perdoado a David, Deus lhe disse que surgiriam problemas dentro de sua própria família por causa de seu pecado. Nossa lição de hoje nos relata alguns desses problemas.

     David tinha um filho muito formoso de nome Absalão, conhecido em toda a Israel por sua beleza. Não havia nele defeito algum, da planta dos pés a ponta dos cabelos. Era conhecido também por causa de seu longo cabelo. Absalão vivia em Jerusalém, mas não morava no palácio com o pai, porque não se achava em suas boas graças em virtude de ter matado a seu meio-irmão Amnon porque este fez algo de muito grave contra uma irmã de Absalão. Pecado gera pecado, vingança gera vingança, por isso Deus manda que perdoemos. Cristo disse que devemos perdoar a nosso irmão 70 vezes 7, ou seja 490 vezes. Pois bem, a morte de Amnon nas mãos de Absalão foi uma tristeza muito grave para David e sua família. Por três longos anos, Absalão viveu no exílio em Geshur, até que David finalmente permitiu que ele votasse para Jerusalém. Embora David permitisse o retorno de Absalão à capital, ficou, entretanto, sem vê-lo e sem falar com ele. Esta situação configurava um relacionamento muito infeliz entre pai e filho. David, sem dúvida, lembrava-se com frequência de que Deus lhe disse que teria perturbações no seio da sua própria família.

     A amargura aos poucos se insinuou no coração de Absalão. Após dois anos de viver em Jerusalém sem ver a seu pai e sem receber o seu perdão pelo crime que cometeu, Absalão decidiu chamar Joab a fim de pedir-lhe para conseguir uma entrevista entre ele e David, mas Joab nem quis saber do assunto e sequer veio avistar-se com Absalão. Então, para conseguir que Joab viesse vê-lo, Absalão ordenou a seus servos que tocassem fogo no campo de cevada do General Joab. Esse facto enfureceu tanto a Joab que ele veio imediatamente ver Absalão.

     “Por que teus servos tocaram fogo no meu campo de cevada?” Joab lhe perguntou. “Porque eu mandei chamá-lo repetidas vezes e você nem ligou. De que me adianta eu estar aqui em Jerusalém se não posso ver meu pai? Teria sido melhor para mim ter ficado em Geshur. Quero ver a meu pai e se houver iniquidade em mim, ele pode mandar matar-me.” Disse Absalão.

     Quando Joab disse ao rei David essas palavras de Absalão, David mandou chamar Absalão imediatamente. O jovem Absalão prostrou-se diante de seu pai e o rei David beijou seu filho. Foi um encontro cheio de emoção. Embora David não aprovasse o facto de Absalão ter matado a seu meio-irmão, David o perdoou e permitiu que seu filho voltasse à corte do rei.

     Mas mesmo assim Absalão continuou amargurado e rebelde para com seu pai. Na verdade, Absalão decidiu que queria ser rei de Israel no lugar de seu pai. Provavelmente achou que David era um homem mais velho e que já ocupava o trono por muitos anos, de sorte que era hora de afastá-lo do cargo.

Absalão usurpa o trono

 

     Absalão começou a conspirar para tomar o trono do pai. Passou a desfilar em Jerusalém num carro especial puxado por belos cavalos, com 50 homens correndo na frente como batedores. Ele se promovia dessa maneira na esperança de ser aceito pelo povo como seu rei. Era muito orgulhoso de sua vasta cabeleira que cortava só uma vez no fim de cada ano, quando ela já estava tão pesada que o cabelo cortado pesava quase dois quilos.

     Com o propósito de ganhar a simpatia do povo, Absalão se levantava cedo de manhã e ficava junto à porta do palácio por onde o povo entrava para as audiências com o rei sobre seus problemas e queixas. Absalão saudava graciosamente todas as pessoas antes que elas entrassem para ver o rei. Adoptou também uma postura de sempre mostrar-se simpático para com seus problemas, lamentando o facto de que o rei não tinha ninguém para cuidar dos problemas do povo.

     “Se eu fosse juiz nesta terra,” dizia-lhes Absalão, “eu cuidaria para que vocês tivessem justiça.” Quando alguém se inclinava para saudá-lo, ele logo puxava a pessoa e a beijava. Diligentemente, Absalão trabalhou para conseguir a simpatia do povo de Israel.

