TODAS AS JANELAS DO MUNDO






            
           


              CRÔNICAS SOBREVIVENTES

     Durante vinte anos eu retirei da terra o meu sustento. Ora da pequena mineração de pedras preciosas, ora da agricultura. Foram anos difíceis e marcantes. Ao longo desse tempo, escrevi para alguns pequenos jornais do Sertão do Sub-médio Rio São Francisco, entre Pernambuco e a Bahia, onde vivi. Eram crônicas sobreviventes. Depois, em jornais e revistas várias, em sites de literatura na internet, nos blogs Assum Preto e no que leva o nome desta coletânea. A primeira e última.
     
    Aqui estão reunidos alguns daqueles artigos, dentre outros inéditos. São frutos do calor das terras secas e do silêncio dos caminhos percorridos. Um pouco do que vi e senti dos perfumes do mundo. Perfumes que o vento trouxe e que depois levou para bem longe, junto comigo.

(Download abaixo)

Ċ
Luis Manoel Siqueira,
13 de abr de 2015 06:15