ESPORTES



Manoel Del Rio,  advogado, assessor jurídico de movimentos sociais  e presidente da Apoio.    


A FORÇA ESPORTIVA DE CUBA

 09/11/2011 


Terminaram, no final de Outubro/2011, os Jogos Pan-Americanos de Guadalajara, no México. O Brasil foi bem, obteve o 3º lugar com 48 medalhas de ouro. Em primeiro EUA,92. Cuba em 2º lugar com 58 medalhas. Em  4º lugar México. Em 5º lugar Canadá, em 6º Colômbia e em 7º Argentina.O que chama a atenção é a posição de Cuba, ocupando o 2º lugar. Se adotarmos o critério da proporção de medalhas de ouro com o número de habitantes de cada país, Cuba ficaria em primeiro lugar com imensa vantagem. Fazendo as contas.

 Ver tabelas publicadas nos jornais

Colocação

País

Nº Habitantes*

Medalhas**

Proporção medalhas/habitantes

Cuba

11,2 milhões

58

194,103

Canadá

34,1 milhões

30

1,137,000

Argentina

40,5 milhões

21

1,924,000

Colômbia

46,3 milhões

24

1,929,000

Guatemala

14 milhões

07

2,000,000

Equador

15 milhões

07

2,142,000

Venezuela

28 milhões

12

2,333,000

México

113,5 milhões

42

2,700,000

EUA

308,7 milhões

92

3,358,000

10º

Brasil

195 milhões

48

4,062,000

  *Aproximadamente

  **Medalhas de ouro

 O que chama atenção é Cuba ocupando o primeiro lugar com larga vantagem. E os EUA em penúltimo lugar. Talvez esse país não tenha dado importância a esses jogos. Pois, contraria suas posições nas olimpíadas.

 Surpreende que o Brasil nos últimos lugares após ter ampliado suas conquistas.

 Detendo-nos na realidade desses fatos, podemos afirmar que a força esportiva de Cuba se explica pelo acesso universal da população à prática do esporte, assim como o acesso a saúde, educação. Lá filho de trabalhador se forma como engenheiro, médico, etc. Na verdade, lá não tem "só carro velho".

                                                                                                   Havana

 No caso do Brasil é o contrário. A prática do esporte, desde a tenra idade, é privilégio de uma minoria. A grande maioria da população luta com determinação para sobreviver. Estão excluídos da educação, saúde, moradia, alimentação apropriada e também da prática esportiva.

 A publicação do último IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) confirmou o que se vê. A desigualdade de renda e social é gritante. Enquanto o país deve assumir como a 6ª economia mais forte do mundo, o IDH está em 84º lugar. Bem fez o presidente Lula e agora faz a presidente Dilma de implementar políticas públicas e sociais para melhorar a vida da população que mais precisa.

  

Manoel Del Rio - Presidente da Apoio  

Contatos: Manoeldelrioblas@gmail.com, Twitter:@ManoelDelRio, Facebook:ManoelDelRio   

Comments