     Ao exaltar-se dessa maneira, Absalão aos poucos foi solapando a lealdade do povo para com seu pai. Finalmente chegou o dia em que Absalão estava pronto para rebelar-se abertamente. Pediu autorização a seu pai para ir a Hebron, “para cumprir um voto que fiz ao Senhor quando estava no exílio,” justificou. David deu-lhe a autorização, sem perceber que Absalão estava a mentir. Na verdade, Absalão estava de viagem a Hebron para estabelecer-se como rei de Israel em oposição ao reinado de seu pai.

     Absalão enviou espiões por todas as tribos de Israel, convidando o povo a segui-lo na sua rebelião contra o rei David. Muita gente juntou-se a ele. Até mesmo Aitofel, o conselheiro de maior confiança de David, abandonou o rei para seguir a Absalão. Talvez o pecado de David com Bate-Seba fez com que perdessem a confiança no seu rei.

     Vocês podem imaginar como o rei David se sentiu quando chegou um mensageiro ao palácio e informou a David que seu filho Absalão havia seduzido o coração do povo e estava a tentar usurpar o trono, e que muitos dos leais súbditos de David estavam dispostos a apoiar a Absalão como rei de Israel. Sem dúvida David lembrou-se da profecia que Natan fez, onde dizia que a espada não se afastaria da casa de David. Em outras palavras, a profecia dizia que haveria derramamento de sangue na própria família de David. Já houve derramamento de sangue quando Absalão matou a seu meio-irmão Amnon. David compreendeu que estava a colher os resultados trágicos e tristes de seu pecado com Bate-Seba.

     A ilustração contra de um fazendeiro que disse a seu filho para dar um prego no esteio toda vez que fizesse algo errado. O filho seguiu o conselho e o pai então lhe disse que quando pedisse perdão pelo erro poderia arrancar o prego de esteio. O filho fez exactamente isso. À medida que o tempo passou, o esteio levou uma multidão de pregos que foram depois arrancados. Um dia o filho fez a seguinte observação a seu pai: “Os pregos foram todos arrancados do esteio, mas deixou-o marcado com todos esses buracos.”

     O pai respondeu: “Sim, meu filho, é assim que é a vida. Embora Deus perdoe nossos pecados, as cicatrizes de nossos pecados permanecem connosco.” David estava a aprender que as cicatrizes de seu pecado ficaram na sua família.

O Rei David foge de Jerusalém

 

     David sabia que sua vida e a de sua família e servos corria perigo nas mãos de Absalão. David sabia também que só havia uma coisa que ele poderia fazer para salvar essas vidas – ele deveria fugir imediatamente da cidade de Jerusalém e abandoná-la para que Absalão a ocupasse. Mais do que depressa ele reuniu todos de sua casa juntamente com os servos. Não havia tempo a perder. Se o rei David e seus seguidores ficassem em Jerusalém, Absalão atacaria a cidade e os mataria a todos.

     Andando descalço com sua família, servos e seguidores, David deixou Jerusalém às pressas e rumou para o Monte das Oliveiras, demonstrando com esse facto grande lamentação. David e seus amigos cobriram suas cabeças e choraram enquanto fugiam. Era uma procissão muito triste.

     Alguém disse a David que seu conselheiro de confiança, Aitofel, o havia abandonado para seguir Absalão. Sabendo que Aitofel era muito sábio e sempre deu óptimos conselhos, David orou: “Senhor, faze com que o conselho de Aitofel seja tolice.”

     Quando David chegou ao topo da montanha, viu Husai, outro de seus conselheiros, que veio para acompanhar David na sua fuga de Jerusalém. Husai rasgou as suas vestes e pôs terra na sua cabeça para mostrar lamento pelo que estava a acontecer ao rei David.

     David pediu a Husai que voltasse para Jerusalém e fingisse ser seguidor de Absalão. Dessa maneira ele poderia derrotar o conselho de Aitofel a Absalão e poderia, do mesmo passo, informar David dos planos de Absalão, enviando secretamente uma mensagem aos sacerdotes Zadoque e Abiatar. Combinou-se que os dois filhos do sacerdote, Aimaaz e Jónatan, levariam a mensagem.           

     Husai concordou em ser espião de David. Era uma tarefa muito arriscada, mas ele se dispôs a arriscar a vida pelo rei. Mais do que depressa voltou para Jerusalém.

