Trabalho de Autor


PÁGINA INICIAL

 

São Tomé - Voltaremos na Gravana

Desde a minha incursão por terras de África que quis fazer um Diário de Viagem ou um Caderno de Campo. Um retrato de um quotidiano que tivesse leitura dentro de uma perspectiva Antropológica.

 

 

No passa nada 

Em 2003 viajei pela primeira vez a Marrocos. Realizo o meu primeiro trabalho com a máquina Leica.

No passa nada foi a frase que ficou da viagem e que estava constantemente a ser pronunciada pelos nossos amigos locais.

 

Relatos falsos para um falso Diário

As exposições «Deolinda era o nome do meu vizinho de baixo» (Central Tejo, 2001) e «Um beijo com sabor a gelado, como vem nos livros» (Espaço Cinearte, 2002) deram origem à exposição «Relatos Falsos para um Falso Diário», inaugurada na Bienal de Vila Franca de Xira em 2003. Este trabalho foi 1º Prémio na VII Bienal de Fotografia de Vila Franca de Xira; em 2003 e o 2º Prémio na VI Bienal de Fotografia da Moita no mesmo ano. É Publicado, em 2003, Relatos Falsos para um Falso Diário a partir do ensaio "Apontamentos de um Quotidiano", edição de 100 exemplares manufacturados.

 

 

Um beijo com sabor a gelado como vem nos livros

Em 2002 apresentei Um beijo com sabor a gelado como vem nos livros integrada na exposição “Memórias do Eu” do Movimento de Expressão Fotográfica - MEF   

no CINEARTE em Lisboa

 

 

 Castro

Em 1997 realizo o projecto fotográfico “Castro”, exposição em e sobre Castro Verde.

Trabalho realizado a convite da Câmara local e juntamente com José Barata e António Lopes.

Este trabalho foi adquirido pelo Centro Português de Fotografia - Ministério da Cultura.

Passou a integrar a Colecção Nacional de Fotografia.

 

 

 

Trabalho do Milho

Trabalho de 1992, tendo sido apresentada a exposição «Vila Nova do Ceira» («Trabalho do Milho») na Semana Fotográfica de Orense (Espanha), no Centro Cultural de Belém, nos Encontros Fotográficos de Almada, na Primavera Fotográfica de Faro e ainda na EXPO 98.