OLIMPÍADAS












 Manoel Del Rio,  advogado, assessor jurídico de movimentos sociais


FIM DAS OLIMPÍADAS: "Os primeiros são os últimos"



01/09/2012

Em 2011 escrevi artigo sobre os jogos panamericanos e detectei “a força esportiva de Cuba”. Analisando o resultado dos jogos olímpicos e aplicando a metodologia de relacionar o número de medalhas conquistadas de cada país, proporcionalmente a sua população, obtemos resultados interessantes. (Foto Agência Brasil - Sara Menezes- Medalha de Ouro do Brasil)

Na tabela classifica-se o país em relação ao número de habitantes por medalha de ouro. Então vejamos:

COLOCAÇÃO

PAÍS

Nº DE HABITANTES

MEDALHAS DE OURO

PROPORÇÃO

MEDALHA/HAB.

Hungria

      9.971.000

 08

1.250.000

Grã Bretanha

    60.000.000

 29

2.069.000

Cuba

    11.200.000

05

2.241.000

Cazaquistão

    16.558.000

07

2.357.000

Holanda

    16.586.000

06

2.782.000

Austrália

    22.620.000

07

3.385.000

Coréia do Sul

    49.779.000

13

3.846.000

Rússia

  141.930.000

24

5.416.000

França

    65.436.000

11

5.801.000

10º

Coréia do Norte

    24.451.000

04

6.333.000

11º

EUA

  313.847.000

46

6.826.000

12º

Alemanha

 

11

7.456.000

13º

Itália

   81.726.000

08

7.500.000

14º

Ucrânia

   60.770. 000

06

7.617.000

15º

Japão

   45.706.000

07

18.285.000

16º

Irã

   74.798.000

04

18.722.000

17º

China

1.344.130.000

38

35.300.000

18º

Brasil

  196. 000.000

03

65.333.000

  Não coloquei na tabela outros países como Nova Zelândia, Jamaica, República Tcheca e Espanha que estão em melhor situação. Entretanto, como o objetivo da matéria é mostrar que  “se a aparência fosse igual a essência não haveria lugar para a ciência”. E revelar que países como Cuba e Coréia do Norte têm melhores colocações que as jóias brilhantes da economia moderna. Melhores que EUA, Alemanha, França, Itália, Japão, etc. Talvez devamos resgatar a frase do nefasto ditador. “a economia vai bem mas o povo vai mal”. Mesmo porque o Brasil ocupa posição vergonhosa no quadro de medalhas, uma de ouro para cada 65 milhões de habitantes. Isto revela o “belo quadro social” em que as elites brasileiras colocaram o povo brasileiro.

Vale repetir, bem fez o Presidente Lula e bem faz a Presidenta Dilma em investir em políticas públicas de investir no fortalecimento da população de baixa renda.

Joaquim Cruz nosso maratonista olímpico afirmou “É necessária a prática de esportes nas escolas”. Creio que não só isso. Também esportes nas empresas. O que faz Cuba. Tem  espaços poliesportivos nas escolas, nas empresas, etc. Deste modo apesar de encurralada pelo imperialismo, o povo cubano pratica esporte e obtém bons resultados nas competições internacionais.

Não adianta enviar delegações de pequena elite para competir. Para obter resultados as habilidades e potencial popular precisam estar presentes. Neste caso, as oportunidades e as circunstâncias devem privilegiar a prática de esporte de toda a população. Não podemos nos iludir. Torcida não ganha campeonato.

Manoel Del Rio   - Advogado e Assessor Jurídico de Movimentos Sociais 

 Contatos: manoeldelrioblas@gmail.com, Twitter:@ManoelDelRio, Facebook:Manoel Del Rio   




Comments