 

Deus derrota o conselho de Aitofel

 

     Ao atingir Jerusalém, Absalão ocupou as instalações de seu pai e quando viu a Husai, indagou-lhe: “Por que não foste com teu amigo David?”

     Husai respondeu: “Ficarei com aquele quem o Senhor e o povo escolherem. Servirei  ti como servi a teu pai.”

     Absalão ficou contente porque Husai escolheu ficar de seu lado, raciocinando que era melhor dois conselheiros do que um.          

     Absalão primeiro consultou a Aitofel, que esboçou o seguinte plano para Absalão: “Escolherei 12,000 homens e com eles perseguirei a David esta noite, enquanto ele e seus homens estão fracos e cansados. O povo que está com David fugirá dele, de sorte que poderemos matar o rei. Quando os seguidores de David souberem que ele está morto, eles se passarão para o nosso lado.”

     Absalão e os anciãos de Israel acharam que o plano de Aitofel era excelente, mas Absalão decidiu ouvir também o conselho de Husai.

     “Você concorda com o plano de acção de Aitofel?” Absalão perguntou a Husai. “Se não concorda, dê sua opinião.”

     Lembre-se que David havia orado a Deus para que derrotasse o conselho de Aitofel. Agora Deus começou a responder a oração de David.

     “Não acho que o conselho de Aitofel seja bom para este momento,” Husai respondeu. “Você sabe que seu pai e seus homens são guerreiros poderosos e por cima disso estão furiosos agora. Seu pai, um perito em guerra, não passará a noite com o povo. Sem dúvida ele está escondido neste momento em alguma caverna ou buraco. Se seus homens forem desbaratados, dirão: “Há matança entre os que seguem Absalão.” Esta notícia fará com que o coração dos homens de Israel se derreta de tanto medo, porque sabem que seu pai é general poderoso e hábil. Sugiro que ao invés do plano de Aitofel, você reúna toda Israel, de Dan a Berseba, e os lideres na batalha você mesmo. Deste modo você poderá prender David. Mesmo que ele se refugie numa cidade, seu exército pode destruir totalmente a cidade, nada sobrando.”

     Absalão respondeu: “O conselho de Husai é melhor do que o de Aitofel,” com que concordaram os anciãos.” Na verdade o conselho de Aitofel era o certo, mas Deus fez com que eles não percebessem a fim de ajudar a David.

     Logo em seguida Husai comunicou-se com Zadok e Abiatar, os sacerdotes, e lhes disse o que Absalão havia decidido. “Vão rapidamente dizer a David para que não fique nas campinas do deserto e sim passar à outra banda do rio, do contrário ele e todo o povo serão destruídos.”

     Aitofel era acostumado a ver o seu conselho obedecido, de modo que ficou muito magoado quando, esta vez, não foi ouvido. Ele sabia que David poderia ganhar a batalha e se tal acontecesse ele cairia em desgraça e seria punido. Portanto, Aitofel pôs as coisas em ordem na sua casa e se enforcou. Aitofel não tomou uma decisão acertada quando decidiu seguir a Absalão, mas só compreendeu isso tarde demais.

 

Lição 7                                 

David prepara-se para a batalha

II Samuel 14-19

 

Versículo: Salmos 56:11

 

     Os mensageiros puseram a caminho para o acampamento de David a fim de transmitir o importante recado de Husai.

     “Passe para a outra margem do rio rapidamente,” eles aconselharam a David.

     David e seus comandados acataram as instruções e com balsas e barcos atravessaram com segurança para o outro lado.

     David e suas tropas alcançaram a outra margem em segurança. David dividiu seus soldados em três grupos: um grupo foi comandado por Joab, outro por Abisai e o terceiro por Itai. David queria ir com eles à batalha mas seus homens não quiseram nem ouvir falar nisso.

     “Eles não se importam connosco, eles querem é ao rei,” disseram. “Será melhor que o rei fique na cidade.”

     O rei David concordou com a opinião deles. Ficou junto à porta da cidade enquanto a tropa passava por ela para ir à luta. David disse com cuidado aos três capitães: “Tratai brandamente a Absalão, por amor de mim.” David falou de modo a que todos o ouvissem.

