acetetos

Depois de muito estudar, testar, experimentar formas e fazeres,  acho que alcancei um jeitinho agradável de compor meus versos. Meio soneto de comprimento por uma redondilha maior de largura, contabilizando sete versos de sete sílabas. Quanto à temática e à abordagem, o quarteto apresenta o tema e o terceto vem com um desfecho "ácido", ou - por que não dizer? - acético...

acetetos, acetábulos, acetilas acetos, Sete, Sete, acético Aceti!





Passo
04/05/2011

Sinto um aperto no peito
Sigo a andar meio manco
Sigo cansado e me deito
Sinto, preciso ser franco

Neste poema sem jeito,
percebo apenas ter feito
mais uma página em branco





Sufrágil
07/05/2011

Sei que a luta feminista
tirou a mulher do barro.
Veja que grande conquista!
Duvido - e aposto um cigarro! -

que o feminismo resista
a um troglodita machista
abrindo a porta de um carro.





Em um céu vasto e tranquilo
02/08/2011

se levanta para o novo
um bater de asas suave.
Acompanha outro voo,
delicada e humilde ave...

É o teu canto que entoo
o teu som, em mim, ecoo
delicada e humilde, Ave!





Na Nani Nanã
30/08/2011

Usa só sabão da costa
e nem sabe o que é um ebó.
A comida que mais gosta?
Camarão seco de efó.

Nem notou a mesa posta;
nessas coisas nem encosta,
mas abriu o Caicó...
Nu (flagra)
04/05/2011 - 06/05/2011

Alguém pegou meu soneto
e jogou metade fora
Eu encontrei meu quarteto
desprevenido, e agora?

Quando abri o meu terceto
flagrei o meu poemeto
com as redondilhas de fora





Acessório
17/05/2011

Passa o dia no Salão
e o cabelo despenteia
ou - pior! - um esbarrão
pode desfiar a meia.

Todo mal tem solução!
Pra qualquer ocasião
leve uma amiga feia...





Paparrazo
24/08/2011

Dessa vez, peguei no flagra!
Vi, sem roupas, a Beldade
Ah, bom vinho que avinagra
São delírios da vaidade

A verdade se consagra!
Ela diz que é falsa magra,
Mas é gorda de verdade...





Desequilibrista
05/09/2011

Há equilíbrio na balança
a pesar, de tudo, um pouco.
Há equilíbrio em cada dança
e em cada grito rouco.

Até quando o corpo cansa
e o equilíbrio nos balança,
apesar de tudo... um pouco!
The lion's death draws the flies
(A morte do leão atrai as moscas)
02/05/2011 - 05/05/2011

Poderia ter sorrido
de alegria quando vi
um inimigo caído
morto a balas de festim

Mas o Mal não está vencido,
pois, tendo o leão morrido,
quantas moscas vão surgir?




Zi fi
30/05/2011

De visita a uma dama
que mexia com o além,
perguntei: como se chama
esse velho sem vintém?

Rindo, disse a tal mucama:
preto-velho não se chama;
precisando, ele vem...





Meus nós
27/08/2011

sou só eu, sou um, sou só
sou somente uma vontade
de ser mais, mas sendo pó
vive em mim outra metade

que me quer prender sem dó
apertando cada nó
indiviDUALIDADE





Oásis
07/09/2011

Quantas vezes eu me pego
a olhar os meus desertos
e parece que estou cego
Tantos vultos, tão incertos...

Não confirmo e não nego
Nas areias do meu ego
quantos eus estão cobertos?
Comments