O estrés e a angustia

Lição do Salmo 4

Um maravilhoso remédio para o stress e a angústia

     1 Responde-me quando clamo, ó Deus que me fazes justiça!
         Dá-me alívio da minha angústia;
         tem misericórdia de mim e ouve minha oração.
     2 Até quando vocês, ó poderosos, ultrajarão a minha honra?
         Até quando estarão amando ilusões e buscando mentiras?
    3 Saibam que o SENHOR escolheu o piedoso;
         o SENHOR ouvirá quando eu o invocar.
    4 Quando vocês ficarem irados, não pequem;
         ao deitar-se reflitam nisso, e aquietem-se.
     5 Ofereçam sacrifícios como Deus exige
         e confiem no SENHOR.
    6 Muitos perguntam: “Quem nos fará desfrutar o bem?”
         Faze, ó SENHOR, resplandecer sobre nós a luz do teu rosto!
    7 Encheste o meu coração de alegria,
         alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho.
    8 Em paz me deito e logo adormeço,
         pois só tu, SENHOR, me fazes viver em segurança.
(Salmos 4:1-8)

Poderíamos dar o seguinte título a este Salmo: “Um Salmo de Davi enquanto este fugia de seu filho Absalão”.

Naquela mesma noite, ainda fugindo de Absalão, Davi compôs o quarto Salmo. É necessário adicionarmos o stress e a tensão de Davi ao seu desgaste físico. Sem dúvida, temos a impressão de que ele parece ter mais paz à noite do que durante o dia.

Que lições nós aprendemos a respeito de gozarmos de paz mental quando estivermos sob pressão?

Em primeiro lugar, Davi pediu a misericórdia, o perdão de Deus.

Salmos 4:1 diz: “Responde-me quando clamo, ó Deus que me fazes justiça!
Dá-me alívio da minha angústia; tem misericórdia de mim e ouve a minha oração”.

O vocábulo hebreu equivalente a “angústia” significa literalmente “estreita”. Assim mesmo Davi disse que Deus o fez “dilatar” o que quer dizer literalmente: “ampliar, criar mais espaço”.
Como resposta à oração de Davi, Deus transformou sua rota de escape de estreita a ampla, larga.

Note que Davi não pediu somente para que perdesse o stress e a angústia, pediu também misericórdia. Isso indica que Davi, ao dialogar com Deus, conhecia seu lugar na hierarquia de poder. Talvez Davi estivesse consciente de que seus problemas resultavam de pecados anteriores e, portanto, não pediu a Deus que lhe desse o que merecia e sim o que não merecia.

Às vezes, pedir livramento de nossa angústia é tão simples como dizer: “Deus, se eu causei este problema na minha vida, te peço perdão”. A natureza misericordiosa de Deus é inclinada a responder a esse tipo de oração sincera. Deus gosta de livrar seus filhos que expressam tristeza por seus pecados.

Salmos 34:18: “O SENHOR está perto dos que têm o coração quebrantado e salva os de espírito abatido.”

Salmos 51:17: “Os sacrifícios que agradam a Deus são um espírito quebrantado; um coração quebrantado e contrito, ó Deus, não desprezarás”.

As provações sempre deixam nosso espírito machucado e nos levam a buscar a Deus. O Senhor não afugenta aqueles que se aproximam dele com espírito contrito. Ele responderá aos nossos pedidos de auxílio.

Em segundo lugar, Davi praticava a meditação:

Salmos 4:2-4: “Até quando vocês, ó poderosos, ultrajarão a minha honra? Até quando estarão amando ilusões e buscando mentiras? Saibam que o SENHOR escolheu o piedoso; o SENHOR ouvirá quando eu o invocar. Quando vocês ficarem irados, não pequem; ao deitar-se reflitam nisso, e aquietem-se”.

A meditação é uma disciplina muito difícil.

Antes que os discípulos obedecessem ao mandamento de Cristo, quando ele disse: “Ide...”, tinham que seguir suas instruções de “esperem”. Se eles tivessem saído a evangelizar o mundo, sem esperar a chegada do Espírito Santo que lhes auxiliaria, teriam falhado totalmente.

O mesmo aconteceu com os filhos de Israel no deserto. Deus guiou-os com uma mostra espetacular: uma nuvem durante o dia e uma coluna de fogo durante a noite. Além de outras coisas, Deus estava ensinando-os que dependessem de sua liderança, que fossem pacientes e confiantes.

Não se mexa até que Deus lhe faça mexer. Em vez de pensar que deve fazer alguma coisa, não faça nada. Este é um paradoxo de proporções imensas.
Não caminhe muito atrás de Deus, tampouco se apresse. Se ele diz “mexa-se” faça-o. Mas se ele diz: “espera”, então espere.

Salmos 27:14 diz: “Espere no SENHOR! Seja forte! Coragem! Espere no SENHOR.

Talvez a única maneira de praticar a meditação, esperando no Senhor, seja programá-la em suas atividades diárias. Marque um encontro com Deus todos os dias e não mude. O resultado será grandioso, sobretudo no alívio do stress e da angústia.

Em terceiro lugar: o alívio do stress e da angústia não vem somente pela oração e súplica, mas também através do sacrifício.

Salmos 4:5 nos aconselha: “Ofereçam sacrifícios como Deus exige e confiem no SENHOR”.

Ser justo e fazer as coisas corretamente são sacrifícios nos quais Deus se deleita. 

Estaremos agradando ao Senhor Deus se colocarmos nossa confiança nele e agirmos segundo sua vontade quando estivermos estressados. Ele nos recompensará por nossa confiança e vida reta, enquanto vivermos em sua paz.

Assim desfrutaremos de satisfação em lugar de angústia e stress.
Salmos 4:6-8 afirma: “Muitos perguntam: ‘Quem nos fará desfrutar o bem?’ Faze, ó SENHOR, resplandecer sobre nós a luz do teu rosto! Encheste o meu coração de alegria, alegria maior do que a daqueles que têm fartura de trigo e de vinho. Em paz me deito e logo adormeço, pois só tu, SENHOR, me fazes viver em segurança”.
Aqueles que em épocas de stress perdem suas esperanças sempre terminam rendidos. Mas, se confiam em Deus, poderão comprovar que a alegria que Ele nos dá é maior do que o lucro material e os prazeres que muitos buscam para se sentirem felizes.

Quando encontramos plena satisfação em Deus e não nas coisas, poderemos dormir em paz e em total segurança, mesmo que no meio das maiores angústias da vida.

Conclusão:

Ainda que depositar toda nossa confiança no Senhor às vezes pareça ser o caminho mais arriscado, devemos colocar nossa vida em suas mãos. Como um bom Pai, Deus nos guiará através dos obstáculos da vida, apoiando-nos e dando-nos de presente sua paz, que é superior a qualquer outra bênção que possamos receber dele.

Perguntas para meditação:

    1. O que você faz quando encontra dificuldades em sua vida?

    2. Quando foi que você já enfrentou uma crise com a ajuda de Deus?

    3. O que o salmista diz que devemos fazer em tempos de angústia?

    4. Qual é a promessa do salmista para uma noite bem dormida?

    5. Qual é o melhor remédio para as preocupações?

    6. Será que não sabemos que existem coisas que somente Deus pode controlar?

    7. Entregar ou levar nossas ansiedades para Deus é uma sugestão ou um mandamento? (ver 1 Pedro 5:7)

(Para voltar ao site "Sermões e Seminarios" favor clicar aqui: www.luisseckler.blogspot.com  )