     Os soldados saíram para a floresta de Efraim para enfrentar em batalha os homens de Absalão. Quando a luta começou os homens de David receberam a ajuda de Deus e com facilidade derrotaram os homens de Absalão. Muitos dos que não foram mortos pela espada pereceram na floresta caindo em ravinas profundas ou em lamaçais. Foi um grande dia de vitória para os homens de David.

 

Absalão fica preso numa árvore

 

     Quando Absalão cavalgava a sua mula, encontrou-se com alguns dos soldados de David. Ao vê-los ele se meteu debaixo de um grande carvalho e sua vasta cabeleira se enganchou nos galhos da árvore, arrancando-o da mula, de modo que ele ficou pendurado, suspenso pelos cabelos, enquanto a mula galopava e ia embora, deixando-o suspenso no ar.

     Um guerreiro o viu pendurado na árvore e disse a Joab: “Vi Absalão pendurado num carvalho.”

     “Você viu Absalão? Por que não o matou?” perguntou-lhe Joab. “Eu lhe daria dez peças de prata e um cinturão se você o tivesse matado.”

     O homem respondeu: “Não faria isso nem por mil peças de prata, porque ouvi quando o rei David lhe disse, bem como aos outros capitães para que cuidassem de tratar com brandura seu filho Absalão.” Joab virou-se impaciente e foi para onde Absalão estava pendurado. Levando três dardos, Joab rapidamente os arremessou no coração de Absalão. Os dez jovens que carregavam a armadura de Joab terminaram a tarefa de matar a Absalão.

     Joab tocou sua trombeta e anunciou que a guerra havia terminado visto que Absalão morreu. Arremessaram o corpo de Absalão num poço fundo e o cobriram com um monte de pedras para assinalar o local.

     Os homens de Absalão, ao se verem sem um chefe, fugiram para suas tendas, enquanto os homens de David marcharam de volta para a cidade onde o rei David aguardava notícias da batalha.

     Aimaás, o filho de Zadoque, estava ansioso para trazer a notícia da vitória ao rei David. “Por favor, deixe-me ir correndo levar a notícia,” ele rogou a Joab.

     Joab disse: “Não deves tu levar a notícia hoje, porque o filho do rei está morto.” Joab sabia que essa não era uma boa notícia para o rei David.

     Joab virou-se para outro homem, um cusita, e lhe disse para ir correndo ao rei e dizer-lhe o que havia visto. O homem se curvou perante Joab e partiu.

     Aimaás disse: “por favor, permita-me correr atrás do cusita.” Com relutância Joab lhe deu permissão. Aimaás correu mais rápido do que o cusita e chegou antes dele à cidade.

 

David ouve as notícias de Absalão

 

     David aguardava entre as duas portas da cidade as notícias da batalha. O vigia da torre da porta estava olhando para ver se algum mensageiro despontava no horizonte.

     “Alguém está a vir,” o vigia gritou para o rei.

     “Se ele estiver correndo sozinho, deve trazer boas notícias,” disse o rei.

     O vigia olhou de novo. “Vem outro corredor também.”

     David disse: “Ele também deve trazer boas notícias.”

     Quando Aimaás alcançou o rei, disse, quase sem fôlego: “Tudo está bem.” Prostrou-se diante do rei. “Bendito seja o Senhor que nos livrou dos homens que levantaram as mãos contra o rei.”

     Mas David só pensava no seu filho. “O jovem Absalão está em segurança?” Perguntou David com ansiedade.

     Aimaás não conseguiu dizer a David a verdade. “Vi um grande tumulto,” respondeu ele evasivamente, “mas não sei do que se tratava.”

     Nesse momento chegou o cusita, dizendo: “Há boas novas para ao rei; o Senhor livrou o rei daqueles que se rebelaram contra Vossa majestade.”

     Ansiosamente o rei perguntou de novo: “Está tudo bem com o jovem Absalão?”

     “Que todos os inimigos do rei fiquem como esse jovem,” respondeu o cusita.

 

David lamenta a morte de Absalão

 

     David sabia que essa palavra significava que Absalão estava morto. De coração quebrantado, ele subiu para seu quarto acima da porta e chorou alto. David se angustiou muito porque sabia que por causa de seu pecado com Bate-Seba ele permitiu que problemas como esse surgissem no seio de sua família. Ele sabia também que tinha falhado como pai. Caminhando no quarto para cima e para baixo em desespero, David dizia: “Ó meu filho Absalão, ó meu filho Absalão, meu filho! Gostaria que eu tivesse morrido no teu lugar, Absalão, meu filho, meu filho!”

