Conteúdo

A Internet está deixando você burro?

A internet está deixando você burro?



A Internet está deixando você burro?

 

(Fonte: reportagem de Felipe Pontes e Tiago Mali - fotos de Victor affaro, agosto de 2010, pag 39 a 47: Revista Galileu, ed. Globo, agosto de 2010).


Tirei uma semana de férias num hotel fazenda e resolvi não levar notebook. Comprei várias revistas, jornais, livros e achei bastante interessante esta reportagem.


“Novos estudos mostram que e-mail, Twitter, Facebook, You tube, MSN e  todas as distraçõeos do mundo digital estão nos transformando em pessoas mais rasas e colocando em risco a nossa caapacidade de aprender”.


Segundo os autores da reportagem, um cidadão americando estava exposto em 2008 a 34 GB de informação por dia (equivalente a ler 34 mil ivros de 200 paginas por dia).


Nicholas Carr, um dos mais polêmicos pensadores da era digital propõe no seu último livro “Os rasos: O que a internet está fazendo com o nosso cérebro” – que quando conectados, entramos num ambiente que promove a leitura apressada, pensamento corrido e distraído, além de aprendizado superficial.

Em resumo, ler na internet está nos deixando mais superficiais e com menor capacidade de pensamento crítico.




DISTRAÇÃO CONTÍNUA


O psiquiatra Gary Small, da Universidade da Califórnia, fez o primeiro experimento mostrando cérebros mudando em resposta a estímulos da internet em 2008.


Descobriu que pessoas mais experientes apresentavam maior atividade cerebral do que novatos utilizando o Google como ferramenta de pesquisa.

Após uuma semana de treinametno, os novatos também apresentavam esta atividade, sugerindo formação de novas conexões cerebrais.


Segundo Gary Small, isso não seria necessariamente bom, porque a atividade aumentada ficou concentrada na área do cérebro associdada à tomada de decisões, o que poderia estar SOBRECARREGANDO NOSSAS MENTES.


Há algum sentido: Quando lemos algum texto na internet, temos que tomar decisões a cada hiperlink  que aparece na tela (e issso atrapalha o aprendizado).


MEMÓRIA INTERROMPIDA

 



Quando usuários da internet param para ver e-mails, acessar MSN ou acessar RSS, apresentam maior dificuldade de memorizar (e, consequentemente aprender).


A memória de curto prazo funciona bem, mas a de longo prazo, onde são necessárias nova s proteínas e sinapses fica prejudicada.


Uma vez que algo é aprendido verdadeiramente, seu cérebro sofreu uma mudança física alongo prazo (sintese de sinapse e proteínas), descrito peolo cientista Eric Kandel, prêmio nobel de Medicina em 2000.  Este processo é travado quando não conseguimos manter o foco.


Kandel, professor da universidade de Yale, diz que ao usarmos a internet há uma dificuldade em focar no aprendizado a longo prazo. É necessária atenção para que haja aprendizado.

 

Abaixo estão mencionadas três áreas cerebrais e suas funções essenciais a nível cognitivo. Áreas esses consideradas essenciais para a nossa atenção e memória e cujas lesões seriam muito notórias e prejudiciais à mesma
.
Córtex - pensamento, resolução de problemas e recordação.

Cerebelo - memórias ”motoras” (relacionadas com os movimentos, ações, processos motores.

Hipocampo - processamento de novas informações, acesso ao conteúdo emocional.


sistema-limbico.jpg



USO SAUDÁVEL DA WEB


Devemos desenvolver um método para nos desconectar de vez em quando:

  • não deixe os livros de lado (Livros e rádio estimulam partes diferentes do cérebro que a web normalmente não consegue);
  • desconecte-se de vez em quando: na casa do escritor William Powers não há intenet nos finais de semana;
  • Dê uma volta no parque, caminhe em ambientes arborizado sou dê uma olhada em fotos de ambientes rurais (para melhorar a função em testes cognitivos);
  • Acesse twitter e e-mails em apenas uma a duas vezes por dia (para manter a concentração, reduzir o stresse não atrapalhar a produtividade);
  •  retire pop ups, (liks e imagens clicáveis ao lado da noticia) – uma dica é o programa http://;lab.arc90.com/experimients/readbility) que, em um só clique, deixa na tela apenas o texto.

(Fonte: Hamlets Blacbarry, William Power)


A NOVA INTELIGÊNCIA


O PRÊMIO Nobel de Medicina Eric Kandel diz eu há, sim, um risco de que uma mudança de comporatmento em direção à multitarefa possa trazer consequências ruins aos nossos cérebros. Ele, entretatanto, vê, mais motivos para sermos otimstas frente à revolução digital.

 



Quanto a deixar que o Google guarde toda a nossa memória, Kandel afirma: “Quem disse que a memória é tão maravilhosa se você não tem um uso para ela? Não é a memória em si que é tão bonita. É a recitação dela, a sensualidade e o prazer em revisitá-la”.

 

Um estudo da Universidade da Califórnia constatou que a exposição contínua a tantos dados não conseguimos detê-los e relacioná-los com memórias profundas.

 

Assim não é possível traduzir tanta informação em novos conhecimentos.

 

Referência2: http://www.istoe.com.br/reportagens/91907_OS+RISCOS+DO+MUNDO+DIGITAL



Comments