DIREITA GOLPISTA

Manoel Del Rio,  advogado, assessor jurídico de movimentos sociais



Depois da grande vitória eleitoral da presidenta Dilma, novos desafios

Foto: Ebc  

29/10/2014

A eleição da presidenta Dilma foi extraordinária. Suplantou um conjunto de forças conservadoras que sempre venceram no Brasil. Vejamos:

- Levaram o presidente Getúlio Vargas ao suicídio em 1954.

- Deram o golpe militar em 1964. Derrubando um presidente bem avaliado. 

- Sustentaram a ditadura militar por 21 anos. Torturaram, mataram e fizeram do Brasil um território de uma das maiores desigualdades sociais do mundo.

- Manipularam e roubaram as eleições de 1989.

- De 1990 até 2002 faliram o Brasil.

Essas forças conservadoras, com alguns aliados do momento como Marina Silva, Eduardo Jorge do PV, família Campos, apoiados por conglomerados americanos do petróleo, queriam os campos de petróleo do pré-sal elegendo Aecio,  conforme Wickileaks.

Bom lembrar que o núcleo dessas forças conservadoras “são o 1% (um por cento) dos ricos que detém 70% (setenta por cento) do PIB -Produto Interno Bruto (tudo que é produzido no Brasil durante um ano), com ganho de capital-lucro, juro, renda da terra ou aluguel. E 20% (vinte por cento) dos que ocupam cargos de prestígio no mercado superfaturado. Essas frações são a tropa de choque dos 1% (um por cento) dos endinheirados. Defendem na prática, nos tribunais, nas salas de aula, nos jornais e em todas as dimensões do cotidiano onde a defesa dos privilégios dessa minoria e de seu sócio menor está em jogo” (José de Souza).

Esse grupo vem jogando pesado contra o governo Dilma e as forças progressistas. Destruíram o importante evento Copa do Mundo. Procuraram vender esta confraternização universal como uma coisa ruim. Isso impactou negativamente nos resultados apresentados pela seleção brasileira. Agora vimos Fred e Neymar declararam apoio ao adversário de Dilma.  Neymar, suspeito de  sonegar impostos, na transação com o exterior, que derrubou o presidente do Barcelona. Arrastaram também famosos novos ricos, artistas que recebem milhões em dinheiro público para apresentarem  a maioria de seus shows. A receita federal deveria investigar se estes artistas declaram o que ganham em cada apresentação.

Bem, essas forças do atraso apostaram todas as fichas para desconstruir Dilma e seu governo bem sucedido. O que é bom se torna ruim ou então se esconde da população. É uma central de mentiras colocada diariamente dentro da casa de cada brasileiro.

Felizmente essas forças do atraso foram derrotadas nesta eleição.

Doravante novos desafios estão colocados para o novo governo e para as forças progressistas. Superar o gargalo da saúde, educação, saneamento, moradia. Ampliar a produção de alimentos. Continuar melhorando os salários. Não apenas isso, também mexer nos privilegiados da previdência, do judiciário, da máquina pública, na cobrança de impostos e tantas outras questões.

Entretanto, o desafio maior e a necessidade também, é de implementar as políticas públicas com participação popular. Nada desses marcos regulatórios, que vieram transformar as organizações sociais em braço auxiliar do Estado. Mas sim estabelecer parcerias consistentes com a população organizada, de modo que os atendidos participem do processo de conquista de sua cidadania.

Além de continuar os avanços necessários, está colocado para as forças progressistas desmontar o domínio dos privilegiados dos meios de comunicação e do judiciário. Desmontar o que bem expressa o poeta sertanejo:

“Quem trabalha não tem nada, enriquece quem tapeia.

Pobre não ganha a demanda, rico não vai pra cadeia”


Manoel Del Rio   - Advogado e Assessor Jurídico de Movimentos Sociais 

 Contatos: manoeldelrioblas@gmail.com, Twitter:@ManoelDelRio, Facebook:Manoel Del Rio   

Comments