     A alegria da vitória que seus homens experimentaram naquele dia se transformou em tristeza quando eles compreenderam que David lamentava a morte de seu filho. Os homens entraram na cidade, devagar, como se estivessem envergonhados de si mesmos.

     David ficou chorando seu filho até que Joab veio ter com ele e o repreendeu dizendo: “Nós arriscamos nossas vidas para salvar a do rei e agora o rei está agindo com se achasse melhor que todos nós tivéssemos morrido e Absalão triunfado. O rei está amando os que o odeiam e odiando os que o amam. Acho melhor que o rei saia e fale com bondade ao povo; do contrário ele o abandonará e nessa hipótese o rei terá problemas de facto.”

 

David agradece ao povo

 

     David compreendeu que Joab falou a verdade. Tentou controlar seu pesar pela morte de Absalão e saiu à porta da cidade para cumprimentar os soldados e agradecer-lhes os esforços que fizeram em favor do rei.

     Então David enviou uma mensagem aos anciãos de Judá por intermédio dos sacerdotes Zadoque e Abiatar, concitando-os a virem para levá-lo de volta a Jerusalém e ao trono. David achou que eles deveriam ser os primeiros a dar-lhe as boas-vindas pelo regresso, visto que eram seus parentes.

     David disse também a Amasa, a quem Absalão constituíra chefe de seu exército, que ele poderia captanear o seu exército no lugar de Joab. David estava a perdoar os que se rebelaram contra ele, mas queria punir a Joab por desobedecer suas ordens, matando Absalão. No decorrer dos anos Joab demonstrava ser um homem violento, muito rápido em derramar sangue. Sem dúvida, David lembrou-se também de que Joab matou traiçoeiramente o general Abner num passado já distante.

 

David volta a Jerusalém

 

     O povo de Judá mandou uma mensagem ao rei pedindo-lhe que voltasse para Jerusalém. Mesmo os que haviam desertado, passando-se para o lado de Absalão, se uniram como um só povo para reconduzir o rei David a seu trono. Vieram a seu encontro para escoltá-lo na travessia do Jordão no seu regresso para Jerusalém.

     Mais tarde os outros israelitas se uniram de novo sob a liderança. E mais uma vez David se tornou rei de toda Israel.

     A história da rebelião de Absalão contra seu pai é umas das histórias mais tristes da Bíblia. Essa lição nos avisa das consequências do pecado. Deus permitiu que acontecesse por causa do pecado de David com Bate-Seba. É interessante notar que nos anos que se seguiram ao pecado de David, ele nunca mais ganhou batalhas. Assim é que, na vida posterior de David, as vitórias de Israel foram obtidas por outros, não por David. Os grandes acontecimentos da vida de David ocorreram antes de seu pecado com Bate-Seba, não depois dele.

     Assim a Bíblia nos faz compreender quanto é sério pecar contra um Deus santo e como é terrível a colheita das consequências. Precisamos de pedir a Deus que nos mantenha fiéis a Ele e que nos ajude a resistir às tentações que levam a consequências trágicas.

 

 

Versículos Para Decorar 

 

 

 Lição 1

“Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento. Reconhece-o em todos os teus caminhos, e ele endireitará as tuas veredas.”

Provérbios 3:5-6

 

 Lição 2

 

“Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os moradores da

 

 terra. Servi ao Senhor com alegria; e apresentai-vos a ele

 

 com canto.” Salmo 100:1-2

 

 Lição 3

“Aquele, pois, que sabe fazer o bem, e o não faz, comete pecado.” Tiago 4:17

Lição 4

 

“Cria em mim, ó Deus, um coração puro e renova em

 

 mim um espírito recto.” Salmo 51:10

 

 

 Lição 5

 

“Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para

 

 nos perdoar os pecados, e nos purificar de toda a injustiça.”

 

 I João 1:9

 

Lição 6

 

 

“Há caminho que ao homem parece direito, mas o fim dele são os caminhos da morte.” Provérbios 14:12

 

 

 Lição 7

 

“Em Deus tenho posto a minha confiança; não temerei o que me

 

possa fazer o homem.” Salmo 56:11